beneficiamento de rochas ornamentais - .tecnologia de rochas ornamentais: pesquisa, lavra e...

Download BENEFICIAMENTO DE ROCHAS ORNAMENTAIS - .TECNOLOGIA DE ROCHAS ORNAMENTAIS: PESQUISA, LAVRA E BENEFICIAMENTO

Post on 26-Nov-2018

226 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Coordenao de Apoio Tcnico s Micro e Pequenas Empresas - CATECentro de Tecnologia Mineral - CETEM

    Ministrio da Cincia, Tecnologia e Inovao - MCTI

    BENEFICIAMENTO DE ROCHAS ORNAMENTAIS

    Leonardo L. L. SilveiraPesquisador

    Francisco Wilson Hollanda VidalTecnologista Snior.Jlio Csar Souza

    Eng. de Minas, Dsc. UFPE

    Rio de Janeiro, junho de 2014

    CCL-0005-00-14 CAPTULO DO LIVRO TECNOLOGIA DE ROCHAS ORNAMENTAIS:

    PESQUISA, LAVRA E BENEFICIAMENTO. Vidal, F.V.; Azevedo, H.C.A.; Castro, N. F. Rio de

    Janeiro: CETEM/MCTI. ISBN: 987-85 8261-005-3. p 327 - 398

  • Francisco W. H. Vidal,Hlio C. A. Azevedo eNuria F. Castro

    EDITORES

    CETEM/MCTIRio de Janeiro/2014

  • TECNOLOGIA DE ROCHAS ORNAMENTAIS: PESQUISA, LAVRA E BENEFICIAMENTO

    Editores: Francisco Wilson Hollanda Vidal - CETEM/MCTINuria Fernndez Castro - CETEM/MCTIHelio Carvalho Antunes de Azevedo CBPMAutores: Adriano Caranassios - CETEM/MCTI (In Memoriam)Anglica Batista Lima CPRM/MMEAntnio Rodrigues de Campos - CETEM/MCTICarlos Csar Peiter - CETEM/MCTICarlos Rubens Araujo de Alencar HEAD ParticipaesCid Chiodi Filho ABIROCHASDenise Kistemann Chiodi KISTEMAN&CHIODI Asessoria e ProjetosEunice Freitas Lima CETEM/MCTIFrancisco Wilson Hollanda Vidal - CETEM/MCTIHelio Carvalho Antunes de Azevedo CBPMIlson Sandrini ConsultorJos Roberto Pinheiro ALVORADA Minerao Comrcio e Exportao Ltda.Jlio Cesar Souza UFPELeonardo Cattabriga - CETEM/MCTILeonardo Luiz Lyrio da Silveira - CETEM/MCTILuciana Marelli Mofati - CETEM/MCTIMarcos Nunes Marques UNIMINASMaria Helosa Barros de Oliveira Frasc MHB Servios Geolgicos Ltda.Nuria Fernndez Castro - CETEM/MCTIRoberto Carlos da Conceio Ribeiro - CETEM/MCTIRoberto Cerrini Villas-Bas - CETEM/MCTIRonaldo Simes Lopes de Azambuja - CETEM/MCTI (In Memoriam)Rosana Elisa Copped da Silva - CETEM/MCTIVanildo Almeida Mendes CPRM/MME

    Colaboradores: Abiliane de Andrade Pazeto, Ana Cristina Franco Magalhes, Arquiteto Paulo Barral, Arquiteto Renato Palds, Carolina Nascimento Oliveira, Davi Souza Vargas, Diego Amador Rodrigues, Douglas Bortolote Marcon, Eder Fer-reira Framil, Eduardo Coelho, Eduardo Pagani, Gilson Ezequiel Ferreira, Hieres Vetorazzi, Hudson Duarte, Isabela Rigo, Jefferson Camargo, Julio Csar Guedes Correia, Marcelo Taylor de Lima, Marcione Ribeiro, Michelle Pereira Babisk, Ronaldo Frizzera Matos, Thiago Bolonini, Victor Ponciano.Capa: Bruno Dias Ferreira, Roger Ferreira de Lima, Ananda Menali Menezes RodriguesDesenhos: Cassiane Santos Tofano, Nuria CastroReviso Portugus: Danielle da Conceio Ribeiro, Vernica BareichaProjeto grfico/Editorao eletrnica: Vera Lcia do Esprito Santo, Thiene Pereira AlvesReviso: Carlos Rubens de Alencar

    O contedo deste trabalho de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es)

    Tecnologia de rochas ornamentais: pesquisa, lavra e beneficiamento/Eds. Francisco W. H.

    Vidal, Hlio C. A. Azevedo, Nuria F. Castro Rio de Janeiro: CETEM/MCTI, 2013.

    700p.: il.

    1. Rochas ornamentais. II. Beneficiamento de minrio. I. Centro de tecnologia Mineral. II. Vidal, Francisco W. H. (Ed.). III. Azevedo, Hlio C. A. (Ed.). IV. Castro, Nuria F. (Ed.)

    ISBN 987-85-8261-005-3 CDD 553

    Agradecimentos

    Dedicatria in memoriam

    ANPO, Andreia Batista Teixeira, Antonio Augusto Pereira Souza (Fuji Granitos), Associao Ambiental Monte Lbano, Alvorada Minerao, Bruno Zanet, Cetemag, Comil Cotax Minerao, Decolores Mrmores e Granitos, Emanuel Castro (Revista Rochas), Elzivir Guerra (SGM/MME), Enir Sebastio Mendes (SGM/MME), Fernando Vidal, Flamart Acabamentos do Brasil Ltda., Flvia Karina Rangel de Godoi, Flvio Jos Silva, Fundisa, IEMA, Granfaccin Granitos, Granitos Collodetti, Granitos Zucchi, Ivar Costa, Luiz Zampirolli, Marbrasa Mrmores e Granitos, Mauro Varejo, Mine-rao Corcovado, Minerao Guidoni, Minerao Pagani, Minerao Santa Clara, Minerao Vale das Rochas, Nilza Hagai, Olvia Tirello (Centrorochas), Pedra Mosaico Portugus Cesar, Pedra Rio, Pemagran, Phillipe Fernandes de Almeida, Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim, Regi-na Martins, Rossittis Brasil S.A., Sindirochas, Tracomal Minerao, Volpi equipamentos.

    Nossa eterna gratido e reconhecimento aos colegas que no chegaram a ver esta obra conclu-da, mas que em muito contriburam com a sua elaborao e com o legado nela impresso:

    Gildo S Cavalcanti de AlbuquerqueAdriano CaranassiosRonaldo Simes Lopes de Azambuja

    ESTE LIVRO FOI FINANCIADO POR

  • Sumrio

    Agradecimentos

    Dedicatria

    Apresentao

    Prefcio

    Prlogo

    Sumrio

    Captulo 1: Introduo 15

    Captulo 2: Tipos de rochas ornamentais e caractersticas tecnolgicas 43

    Captulo 3: Pesquisa de rochas ornamentais 99

    Captulo 4: Lavra de rochas ornamentais 153

    Captulo 5: Aspectos legais das rochas ornamentais 259

    Captulo 6: Plano de aproveitamento econmico de rochas ornamentais 285

    Captulo 7: Beneficiamento de rochas ornamentais 327

    Captulo 8: Sade e segurana no trabalho 399

    Captulo 9: Resduos - tratamento e aplicaes industriais 433

    Captulo 10: O setor de rochas ornamentais no Brasil 493

    Captulo 11: A busca da sustentabilidade na produo e uso das rochas ornamentais 529

    Anexo 567

    Glossrio e dicionrio 587

  • 326 CETEM/MCTI - TECNOLOGIA DE ROCHAS ORNAMENTAIS: Pesquisa, lavra e beneficiamento

    NUNES MARQUES, Marcos. Relatrios de Servios de Lavra de Granito Ornamental. Relatrios res-tritos da Pedreira Escola. Ruy Barbosa. Bahia. 2004.

    QUMICA EDILE DO BRASIL Manual de Utilizao do Fract. Ag: argamassa explansiva. Cachoeiro de Itapemirim, ES, 2000.

    RODRIGUES COSTA, Roberto. Projetos de Minerao. Universidade Federal de Ouro Preto: Ouro Preto, Minas Gerais. 1979.

    SANDVICK DO BRASIL Manual de Perfurao de Rochas. So Paulo, 1996.

    SOUZA, Hlio; CARALANI, Guilherme. Terraplanagem e Escavaes em Rochas. So Paulo: Ed. MacGraw Hill do Brasil, 1977.

    SOUZA, Petain A. Avaliao econmica de projetos de minerao: anlise de sensibilidade e anlise de risco / Edio Revisada. Petain vila de Souza- Belo Horizonte. 2005

    TEODORO, Wilder; RUBIO, Galvo. Segurana na Minerao em Uso de Explosivos. Rio de Janeiro: Fundacentro, 1986. Beneficiamento de rochas

    ornamentais

    Captulo 7

    Leonardo Luiz Lyrio da Silveira, Gelogo, D.Sc., CETEM/MCTIFrancisco Wilson Hollanda Vidal, Eng. de Minas, D.Sc., CETEM/MCTIJulio Csar Souza, Eng. de Minas, D.Sc., UFPE

  • 329Silveira, L.L.L. et al. : BENEFICIAMENTO DE ROCHAS ORNAMENTAIS

    1. IntroduoO beneficiamento de rochas ornamentais visa basicamente a transformao dos blocos, extra-

    dos na fase de lavra, em produtos finais ou semiacabados. Desta forma, podem se separar as fa-ses de beneficiamento em primrio, ou desdobramento, e secundrio. O primeiro compreende a preparao e serragem dos blocos em chapas de espessura varivel, usualmente dois ou trs cen-tmetros. No segundo processo, as chapas so submetidas a acabamento superficial, com ou sem resinagem, que pode ser um simples desbaste, polimento, escovado, flameado ou outros tipos que sero vistos neste captulo, assim como a produo de ladrilhos e outras peas.

    A compreenso das etapas de beneficiamento de rochas ornamentais, mais especificamente a serragem e o polimento, como sendo processos de desgaste de uma superfcie em que existe uma ntima relao entre as muitas variveis envolvidas, ainda no completa. As caractersticas in-trnsecas da rocha, os tipos de teares (multifio e multilmina), talha-blocos, serras diamantadas e politrizes (automticas e semiautomticas), os tipos e formas de abrasivos so alguns dos fatores que influem no produto final e que so colocados, na maioria dos casos, em segundo plano.

    Especificamente no setor de rochas ornamentais, o Brasil, apesar de ter apresentado uma sig-nificativa melhora na qualidade operacional de seus parques industriais, principalmente em re-lao s tcnicas de beneficiamento primrio (desdobramento) e secundrio (polimento), ainda no tem atentado para a importncia de desenvolver, de uma forma mais intensa, pesquisas nesse importante setor produtivo. Em todo o processo de beneficiamento de rocha ornamental, existem lacunas no conhecimento que, em ltima anlise, geram custos, contribuindo para uma diminuio da competitividade da indstria brasileira no mercado internacional.

    A importncia do atrito e da resistncia ao movimento reconhecida em vrios exemplos prticos no nosso dia a dia e ao longo da Histria da nossa civilizao. Registros do antigo Egito mostram servios de transporte de objetos pesados que envolviam desde o simples arrasto at a utilizao de toras ou rolos. Para arrastar os blocos de vrias toneladas que usavam em suas construes, os egpcios valiam-se dessas ferramentas simples para diminuir, de maneira ainda instintiva, o coeficiente de atrito entre as superfcies.

    Em muitos setores das atividades humanas o desgaste um fator indesejvel, pois pode causar perda da vida til de algum componente, perda de desempenho etc. No caso do processamento industrial de rochas ornamentais, entretanto, o desgaste que imprime a qualidade da superf-cie serrada, o brilho, a beleza e a durabilidade das rochas polidas. Logo, de suma importncia a compreenso dos processos de atrito e desgaste envolvidos nesses processos e a definio de um modelo tribolgico, em que seja possvel a definio de taxas de desgaste, sendo considerados todos os atributos intervenientes.

    O termo Tribologia pode ser definido como a Cincia e tecnologia de superfcies que se inte-ragem em movimento relativo ao das prticas a elas relacionadas (ZUM-GAHR, 1987). O atrito e o desgaste no so propriedades intrnsecas dos materiais, mas sim caractersticas da interao destes materiais com variveis operacionais. O atrito responsvel por dissipaes de energia, e o desgaste de matria. Atrito a resistncia ao deslocament

View more >