a criação do taco de hóquei e seus desdobramentos

Download A criação do taco de hóquei e seus desdobramentos

Post on 17-Jul-2015

73 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

ONA, D. de S. A criao do taco de hquei e seus desdobramentos

A CRIAO DO TACO DE HQUEI E SEUS DESDOBRAMENTOSDaniela de Souza Ona1 RESUMO: Em 1998 e 1999, Mann, Bradley e Hugues publicaram estudos de reconstrues climticas indiretas (o grfico conhecido como taco de hquei) que sugeriam que as temperaturas registradas no sculo XX, na dcada de 1990 e no ano de 1998 so anormalmente elevadas no contexto do ltimo milnio, constituindo assim uma forte evidncia da influncia das atividades humanas sobre o processo de aquecimento global. Estes estudos foram empregados pelo IPCC na confeco de seu terceiro relatrio (2001) e receberam amplo destaque e divulgao. Aps ter se tornado um verdadeiro cone de propaganda do aquecimento global, o taco de hquei foi desmentido em uma seqncia de artigos iniciada em 2003 por Stephen McIntyre e Ross McKitrick, que descobriram graves falhas na seleo de dados e na programao do grfico (sendo a mais notvel o episdio das sries de Sheep Mountain, na Califrnia), falhas estas que so as verdadeiras responsveis por seu formato caracterstico. De acordo com os dados disponveis, as temperaturas registradas no sculo XX no podem ser consideradas anmalas nem nos valores e nem na variabilidade, pois so superadas em larga medida pelo Optimum Climtico Medieval. Entretanto, o taco de hquei reapareceria com nova roupagem no relatrio de 2007 do IPCC, revelando novas fraudes e o modo peculiar de fazer pesquisa desta organizao. Palavras-Chave: aquecimento global, fraude cientfica, IPCC.

INTRODUO Quando entramos em contato com os relatrios de avaliao periodicamente lanados pelo IPCC, parece-nos, primeira vista, que ele rene as mais recentes teorias e descobertas sobre as mudanas climticas globais, ainda que a partir de uma posio tendenciosa. No entanto, uma observao um pouco mais cautelosa revelar que os avanos das cincias do clima no so exatamente o foco dessas publicaes. John Christy, cientista ctico do aquecimento global, conhecido por suas pesquisas sobre as temperaturas da baixa troposfera a partir de dados de satlites, afirma que, durante seu trabalho como autor principal na redao do terceiro relatrio do IPCC, vrios dos1

Aluna do programa de ps-graduao em Geografia Fsica da Universidade de So Paulo. 214

1 SIMPGEO/SP, Rio Claro, 2008 ISBN: 978-85-88454-15-6

ONA, D. de S. A criao do taco de hquei e seus desdobramentos

autores principais declararam-lhe que o relatrio deveria fornecer as evidncias necessrias persuaso de governantes para adotar o Protocolo de Kyoto (CHRISTY, in MICHAELS, 2005, p. 74). Fica bastante clara, ento, a funo primordialmente poltica deste relatrio, enquanto que o real estado das pesquisas sobre mudanas climticas globais de interesse mais reduzido. Uma dessas evidncias para persuaso pela assinatura do acordo de Kyoto envolve o conhecido grfico taco de hquei, que provava que o clima do sculo XX pode ser considerado incomum e, assim, muito provavelmente determinado por influncias antropognicas. Vejamos sob quais circunstncias ele foi confeccionado, publicado, divulgado e desmascarado. A CRIAO DO TACO DE HQUEI E SEUS DESDOBRAMENTOS Em seu primeiro relatrio, e de acordo com o conhecimento estabelecido at ento, o IPCC publicou um grfico mostrando a evoluo da temperatura mdia global desde o ano 900 at o presente:

Figura 1 Estimativas da evoluo da temperatura mdia global ao longo do ltimo milnio (IPCC, 1990, citado por DALY, 2000).

A curva reflete a existncia de dois perodos climticos distintos e bastante conhecidos e documentados, o Optimum Climtico Medieval e a Pequena Idade do Gelo. A evidncia da curva bastante clara: o Optimum Climtico Medieval, aproximadamente entre os anos 1000 e 1300, foi mais quente do que o sculo XX com o pequeno detalhe de que, quele tempo, no s o desenvolvimento industrial no era exatamente comparvel ao de hoje, como no h evidncias de que esse aquecimento tenha sido acompanhado por qualquer alterao na concentrao atmosfrica de gases estufa. Dessa forma, o perodo atual, que pode ser considerado uma espcie de retorno

1 SIMPGEO/SP, Rio Claro, 2008 ISBN: 978-85-88454-15-6

215

ONA, D. de S. A criao do taco de hquei e seus desdobramentos

normalidade aps os rigores da Pequena Idade do Gelo, foi precedido por um perodo ainda mais quente sem a interferncia do presumido efeito estufa antropognico (LEROUX, 2005, p. 207-208). O relatrio de 1990 dizia ainda:Conclumos que apesar das grandes limitaes na quantidade e na qualidade dos dados histricos de temperatura disponveis, a evidncia aponta consistentemente para um aquecimento real, porm irregular, durante o ltimo sculo. quase certo que um aquecimento global de maior magnitude ocorreu ao menos uma vez desde o fim da ltima glaciao sem qualquer incremento aprecivel de gases estufa. Como ns no compreendemos os motivos desses eventos passados de aquecimento, ainda no possvel atribuir uma proporo especfica do pequeno e recente aquecimento a um aumento nos gases estufa (IPCC, 1990, citado por HOLLAND, 2007, p. 954).

O inconveniente dessas consideraes bastante bvio: se temos na histria recente um exemplo de um perodo de cerca de 300 anos mais quente que o atual sem a interferncia de gases estufa antropognicos, como poderemos ter certeza de que o aquecimento supostamente verificado no sculo XX devido a esses gases e, o que mais grave, como poderemos rotular esse suposto aquecimento de incomum? Tais perguntas representavam uma verdadeira ameaa ao futuro da viso catastrofista das mudanas climticas globais. O Optimum Climtico Medieval frustrava expectativas. J no segundo relatrio (lanado em 1995), porm, verifica-se uma mudana de mentalidade em relao a estes perodos mais quentes que a atualidade, especialmente quanto ao Optimum Climtico Medieval: com base nas observaes incompletas e nas evidncias paleoclimticas disponveis, parece improvvel que as temperaturas mdias globais se elevaram em 1oC ou mais em um sculo em qualquer momento ao longo dos ltimos 10.000 anos (IPCC, 1995, citado por HOLLAND, 2007, p. 955). Edwards e Schneider afirmaram que a remoo de expresses de dvida no segundo relatrio do IPCC foram demandadas pela poltica do momento e, dessa forma, era justificada ou seja, perfeitamente justificvel forjar um consenso cientfico de acordo com os interesses polticos de determinados grupos (HOLLAND, 2007, p. 956). A soluo definitiva para esse impasse apareceria em dois artigos de autoria de Michael E. Mann, Raymond S. Bradley e Malcolm K. Hugues. O primeiro deles foi publicado na edio de 23 de abril de 1998 da revista Nature, discutindo a evoluo das temperaturas globais nos ltimos seis sculos, reconstrudas principalmente a partir de dados dendroclimticos da Amrica do Norte e secundariamente de geleiras, corais e registros histricos recolhidos predominantemente na Amrica do Norte e na Europa ocidental, mas tambm em pontos isolados da sia, Austrlia e Andes para os anos1 SIMPGEO/SP, Rio Claro, 2008 ISBN: 978-85-88454-15-6 216

ONA, D. de S. A criao do taco de hquei e seus desdobramentos

anteriores a 1900, com margens de incerteza que diminuem conforme nos aproximamos do presente; a partir de 1900, os dados so de termmetros de superfcie. A concluso a que os autores chegaram a de que, mesmo levando-se em considerao as margens de incerteza, os anos 1990, 1995 e 1997 foram os mais quentes desde 1400 no hemisfrio norte, sendo razovel supor que o foramento devido aos gases estufa seja o responsvel por essas temperaturas to altas, bem como desponte como um fator cada vez mais dominante na definio das temperaturas do sculo XX (MANN; BRADLEY; HUGHES, 1998, p. 779; 783-785). O segundo foi publicado na Geophysical Research Letters em 15 de maro de 1999, com a mesma temtica e metodologia, porm agora relativo apenas ao hemisfrio norte e com as temperaturas recuando at o ano 1000. A concluso um pouco mais ousada que a do artigo anterior: no contexto do ltimo milnio, o sculo XX mesmo anmalo, a dcada de 1990 foi a dcada mais quente e o ano de 1998 quando ocorreu um forte El Nio, no nos esqueamos... foi o ano mais quente do ltimo milnio (MANN; BRADLEY; HUGHES, 1999, p. 762). Nos dois anos seguintes, e num momento de rara parcialidade na divulgao de descobertas cientficas, Michael Mann integraria a equipe de autores principais do segundo captulo (Observed climate variability and change) do terceiro relatrio do IPCC, publicando nele um grfico conclusivo de suas pesquisas:

1 SIMPGEO/SP, Rio Claro, 2008 ISBN: 978-85-88454-15-6

217

ONA, D. de S. A criao do taco de hquei e seus desdobramentos Figura 2 Anomalias de temperaturas do hemisfrio norte relativas mdia de 1961 a 1990 (vulgo taco de hquei). Em azul, a reconstruo por dados indiretos; em vermelho, dados diretos; em cinza, as margens de incerteza (IPCC, 2001, p. 134).

A curva de Mann et al, chamada no meio climatolgico de taco de hquei (hockey stick), por causa de seu formato, exibe as variaes de temperatura da superfcie do hemisfrio norte ao longo do ltimo milnio (1000-2000). A curva faz simplesmente desaparecer os contrastes do Optimum Climtico Medieval e da Pequena Idade do Gelo e substitui-nos por uma tendncia mais linear, de um leve resfriamento interrompido por volta de 1900, quando se inicia uma gritante tendncia de aquecimento sem precedentes nos nove sculos anteriores (LEROUX, 2005, p. 208). Construdo dessa forma, o taco de hquei ignora uma grande quantidade de pesquisas extensas e srias que atestam a ocorrncia em todo o planeta dos dois perodos climticos diferenciados do ltimo milnio e faz o aquecimento do sculo XX parecer realmente dramtico e incomum (LEROUX, 2005, p. 210). Para o IPCC, tanto o Optimum Climtico Medieval quanto a Pequena Idade do Gelo configuraram-se como mudanas de temperatura bastante modestas, fenmenos isolados, concentrados na regio do Atlntico Norte, e no podem ser considerados mudanas climticas em nvel global