a formaÇÃo da cultura filosÓfica escolar mineira ?· dermeval saviani _____ dermeval saviani -...

Download A FORMAÇÃO DA CULTURA FILOSÓFICA ESCOLAR MINEIRA ?· Dermeval Saviani _____ Dermeval Saviani - UNICAMP…

Post on 24-Jan-2019

219 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

PONTIFCIA UNIVERSIDADE CATLICA DE MINAS GERAIS Mestrado em Educao

A FORMAO DA CULTURA FILOSFICA ESCOLAR MINEIRA NO SCULO XIX UMA FILOSOFIA DE COMPNDIO: UM ESTUDO SOBRE A DISCIPLINA DE FILOSOFIA NO LICEU

MINEIRO (1854-1890).

ngelo Filomeno Palhares Leite

Belo Horizonte

2005

2

NGELO FILOMENO PALHARES LEITE

A FORMAO DA CULTURA FILOSFICA ESCOLAR MINEIRA NO SCULO XIX UMA FILOSOFIA DE COMPNDIO: UM ESTUDO SOBRE A DISCIPLINA DE FILOSOFIA NO LICEU

MINEIRO (1854-1890).

Dissertao apresentada ao Programa de Ps- Graduao em Educao da PUC Minas como

parte dos requisitos para a obteno do ttulo de Mestre em Educao.

Orientao: Prof. Dr. Carlos R. Jamil Cury.

Belo Horizonte

3

ngelo Filomeno Palhares Leite A Formao da cultura filosfica escolar mineira no sculo XIX uma filosofia de compndio: um estudo sobre a disciplina de filosofia no Liceu Mineiro (1854-1890). Dissertao apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Educao da PUC Minas como parte dos requisitos para a obteno do ttulo de Mestre em Educao, Belo Horizonte, 2005.

Carlos Roberto Jamil Cury ___________________________________________ Carlos Roberto Jamil Cury (Orientador) PUC Minas

Ana Maria Casasanta Peixoto ___________________________________ Ana Maria Casasanta Peixoto PUC Minas

Dermeval Saviani _________________________ Dermeval Saviani - UNICAMP

4

DEDICATRIA Blanda, filha querida, pela surpreendente compreenso, da qual o trabalho ficou aqum, favor que os tenros anos a dispensava; exemplar educativo que nos exime de qualquer determinao que a priori queira nos dizer que as geraes futuras no podem ser melhores que as atuais.

5

AGRADECIMENTOS Aos meus pais, Raimundo e Eullia, e famlia, por terem me proporcionado o essencial de minha formao. Flvia pela ajuda, compreenso e amor. Ao Professor Dr. Carlos Roberto Jamil Cury pela orientao conhecedora, competente, firme e serena. Professora Dra. Maria Inz Salgado pela orientao na construo do projeto de pesquisa. Professora Dra. Ana Maria Casasanta Peixoto (PUC Minas) e ao Professor Dr. Dermeval Saviani (UNICAMP) por participarem da banca examinadora de defesa desta dissertao. Aos professores do Programa de Mestrado em Educao da PUC Minas. Aos funcionrios da Secretaria do Programa de Mestrado em Educao da PUC Minas pelo apoio inestimvel. Aos colegas do Mestrado pelas lies de grandeza no enfrentamento dos percalos de um destino comum. Zita, bibliotecria do Instituto Santo Incio Centro de Estudos Superiores da Companhia de Jesus, por ter possibilitado, de modo correto e agradvel, o acesso ao catlogo de obras raras do Sculo XIX. Aos funcionrios do Arquivo Pblico Mineiro, do Instituto Histrico e Geogrfico de Minas Gerais, da Escola Estadual Governador Milton Campos (o antigo Liceu Mineiro), do Arquivo Pblico da Cidade de Ouro Preto (lugar de origem do Liceu), da Biblioteca Pblica de Ouro Preto, da Biblioteca da Escola de Farmcia de Ouro Preto, da Casa do Pilar e da Casa dos Contos (ambas de Ouro Preto) e do Instituto de Cincias Humanas e Letras da Universidade Federal Juiz de Fora. Professora Terezinha Andrade, colega de Mestrado e diretora de ensino do Instituto Superior de Educao Ansio Teixeira da Fundao Helena Antipoff, lugar onde trabalho, pelo apoio. Aos colegas de trabalho que me apoiaram. Enfim, a todos que de uma forma ou de outra contriburam para esta empreitada.

6

A filosofia encontra a verdade na sua adequao com a realidade. Esta realidade no permanente, mas histrica. No , pois, possvel saltar a barreira da histria. Quando muda a histria, necessariamente tem que mudar a filosofia.

Cruz Costa, Contribuio Histria das Idias no Brasil: O desenvolvimento da filosofia no Brasil e a evoluo histrica nacional.

7

Resumo

O presente trabalho uma reconstituio histrica do ensino de filosofia no Liceu

Mineiro, importante estabelecimento escolar de instruo secundria em Minas Gerais no

sculo XIX, da data de sua criao, em 1854, at 1990, quando no s muda de nome, para

Ginsio Mineiro, como a disciplina de filosofia deixa de fazer parte de seu currculo.

Tomou-se como referencial o quadro terico e metodolgico prprio ao campo das

disciplinas escolares, a partir do qual foi realizada a anlise do objeto investigado.

O estudo da disciplina de filosofia do Liceu Mineiro se fez levando em conta trs

eixos, a guardarem relaes interiores entre si, que orientaram o processo de investigao: a

identificao das finalidades que originaram a disciplina, fazer comparecer sua estrutura

interna e a dinmica de o seu desenvolver e a histria do seu contedo de ensino. O que foi

feito em estreita observncia, seja com relao cultura escolar secundria e liceal da

poca, quando se procurou reconstru-la, seja quanto ao contexto scio-cultural do perodo,

tracejado em linhas gerais.

Concluiu-se, de modo diferente da historiografia tradicional da educao no Brasil e

em Minas Gerais, que se ensinava filosofia no Liceu Mineiro e que o contedo filosfico da

disciplina liceal foi o do ecletismo espiritualista do filsofo francs Vitor Cousin, o qual

serviu de modelo para a formao da cultura filosfica escolar mineira de ento.

Alm disso, a investigao apontou para uma cultura escolar secundria distinta da

veiculada pela histria da educao tradicional, na direo de a mesma ser mais

diversificada e complexa, que a compreenso proposta por aquela.

Palavras-chave: ensino de filosofia, disciplina escolar, ensino secundrio, formao da

cultura filosfica escolar.

8

Abstract

This study is a historical reconstitution of Philosophy teaching at Liceu Mineiro

(Mineiro Lyceum) an important school institution of high-school instruction in Minas

Gerais in the nineteenth century from its foundational date in 1854 till 1990 when the

lyceum not only changes its name to Ginsio Mineiro but Philosophy as a discipline

becomes no longer part of its curriculum.

The theoretical and methodological sphere of the field of school disciplines was

taken as reference, from which the analysis of the object of investigation was drawn.

The study of Philosophy discipline at Liceu Mineiro was made considering three

internally interconnected main lines which guided the process of investigation: the

identification of the goals which originated the discipline, making emerge its internal

structure, and the dynamics of its development and the history of its teaching content. Such

study was strictly done in relation to the Lyceum and secondary school culture of the time

when it was rebuilt and the social-cultural context of the period, drawn in general lines.

The conclusion, differently from the traditional historiography of education in

Minas Gerais and in Brazil, is that Philosophy was taught at Liceu Mineiro and the

philosophical content of the Lyceum discipline was French philosopher Vitor Cousins

spiritualist eclecticism, which served as a model for the formation of the Mineira school

philosophical culture of the time.

Moreover, the investigation pointed towards a secondary school culture distinct

from the one conveyed by the history of traditional education which was more diversified

and complex than the understanding proposed by the latter.

Key-words: Philosophy teaching, school discipline, secondary teaching, formation of

school philosophical culture.

9

ABREVIATURAS HISTEDBR Grupo de Estudos e Pesquisas Histria, Sociedade e Educao no Brasil IP Instruo Pblica / Cdice do Arquivo Pblico Mineiro REIPP/AN4 Relatrio do Estado da Instruo Pblica e Particular da Provncia de Minas Gerais Anexo N. 4 RGMTA/APM Relatrio dos Governos Mineiros de Transmisso de Administrao / Cdice do Arquivo Pblico Mineiro SBHE Sociedade Brasileira de Histria da Educao SP. Seo Provincial / Cdice do Arquivo Pblico Mineiro SP./IP. Seo Provincial / Instruo Pblica / Cdice do Arquivo Pblico Mineiro

10

SUMRIO I INTRODUO.............................................................................................................12 II PRELIMINARES DE CRTICA EPISTEMOLGICA E METODOLGICA..22 CAPTULO I HISTORIOGRAFIA E HISTRIA DA EDUCAO BRASILEIRA DO PERODO PS-JESUTICO.....................................................................................44 1.1 AS REPRESENTAES DA HISTORIOGRAFIA TRADICIONAL DA EDUCAO BRASILEIRA PRODUZIDA POR FERNANDO DE AZEVEDO........44 1.2 AS NOVAS PERSPECTIVAS PARA ESTUDOS HISTRICOS DA EDUCAO BRASILEIRA..............................................................................................48 1.2.1 A ABERTURA PARA ESTUDOS HISTRICOS SOBRE A EDUCAO BRASILEIRA NO SCULO XIX.....................................................................................52 1.3 OS ESTUDOS SOBRE A INSTRUO SECUNDRIA NA PERSPECTIVA NO-AZEVEDIANA E A INSTRUO SECUNDRIA NO TEMPO DO IMPRIO.............................................................................................................................55 CAPTULO II AS REPRESENTAES PRODUZIDAS PELOS ESTUDOS DA HISTRIA TRADICIONAL DA EDUCAO SOBRE A INSTRUO EM MINAS GERAIS......................

Recommended

View more >