terrorismo quimico.pptx

Download terrorismo quimico.pptx

Post on 29-Dec-2015

6 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Terrorismo qumico em Portugal e no Mundo

Terrorismo qumico em Portugal e no MundoDiscente: Bruno Soares - n72009228Escola Superior Agrria de Castelo Branco

1O que o terrorismo qumico?O terrorismo qumico uma das vrias vertentes do terrorismo, usando as propriedades txicas de substncias qumicas para matar, ferir ou afectar negativamente o seu inimigo.

Soldado Srio (2012) Bomba de Gs Sarin2O que uma Arma Qumica?As armas qumicas so aquelas que podem causar a morte, incapacidade temporria ou leses permanentes pela toxicidade dos seus princpios activos.Podem ser usadas contra seres humanos, animais ou plantas.

So constitudas por peas de artilharia ligeira ou mdia. Exemplos:foguetes,msseis, artefactos de sabotagem (bombas, granadas, contentores, pulverizadores de lquidos ou slidos).

3Armas qumicas, porque so uma ameaa?Conhecimento e materiais com fcil acesso;Fcil concepo;So imperceptveis aos sentidos humanos;Matam indiscriminadamente;Efeitos devastadores na sade, ambiente e economia .

4Tipos de agentes:Vesicantes: Gs Mostarda;Custicos: cido Fluordrico;Asfixiantes / Pulmonares: Cloro;Sanguneos: Cianeto de Hidrognio;Incapacitantes:BZ;Nervosos:Sarin;Lacrimognio : Spray Pimenta.

5Caractersticas dos Agentes QumicosTipoExemplosCausasVesicantesGs MostardaQueimaduras graves; Cegueira; Asfixia Custicoscido FluordricoCorri a pele; Cegueira; AsfixiaAsfixiantesCloroIrritao vias respiratrias, pele e olhosHemotxicosCianeto de HidrognioAsfixia; Irritao pele; Nuseas; Convulses antes da MORTE.IncapacitantesAgente 15 (BZ)Hipertermia; Nuseas; AlucinaesNervososSarinEspasmos; Nuseas; Vmitos; DesmaioLacrimognioSpray PimentaIrritao olhos; Cegueira Temporria.

Diferenas entre o uso blico e o uso terroristaBlicoVtimas militares;

Responsabilidade das Foras Armadas;

Agente qumico de uso blico: Alta letalidade, fcil disperso, persistncia.

TerroristaVtimas civis;

Responsabilidade da resposta civil;

Agente qumico de uso terrorista: disponibilidade, fcil acesso, toxicidade.

8Protocolo de GenebraO desenvolvimento, a produo e o uso de armas qumicas e biolgicas esto proibidos por tratados internacionais que a maioria dos estados membros da OMS assinaram antes da II Guerra Mundial , tais como o Protocolo de Genebra de 1925, a Conveno de Armas Biolgicas e Toxinas de 1972 e a Conveno de Armas Qumicas de 1993, sendo adoptada a partir de Abril de 1997, com a criao da Organizao para a Proibio de Armas Qumicas , encarregada de supervisionar a destruio de arsenais qumicos e a no-proliferao das mesmas.

Filme

9Protocolo Geral em caso de Terrorismo Qumico:Identificar o agente/produto/substncia.Preparar as reas onde sero recebidas as vtimas contaminadas, os equipamentos de proteco individual e de descontaminao e antdotos necessrios. Construir barracas de descontaminao se for possvel.Proteger todas as reas que possam ser contaminadas, includas as entradas do hospital e o solo.Notificar o evento s autoridades de Defesa/Proteco Civil e outros actores importantes.Se a substncia qumica for um agente de guerra e as foras militares ou de segurana no foram informadas, proceder a notificao a elas.10Preveno e combate ao Terrorismo Qumico em PortugalEm Portugal o risco de Terrorismo Qumico mnimo. At data no houve incidentes referente a terrorismo, mas sim a problemas ambientais. Tal como a libertao de substncias qumicas na natureza pela indstria, acidentes rodovirios de transporte de matrias perigosas.

Porm, a ANPC possui meios de preveno e combate contra o terrorismo/risco qumico. Com uma frota de viaturas totalmente equipada e equipas de preveno. Estando estas instaladas no GIPS da GNR e no Centro de Defesa NBQ do Exrcito Portugus.

11Concluso:O terrorismo qumico pode causar a morte, leso temporria ou permanente nas suas vitimas ( homem, animal, natureza). uma grande ameaa atual devido sua facilidade de acesso ao cidado comum. Porm, depois de vrios anos do seu uso indiscriminado durante as guerras mundiais, Vietname, Iro e mais recentemente em Tquio, o seu uso, armazenamento e produo est absolutamente proibido, segundo o Comit Internacional da Cruz Vermelha.( 5/4/2013).Em Portugal no h nada a registar at data. Contudo, no devemos menosprezar o terrorismo qumico, mantendo-nos preparados e atualizados para qualquer tipo de incidente qumico.