apresentao jk, laucia

Download Apresentao jk, laucia

If you can't read please download the document

Post on 19-Dec-2014

4.068 views

Category:

Education

8 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Apresentação JK

TRANSCRIPT

  • 1. Juscelino Kubitschek

2. VIDA PESSOAL 1902 1914192719311932193419431956 1961 19671968 1974 1976 Nasceu em Diamantina, Minas Gerais, em 12 de setembro. Ingressa no seminrio dos padres Lazaristas. Forma-se em Medicina pela Universidade de Minas Gerais. Casa-se com Sarah Lemos. Nasceu sua filhaMrcia Kubitschek, e anos depois, adotaram a 2 filha Maristela Kubitschek Tornou-se mdico do 1 Batalho da Fora Pblica. Incio da Carreira Poltica Assume a Presidncia da Repblica.JK passa a faixa presidencialao seu sucessor, Jnio Quadros. Eleito membro da Academia Mineira de Letras. Faleceu em um acidente de carro. Fim da Carreira Poltica. Retorna ao Brasil, aps exlio de dois anos na Europa. 3. Juscelino, Bacharel em Medicina, 1927Sarah e Juscelino Kubitschek Visita de G.Vargas a Minas Gerias, 1954 Candidatura de JK Presidncia,1955Construo de Braslia. 1956JK e os campees mundiais de basquete,1959 4. Juscelino Kubitschek de Oliveira foi eleitopresidentedo Brasil nas eleies de 1955, tendoJoo Goulart(Jango) como vice-presidente. 5. Assumiu o governo no dia 31 de janeiro de 1956, ficando no poder at 31 de janeiro de 1961, quando passou o cargo para Jnio Quadros. 6. Em outubro de 1955 a chapa formada por Juscelino Kubitscheque e Joo Goulart vence as eleies presidenciais com 36% dos votos. 7. Os perdedores contestam o resultado, dizendo que os vencedores no tinham maioria absoluta, tinham metade dos votos mais um e que alem disso, tinham sido eleitos com os votos do partido comunista que nessa poca esta ainda na ilegalidade. 8. A verdade porem outra, os grupos que haviam trabalhado para afastar Vargas do poder, estavam novamente perdendo a chance de assumir o controle do governo e comeam a fazer tudo que possvel para impedir a posse do presidente eleito. 9. Mais o general Henrique Teixeira Lott chefiou um movimento para neutralizar uma suposta conspirao tramada no prprio governo, o chamadoCONTRA GOLPEdo general Lott, afastam os inimigos de Juscelino do poder. 10. Em uma situao de censura a imprensa, estado de stio (uma situao temporria em que certos direitos fundamentais so limitados ou suspensos) e de grande tenso poltica Juscelino toma posse no dia31 de janeiro de 1956 . 11. Juscelino comeou seu governo com o apoio macio do congresso, que na poca no era nesse prdio aqui, conhecido por todos! O apoio vinha da aliana entre o PTB E O PSD, que tinha sido feita no inicio da eleio e permaneceu durante todo governo. 12.

  • Juscelino formou seu ministrio de deputados no congresso.
  • Para PTB ele reservou mistrios
  • Entre eles:
  • Agricultura
  • Trabalho
  • Guerra

13. No ministrio da guerra ele convidou omesmo militarque fez de tudo para garantir sua posse o general LOTT .PSD - O apoiavam na poltica econmica, mantinham os controles sobre todas as bases rurais.Com o PTB no Ministrio do Trabalho , sindicatos ficavam contentes e acabavam apoiando o governo deles. 14. Os militares tinham o geral Lott no ministrio da guerra. Alem de que JK gastou muito dinheiro para melhoramento do Estado das Foras Armadas, e assim, ele se armou por todos os lados, nas cidades, nos campos nos quartis. Esse apoio ajudou JK no seu Plano de Metas. 15. Juscelino Kubitschek tinha o objetivo de implantar no pas o Projeto dos Automveis no qual pretendia atrair montadoras de automveis para o pas, para que isso se realizasse e construiu vrios kilmetros de rodovias ligando todo o Brasil e desenvolvendo o pas. 16. No Brasil, a entrada de empresas multinacionais comeou a ganhar importncia durante o governo deJuscelino Kubitschek (1956-1961). Neste governo instalaram fbricas no Brasil as seguintes empresas: Ford, Volkswagen, Willys, GM, entre outras. 17. Quando ele comeou a governar, o Brasil no produzia automvel e no fim do seu governo a nova indstria automobilstica j produzia: 81.753 automveis51.325 caminhes. 18. A poltica adotada por Juscelino fez a economia brasileira dar um salto foi chamada denacional-desenvolvimentista 19.

  • Nacional desenvolvimentismo
  • Baseava-se em trs orientaes:
  • Maior interveno do governo na economia
  • Incentivo aos empresrios nacionais
  • Incentivo aos empresrios estrangeiros

20. A politica economica de JK, recebeu apoio dos politicos dosempresrios dos militares, jornalistas e dos intelectuais. Os nacionalistas desconfiavam dessa politica, eles no gostavam muito da ideia dos incentivos aos empresrios estrangeiros, eles achavam que a industrializao deveria ser feita por empresrios nacionais para garantir a autonomia do pas.Mais os militares eram a favor. 21. Plano De metas Plano De metas 1956 22. Em 1956,Juscelino estabeleceu um Plano de Metas que tinha com objetivo "crescer cinqenta anos em cinco ". 23.

  • Desenvolver a indstria de base,
  • Investir na construo de estradas e de hidreltricas
  • Fazer crescer a extrao de petrleo.
  • Tudo com o objetivo de arrancar o Brasil de seu subdesenvolvimento e transform-lo num pas industrializado.

24. Os industriais brasileiros continuavam investindo nos setores tradicionais (tecido, mveis, alimentos, roupas e construo civil), e as multinacionais entravam no Brasil pela primeira vez, para a produo de bens de consumo 25. Pontos positivos Pontos negativos

  • Modernizao da indstria;
  • Desenvolvimento dos centros urbanos
  • Estimular o consumo por parte da classe mdia
  • Diminuio das importaes
  • Endividamento internacional
  • Dependncia tecnolgica
  • Aumento da inflao

26.

  • O Plano de Metas dividiu-se em 31 metas que privilegiavam 5 setores da economia brasileira:
  • Energia
  • Transporte,
  • Indstrias de base,
  • Alimentao
  • Educao.

27. Energia (metas de 1 a 5)Energia eltrica, nuclear, carvo, produo e refino de petrleoTransportes (metas de 2 a 12)Reativar estradas de ferro, estradas de rodagem, portos, barragens, marinha mercante e aviaoAlimentao (metas de 13 a 18)Trigo, armazenagem e silos, frigorficos, matadouros, tecnologia no campo e fertilizantesIndstriasde base(metas 19 a 29)Alumnio, metais no ferrosos, lcalis, papel e celulose, borracha, exportao de ferro, industria de automveis e construo naval, maquinas pesadas e material eltrico.Educao (meta 30)Melhorar a educao e implantar cursor tcnicos no pas.Braslia (meta 31)Construo de uma nova capital no Planalto Central, a meta-sntese 28. Outros investimentos estatais durante o Plano de Metas:

  • Educao - investimentos na educao profissionalizante (a exemplo do CEFET) e criao daUnBcom o sistema de crditos
  • 'Agricultura- expanso da fronteira agrcola- menor crescimento do Plano(40%)
  • Moradia Popular e Saneamento Bsico '- investimentos concentrados na regio Sudeste
  • Criao daSUDENE
  • Transportes - investiu em Rodoviarismo com a construo de grandes rodovias, a exemplo da Belm-Braslia
  • Setor Petrolfero - investiu na PETROBRSe dobrou sua produo
  • Setor Siderrgico - investimentos nacompanhia siderrgica nacional e na Belgo-Mineira(capital misto) com crescimento de 80%
  • Setor de Comunicaes - criao daEmbratel
  • Setor Energtico - investimentos naEletrobrs com duplicao da produo
  • Sade - aumento em 70% dos leitos em hospitais

29. O plano de metas previa tambm a construo da nova capital Braslia Braslia foi o smbolo que Juscelino escolheu para o seu governo, o urbanista Lcio costa e o arquiteto Oscar Niemeyer foram convidados para conduzir os trabalhos de criao e realizao dedo projeto de construir uma nova capital no interior do pais. 30. A construo de Braslia provocou um grande entusiasmo na populao. Afinal, uma nova e moderna cidade estava surgindo no meio do cerrado do centro-oeste brasileiro E uma enorme quantidade de trabalhadores deslocaram-se para a nova capital. 31. 1960 - BrasliaVista do Eixo Rodovirio Ao fundo Esplanada dos Ministrios. fonte Revista Manchete n. 417, RJ, 16 abr 1960 32. Os projetos antes da hora: O arquiteto Jeferson Tavares, da USP de So Carlos, resgatou os desenhos anteriores ao tempo do concurso de Braslia promovido por JK 1927, autor desconhecido Documento encontrado no Cartrio de Registro de Imveis de Planaltina 33. 1930, Theodoro Figueira de Almeida O historiador usa pela primeira vez o nome Braslia na concepo da cidade1936, Carmem Portinho Desenho de inspirao modernista de autoria da terceira mulher a se formar em engenharia no Brasil, em 1925 34. Braslia em construo 35. Em razo de seu arrojado projeto arquitetnico, a construo da cidade de Braslia tornou-se o mais importante cone do processo de modernizao e industrializao do Brasil daquele perodo histrico. A nova cidade e capital federal foi o smbolo mximo do progresso nacional e foi considerada Patrimnio Cultural da Humanidade. 36. Braslia Hoje em dia 37. Juscelino gastou tanto que a inflao disparou.Quando ele assumiu o governo aInflao era de12,5% ao ano,quando saiu era mais de 30%. 38. GRAFICO DA INFLAO Fontes: Estatsticas histricas do Brasil. Sries Econmicas, Demogrficas e Sociais. 1550 a 1988. 2. ed. Rio de Janeiro : IBGE, 1990, p. 118 e 177. 25 anos de economia brasileira estatsticas bsicas. Avulso da revista Conjuntura Econmica, Fundao Getlio Vargas, Rio de Janeiro, v. 26, nov. 72, e diversos nmeros mais recente 39. A inflao subiu porque o governo gastava mais do que arrecadava com os impostos, e no foi somente na construo de Braslia, que o governo de Juscelino gastou muito d