profa dra marta valentim

Download Profa Dra Marta Valentim

Post on 17-Jul-2015

76 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Cincias Campus de Marlia Departamento de Cincia da Informao

Mtodos de Pesquisa: Anlise de ContedoProfa. Dra. Marta Valentim

Marlia 2008c2008, Valentim

Anlise de Contedo Conjunto de tcnicas de anlise das comunicaes visando obter, por procedimentos sistemticos e objetivos de descrio do contedo das mensagens, indicadores (quantitativos ou no) que permitam a inferncia de conhecimentos relativos s condies de produo/recepo (variveis inferidas) destas mensagens.

c2008, Valentim

Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo [...] tem como objeto de estudo a linguagem. Em razo disto, foi muito usada em estudos de mensagem escrita, num primeiro estgio. Posteriormente, foi empregada na anlise de comunicaes no verbais, a Semiologia. Finalmente, abrangeu trabalhos de ndole lingstica. [...] pesquisa para descrio objetiva, sistemtica e quantitativa do contedo manifesto dos depoimentos dos entrevistados. A anlise de contedo se constitui num conjunto de instrumentos metodolgicos que asseguram a objetividade, sistematizao e influncia aplicadas aos discursos diversos. atualmente utilizada para estudar e analisar material qualitativo, buscando-se melhor compreenso de uma comunicao ou discurso, aprofundar suas caractersticas gramaticais s ideolgicas e outras, alm de extrair os aspectos mais relevantes.c2008, Valentim Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo A anlise de contedo visa: Analisar as caractersticas de uma mensagem atravs da comparao destas mensagens para receptores distintos, ou em situaes diferentes com os mesmos receptores. Analisar o contexto ou o significado de conceitos sociolgicos e outros nas mensagens, bem como caracterizar a influncia social das mesmas. Analisar as condies produziram a mensagem.c2008, Valentim

que

induziram

ou

Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo Os principais aspectos da estratgia metodolgica da anlise de contedo so: Os objetivos especficos devem nortear a anlise; Utiliza a leitura analtica como instrumento para a realizao da anlise; Primeiramente realizada a chamada pranlise: Anlise textual e temtica; Anlise propriamente dita. Categorizao ( a priori ou a posteriori ) dos elementos para a anlise; Tratamento das informaes. Fonte: Bardin, - c1977

c2008, Valentim

Anlise de Contedo As fases que fazem parte anlise de contedo so trs: A pr-anlise; A explorao do material; O tratamento dos resultados, inferncia e a interpretao.

da

a

c2008, Valentim

Fonte: Bardin, - c1977

c2008, Valentim

Anlise de Contedo Entre as tcnicas utilizadas para a realizao da anlise de contedo destacam-se a anlise lxica e a anlise categorial. A anlise lxica tem como material de anlise as prprias unidades de vocabulrio, as palavras portadoras de sentido: substantivos, adjetivos, verbos etc., relacionados ao objeto de pesquisa. A anlise categorial trata do desmembramento do discurso em categorias, em que os critrios de escolha e de delimitao orientam-se pela dimenso da investigao dos temas relacionados ao objeto de pesquisa, identificados nos discursos dos sujeitos pesquisados.c2008, Valentim Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo Ao contrrio, a anlise lxica, essencialmente quantitativa, exige do pesquisador uma organicidade em relao aos temas, categorias, subcategorias e vocabulrios pesquisados. Ela permite ao pesquisador obter indicadores importantes para a realizao da anlise de contedo. Alm disso, a anlise lxica possibilita reconhecer a terminologia mais usada pelos indivduos ou grupos pesquisados.

c2008, Valentim

Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo A anlise lxica trabalha diretamente no cdigo: unidades semnticas e sintaxe (vocabulrio, caractersticas gramaticais [...]. Na anlise lxica necessrio focar duas dimenses:a) Convenes quanto ao vocabulrio: mensurar os diferentes vocbulos, o nmero de ocorrncias desses vocbulos, identificao do repertrio lxico ou campo lexical, relao ocorrncias/vocbulos; Comparaes quanto ao vocabulrio: identificar os diferentes vocbulos apresentados com os que aparecem nos textos da rea e o repertrio lxico de um sujeito de pesquisa com os outros sujeitos.Fonte: Bardin, - c1977

b)

c2008, Valentim

Anlise de Contedo Associao de Palavras: definem-se palavras indutoras significativas e o sujeito pesquisado tem de associar palavras palavra indutora. Ex.: Representao Descritiva (palavra indutora) Descrio do documento Catalogao Mtodos de descrio Freqncia/ Ocorrncia (10) (7) (6) Representao Temtica (palavra indutora) Assunto(s) do documento Indexao Linguagens de indexao Freqncia/ Ocorrncia (8) (4) (3)

c2008, Valentim

Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo Associao de Palavras: Aps reunir as palavras mencionadas pelos sujeitos pesquisados em uma relao, necessrio fazer uma classificao com o objetivo de organizar as palavras (substantivos, adjetivos, expresses, nomes prprios etc.) de um modo mais compreensvel, como, por exemplo, palavras sinnimas, proximidade semntica (anlise documentria, indexao, classificao etc.), que podem ser colocadas em ordem crescente ou decrescente de ocorrncia/freqncia, ou ainda, em formato de alvo. Ex.: Representao Temtica Anlise documentria (10), indexao (4), classificao (6) Linguagens de indexao (3) 20 3

c2008, Valentim

Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo Associao de Palavras. Ex.: Mtodos de descrio (6) Catalogao (7)

Descrio do documento (10)

Representao Descritiva

c2008, Valentim

Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo Associao de Palavras: possvel estabelecer categorias/subcategorias para a realizao das anlises, de modo a revelar de forma mais contundente as respostas dos sujeitos de pesquisa, como, por exemplo: Atributos da representao descritiva; Atributos da representao temtica; Fatores tecnolgicos; Fatores institucionais etc.

c2008, Valentim

Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo Respostas a Questes Abertas: as relaes que o sujeito de pesquisa tem com o objeto pesquisado so utilizadas para estudar a relao simblica entre o sujeito e o objeto pesquisado. Essa aplicao, necessita, portanto, identificar a relao do sujeito pesquisado com o objeto de pesquisa, por meio do gnero, da ocupao, da formao etc. Ex.: Pergunta 1: Quais os servios que voc associa biblioteca pblica? Emprstimo de livros (1) Mural de empregos (2) Pesquisa escolar (3) Acesso Internet (4)

1=Mulheres adultas; 2=Homens adultos; 3=Crianas; 4=Adolescentes.c2008, Valentim Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo Respostas a Questes Abertas. Ex.: Pergunta 2: Caso a biblioteca pblica falasse, o que ela lhe diria? importante ler, venha conhecer e emprest-los (1) Utilize mais nosso Mural de Empregos (2) Aqui na biblioteca voc pode pesquisar qualquer coisa (3) Venha acessar a rede (4) 1=Mulheres adultas; 2=Homens adultos; 3=Crianas; 4=Adolescentes.c2008, Valentim Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo Respostas a Questes Abertas: a classificao deve ser realizada seguindo-se uma lgica comparativa e observando-se o tipo de relao do discurso do sujeito pesquisado com o objeto de pesquisa. Ex.:Tipo de Relao Objeto de ComparaoEmprstimo

de Livros Mulheres Adultas Homens AdultosUsurios

Mural de Pesquisa Empregos Escolar

Acesso Internet

x x x xFonte: Bardin, - c1977

Adolescentes Crianas

c2008, Valentim

Anlise de Contedo Anlise de Entrevistas: observa-se a relao do sujeito de pesquisa com o objeto pesquisado. A anlise essencialmente temtica e podem-se usar diferentes grades/propostas para a realizao da anlise dos dados. Entre elas pode-se citar a anlise de freqncia/quantitativa e a anlise categorial (temas). Diferentes dimenses de anlise podem ser utilizadas: Origem do objeto; Implicaes face ao objeto; Descrio do objeto; Sentimento face ao objeto. A anlise realizada inicialmente observando-se a freqncia absoluta e relativa dos dados coletados. Aps esta primeira fase de anlise, processam-se as relaes entre as quatro dimenses anteriormente

c2008, Valentim

Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo Anlise de Comunicao de Massa: pode ser aplicada, por exemplo, em revistas que atingem um grande pblico. Nesse caso, feita uma primeira leitura que pode ser organizada e sistematizada a partir da formulao de hipteses ou, ainda, pode ser realizada uma leitura aberta sem compromisso metodolgico. O foco da anlise ser em relao contagem de um ou vrios temas ou itens de significao, em unidades de codificao, como, por exemplo, a frase. A partir da identificao dos itens ou temas, ser possvel observar, em relao a cada tema/item, quais os vnculos que o sujeito de pesquisa estabelece, bem como pode-se observar, quantitativamente, a ocorrncia/freqncia com que isso acontece. Nesse contexto, tambm possvel agregar a anlise lxica, verificando os adjetivos, os verbos etc.Fonte: Bardin, - c1977

c2008, Valentim

Anlise de Contedo O processo de coleta e anlise de dados em sua fase inicial parte dos objetivos da pesquisa, que foram a base para a construo do instrumento de coleta de dados. Nessa fase importante que se observem as possveis tcnicas da anlise de contedo. Feito isso, deve-se constituir o corpus central que apoiar a anlise de dados, etapa posterior coleta de dados. A constituio do corpus possvel a partir da leitura e anlise da literatura selecionada, permitindo criar inferncias em relao ao objeto e ao seu entorno.

c2008, Valentim

Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de ContedoProcesso de Coleta de Anlise de Dados Fase InicialAdequando as tcnicas da anlise de contedo Construo do instrumento inicial de pesquisa

Consultando os objetivos especficos

Constituio do corpus central

Leitura e anlise do material bibliogrfico (Inferncias) Estabelecendo as categorias e subcategorias essenciais para a pesquisa

Aplicando as regras de recorte, categorizao e codificao

c2008, Valentim

Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo A segunda fase do processo de coleta e anlise de dados parte das subcategorias essenciais, definidas na etapa anterior, s quais se somam as inferncias do pesquisador referentes ao objeto de pesquisa, visando-se construir o segundo instrumento de coleta de dados, a entrevista. Nessa fase, as inferncias so fundamentais para a construo dos tpicos do instrumento, pois a partir delas que possvel estabelecer as dimenses e relaes para a anlise, que possibilitar a construo de novo corpus terico.

c2008, Valentim

Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de ContedoProcesso de Coleta de Anlise de Dados Fase IntermediriaConsultando as subcategorias essenciais Leitura e anlise do material obtido pelo primeiro instrumento (Inferncias) Adequando as tcnicas da anlise de contedo Aplicando as regras de recorte, categorizao e codificao

Constituio do corpus central

Construo do segundo instrumento de pesquisa

Estabelecendo as dimenses e relaes para a anlisec2008, Valentim

Aplicando as tcnicas sobre o corpus obtidoFonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo A terceira e ltima fase do processo de coleta e anlise de dados parte do corpus terico construdo, para realizar a interpretao da anlise. Novas inferncias podero ser feitas pelo pesquisador em relao ao objeto de pesquisa, mesmo que no tenham sido previstas. No entanto, as interpretaes devem estar apoiadas em provas de validao, isto , na prpria literatura de especialidade ou nas prticas observadas no ambiente pesquisado. Nessa fase, a interpretao essencial, mas deve estar claramente relacionada ao corpus existente, de modo que seja validada pela comunidade cientfica da rea. Finalmente, sistematizar os resultados com os objetivos iniciais, buscando a construo de conhecimento cientfico sobre o objeto pesquisado.Fonte: Bardin, - c1977

c2008, Valentim

Anlise de ContedoProcesso de Coleta e Anlise dos Dados Fase FinalConsultando o corpus obtido Observar outras possibilidades de inferncia no previstas Tratamento dos resultados obtidos e interpretaes Leitura e anlise final do material analisado (Interpretao) Adequando as tcnicas da anlise de contedo

Provas de validao

Sntese e seleo dos resultados relevantes Utilizao dos resultados de anlise com fins tericosc2008, Valentim Fonte: Bardin, - c1977

Anlise de Contedo As informaes devem ser analisadas separadamente, fator que subsidia de forma mais concisa o estudo das categorias e subcategorias eleitas anteriormente. Posteriormente so examinadas, tendo-se por base o imbricamento entre os diferentes mdulos que compem o(s) instrumento(s) de coleta de dados. Por ltimo, analisa-se, a partir do conjunto obtido, as relaes entre as categorias e subcategorias, bem como se aplicam as ltimas inferncias, caso necessrio, buscando-se obter, com maior propriedade, a compreenso do objeto/fenmeno de estudo.

c2008, Valentim

Fonte: Bardin, - c1977

REFERNCIASBARDIN, L. Anlise de contedo. Lisboa: Edies 70, 1997. 226p. BARROS, A. de J. P. de; LEHFELD, N. A. de S. Projeto de pesquisa: propostas metodolgicas. 12.ed. Petrpolis: Vozes, 2001. 127p. FREITAS, H.; JANISSEK, R. Anlise lxica e anlise de contedo: tcnicas complementares, seqenciais e recorrentes para anlise de dados qualitativos. Porto Alegre: Sphinx, 2000. 176p. MUELLER, S. P. M. (Org.). Mtodos para a pesquisa em Cincia da Informao. Braslia, Thesaurus, 2007. 190p. (Srie Cincia da Informao e da Comunicao) VALENTIM, M. L. P. Mtodos qualitativos de pesquisa em Cincia da Informao. So Paulo: Polis, 2005. 176p. (Coleo Palavra-Chave, 16)

c2008, Valentim