nutricao e estetica

Download nutricao e estetica

Post on 10-Jul-2015

566 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

NUTRIO E ESTTICA

Unicentro Newton Paiva Disciplina: Nutrio e Reeducao Alimentar Profa: Elizabeth Machado Duarte

CONCEITOS GERAIS DE NUTRIO HUMANA, ALIMENTOS E NUTRIENTES

Fonte: http://www.fotosearch.com.br/fotos -imagens/refei%C3%A7%C3%A3o.html

HISTRICO

Incio da pr-histria: alimentao = sobrevivncia / saciar a fome Perodo Neoltico (10.000 a 6.000 anos a.C.) se inicia a base de nossa alimentao tradicional. Alimentao como forma de prazer sabor e relaes sociais Nos primrdios da Medicina, a importncia do cuidado nutricional na sade foi enfatizada por Hipcrates (337 a.C.), Galeno e Florence Nightingale. Por um longo perodo da histria at os dias atuais, as modificaes dietticas constituram um dos mais importantes recursos teraputicos mudana do estado adoentado para o sadio e o prolongamento da vida. Sec. V a X d.C.: conhecimento sobre os efeitos preventivos da alimentao.

HISTRICODurante o sculo passado, a nutrio ainda se preocupava muito em combater as deficincias nutricionais. Essa nfase mudou para a importncia das necessidades de nutrientes para a boa sade por toda a vida Tratamento X PREVENO

-

custos com a sade qualidade de vida expectativa de vida

Culturalmente a alimentao brasileira continua dando nfase ao SABOR e ao PRAZER do alimento em detrimento ao seu VALOR NUTRICIONAL. Predomnio de massas, gorduras, carnes e doces.

REEDUCAO NUTRICIONAL

HISTRICO

Na histria da humanidade, o conceito esttica sofreu muitas transformaes, mas a busca pela manuteno da juventude sempre esteve presente . A valorizao da imagem se alterou ao longo do tempo. Sec. XVI: beleza = excesso de peso Espartilho cintura de fina corpo estilo violo Anos 70 silueta magra Anos 80-90: popularizao da cirurgia facial reduo da flacidez e rugas em pessoas acima de 60 anos. As tcnicas da Medicina esttica (laser, peeling , preenchimento, toxina botulnica) ganharam importncia pela preveno dos sinais de envelhecimento, por ser menos invasiva e por apresentar resultados satisfatrios .

HISTRICODcada de 90: ganharam destaque as prteses de silicone + corpo modelado pela atividade fsica Valorizao da MAGREZA ABSOLUTA Hoje: prevalece a silueta escultural , modelada pela atividade fsica, alimentao especializada e pelos modernos procedimentos estticos . A popularizao de tais tcnicas pode favorecer a busca desenfreada pelo corpo perfeito, comprometendo severamente a sade fsica e principalmente a sade emocional . VAIDADE x OBSESSO Nesse contexto, o profissional de sade precisa ser muito cauteloso e ter a sensibilidade de identificar o objetivo do cliente quando o mesmo procura tratamentos na rea esttica .

O QUE ESSAS IMAGENS REPRESENTAM PARA VOC??

NS SOMOS AQUILO QUE COMEMOS

IMPORTNCIA DA NUTRIO Nutrio e Esttica atravs do alimento que o indivduo retira os nutrientes para a manuteno do corpo saudvel , para o seu crescimento e para a recuperao de doenas .

IMPORTNCIA DA NUTRIO Nutrio aplicada Esttica

nutrio e a esttica = vAUTOIMAGEM

a adaAUTOESTIMA

QUALIDADE DE VIDA

SNDROME DA DESARMONIA CORPORAL

I

SNDROME DA DESARMONIA CORPORAL o conjunto de alteraes que afetam a esttica cor oral: celulite, excesso de peso, gordura locali ada, flacidez Fat : it it i i a: f , l l, t tari rmonai - Alimentares

A Nutrio vem ganhando seu espao com papel essencial na melhora da qualidade de vida, da sade e de tratamentos especficos, bem como na atuao ESTTICA: tratamento de estrias, acne, a flacidez, obesidade, estrias, celulite, gordura localizada e envelhecimento cutneo. A alimentao equilibrada est cada vez mais relacionada aos conceitos de bem-estar, boa disposio fsica e LONGEVIDADE.

O lema ser bonito e saudvel de dentro para fora.

!

utri CI pli d I Es i a Composio corporal mdia Ideal: 20% gordura 80% massa magra

IMPORTNCIA DA NUTRIO Nutrio aplicada Estt c

IMPORTNCIA DA NUTRIO Nutrio aplicada Estt c

A cincia nos prova a cada dia que possvel atuar positivamente na idade biolgica por meio da escolha de um estilo de vida saudvel,alimentao balanceada , atividade fsica, vida social saudvel, relacionamentos prazerosos e gratificantes. Bem estar: FISICO

MENTAL ESPIRITUAL EMOCIONAL O segredo de um corpo bonito e saudvel pode estar na escolha certa dos alimentos que comemos.

IMPORTNCIA DA NUTRIO Nutrio aplicada Estt cUm fator importante, que notado ao passar dos anos de vida, tem influencia direta ao consumo de alimentos: o ENVELHECIMENTO DA PELE. O combate ao envelhecimento a maior preocupao de quem procura procedimentos no campo da esttica = retardar os efeitos da idade

RADICAIS LIVRES: infla ao

NUTRIENTES ANTIOXIDANTES

#" %$

&

IMPORTNCIA DA NUTRIO Nutrio aplicada EstticaHoje em dia, h bitos de vida e a alimentao podem aumentar a produo de Radicais Livres e conseqentemente aumentar o risco

de desenvolvimento de cncer e envelhecimento: Poluio Stress

Cigarro Sol em excesso Distrbios do sono Uso de medicamentos em excesso Atividade fsica em excesso Bebidas alcolicas Alimentao rica em gorduras saturadas Alimentao rica em alimentos de origem animal Conservantes

Nutrio aplicada Estt c BELEZA COM O QUE VOC PE NA MESAALIMENTAO x PROTOCOLOS DE ATENDIMENTOS Boa Nutrio = Pele saudvel A pele reflete o estado de sade do organismo. Ingesto adequada de vitaminas e minerais, principalmente os de ao antioxidantes so necessrios para manter esse equilibrio e reduzir o efeitos dos radicais livres que leso as clulas causando o envelhecimento HIDRATAO ANTIOXIDANTES: Vit A, C, E, Selnio, Zinco ALIMENTAO BALANCEADA

.

RESULTADOS SATISFATRIOS

)(

'

NUTRIO E ESTTICA

Ao considerar que a Nutrio condio b sica para a manuteno da vida, e que o ESTETICISTA, profissional da beleza e da sade que possui atribuies frente ao cuidado do indivduo, o conhecimento sobre Nutrio revela-se primordial.

O ESTETICISTA deve apropriar-se dos conhecimentos b sicos da Nutrio, uma vez que a utiliza em v rios cen rios de sua pr tica, tanto no mbito da promoo da sade como no aspecto curativo.Ganhar algumas ferramentas b sicas necess rias para conhecer e orientar o que na alimentao do dia-a-dia de seus pacientes, poderia auxiliar no reencontro da jovialidade, potencializando os resultados oferecidos pelos mais modernos procedimentos estticos.

NUTRIO E ESTTICAO futuro ESTETICISTA dever ser capacitado a "levantar, junto ao paciente, problemas relacionados dieta" ou a perceber e co preender os "problemas alimentares" .

TICA: preciso tomar muito cuidado para no exceder barreiras.

2

EQUIPE MULTIDISCIPLINAR: esteticista, psiclogo, fisioteraputa .

dico, nutricionista,

0

1

1

0

1

2

0

1

0

Faa do seu alimento o seu remdio (Hipcrates)

Fonte: http://nutricionistajoicecamara.blogspot.com/2010/08/nutricao -e-estetica-envelhecimento-da.html

CONCEITOS BSICOS DE NUTRIO HUMANANutrio o estudo dos alimentos e dos mecanismos pelos quais o organismo ingere, assimila e utiliza os nutrientes que fornecem a energia necessria para a vida.

Alimentao equilibrada deve ser: - Quantitati amente suficiente - Qualitati amentecompleta - Harmoniosa em seus componentes - A equa a sua finali a e (nutrir e manter a i a) e ao organismo a que se estina (i oso, criana, atleta, oena, esttica)

Fonte: http://www.fotosearch.com.br/fotos -imagens/refei%C3%A7%C3%A3o.html

65

3

6 55 6

3

4

5

5

CONCEITOS BSICOS DE NUTRIO HUMANATRANSIO NUTRICIONAL

DESNUTRIO

Avanos tecnolgicos / Mdia Mudana nos hbitos alimentares EXCESSO DE PESO/OBESIDADE

CONCEITOS BSICOS DE NUTRIO HUMANATERMOS E PRINCPIOS BSICOS DA NUTRIO Nutrio o conjunto de processos atravs dos quais um organismo ingere e assimila os nutrientes necess rios s funes corpreas e ao crescimento e renovao de seus constituintes. Alimentao o ato volunt rio de retirar do meio ambiente os alimentos necess rios para suprir as necessidades do organismo, abrangendo todas as etapas desde a escolha do alimento at sua absoro intestinal .

7

7

7

CONCEITOS BSICOS DE NUTRIO HUMANATERMOS E PRINCPIOS BSICOS DA NUTRIO Alimentos produtos de origem animal ou vegetal que fornecem energia e nutrientes aos organismos . Nutrientes elementos respons veis pela manuteno de todas as reaes bioqumicas necess rias para o funcionamento do organismo; So substncias qumicas, orgnicas ou inorgnicas presentes nos alimentos que devem ser ingeridas diariamente em quantidades adequadas. So indispensveis sade e a atividade do organismo, quando ausentes produzem enfermidades de carncias

CONCEITOS BSICOS DE NUTRIO HUMANANutrientes essenciais: aqueles que NO so produzidos pelo nosso organismo, portanto devem ser adquiridos a partir da dieta; vitaminas, minerais, alguns aminocidos, alguns cidos graxos.

Dieta: conjunto de alimentos que o indivduo consome diariamente .

9

9

8

8

Necessid des Nutrici nais Considerar a idade, sexo, ondies de sa de e rau de atividade sica de cada indivduo. Cal ria Energia ornecida elos nutrientes 1 cal = 4,1868 J 1 kcal = 1000 cal,

as na rtica da nutrio: 1 cal = 1 Kcal

VC = Valor Calrico Total energia necessria ara um indivduo varia conforme idade, sexo, doena, atividade fsica. em 24

CONCEITOS BSICOS DE NUTRIO HUMANAGER (Gasto Energtico de Repouso) Energia despendida nas atividades necess rias para manter as funes corporais normais e a homeostase energia gasta em repouso e com o efeito trmico de alimentos ingeridos, medida em repouso de 30 minutos e sem jejum. GEB (Gasto Energtico Basal) Quantidade mnima de energia gasta que compatvel com a vida. Energia para metabolismo b sico, medido em repouso de 10 a 12 horas e em jejum. TMB (Taxa de Metabolismo Basal): reflete a quantidade de energia utilizada durante 24hs enquanto se descansa fisicamente (deitado) e mentalmente. Obtida seguindo protocolo especfico.

D

F

XP

C NC I

IC

NUTRI

W Y

C

B A @ QV SP S T SPR Q P U ` F F G E I

UMANA

A

H

E

CONCEITOS BSICOS DE NUTRIO HUMANAComo se calcula o gasto energtico basal de um indivduo?

Formulas de Owen Masculino = 23 X Peso Feminino = 25 X Peso

Frmula de Harris-Benedict, 1919 Homem TMB = 66.5 + (14 x Peso (Kg) + (5 x Altura (cm)(6.7 x Idade (anos) Mulher TMB = 655 + (9.6 x Peso (Kg) + (1.8 x Altura (cm)(4.7 x Idade (anos)

CONCEITOS BSICOS DE NUTRIO HUMANAGET (Gasto Energtico Total) So atrio do ER + Fator Atividade (FA ou ) So atrio do EB + Fator Atividade (FA) + efeito tr ico dos ali entos; VCT (Valor Calrico Total) ou VET (Valor Energtico Total): define a ingesto energtica diria de u indivduo. Expresso e Kcal ou KJ.

Fator Atividade (FA) Homens Mulheres

Leve 1,55 1,56

Moderada 1,78 1,64

Intensa 2,10 1,82

b

b

c c

b

b

a

a

b b

CONCEITOS BSICOS DE NUTRIO HUMANA

Frmula da FAO/OMS, 1985Idade 0 a 3 anos 3 a 10 anos 10 a 18 anos 18 a 30 anos 30 a 60 anos + de 60 anos Gnero Feminino Gnero Masculino 61,0 x P - 51 60,9 x P - 54 22,5 x P + 499 22,7 x P + 495 12,2 x P + 746 17,5 x P + 651 14,7 x P + 496 15,3 x P + 679 8,7 x P + 829 11,6 x P + 879 10,5 x P + 596 13,5 x P + 487 P = peso corporal em kg

CONCEITOS BSICOS DE NUTRIO HUMANA

O consumo de energia gasto total metabolismo basal (energia para manter as inmeras reaes importantes para as funes vitais) - 60%; efeito trmico dos alimentos ( energia para a digesto, absoro e utilizao dos nutrientes) 10%;

atividade fsica - 30%.

CONCEITOS BSICOS DE NUTRIO HUMANAComo se calcula o gasto energtico TOTAL de um indivduo?Frmula FAO, 1985: Somatrio do GER + Fator Atividade (FA) ou Somatrio do GEB + Fator Atividade (FA) + efeito trmico dos alimentos

Frmula prtica = Frmula de Bolso - (Kcal para cada peso ideal) : 25 a 40 kcal/kg de peso ideal (adulto) ~ 80 a 100 Kcal/Kg de peso ideal (crianas)

CONCEITOS BSICOS DE NUTRIO HUMANAClculo de Peso ideal: Peso (kg) dividido pelo quadrado da altura (m) Classificao do estado nutricional de acordo com a OMS ndice de Massa Corporal (IMC) Classificao: < 18,5 Baixo Peso / Desnutrio 18,5 24,9 Eutrofia (Normal) 25,0 Excesso de Peso 25,0 29,9 Sobrepeso 30,0 34,9 Obesidade Classe I 35,0 39,9 Obesidade Classe II 40,0 Obesidade Classe III obesidade mrbida

CONCEITOS BSICOS DE NUTRIO HUMANAExerccio de Fixao:Peso 52 quilos, sexo feminino, 1,63 de altura e 26 anos. IMC = ? Classificao? TMB = 655 + (9.6 x P) + (1.8 x A) - 4.7 x I) TMB = 14,7 x P + 496 TMB = ? Fator Atividade = moderada = 1,64 VCT = ?

Sugesto para fixao: calcule a sua TMB e o seu VCT

GET =

T manuteno o eso

GET >

T perda de peso

GET