dimensão e medição da pobreza extrema e situação social e a pobreza extrema no df

of 27/27
Dimensão e medi Dimensão e medi ç ç ão da pobreza ão da pobreza extrema e situa extrema e situa ç ç ão social e a ão social e a pobreza extrema no DF pobreza extrema no DF Jorge Abrahão de Castro Diretor da Diretoria de Estudos e Políticas Sociais do IPEA Brasília, 21 de maio de 2011

Post on 03-Jul-2015

513 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Dimensão e medição da pobreza extrema e situação social e a pobreza extrema no DF

TRANSCRIPT

Dimenso e medio da pobreza extrema e situao social e a pobreza extrema no DF

Jorge Abraho de CastroDiretor da Diretoria de Estudos e Polticas Sociais do IPEA Braslia, 21 de maio de 2011

Problema uma situao indesejvel declarada por algum e que passvel de ser resolvido(C.Matus)

Qual problema a ser enfrentado como prioridade?

Attenao a idosos, Mortalidade infantil, Analfabetismo, desemprego juvenil, Pobreza, Desigualdade, etc

Pobreza

O que ?

Qual pobreza?

Extrema, absoluta, rural, etc.

Pobreza extrema

Por que?

Qual Meta estabelecer?

Diminuir ; diminuir ; erradicar

Erradicar

O que significa?

Quais indicadores utilizar?

Proporo da populao que ganha menos que R$/dia; Proporo da populao abaixo de uma linha nacional de Pobreza ndice de hiato de pobreza incidncia x grau de pobreza Etc.

Linha nacional de pobreza

Qual linha adotar?

O que ?

Enfoques para medir a pobreza

MultidimensionalConsidera que a pobreza um fenmeno complexo, que envolve outras dimenses alm da renda (como o acesso a servios, o exerccio da cidadania etc) e/ou que a renda medida pelas pesquisas domiciliares no bom indicador de bem-estar

Insuficincia de rendaTambm considera a pobreza um fenmeno complexo, mas julga que a renda o indicador mais importante do bem-estar e/ou que est intimamente associada com as outras dimenses do fenmeno

Como difcil realizar anlises multidimensionais, em geral so utilizados ndices unidimensionais

Tradio brasileira acadmica e poltica

Qual linha?

Pr-requisitos Transparncia: facilidade de clculo a partir das informaes disponveis Adequao ao problema: delimitar claramente os grupos de interesse Aproveitar os sistemas de dados e informao existentes

Linha de elegibilidade programas Separa os elegveis dos no elegveis ao programa Deve ser maior ou igual linha de monitoramento

Linha nacional de extrema pobreza Linha de monitoramento Delimita os extremamente pobresQuantos so? Quem so? Onde esto?

Permite o monitoramento da extrema pobrezaComo evolui? Sistema de indicadores auxiliares

Qual linha? Pobreza

ndices Multidimensionais Seleo das variveis Normalizao Ponderao Linha de corteNecessidades Bsicas Insatisfeitas (NBI) ndice Marginacin (Mxico) ndice de Pobreza Humana (IPH1 e IPH2) Bens representativos

Insuficincia de renda

Absoluta Linhas objetivasMtodo calrico direto Mtodo calrico indireto

Relativa Bens relacionais Capacidades e comodidadesAmartya Sen

Linhas subjetivas Linhas oficiais/administrativasBolsa Familia BPC/LOAS Banco Mundial

O que significa erradicar? Zero pessoas esto abaixo da linha Na prtica, isso impossvel

Sim

chegar a zero?No

Diferente de zero

Por qu? Renda das famlias voltil Volatilidade de longo alcanceFamlias sem perfil de pobre que ficam momentaneamente sem renda em um ms especfico

Quanto deve ser? As melhores estimativas disponveis sugerem algo em torno de 8 % dos pobres extremos inciaisOu seja, a extrema pobreza poderia ser considerada erradicada caso restassem apenas 0,08*N pessoas da situao incial de extrema pobreza

Apenas residual, mas difcil estimar com precisoNo h fontes de dados adequadas no momento

Volatilidade de curto alcanceNovas famlias caem na pobreza a cada ms e a poltica pblica sempre demora um tempo para cadastrar e atender novos beneficirios

Diferenas nos resultados?

Ideal fazer o monitoramento a partir de uma nica base

Censo, PNAD, POF e outras

Fontes diferentes = Nmeros diferentes

Por que?

Desenho amostral e projeo de populaoSeleo de municpios e setores censitrios Flutuaes amostrais Atualizaes de projees

Perguntas diferentes sobre rendaEm geral, quanto mais detalhadas, maior a renda mdia Incluso ou no da renda no-monetria

Perodos de referncia distintosSazonalidade PNAD: s renda do ltimo ms POF: renda de vrios meses

Por que extrema pobreza?Metas do Milnio (ODM 1) Referncia internacionalLinha de US$ 1,25 por dia PPP equivale em 2011 a cerca de R$ 70 per capita por ms

Focalizar nos que mais precisamCaso a linha seja alta, o grupo que mais precisa o mais difcil de ser tirado da extrema pobreza tende a se diluir nas estatsticas

Restrio oramentria120,000

O custo um mltiplo do Hiato de Pobreza O Hiato de Pobreza aumenta de forma no linearPequenos aumentos no valor da linha geram grandes aumentos no Hiato

Hiato de pobreza (milhes de R$ de set/2009)

100,000

80,000

60,000

40,000

20,000

0 50 100 150 200 250 300

Linha de Pobreza (R$ set/2009)

Parmetros para linha de pobreza extrema

Linha para estudos e pesquisas Pode ser fixa ou no Valor pode ou no ter como base algum ano anterior Pode ou no ser ajustada por um ndice de preo

Linha de elegibilidade de aes e programas No precisa ser fixa Valor no precisa ter como base algum ano anterior Pode ser mas no precisa de reajustes por um ndice de preo

Linha de monitoramento da pobreza extrema fixa Valor deve ter como base algum ano anterior a declarao do probrema A linha deve ser ajustada por um ndice de preo adequado Dever ser exequivel e focar no problema selecionado

As restries oramentrias so apenas toricas

Pode ser elevada quando se desejar e/ou se tiver condies oramentrias

Situao social do DF e apobreza extrema

Breve sntese da situao social do Brasil e DF - 2009reas de Atuao Poltica Previdncia Social Pobreza Sade Transferencias e renda Trabalho e Renda Educao Cobertura da Pop. Idosa (60 ou mais) Esperana de Vida aos 60 anos Pobreza extrema(R$ domiciliar per capita inferior a 67 em valores de out/2009)

Indicadores

Brasil (a)

DF (b)(b/a)

77,3 21,3 4,7 635 20,0 47,7 23,6 8,2 1.008 9,7 7,5 81,8 70,5 28,1

65,0 22,6 1,4 1.322 11,1 56,4 21,5 11,0 2.213 3,4 9,6 95,2 98,3 53,6

-16% 6% -70% 108% -45% 18% -9% 35% 120% -65% 27% 16% 39% 91%

Renda Domiciliar Per Capita Taxa de Mortalidade Infantil (por mil Nascidos Vivos) Taxa de Homicdio Masculina (15 a 29 anos) Percentual da Renda com Transferncias Desemprego Redimento Mdio do Trabalho (salrio) Taxa de Analfabetismo (15 anos ou mais) Nmero Mdio de Anos de Estudos (15 anos ou mais) Saneamento e Habitao Abastecimento Adequado de gua Esgotamento Sanitrio Adequado CulturaFonte: PNAD e RIPSA Nota:

Internet no Domiclio

Os valores da Esperana de Vida aos 60 anos apresentados representam os anos de 2001 e 2008. Os valores da Taxa de Mortalidade Infantil (por mil Nascidos Vivos) apresentados representam os anos de 2001 e 2007. Os valores da Taxa de Homicdio Masculina (15 a 29 anos)apresentados representam os anos de 2001 e 2007.

Pobreza extrema no DF e menor que a mdia Brasil.Porcentagem da populao sobrevivendo com menos de US$ PPC 1,25 por dia25,6 Brasil DF 20,8 19,6

16,4

16,8

17,0

15,4

14,9

14,0

11,3

12,0 9,7 7,8

9,4

8,9

7,1

7,3

6,9

6,9

8,1 6,4

6,3

6,7

5,6

5,3

6,0

6,1 2,9

4,0

4,8 2,2 2,8

1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008

Fontes:

Renda: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domiclios, PNAD. Fatores PPC: Naes Unidas, Diviso de Estatsticas (Banco Mundial, ICP 2005). Inflao mdia anual do Brasil e dos EUA: Fundo Monetrio Internacional, World Economic Outlook, 2009.

Pobreza no-extrema e pobreza extrema no DF 2001-2009Pobre no-extrema (R$ domiciliar per capita maior ou igual a 67 e inferior a 134 em valores de out/2009) Pobreza extrema (R$ domiciliar per capita inferior a 67 em valores de out/2009)

Pobreza no-extrema 11,0 11,2 10,5 10,5 9,1 Pobreza extrema

6,8 5,8 4,8 4,7 5,0 3,2 2,1 1,4 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2,4 1,4 2009 6,0 4,9 5,0

Renda domiciliar per capita mdia em US$ PPC por dia, no Brasil e DFBrasil 20,1 DF 17,8 23,1 16,2 14,4 13,5 12,0 12,9 14,3 14,7 15,4 16,0 10,5 9,4 8,2 7,4 7,4 7,5 6,3 7,3 7,4 8,0 8,1 8,5 9,2 10,2 10,9 12,1 24,9

11,5

1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008

5,5

5,7

Coeficiente de Gini da desigualdade na distribuio da renda domiciliar per capita.0 ,6 2 0 ,6 2 0 ,6 1 0 ,6 0 0 ,59 0 ,58 0 , 58 0 ,57 0 ,6 0 0 ,6 0 0 ,6 0 0 ,59 0 ,6 0 0 ,59 0 ,6 0 0 ,59 0 ,6 1 0 ,6 1 0 ,6 2 0 ,6 1 0 ,6 0 0 ,6 0 0 ,6 1 0 ,6 0 0 , 59 0 ,58 0 ,57 0 , 57 0 ,56 0 , 55 0 ,54 0 ,54 0 ,6 1

0 ,59

DF Brasil

1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009

Percentual da Pobreza e Pobreza Extrema, 2009Brasil Distrito Federal

4,7% 9,4%

1,4% 5,0%

85,8%

93,7%

Extremamente pobres

Pobres

No-Pobres

Extremamente pobres

Pobres

No-Pobres

Perfil da Pobreza Extrema, 2009 Grupos EtriosBrasil Distrito Federal14,2% 37,5%

41,9% 11,5%

0,9% 47,4%

3,4% 43,3%

Crianas

Jovens

Adultos

Idosos

Crianas

Jovens

Adultos

Idosos

Perfil da Pobreza Extrema, 2009 Arranjos FamiliaresBrasil22,2%

Distrito Federal31,3% 10,4%4,9%

16,6%

22,9%56,2%

35,4%

Unipessoal

Casal com Filhos

Me com Filhos

Outros Arranjos

Unipessoal

Casal com Filhos

Me com Filhos

Outros Arranjos

Perfil da Pobreza Extrema, 2009 Posio no Mercado de TrabalhoBrasil49,9%

16,1%

14,2% 6,7%

8,7% 0,4% 4,1%

Mulheres sem ocupao sem acesso a creche Empregado sem Carteira Conta Prpria e Empregadores no-agrcolas

PIA sem ocupao Empregado Domesticos sem Carteira

Produtor Agricola Empregado com Carteira

Perfil da Pobreza Extrema, 2009 Posio no Mercado de TrabalhoDistrito Federal72,2%

0,0%

9,3% 3,7% 1,8% 0,0% 13,0%

Mulheres sem ocupao sem acesso a creche Empregado sem Carteira Conta Prpria e Empregadores no-agrcolas

PIA sem ocupao Empregado Domesticos sem Carteira

Produtor Agricola Empregado com Carteira

Perfil da Pobreza Extrema, 2009 Trabalho e RendaBrasil

Distrito Federal

14,0% da populao em situao de pobreza extrema de indivduos ocupados com remunerao do trabalho inferior a 1 salrio mnimo 0,2% so indivduos ocupados com remunerao do trabalho igual a 1 salrio mnimo 0,1% so indivduos ocupados com remunerao do trabalho superior a 1 salrio mnimo

4,7% da populao em situao de pobreza extrema de indivduos ocupados com remunerao do trabalho inferior a 1 salrio mnimo 0,0% so indivduos ocupados com remunerao do trabalho igual a 1 salrio mnimo 0,0% so indivduos ocupados com remunerao do trabalho superior a 1 salrio mnimo

Perfil da Pobreza Extrema, 2009 Trabalho e RendaBrasil

Distrito Federal

0,2% da populao em situao de pobreza extrema de indivduos com aposentadorias e penses com benefcios inferiores ou iguais a 1 salrio mnimo 0,004% so indivduos com aposentadorias e penses com benefcios superiores a 1 salrio mnimo 0,02% so indivduos beneficirios do Benefcio de Prestao Continuada

1,3% da populao em situao de pobreza extrema de indivduos com aposentadorias e penses com benefcios inferiores ou iguais a 1 salrio mnimo 0,0% so indivduos com aposentadorias e penses com benefcios superiores a 1 salrio mnimo 0,0% so indivduos beneficirios do Benefcio de Prestao Continuada

Perfil da Pobreza Extrema, 2009 Trabalho e RendaBrasil

Distrito Federal

66,7% da populao em situao de pobreza extrema reside em domiclios beneficirios do Programa Bolsa Famlia O Programa Bolsa Famlia responde por 39,7% da renda total das famlias em situao de pobreza extrema

41,9% da populao em situao de pobreza extrema reside em domiclios beneficirios do Programa Bolsa Famlia O Programa Bolsa Famlia responde por 36,3% da renda total das famlias em situao de pobreza extrema

Perfil da Pobreza Extrema, 2009 Condies de VidaBrasil

Distrito Federal

45,0% da populao em situao de pobreza extrema reside em moradias adequadas

67,5% da populao em situao de pobreza extrema reside em moradias adequadas

(paredes e telhados adequados, canalizao interna, banheiro exclusivo, e densidade habitacional de at trs residentes por dormitrio)

(paredes e telhados adequados, canalizao interna, banheiro exclusivo, e densidade habitacional de at trs residentes por dormitrio)

29,7% reside em moradias com gua de rede geral de distribuio, acesso a banheiro, esgotamento adequado e coleta de lixo 93,4% reside em moradias com iluminao eltrica

90,6% reside em moradias com gua de rede geral de distribuio, acesso a banheiro, esgotamento adequado e coleta de lixo 100% reside em moradias com iluminao eltrica

Perfil da Pobreza Extrema, 2009 Condies de VidaBrasil

Distrito Federal

50,2% da populao em situao de pobreza extrema tem acesso a algum tipo de telefone 50,5% possui fogo, geladeira, rdio e televiso no domiclio 5,9% possui fogo, geladeira, rdio, televiso e mquina de lavar no domiclio 2,9% possui computador no domiclio

91,5% da populao em situao de pobreza extrema tem acesso a algum tipo de telefone 79,5% possui fogo, geladeira, rdio e televiso no domiclio 21,4% possui fogo, geladeira, rdio, televiso e mquina de lavar no domiclio 18,8% possui computador no domiclio

Perfil da Pobreza Extrema, 2009 EducaoBrasil

Distrito Federal

23,0% da populao em situao de pobreza extrema com idade entre 15 e 60 anos analfabeta

22,2% da populao em situao de pobreza extrema com idade entre 15 e 60 anos analfabeta

41,1% analfabeta funcional (possui menos de 4 anos de estudo) Tem, em mdia, 3,1 anos de estudo

33,4% analfabeta funcional (possui menos de 4 anos de estudo) Tem, em mdia, 4,3 anos de estudo

Perfil da Pobreza Extrema, 2009 EducaoBrasil

Distrito Federal

96,6% da populao em situao de pobreza extrema com idade entre 7 e 14 anos freqenta escola ou creche, sendo 93,7% no Ensino Fundamental 77,1% com idade entre 15 e 17 anos freqenta escola ou creche, sendo 22,0% no Ensino Mdio 29,1% com idade entre 18 e 24 anos freqenta escola ou creche, sendo 1,5% no Ensino Superior 40,5% com idade entre 0 e 6 anos freqenta escola ou creche.

100% da populao em situao de pobreza extrema com idade entre 7 e 14 anos freqenta escola ou creche, sendo 100% no Ensino Fundamental 66,7% com idade entre 15 e 17 anos freqenta escola ou creche, sendo 33,3% no Ensino Mdio 60,0% com idade entre 18 e 24 anos freqenta escola ou creche, sendo 4% no Ensino Superior 50,0% com idade entre 0 e 6 anos freqenta escola ou creche.