ppp nutricao santacruz

Click here to load reader

Post on 03-Oct-2015

15 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Projeto Político Pedagógico do Curso de Nutrição

TRANSCRIPT

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE FACULDADE DE CINCIAS DA SADE DO TRAIRI

    CURSO DE NUTRIO

    PROJETO PEDAGGICO DO CURSO DE NUTRIO

    SANTA CRUZ RN 2012

  • PROJETO PEDAGGICO DO CURSO DE NUTRIO

    Elaborao: Prof Neide Maria Ferreira da Rocha

    Prof Carmen Lcia de Arajo Calado Prof Ingrid Wilza Leal Bezerra

    Profa. Ana Paula Trussardi Fayh Profa. Anna Cecilia Queiroz de Medeiros

    Profa. Danielle Soares Bezerra Profa. Dinara Leslye Macedo e Silva Calazans Prof. Edvaldo Vasconcelos de Carvalho Filho

    Profa. Katya Anaya Jacinto Lopes Profa. Nila Patrcia Freire Pequeno

    Profa. Thaiz Mattos Sureira Profa. Thayse Hanne Camara Ribeiro do Nascimento

    Profa. Ursula Viana Bagni Profa. Vanessa Teixeira de Lima

    SANTA CRUZ - RN 2012

  • (...) Vamos precisar de todo mundo

    Um mais um sempre mais que dois

    Para reconstruir a vida nova

    Para merecer quem vem depois

    A felicidade mora ao lado

    E quem no bobo pode ver (...)

    Sal da Terra

    Beto Guedes

  • SUMRIO

    1. Apresentao 4 2. Histrico do Curso de Nutrio 5 3. Insero do Curso de Nutrio na Regio do Trairi - Mesorregio do Agreste Potiguar/RN

    6

    4. Justificativa 10 5. Objetivos 11 5.1- Objetivo geral 11 5.2- Objetivos especficos 12 6. Perfil do formando 13 7. Competncias e habilidades 13 7.1- Competncias e habilidades gerais 13 7.2- Competncias e habilidades especficas 15 8. Estrutura curricular 16 8.1- Identificao do curso 17 8.2- Exigncias para integralizao curricular 17 8.3- Oferta de disciplinas, atividades e estgios por perodo da estrutura curricular 18 8.4- Resumo da estrutura curricular 22 8.5- Ementrio 23 8.5a- Disciplinas obrigatrias 23 8.5b- Estgios curriculares obrigatrios 48 8.5c- Atividades acadmicas obrigatrias 52 8.5d- Disciplinas optativas 54 9. Metodologia 79 9.1- Princpios 79 9.1a- Interdisciplinaridade 79 9.1b- Flexibilizao 79 9.1c- Articulao entre teoria e prtica 80 9.1d- Indissociao do ensino, pesquisa e extenso 81 9.2- Processo de organizao dos conhecimentos na estrutura curricular 81 9.2a- Disciplinas obrigatrias 81 9.2b- Atividades acadmicas especficas 82 -Estgios supervisionados 82 -Atividade obrigatria 82 -Disciplinas optativas 83 -Atividades complementares 83 10. Avaliao 84 10.1- Avaliao do projeto pedaggico do curso 84 10.2- Avaliao do processo ensino-aprendizagem 85 11. Suporte para a execuo do projeto 85 11.1- Descrio das reas 86 11.2- Laboratrios 86 11.2a- Laboratrios do ciclo bsico 86 11.2b- Laboratrios especficos para o Curso de Nutrio 87 11.3- Equipamentos 88 11.4- Recursos humanos 92 12. Referncias 95 Anexos 96

  • 5

    1. APRESENTAO

    O Programa de Apoio a Planos de Reestruturao e Expanso das Universidades

    Federais REUNI, institudo pelo Decreto N 6.096, de 24 de abril de 2007, ao definir

    como um dos seus objetivos dotar as universidades federais das condies necessrias

    para ampliao do acesso e permanncia na educao superior, apresenta-se como uma

    das aes que consubstancia o Plano de Desenvolvimento da Educao PDE, lanado

    pelo Presidente da Repblica, em 24 de abril de 2007. pretenso do REUNI congregar

    esforos para a consolidao de uma poltica nacional de expanso da educao superior

    pblica, pela qual o Ministrio da Educao cumpre o papel atribudo pelo Plano

    Nacional de Educao (Lei n 10.172/2001) quando estabelece o provimento da oferta

    de educao superior para, pelo menos, 30% dos jovens na faixa etria de 18 a 24 anos,

    at o final da dcada (BRASIL, 2007).

    Um olhar panormico sobre a universidade brasileira evidencia que, apesar da

    grande expanso do sistema de educao superior, a taxa de escolarizao superior de

    jovens com idade entre 18 e 24 anos, ainda muito baixa, ficando muito aqum dos

    ndices internacionais. No Brasil, a taxa de escolarizao bruta (todos os alunos de 18 a

    24 anos matriculados na educao superior) de 18,6% e a lquida de 10,5%. Essa

    situao de excluso da maioria dos jovens brasileiros do ensino universitrio,

    principalmente pblico, assume um carter contraditrio diante da crescente ampliao

    da oferta de vagas no ensino fundamental e mdio, sem, no entanto, acontecer a

    necessria ampliao da matrcula no ensino superior associada melhoria da qualidade

    (REUNI..., 2007).

    Esse quadro bem mais grave nos Estados do Norte e Nordeste que, em seu

    conjunto, apresentam as taxas mais baixas em relao mdia nacional. O Rio Grande

    do Norte, por exemplo, conta apenas com 9,8% da populao de 18 a 24 anos

    matriculada no ensino superior (taxa de escolarizao bruta), sendo bem menor o

    contingente dos jovens (5,6%) nessa faixa etria que freqentam os respectivos cursos

    (taxa de escolarizao lquida). Considerando que a meta do Plano Nacional de

    Educao - PNE prover, at o ano 2011, a oferta de educao superior a pelo menos

    30% dos jovens da faixa de 18 a 24 anos, os nmeros revelam a magnitude das

    dificuldades no estado potiguar (REUNI..., 2007).

    Diante desse quadro, a adeso ao REUNI foi percebida como uma importante

    estratgia institucional para a UFRN, contribuindo no s para a consolidao do seu

  • 6

    papel no contexto da sociedade norte-rio-grandense, como tambm para o pleno

    cumprimento da sua misso acadmica, tcnica e administrativa. A expressiva expanso

    das vagas do ensino de graduao e as diversas medidas de reestruturao apresentadas

    para a melhoria da qualidade acadmica significam, assim, um grande esforo dirigido

    realizao da misso da UFRN em promover a produo do conhecimento e reafirmar

    seu compromisso com a justia social, a democracia e a cidadania na sociedade

    brasileira.

    Neste sentido, a criao da Faculdade de Cincias da Sade do Trairi, no

    municpio de Santa Cruz, propiciou a expanso do ensino superior atravs da abertura

    de 120 vagas anuais nos cursos de Enfermagem, Fisioterapia e Nutrio, reafirmando o

    compromisso da UFRN com a ampliao do acesso ao ensino pblico de nvel superior

    e, favorecendo populao, especialmente aos jovens, da Mesorregio do Agreste

    Potiguar.

    2. HISTRICO DO CURSO DE NUTRIO

    A nutrio um dos campos da cincia que mais tem apresentado evoluo

    quanto ao conhecimento cientfico. Considerada ainda hoje como um campo novo, no

    Brasil, o primeiro Curso de Nutrio foi criado na Universidade de So Paulo, em 1939,

    seguido, na dcada de 1940, pelos cursos do Rio de Janeiro: UNIRIO (1943), UERJ

    (1944) e UFRJ (1946). Somente uma dcada depois surgiram outros cursos, localizados,

    ento, na regio nordeste: UFBA (1956) e UFPE (1957). At final da dcada de 1960,

    havia apenas sete cursos de formao de nutricionistas no pas. A partir da reforma

    universitria de 1968, alcanou-se em 1981 o nmero de 30 cursos. Antes da publicao

    da Lei de Diretrizes e Bases, em 1996, existiam apenas 45 cursos de nutrio em todo o

    pas. Em abril de 2008, quando do envio da proposta deste curso, haviam 344 cursos de

    nutrio no pas, sendo 15 na regio norte; 26 na regio centro-oeste; 48 na regio

    nordeste; 196 na regio sudeste e 58 na regio sul.

    A formao universitria do nutricionista foi estabelecida em 1962, a partir da

    aprovao do primeiro Currculo Pleno do Curso de Graduao, dado pelo Parecer n.

    265, do Conselho Federal de Educao (CFE). Em 1974, a resoluo CFE n. 36

    aprovou o segundo currculo mnimo, o qual definia ciclos bsico e profissionalizante,

    com destaque para alimentos e sade pblica, em acrscimo ao conjunto de contedos j

  • 7

    estabelecidos e relacionados s cincias biolgicas e da sade, bases da formao

    clssica em nutrio clnica.

    No Rio Grande do Norte, alm dos Cursos de Nutrio da UFRN campus

    Natal e Santa Cruz (em processo de implantao), existem dois outros Cursos,

    vinculados instituies privadas: Faculdade Natalense para o Desenvolvimento do RN

    - FARN (60 vagas anuais) e Universidade Potiguar - UnP (180 vagas anuais).

    O Curso de Graduao em Nutrio da UFRN, foi criado em 1976, atravs da

    Resoluo CONSUNI n. 29, de 6 de julho de 1976, vinculado ao Centro de Cincias da

    Sade, em particular ao antigo Departamento de Medicina Preventiva e Legal, logo em

    seguida denominado Departamento de Sade Coletiva e Nutrio. A Resoluo

    CONSEPE n. 87, de 29 de setembro de 1976, aprovou o projeto de funcionamento do

    Curso de Graduao de Nutricionista, fixando 30 vagas anuais.

    Atualmente, o Curso de Graduao em Nutrio da UFRN encontra-se em

    processo de ampliao do nmero de vagas, conforme diretrizes do REUNI

    (Reestruturao e Expanso das Universidades Federais), para oitenta vagas (80) anuais.

    3. INSERO DO CURSO DE NUTRIO NA REGIO DO TRAIRI -

    MESORREGIO DO AGRESTE POTIGUAR/RN

    A migrao da populao da rea rural para os grandes centros urbanos vem

    contribuindo para a superpopulao desses centros, sobretudo daqueles mais

    desenvolvidos. Fato este que no se deve unicamente ao processo de industrializao

    muito mais forte e acelerado nas grandes cidades. As dificuldades da vida no campo

    tambm desempenharam papel expressivo na expulso da populao para as regies

    urbanas, de um lado pela falta de estrutura (educao, sade, emprego, renda, etc) e, de

    outro, pela falta de perspectivas, devido ausncia de fatores que favoream o

    desenvolvimento local.

    Desta forma, a expanso do ensino superior, especialmente das Universidades

    Pblicas em plos de desenvolvimento urbanos de microrregies do Estado do Rio

    Grande do Norte favorece a permanncia do cidado no seu habitat de origem, o que

    efet