folha regional de cianorte - edição 1346

Download Folha Regional de Cianorte  - Edição 1346

Post on 24-Jul-2016

228 views

Category:

Documents

10 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Verso Impressa da Edio 1346 da Folha Regional de Cianorte com circulao na quinta-feira, 03 de dezembro de 2015

TRANSCRIPT

  • CIANORTE-PR - QUINTA-fEIRA, 3 dE dEzEmbRO dE 2015 - ED. N 1.346 - Web: www.folhadecianorte.com - Email: folhadecianorte@gmail.com1 O JOrnal da famlia!

    Ano 14 - Edio n 1.346 - R$ 2,00 - Site: www.folhadecianorte.com - E-mail: folhadecianorte@gmail.com - Fone (44) 3018-2876

    Quarta-feira, 3 de Dezembro de 2015

    Richa reafirmacompromissocom a gerao de empregos

    Melhorando aComunidade tem inciono AquilesCmar

    Torneio de Karat-D movimenta 90 crianas em Cianorte

    O governador Beto Richa reafirmou nesta tera-feira (01) o com-promisso do governo estadual em apoiar o movimento sindical pa-ranaense e de ampliar as polticas pblicas de ge-rao de empregos e ren-da no Estado. Queremos ampliar e melhorar ainda mais as polticas pblicas que criem mais empre-gos, e de qualidade, no Paran, disse. PG. 2

    Em busca de promover aes que visam o desen-volvimentodo Conjunto Habitacional Aquiles C-mar, a Prefeitura de Cia-norte em parceria com o Governo Federal, iniciou nesta tera-feira (1), as aes do projeto Melho-rando a Comunidade. Du-rante a Reunio a equipe da Secretaria de Bem Estar Social pactuou com a po-pulao local as atividades a serem realizadas. PG. 4

    Realizada no ltimo s-bado (28), a primeira edi-o do Interbairros de Ka-rat-D Tradicional reuniu cerca de 90 crianas no Sa-lo de Multiuso do Conjun-to Ovdio Luiz Franzoni. Com idades entre quatro e quatorze anos, represen-tando seu bairro ou esco-la municipal, os caratecas competiram em kata in-dividual e por equipe. O evento visa incentivar a prtica do esporte. PG. 4

    PARAN PROJETO INTERbAIRROS

    INVESTImENTOS

    Preveno essencial para reduzir novos casos

    AIdSDivulgao/MS

    Cianorte busca recursos junto Secretaria Estadualde Desenvolvimento UrbanoO pedido foi realizado por lideranas municipais Ratinho Junior durante passagem pelo municpioAssessoria/PMC

    O prefeito em exerccio Serginho e o prefeito Bon-giorno, recepcionaram na manh desta quarta-feira (02), no aeroporto de Cia-norte, o secretrio de De-senvolvimento Urbano do Paran, Ratinho Junior. Na oportunidade, as autorida-des, alm de estreitarem relacionamentos polticos, solicitaram o financiamen-to de 3 milhes para inves-timentos em recape e pavi-mentao das vias pblicas da cidade. Deste valor, 2 milhes seriam destinados para recapeamento e 1 mi-lho para pavimentao. O secretrio se mostrou fa-vorvel ao pedido. A ope-rao de crdito apareceu em boa hora visto que por conta das chuvas incessan-tes, temos diversas vias se-riamente comprometidas, explicou o prefeito em exerccio. PG. 8

    PG. 3

  • CIANORTE-PR - QUINTA-fEIRA, 3 dE dEzEmbRO dE 2015 - ED. N 1.346 - Web: www.folhadecianorte.com - Email: folhadecianorte@gmail.com2 O JOrnal da famlia!

    CHAmAdA PbLICA

    AEN

    A Copel selecionou 11 projetos em chamada p-blica que vo receber re-cursos para modernizar os equipamentos eltricos e investir em eficincia ener-gtica. Sero aplicados R$ 12 milhes para a implan-tao das propostas con-templadas em indstrias, condomnios, hospitais e instituies educacionais.

    Ao todo, 48 projetos fo-ram apresentados Com-panhia e concorreram pe-los recursos. Alm dos 11 selecionados, outros qua-tro ficaro em cadastro de reserva. A chamada abran-ge propostas de melhoria de instalaes que contri-

    buam para o uso eficiente e a economia de energia.

    As propostas contem-pladas foram avaliadas de acordo com critrios objeti-vos, como a relao custo--benefcio, o impacto dire-to na economia de energia e aes educacionais. Ao final, elaborado um ranking dos projetos mais bem avaliados.

    Os projetos so dividi-dos em duas categorias: consumidores com fins lu-crativos e sem fins lucra-tivos sendo estes con-templados com recursos a fundo perdido. A chamada pblica integra o Progra-ma de Eficincia Energti-ca (PEE) da Copel e re-gulamentada pela Agncia

    Nacional de Energia Eltri-ca Aneel.

    Os recursos disponveis para a chamada pblica es-to divididos em dois gru-pos dentro das categorias aceitas pela Aneel: R$ 6 milhes sero aplicados em propostas de melhoria de instalaes industriais e em condomnios residenciais e a outra metade ser desti-nada a projetos de comr-cio e servios, poder pbli-co, rural, servios pblicos e iluminao pblica.

    FONTES INCENTIVADAS Realizadas h uma d-

    cada de forma pioneira no Brasil, as chamadas pbli-cas para projetos de com-

    bate ao desperdcio de energia da Copel foram modelo para a atual regu-lamentao federal sobre o tema.

    Em 2014, as chamadas passaram a admitir a inscri-o de projetos para insta-lao de microgeradores de energia a partir de fontes incentivadas, como solar, elica, hidrulica e biomas-sa. Nestes casos, as unida-des consumidoras tambm devem incluir no projeto a substituio de equipamen-tos eltricos poucos eficien-tes lmpadas incandes-centes, equipamentos de refrigerao antigos, moto-res eltricos etc. quando existirem.

    Os investimentos em PEE

    atendem o contrato de con-cesso de distribuio de energia Lei 9.991/2000 que obriga destinao de 0,5% da Receita Operacio-nal Lquida (ROL) a proje-tos de eficincia no uso final da energia.

    A Copel investiu mais de R$ 200 milhes no progra-ma desde 2000. Uma das iniciativas que ilustram os ganhos com a eficincia no uso de energia foi o proje-to implementado nas sedes do Tribunal Regional Elei-toral do Paran (TRE-PR) em 2012. O projeto redu-ziu em cerca de 20% o con-sumo mensal de energia da instituio em 41 cidades, com uma economia total de R$ 185 mil.

    Copel investe em 11 projetos de eficincia energtica

    AssEssoriA pmc

    O governador Beto Ri-cha reafirmou nesta tera--feira (01) o compromis-so do governo estadual em apoiar o movimento sindi-cal paranaense e de ampliar as polticas pblicas de ge-rao de empregos e renda no Estado. Queremos am-pliar e melhorar ainda mais as polticas pblicas que criem mais empregos, e de qualidade, no Paran, dis-se. O pronunciamento foi feito no evento da Federa-o Nacional dos Trabalha-dores na Movimentao de Mercadorias em Geral (Fen-tramacag).

    Richa foi recebido pelo presidente da entidade, Rai-mundo Firmino dos Santos. Ele entregou ao governador uma carta com reivindica-es. A primeira delas que a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social crie cursos profissionalizan-tes para os trabalhadores do setor. Temos o compromis-so de apoiar quem traba-lha e produz nesse Estado, afirmou Richa.

    O governador citou os avanos na rea de empre-go e destacou que dados do Instituto Brasileiro de Geo-grafia e Estatstica (IBGE) mostram que o Paran teve a segunda menor taxa de desemprego no terceiro trimestre deste ano, com 6,1%, abaixo da mdia na-cional de 8,9%. Alm de ter a segunda menor taxa de desemprego, Richa lem-brou que o salrio mdio no Paran 12% superior ao do Brasil.

    O rendimento mdio habitual dos empregados

    paranaenses ficou em R$ 2.053,00 no terceiro trimes-tre, contra R$ 1.834,00 da mdia brasileira. So avan-os inegveis que mostram que o Paran est no ca-minho certo. Estamos mos-trando ao Brasil que aqui no Paran existe um governo que acredita que a gerao de empregos e renda fun-damental para o desenvol-vimento do Estado.

    O governador mencio-nou ainda a gerao de empregos promovida com a industrializao do Esta-do. O Paran vive o maior ciclo industrial de sua his-tria, so mais de R$ 40,3 bilhes de investimentos, com a gerao de 100 mil empregos em todas as regi-es do Estado, disse.

    FINANAS Richa reafirmou que o

    governo paranaense tem hoje a melhor situao fis-cal e financeira entre todos os estados brasileiros. O bom desempenho atribu-do por ele s medidas de ajuste fiscal tomadas des-de o final do ano passado. O Paran teve coragem de tomar medidas importan-tes e inadiveis. Enquanto vrios estados passam por srias dificuldades finan-ceiras, inclusive para pa-gar os servidores, o Paran retoma sua capacidade de investimento e hoje tem a melhor situao fiscal do Pas, afirmou.

    Com a situao fiscal equilibrada, o governador ressaltou que o oramen-to estadual para 2016 pre-v investimentos de R$ 6,8 bilhes o que equivale soma dos quatro anos ante-

    Contribuio do IR para projetos sociais pode ser feita at dia 28

    AEN

    Empresas e pessoas f-sicas podem destinar parte do Imposto de Renda de-vido para o Fundo Estadu-al para a Infncia e Adoles-cncia (FIA) at o dia 28. O valor arrecadado ser usa-do para financiar projetos voltados promoo, defe-sa e garantia de direitos de crianas e adolescentes em todo o Paran. De janeiro de 2011 at a ltima segun-da-feira (30), o valor das contribuies dedutveis do IR destinadas ao FIA che-gou a R$ 41 milhes.

    Segundo a assessora fi-nanceira da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimen-to Social, Marcela Evange-lista, o limite permitido por lei para o abatimento di-ferenciado para pessoa fsi-ca e jurdica. Os cidados podem destinar at 6% do imposto devido. Para as empresas o percentual de 1%, explica. A porcenta-gem o limite mximo de deduo permitido pela le-gislao federal.

    Marcela lembra ainda que toda aplicao dos recursos fiscalizada pelo Conselho Es-tadual dos Direitos da Crian-a e do Adolescente (Cedca/PR), que analisa, seleciona e aprova os projetos a serem financiados. A Secretaria do Trabalho e Desenvolvi-mento Social respons-vel pela administrao dos recursos, formalizao de convnios e acompanha-mento dos projetos.

    Para fortalecer as polticas sociais para crianas e ado-lescentes, em novembro o governador Beto Richa assi-nou o decreto determinando que todas as empresas esta-tais do Paran destinem 1% do valor devido ao imposto de renda para o FIA e para o Fundo Estadual dos Direitos do Idoso (Fipar).

    A contribuio pode ser dirigida para o Banco de Projetos do Cedca ou para o FIA Estadual. Assim, o prprio cidado ou em-presa decide, de forma de-mocrtica e participativa, onde aplicar o recurso.

    Nos ltimos quat