Redes Sociais e Jornalismo Online

Download Redes Sociais e Jornalismo Online

Post on 27-Nov-2014

188 views

Category:

Internet

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Se h 20 anos era possvel falar em monoplio da informao por parte do profissional que trabalha com a notcia, hoje essa nem mais uma questo, especialmente quando se fala em jornalismo online. A internet possibilitou a descentralizao e diversificao da produo jornalstica e tornou possvel a participao colaborativa do leitor, seja no processo de apurao e produo da informao, seja na circulao e recirculao desse contedo. Neste contexto, e na perspectiva do gatewatching, as redes sociais, especialmente o Facebook e o Twitter, consolidaram-se como ferramentas complementares ao jornalismo online, capazes de interferir nas prticas e no "fazer jornalstico" e alterar, inclusive, o modo como a notcia produzida.

TRANSCRIPT

  • 1. REDES SOCIAIS

2. O jornalismo e as redes sociais: participao, inovaoou repetio de modelos tradicionais? | Krita FranciscoRedes sociais na internet, difuso de informao ejornalismo: elementos para discusso. | Raquel RecueroA participao dos interagentes nos sites de redessociais como uma dimenso do acontecimentojornalstico. | Gabriela ZagoVisibilidade de notcias no Twitter e no Facebook:anlise comparativa das notcias mais repercutidas naEuropa e nas Amricas. | Gabriela Zago e Marco Bastos 3. Redes Sociais: o que so?Rede social gente, interao, troca social. um grupo depessoas, compreendido atravs de uma metfora de estrutura, aestrutura de rede. Os ns da rede representam cada indivduo esuas conexes, os laos sociais que compem os grupos. Esseslaos so ampliados, complexificados e modificados a cada novapessoa que conhecemos e interagimos (Recuero, 2009).Segundo Recuero, as Redes sociais na Internet so constitudas derepresentaes dos atores sociais e de suas conexes. Essasrepresentaes so, geralmente, individualizadas e personalizadas.As conexes so os elementos que vo criar a estrutura na qual asrepresentaes formam as redes sociais. Na internet, essasconexes podem ser de tipos variados, construdas pelos atoresatravs da interao. 4. Redes SociaisSites como o Facebook e o Twitter permitem uma novagerao de espaos pblicos mediados (ambientesonde as pessoas podem reunir-se publicamente com amediao da tecnologia)Recuero vai destacar quatro caractersticas fundamentaisdos espaos pblicos mediados:PersistnciaCapacidade de buscaReplicabilidadeAudincias invisveisA internet, enquanto mediao, permite que asinformaes sejam armazenadass, replicadas e buscadas 5. As redes sociais e a transmissode informaesAs redes sociais podem ser incorporadas ao dia-a-dia dosjornalistas de trs modos: na apurao, na veiculao e nofeedback com o pblico.As redes sociais podem produzir, filtrar e reverberar informaes quepoderiam ser consideradas relevantes para seus grupos, baseada empercepes especficas de seus membros, que ativamente engajam-se na buscapelo capital social.A internet ampliou as possibilidades de conexes, acapacidade de difuso de informaes e a construo devalores que circulam na rede social (capital social).No espao offline, uma notcia ou informao s se propaga na rede atravsdas conversas entre as pessoas. Nas redes sociais online, essas informaes somuito mais amplificadas, reverberadas, discutidas e repassadas (Recuero,2009) 6. As redes sociais e a transmissode informaesRecuero identifica dois tipos de capital social:Social Relacional/Emergente: tende a circular entre os laosfortes (a funo aprofundar laos sociais)Social Cognitivo/De filiao ou associao: formado peladifuso de informaes com apelo informacional maior(informaes repassadas ou retuitadas de perfis que representamveculos de comunicao, no Facebook ou Twitter a funo informar ou gerar conhecimento e tm uma tendncia deespalharem-se com mais rapidez e menor interao)Os valores gerados na rede social pelo espalhamento deinformaes tambm podem ser de dois tipos:Sociais: construdos na rede socialApropriados individualmente pelos usurios 7. As redes sociais e o jornalismoRedes sociaiscomo fontesprodutoras deinformaoAs redes sociais,enquantocirculadoras deinformaes, socapazes de gerarmobilizaes econversaes quepodem ser deinteresse jornalsticoonline 8. As redes sociais e o jornalismoRedes sociaiscomo filtros deinformaesAs redes sociais vocoletar e republicarinformaesonline 9. As redes sociais e o jornalismoRedes sociaiscomo espaosde reverberaodessasinformaesAs redes sociais soespaos decirculao ediscusso deinformaes , ondeas notcias soreverberadasonline 10. As redes sociais e o jornalismoonlineComo os trs papeis das redes sociais podem ser relevantespara o jornalismo?Para Bruns:As prticas informativas nas redes sociais, classificadas comogatewatching, podem complementar e at substituir o papel dogatekeeping do jornalismo tradicionalAs redes tambm poderiam atuar de forma colaborativa no auxlioda produo e na melhora da produo de notciasAs redes podem conceder credibilidade e importncia para asmatrias jornalsticas atravs das reverberaesAs redes sociais acrescentam valor notcia, a partir da circulao,construindo capital social 11. As mudanas nas prticasjornalsticas e a participao dosleitoresInternet e Jornalismo Internet e jornalista (mediar,interpretar, orientar e incentivar a participao dos leitores)As tecnologias atuais abrem vias para a participao deusurios e os prprios meios de comunicao sentem anecessidade de uma maior proximidade com os sujeitos dainformao, para terem efeito e serem teis (Lopez, 2007)Com a chegada da Internet e a disponibilizao deferramentas de publicao a histria passa a ser escrita poraqueles que previamente faziam parte da audincia. Umoutro tipo de informao surge via e-mails, listas dediscusso, grupos de chat, revistas eletrnicas pessoais -todas fontes de notcias no padres (Gilmor, 2004) 12. As mudanas nas prticasjornalsticas e a participao dosleitoresInternet permite a comunicao de muitos-para-muitose de poucos-para-poucos audincia = produtor denotcia?Os media online, especialmente a internet, renemcaractersticas que asseguram a participao mais ativa dosusurios, diferente da interao proporcionada pelastecnologias de comunicao mais convencionais.A participao do cidado no algo novo no Jornalismo.O que muda so as possibilidades de participao dosusurios na produo de informao (Circulao Recirculao). 13. As mudanas nas prticasjornalsticas e a participao dosleitoresA produo do jornalismo foi descentralizada e diversificada:a autoridade do profissional formado est sob o desafio deamadores dotadosA participao dos usurios se estabelece de diversasmaneiras e em diferentes nveis de produo da informao se a fronteira profissional-amador se dissolve: em quemconfiar?Se antes as funes do jornalismo eram fazer a produo desentido e as mudanas da realidade o papel da imprensanesta nova era ser dar conta de encontrar o bom materiale produzir com base na verificao e sntese de informaes 14. Twitter e FacebookTwitter um site de microblogging, desenvolvido originalmentepara telemveis, oferecendo s pessoas a possibilidade deescreverem mensagens curtas de at 140 caracteres, maisconhecidas como tweets para uma rede.Facebook foi um sistema criado por Mark Zuckerberg para seruma rede de contatos entre os alunos que estavam saindo dosecundrio e aqueles que estavam entrando na universidade.Enquanto meio de discusso fundamentada, o Twitter maislimitado que o Facebook.Assim como o Facebook, o Twitter oferece diversas formas departicipao social. 15. Twitter e Facebook importante pensar essas novas ferramentas no somente doponto de vista de quem publica, mas tambm de quem l, nocaso do Facebook ou Twitter, o seguidor ou f.Nem sempre a audincia imaginada encontra correspondnciacom no pblico leitor real.Um estudo de 2007 sobre perfis nas redes sociais comprovouque os usurios listavam seus interesses principalmente paratransmitir prestgio a uma audincia imaginada de amigos ecolegas.Em 2010, Yardi e Boyd descobriram que no Twitter a maioriados usurios no interage com a maioria das fontes de notcias,embora frequentemente as retuitem. 16. Twitter e FacebookEmbora ainda no seja um movimento geral, a tendncia dasempresas jornalsticas humanizar a presena e tornar ainterao nas redes sociais menos plsticas e automticas.Nesse sentido, o moderador de contedos online (que podemser os prprios jornalistas), alm de publicar, tem o papel defiltrar e gerir os comentrios, assim como estar atento a coisasque possam interessar ao veculo.Entre as formas mais comuns de estimular a participao dosleitores esto:Pedido de envio de fotos, vdeos e comentrios sobre determinadoassunto; a personalizao das publicaes, criando intimidade ousentimento de cooperao, como se o veculo conversasse com seusseguidores; intervenes nos comentrios, embora os leitores-comentadoresinterajam mais entre eles.