contribuiÇÃo para superaÇÃo da pobreza extrema

Click here to load reader

Post on 30-Dec-2015

23 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

CONTRIBUIÇÃO PARA SUPERAÇÃO DA POBREZA EXTREMA. ECONOMIA SOLIDÁRIA:. SUPERAÇÃO DA POBREZA EXTREMA: POLÍTICA EMANCIPATÓRIA INTERSETORIAL. O aumento das capacidades e oportunidades pressupõe uma abordagem multidimensional: Ações de transferência de renda - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

Slide 1

CONTRIBUIO PARA SUPERAO DA POBREZA EXTREMAECONOMIA SOLIDRIA:Secretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoO aumento das capacidades e oportunidades pressupe uma abordagem multidimensional:

Aes de transferncia de renda Melhoria geral do bem estar social e Acesso aos ativos necessrios promoo de iniciativas de ocupao e renda: terra, tecnologias, investimentos, equipamentos, infraestrutura, conhecimento... SUPERAO DA POBREZA EXTREMA: POLTICA EMANCIPATRIA INTERSETORIALSecretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoArticulao entre poltica econmica e polticas sociais: desenvolvimento com distribuio de renda;Recuperao da capacidade de interveno do Estado como promotor do desenvolvimento;Fortalecimento do mercado interno com transferncia de renda, infraestrutura, emprego e ampliao do crdito;Poltica Social como fator de dinamizao do desenvolvimento.Abordagem territorial combinada com a intersetorialidade nas polticas pblicas.ACMULOS E APRENDIZADOSSecretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoVenda da Fora de Trabalho Emprego Formal

Venda de produtos ou servios :Trabalho por conta prpria: autnomo e vrias formas de trabalho informal Micro e pequenos negcios: empreendedor individual, micro empreendimentos...Economia familiar urbana ou ruralTrabalho associado ou em cooperao: economia popular solidria UM DESAFIO: OBTER RENDA POR MEIO DO TRABALHO Secretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoFormas de organizao econmica - produo, comercializao, finanas e consumo - baseadas no trabalho associado, na autogesto, na propriedade coletiva dos meios de produo, na cooperao e na solidariedade. Atividades econmicas: Produo de bens Prestao de servios Finanas solidrias Comrcio justo Trocas Consumo solidrioOrganizaes solidrias: Cooperativas Associaes Empresas autogestoras Grupos solidrios Redes solidrias Clubes de troca etc.TRABALHO ASSOCIADO E ECONOMIA SOLIDRIA

Secretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e Emprego

COOPERAO,AO ECONMICA SOLIDARIEDADEnaAUTOGESTOe 21.859 EES 1,7 Milho de Pessoas 2.934 municpios (52%) R$ 8 bilhes/ano (SIES, 2007)Secretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoSistemas produtivos sustentveis;Consumo consciente e responsvel;Emancipao do trabalho e valorizao do trabalhador/a;Reduo de disparidades de renda e de riqueza: propriedade coletiva ganhos compartilhados;Sistemas financeiros solidrios;Reconhecimento da mulher e do feminino trabalho produtivo e reprodutivo - e empoderamento;Resgate humano de populaes em extrema pobreza e excluso.

POTENCIAIS DA ECONOMIA SOLIDRIASecretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e Emprego

DESAFIOSSecretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e Emprego

MISSO:Promover o fortalecimento e a divulgao da economia solidria, mediante polticas integradas, visando a gerao de trabalho e renda, a incluso social e a promoo do desenvolvimento justo e solidrio

SECRETARIA NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDRIASecretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoContribuir com o esforo nacional para a erradicao da pobreza extrema por meio de iniciativas econmicas solidrias de ocupao e renda;Contribuir com a capacidade de auto-organizao e autogesto de grupos populacionais e comunidades caracterizados por vulnerabilidades sociais;Fortalecer e expandir a economia solidria enquanto estratgia emancipatria de desenvolvimento sustentvel e solidrio. OBJETIVOSSecretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoIntegrao de aes: tratar de forma articulada demandas por conhecimentos, de acesso a recursos materiais e financeiros e de comercializao;Abordagem territorial integradora de espaos e de interveno intersetorial, envolvendo sujeitos sociais e polticas pblicas em processos locais e territoriais de desenvolvimento;Abordagem econmica setorial, viabilizando redes de cooperao entre empreendimentos de um mesmo segmento ou em arranjos produtivos sustentveis e solidrios.DiretrizesSecretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoEIXOS E INSTRUMENTOS DE AOEIXO 1 ORGANIZAO SOCIOCOMUNITRIA Identificao, sensibilizao e organizaoCapacitao e atuao de Agentes ComunitriosEspaos multifuncionais de referncia Diagnstico participativo de potencialidadesPlanejamento de investimentosConstruo de ambincia institucional favorvel: tributria, fiscal, sanitria, comercial etc.Participao e controle socialEIXO 2 FORMAO E ASSESSORIA TCNICAFormao de formadores, agentes e gestoresElevao de escolaridade e qualificaoIncubao de empreendimentos e redesAssessoramento tcnico e organizativo para empreendimentos e redes de cooperaoTecnologias Sociais

Secretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoEIXOS E INSTRUMENTOS DE AOEIXO 3 INVESTIMENTOS, CRDITO E FINANAS SOLIDRIASInfraestrutura para EmpreendimentosMicrocrdito Produtivo OrientadoIniciativas de finanas solidrias:Bancos Comunitrios de DesenvolvimentoFundos Rotativos SolidriosCooperativas de Crdito Solidrio EIXO 4 ORGANIZAO DA COMERCIALIZAO Certificao e reconhecimento no Sistema Nacional de Comrcio Justo e SolidrioEspaos Fixos de Comercializao SolidriaCentrais de comercializaoOrientao para acesso s compras governamentaisBases de Servio de Apoio

Secretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoAES COM CATADORES DE MATERIAIS RECICLVEIS NA PNRS

Identificao de catadores nas ruas e lixes, mobilizao, diagnstico e Cadastro;Encaminhamento aos servios bsicos: sade, documentao, assistncia, educao, etc.;Qualificao social e profissional;Assessoria tcnica e incubao de empreendimentos solidrios e redes;Equipamentos e infraestrutura para os empreendimentos;Apoio a iniciativas de verticalizao da produo; eDilogo e parcerias para incluso de catadores na Coleta Seletiva, Logstica Reversa e Pagamento por Servios Ambientais.Secretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoMETAS - EXECUOMETAS PBSM 2011 - 2014EXECUO 2011 2012 Metas Pactuadas I - Aes integradas de economia popular e solidria, sob a forma de apoio comercializao de produtos e servios, formao profissional, assistncia tcnica e incubao de empreendimentos solidrios beneficiando 200 mil pessoas em situao de pobreza extrema.117.262 (58,7%)II - Fomento para a organizao e o desenvolvimento de cooperativas e redes de cooperao beneficiando 60 mil catadores atuantes com resduos slidos por meio de formao, incubao, assistncia tcnica e infraestrutura de apoio.39.909 (66,5%)MAPA DA POBREZA 16,2 MILHESELEVAO DA RENDA PER CAPITAAUMENTO DAS CONDIES DE BEM-ESTARAumento das capacidades e oportunidadesEixo Incluso ProdutivaEixo Acesso a servios pblicosEixo Garantia de Renda1.591 MUNICPIOS ABRANGIDOS Secretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e Emprego

Secretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoDESAFIOS PARA AS POLTICAS DE ECONOMIA SOLIDRIA NO PLANO BRASIL SEM MISRIAAmpliao de iniciativas econmicas solidrias escala para organizar os desorganizados.Aproximar as oportunidades de investimentos e as potencialidades da economia solidria das necessidades da populao em pobreza extrema e da promoo do desenvolvimento local e territorial sustentvel.Instrumentos de execuo de polticas pblicas apropriados: Sistema pblico com repasse fundo a fundo e gesto social;Secretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoDESAFIOS PARA AS POLTICAS DE ECONOMIA SOLIDRIA NO BRASIL SEM MISRIA(cont.) Instrumentos de execuo apropriados: Comercializao: compras governamentais diretas; Organizao da oferta em razo das demandas de outros espaos de mercado;Certificao Declarao de Aptido DECOSOL;Conhecimento: rede de assistncia tcnica - urbano;Verticalizao da produo: encadeamentos e redes de cooperao para reduzir subordinao e subalternidade;Recursos: Investimentos em infraestrutura e linhas de crdito apropriadas.Secretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e EmpregoCONTATOSMinistrio do Trabalho e EmpregoSecretaria Nacional de Economia [email protected](61) 2031 6533

Secretaria Nacional de Economia SolidriaMinistrio do Trabalho e Emprego