grandes filosofos

Click here to load reader

Post on 25-Jun-2015

432 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Os Grandes FilsOFOsDe Scrates a Foucault

Conforme o Novo Acordo Ortogrfico

Jeremy Stangroom e James Garvey

Os Grandes FilsOFOsDe Scrates a FoucaultTraduo: Andr Oides

ndiceIndroduo......................... 7 Antiguidade e Era Medieval Scrates ............................... 10 Plato................................... 16 Aristteles ........................... 22 Marco Aurlio ..................... 28 Santo Toms de Aquino....... 34 Renascimento Nicolau Maquiavel .............. 40 Francis Bacon...................... 46 Sculo XVII Thomas Hobbes .................. 52 Ren Descartes .................... 58 Blaise Pascal ....................... 64 John Locke .......................... 70 Baruch de Spinoza .............. 76 Gottfried Leibniz................. 82 Sculo XVIII George Berkeley ................. 88 Voltaire ................................ 94 David Hume ........................ 100 Jean-Jacques Rousseau ....... 106 Immanuel Kant.................... 112 Thomas Paine ...................... 118 Jeremy Bentham .................. 124 Georg Hegel ........................ 130 Sculo XIX Arthur Schopenhauer .......... 136 John Stuart Mill .................. 142 Sren Kierkegaard............... 148 Karl Marx ............................ 154 Charles Sanders Peirce ........ 160 William James ..................... 166 Friedrich Nietzsche ............. 172 Edmund Husserl .................. 178 John Dewey ......................... 184 Sculo XX Bertrand Russell .................. 190 Ludwig Wittgenstein ........... 196 Martin Heidegger ................ 202 Sir Karl Popper.................... 208 Jean-Paul Sartre .................. 214 A. J. Ayer ............................. 220 Michel Foucault .................. 226 ndice Remissivo ................ 233

5

Os Grandes Filsofos

tambm h alguma tenso, e impossvel resolv-la. Os fs do mtodo ficaro incomodados ao encontrar Nietzsche* e Hegel na lista. Proponentes da viso do objeto da filosofia podem empalidecer diante da incluso de Maquiavel. Aqueles que enxergam a filosofia como um modo de vida estranharo Bacon e Heidegger. No obstante, a lista coerente. Se difcil dizer exatamente o que a filosofia, fcil reconhec-la quando se a v. Wittgenstein argumenta que alguns termos distinguem as coisas no em virtude de uma definio estrita, mas por algo como uma semelhana de famlia. Talvez nem todo mundo no lbum de famlia ostente uma verso do admirvel nariz do vov, mas claro que todos so membros da mesma famlia. O mesmo acontece com os grandes filsofos. A filosofia tem avanado por mais de 2 mil anos, e em um perodo to longo seria quase um milagre se todos os filsofos se encaixassem em um nico molde. Este livro traa os maiores pensamentos nos trechos mais proeminentes e influentes da extensa caminhada da filosofia ao longo da Histria. Voc encontrar aqui pensadores dos primeiros pensamentos filosficos do Ocidente, os antigos filsofos gregos e os primeiros romanos, a quem tanto devido. Voc ver como as preocupaes desses filsofos se tornaram as preocupaes daqueles que se seguiram, e como suas respostas moldaram aquilo que hoje reconhecemos como filosofia. A filosofia medieval faz uma apario, transmitindo preocupaes antigas para os filsofos do Renascimento e acrescentando mistura uma nfase na religio. O pensamento da Era Moderna, a exploso moderna da filosofia introduzida por Descartes, tambm est bem representado aqui. Os fundadores e representantes das escolas racionalista e empirista tambm recebem uma justa ateno, assim como as sombrias concluses daqueles que apoiam o ceticismo. Felizmente, a longa caminhada continua, e voc encontrar aqui os pensamentos que fazem da filosofia contempornea o que ela , e talvez o que ela est se tornando. A filosofia, o que quer que seja ela, certamente ainda est a caminho, e este livro leva em considerao tanto a disciplina como praticada hoje quanto a histria que tornou possvel a filosofia contempornea. Normalmente, a introduo de um livro como este oferece algum tipo de desculpa pelas omisses, e diz que impossvel caracterizar inteiramente os pensamentos de tantos grandes filsofos em um nico lugar. Voc encontra tambm desculpas de outro tipo, justificativas para incluir alguns filsofos e no outros. Voc no encontrar aqui nenhuma escusa para fatos to bvios e inevitveis. Ser que faz algum sentido se desculpar por um fato ou por um conjunto de fatos? Este livro foi escrito para pessoas inteligentes que sabem onde esto entrando quando compram um livro. Se*N.E.: Sugerimos a leitura de A Origem da Tragdia e Alm do Bem e do Mal Preldio de uma Filosofia do Futuro, de Friedrich Nietzsche, Madras Editora. 8

Introduo

este livro no a ltima palavra sobre os grandes filsofos e que livro poderia ser? , ele certamente uma coleo de teis primeiras palavras. Em cada verbete, h uma lista de obras que voc pode ler se quiser levar adiante seu estudo da filosofia. Tampouco ali voc encontrar quaisquer ltimas palavras. No importa como voc veja a filosofia, independentemente do que pense que ela seja, voc tem aqui relatos das vidas e dos ideais dos melhores pensadores da histria do pensamento filosfico, lidando cuidadosa e racionalmente com as mais humanas das questes, as questes mais difceis, as questes que mais importam.

9

ScratesSeria difcil superestimar a influncia de Scrates (470399 a.C.) na filosofia ocidental. Sabemos que Scrates foi o mentor do jovem Plato, e tambm que os escritos de Plato tiveram efeitos profundos e duradouros sobre praticamente todo o pensamento ocidental.

470-399 a.C.

IRRITANTEMENTE, TAMBM SERIA DIFCIL SUPERESTIMAR nossa ignorncia acerca das verdadeiras vises de Scrates. Scrates provavelmente no escreveu quase nada de natureza filosfica, e, de qualquer modo, nada do que ele escreveu sobrevive hoje. Nosso problema, o Problema Socrtico, como chamado, que no sabemos exatamente em que o prprio Scrates acreditava no claro que ele afirme saber coisa alguma. Ele nega at mesmo ser um professor. Ento sabemos que ele massivamente influente, mas no sabemos a natureza precisa dessa influncia. A situao mais que exasperadora. Acredita-se que Scrates tenha sido filho de uma parteira e de um pedreiro. Embora tenha sido reduzido pobreza na velhice, ele parece ter gozado de uma vida razoavelmente prspera em seus primeiros anos. Ele serviu como hoplita (um soldado de infantaria pesada) no Exrcito ateniense, ento pelo menos nessa poca de sua vida ele deve ter possudo alguma propriedade e ter sido capaz de pagar por seu prprio equipamento. Como quer que ele ganhasse a vida, isso no era graas sua aparncia. Ele descrito de diversas formas como rotundo, de nariz achatado e lbios grossos; seus olhos, apesar de rpidos, eram bulbosos, e ele parece no ter sido um devoto da arrumao pessoal. Sua capacidade para beber era prodigiosa e bem conhecida. Se o que nos interessa aqui so suas vises e no sua vida, h apenas trs competidores trs fontes razoveis de informao sobre a filosofia de Scrates, trs escritores que viveram em sua poca. O poeta cmico Aristfanes um deles, mas ele pinta um retrato ridculo de Scrates, uma caricatura e amlgama geral de filsofos e intelectuais ativos em Atenas na poca. Os escritos de Xenofonte sobrevivem, mas ele caracteriza Scrates10

Antiguidade e Era Medieval

Como quer que Scrates ganhasse a vida, isso no era graas sua aparncia; ele descrito de diversas formas como rotundo, de nariz achatado e lbios grossos.

como nada mais que um inspido repositrio de aforismos cmodos ficamos imaginando como um homem assim pode ter perturbado as autoridades atenienses tanto quanto Scrates de fato o fez. Temos, finalmente, os Dilogos de Plato, mas mesmo esses so problemticos. Seguiremos a conveno e assumiremos, como a maioria dos comentadores (e com uma boa pitada de desconfiana), que o Scrates dos primeiros Dilogos o mais prximo de uma representao fiel das vises do verdadeiro Scrates que provavelmente teremos.

Scrates

Uma nova abordagemAlgo das vises de Scrates emerge desses primeiros Dilogos. claro que chamamos aqueles que vieram antes de Scrates de pr-socrticos por uma razo: os interesses dele diferem expressamente das duvidosas preocupaes de Parmnides, Herclito, Anaximandro e outros semelhantes. Em vez de especular sobre a cosmologia, proferindo enunciados sombrios sobre a natureza do Absoluto, Scrates foi o primeiro a fazer a filosofia descer dos cus, segundo a frase memorvel de Ccero. Scrates preocupa-se com esta vida e com a melhor forma de viv-la. Suas preocupaes so resolutamente prticas.

Os primeiros DilogosO Scrates dos primeiros Dilogos tipicamente inicia uma conversa com um ou alguns interlocutores, a qual resulta em uma questo sobre a natureza de uma ou outra virtude: o que a justia, o que a piedade, o que a coragem ou o que a temperana. O interlocutor arrisca uma resposta. Scrates ento submete a resposta anlise crtica, usualmente mostrando que a resposta inconsistente com alguma outra coisa que sustentada pelo interlocutor como verdadeira. Ou ento ele mostra que a resposta leva a uma ou outra confuso, ou que simplesmente deficiente em algum aspecto. A palavra grega para esse padro de questionamento, resposta e escrutnio elenchus, e Scrates era um mestre nele. De acordo com Xenofonte, ele podia fazer o que quisesse com qualquer debatedor. Por que ele se envolvia nesse tipo de refutao? H vrias respostas. Segundo uma lenda, Querefonte pergunta ao Orculo de Delfos se algum mais sbio que Scrates, e a surpreendente resposta que ningum mais sbio. Scrates, admirado, tenta provar que o Orculo est errado, aproximando-se daqueles que professam a sabedoria e questionando-os11

Os Grandes Filsofos

sobre as virtudes. Quando reduz cada um deles confuso, ele conclui que, de certa forma, o Orculo est certo: Scrates sabe que nada sabe, ao passo que os outros erram ao pensar que sabem. O