lista de ilustra†•es - arca. das fraturas do fmur sobre a sobrevivncia ... para...

Download LISTA DE ILUSTRA‡•ES - arca. DAS FRATURAS DO FMUR SOBRE A SOBREVIVNCIA ... Para execu§£o

Post on 10-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

FUNDAO OSWALDO CRUZ ESCOLA NACIONAL DE SADE PBLICA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAO E

PLANEJAMENTO DE SADE REPERCUSSES SCIO-SANITRIAS DA EPIDEMIA

DAS FRATURAS DO FMUR SOBRE A SOBREVIVNCIA E A CAPACIDADE FUNCIONAL DO IDOSO

Silvia Regina Mendes Pereira Orientador: Mrio Antnio Sayeg Co-orientador: Margareth Portela

Rio de Janeiro 2003

ii

SILVIA REGINA MENDES PEREIRA

REPERCUSSES SCIO-SANITRIAS DA EPIDEMIA

DAS FRATURAS DO FMUR SOBRE A SOBREVIVNCIA E A CAPACIDADE FUNCIONAL DO IDOSO

Tese apresentada Escola Nacional de

Sade Pblica, Fundao Oswaldo Cruz,

rea de Concentrao Envelhecimento e

Sade do Idoso, como requisito parcial

obteno do Ttulo de Doutor.

Orientador: Mrio Antnio Sayeg

Co-orientador: Margareth Portela

Rio de Janeiro Maio, 2003

iii

s mulheres, profissionais da sade inteira, donas de uma profunda sensibilidade que orienta a preciso do olhar e a coragem interminvel, para observar, criar e agir, a partir da falta, da carncia, do detalhe, gerando o que de melhor se faz no atendimento aos nossos pacientes

iv

AGRADECIMENTO

Trabalhos de natureza complexa exigem, obrigatoriamente, o envolvimento de vrias pessoas.

Neste caso, tive o privilgio de contar com um verdadeiro exrcito de pessoas e amigos.

Escolher o tema, eis o primeiro desafio. Ajudou-me, na seleo, Renato Maia.

Vamos comear com a orientao de um amigo que, de outras vezes, j havia me emprestado seu incentivo, entusiasmo e argcia, o mestre de tantos outros, Mrio Sayeg.

Como fazer o melhor levantamento bibliogrfico? A amiga Elizabete me responde com presteza e propriedade de quem navega pela internet como poucos ousam fazer.

Nos bastidores dos arquivos mdicos, contei com o desembarao de Lcia, Vitor Hugo, Salo e Eduardo, para orquestrarem os funcionrios que, com uma alegria que chamou minha ateno, separaram cuidadosamente os pronturios.

Visitas domiciliares, com endereos desafiadores s puderam ser realizados com o Sr. Carmlio. Como conhece o Rio de Janeiro!

O assunto, de to estudado, trouxe um mar de artigos. Ajudando a fazer a derradeira seleo, chega Valria com seu poder de sntese "invejvel".

Texto escrito insuficiente. Precisa ser embelezado. Quem poderia ser a melhor para essa rdua tarefa? A resposta vem de imediato, ela mesma, a Ligia, claro!

Para execuo de todo esse trabalho, precisei da generosidade de meu fiel companheiro, Luiz, que pensou em diversos detalhes para me proporcionar o maior conforto.

Cmplices, torcendo para tudo dar certo e terminar logo, estavam meus pais, filhos, amigos da SBGG-RJ, da UNIGRANRIO e Irina.

Margareth e Ruy me ofereceram especialmente sua hospitalidade. J a Dra. Margareth, co-orientando, foi fundamental nas anlises estatsticas e Dr. Ruy plotou vrios grficos com distinta preciso. Acolhimento e simpatia ficaram por conta dos funcionrios da Secretaria Acadmica, respondendo s ansiosas e repetidas perguntas, com pacincia, como se tivessem sido feitas pela primeira vez. Todos foram importantes, mas SILVINHA foi ESPECIAL. AMIGA esteve sempre ao meu lado, chegando, por vezes, a no medir as conseqncias dessa entrega total.

Resumindo, contei com uma equipe tcnico-afetiva comparvel seleo de futebol brasileiro do ano de 1970. Poder haver outras, mas ser difcil.

Muito obrigada,

Silvinha

v

RESUMO

O propsito deste estudo longitudinal retrospectivo foi investigar as repercusses da

ocorrncia de fratura do fmur proximal na sobrevivncia e perda de capacidade

funcional de idosos, um ano aps a fratura. Pesquisaram-se 179 mulheres e 67 homens,

com idade mdia de 79,1 anos, em quatro hospitais pblicos do Rio de Janeiro.

Desenvolveu-se um protocolo, testado em estudo-piloto, tendo-se coletado os dados em

pronturios e diretamente com idosos e/ou familiares. Para anlise de sobrevivncia,

investigaram-se curvas estratificadas por variveis explanatrias potenciais categricas,

atravs do mtodo no-paramtrico de Kaplan-Meier. Utilizou-se o teste de Wilcoxon

para identificar diferenas entre estratos com nvel de significncia = 0,05. Fez-se uso

de um modelo de regresso de Cox para averiguar o efeito independente dessas

variveis. Na investigao da capacidade funcional, realizaram-se anlises bivariadas

para identificao de variveis associadas piora dessa capacidade, com base no teste

do 2. Identificou-se o efeito independente das variveis em um modelo de regresso

logstica.

Os modelos finais indicaram tanto a associao entre hazard (risco) de morte, quanto

perda da capacidade funcional, com idade e capacidade funcional prvia. Alm disso,

hazard de morte mostrou-se positivamente associado ao sexo masculino, uso de

inotrpicos, presena de delirium e intercorrncias per/ps-operatrias, e negativamente

associado ao uso de anestesia geral, bloqueadores H2, fisioterapia e obesidade. O risco

de perda da capacidade funcional mostrou-se positivamente associado presena de

catarata e instabilidade postural prvias e baixo peso, e negativamente associado ao uso

de antibiticos no ps-operatrio. Dos 154 sobreviventes um ano aps a fratura, 52,6%

no voltaram ao estado funcional prvio, o que revela a necessidade de melhoria da

efetividade do tratamento depois da alta hospitalar, bem como dos cuidados primrios

de preveno.

vi

ABSTRACT

The purpose of this longitudinal, retrospective study was to investigate the impact of

proximal femur fracture in survival and loss of functional capability in elders one year

after the fracture. The investigated subjects were one hundred and seventy-nine (179)

females and 67 males, mean age of 79.1 years, who were patients of four public

hospitals in Rio de Janeiro. A protocol, tested in a pilot-study, was developed, with data

collected from charts and directly from the patients and/or family members. For survival

analysis, stratified curves according to categorical variables were investigated using the

Kaplan-Meier non-parametric test. Wilcoxon test was used to identify differences

among curves with level of significance = 0.05. Cox regression model was used to

investigate the independent effect of such variables. In investigating functional

capabilities, bivariate analyses were held to identify variables associated to worsening

of functional capabilities, based on the chi-square (2) test. The independent effect of

variables was identified according to a model of logistic regression.

The final models indicated the association of both, death hazards and loss of functional

capability to age and previous functional capability. Furthermore, death hazard was

positively associated to male gender, use of inotropic drugs, presence of delirium and

per/post-op events, and negatively associated to use of general anesthesia, H2 blockers,

physical therapy and obesity. The risk of loss of functional capability was positively

associated to presence of cataract and postural unbalance, and low weight, and

negatively associated to the use of post-op antibiotics. From the 154 patients alive one

year after the fracture, 52.6% did not regain their previous functional status, which

shows the need for a more effective treatment after hospital discharge, and primary care

for prevention.

vii

SUMRIO . RESUMO ................................................................................................................. v

ABSTRACT ............................................................................................................. vi

LISTA DE ILUSTRAES .................................................................................. viii

LISTA DE TABELAS ............................................................................................ ix

LISTA DE QUADROS ........................................................................................... x

LISTA DE FIGURAS ............................................................................................. xi

LISTA DE ABREVIATURAS ............................................................................... xii

LISTA DE ANEXOS .............................................................................................. xiii

LISTA DE SIGLAS ................................................................................................ xiv

1 INTRODUO ................................................................................................... 1 1.1. Epidemiologia do envelhecimento ............................................................. 2 1.2. Objetivos ...................................................................................................... 4

2 MARCO TERICO ........................................................................................... 5 2.1. Capacidade funcional ................................................................................. 5 2.2. Osteoporose .................................................................................................. 17 2.3. Quedas .......................................................................................................... 23 2.4. Fratura do fmur ........................................................................................ 34