livro - os mensageiros cap 30

Click here to load reader

Post on 28-Nov-2014

459 views

Category:

Spiritual

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

GECD - Grupo de Estudos das Obras de André Luiz

TRANSCRIPT

  • 1. Os Mensageiros A vida no mundo espiritual Pelo Espirito Andr Luiz Francisco Candido Xavier Estudo por Patrcia Farias Dubai, 06/05/2014
  • 2. http://espacodespertar.blogspot.com 2 Cap. 30 Em palestra Afetuosa Casamento Pargrafo 1 Alguns membros de nossa famlia visitam a cidade de vocs, de tempos a tempos. Nossa irm Isaura, que se casou em Campo da paz h trs anos, l reside em companhia do esposo que funcionrio dos Servios de investigao do Ministrio do Esclarecimento.
  • 3. http://espacodespertar.blogspot.com 3 Cap. 30 Em palestra Afetuosa - EVOLUO EM DOIS MUNDOS - Francisco Cndido Xavier e Waldo Vieira Andr Luiz 20 edio. Nos planos enobrecidos, realiza-se tambm o casamento das almas, conjugadas no amor puro, verdadeira unio esponsalcia de carter significante, gerando obras admirveis de progresso e beleza, na edificao coletiva, e quando semelhante enlace deva sera diado, por circunstancias inamoviveis, os Espritos de comportamento superior aceitam, na Terra, a luta pela sublimao das foras gensicas, aplicando-as em trabalho digno, com absteno do comrcio poligmico, tanto mais intensamente quanto mais ativo se lhes revele o esforo do acrisolamento prprio. Alis, cabe considerar que na renncia contrutiva a que se entregam na expectativa as vezes longa, do amor que os integrar na complementao desejada encontram no servio aos semelhantes, preciosas oportunidades de burilamento e progresso, acentuando em si os altos valores da cultura e da emoo, que lhe propiciam gozos ntimos dos mais alevantados e mais puros. Pg. 185
  • 4. http://espacodespertar.blogspot.com 4 Cap. 30 Em palestra Afetuosa - AO e REAO - Francisco Cndido Xavier Andr Luiz 1956 preciso considerar que nos achamos ainda longe de adquirir o verdadeiro amor, puro e sublime. Nosso amor por enquanto uma aspirao da eternidade encravada no egosmo e na iluso, na fome de prazer e na egolatria sistemtica, que fantasiamos como sendo a celeste virtude. Por isso mesmo, a nossa afetividade terrestre, quando na primavera dos primeiros sonhos da experincia fsica, pode ser um conjunto de estados mentais, consubstanciando simplesmente os nossos desejos. E nossos desejos se alteram todos os dias Em razo disso, recordemos o imperativo da recapitulao. Nessa ou naquela idade fsicao homem ou a mulher, com a superviso da Lei que nos governa os destinos, encontram as pessoas e as situaes de que necessitam para superarem as provas do caminho, provas indispensveis ao burilamento espiritual de que no prescindem para a justa asceno as esferas Mais Altas.
  • 5. http://espacodespertar.blogspot.com 5 Cap. 30 Em palestra Afetuosa Assim que somos atrados por determinadas almas e por desterminadas questes, nem sempre porque as estimamos em sentimento profundo, mas sim porque o passado a ela nos reune, a fim de que por elas e com elas venhamos a adquirir a sabedoria. por isso que a maioria dos consrcios humanos, por enquanto, constituem ligaes de aprendizado e sacrifcio, em que, muitas vezes, as criaturas se querem mutuamente e mutuamente sofrem pavorosos conflitos na convivncia uma das outras. Nesses embates, alinham-se os recursos da redeno. Pag. 197 - AO e REAO - Francisco Cndido Xavier Andr Luiz 1956
  • 6. http://espacodespertar.blogspot.com 6 Cap. 30 Em palestra Afetuosa Mundo prximo esfera fsica Pargrafo 18 Admirando a beleza de sentimentos daquelas jovens indaguei emocionado: Mas no tm vocs, em Campo da Paz, instituies semelhantes? No existiro templos de alegria abertos juventude? Ah! sim murmurou Cecilia como quem no desejava ser ingrata s Bnos do Eterno , muito nos d o Senhor, em nossa colnia; entretanto, permanecemos na vizinhana dos irmos encarnados.
  • 7. http://espacodespertar.blogspot.com 7 Cap. 30 Em palestra Afetuosa - COLNIA CAMPO DA PAZ: Muito prxima do planeta Terra foi criada h mais de 200 anos por benfeitores de Jesus. A histria da fundao interessante. Alguns benfeitores, reconhecidos a Jesus, resolveram organizar, em nome dele, uma colnia em plena regio_inferior, que funcionasse como Instituto de socorro imediato aos que so surpreendidos na crosta com a morte fsica, em estado de ignorncia ou de culpas dolorosas. O projeto mereceu a bno do Senhor e o ncleo se criou, h mais de dois sculos. Nem todos os Espritos evoludos, no entanto, estimam o servio nesse rgo de assistncia constante. Nosso servio ativo, mas nossas aquisies so lentas e devemos sempre esperar por cooperadores que se eduquem na prpria colnia, em benefcio geral. Ganha-se excelente recompensa, temos direito a grandes valores intercessrios, mas, por isso mesmo, nossas responsabilidades no so pequenas.
  • 8. http://espacodespertar.blogspot.com 8
  • 9. http://espacodespertar.blogspot.com 9 Cap. 30 Em palestra Afetuosa Alm do principado humano, para l das fronteiras sensoriais que guardam ciosamente a alma encarnada, amparando-a com limitada viso e benefico esquecimento, comea vasto imperio espiritual vizinho dos homens. Ai se agitam milhes de Espritos imperfeitos que partilham, com as criaturas terrenas, as condies de habitabilidade da Crosta do Mundo. Seres humanos, situados noutra faixa_vibratria, apiam-se na mente encarnada, atravs de falanges incontveis, to semiconscientes na responsabilidade e to incompletas na virtude, quanto os prprios homens. - AO e REAO - Francisco Cndido Xavier Andr Luiz 1956
  • 10. http://espacodespertar.blogspot.com 10 Cap. 30 Em palestra Afetuosa Pargrafo 24 Eu e Aldonina, por exemplo, temos grandes tarefas de assistncia junto dos recm desencarnados. Nossa cidade prepara, em mdia, quinze a vinte reencarnaes dirias e torna-se imprescindvel assistir os companheiros ou tutelados, pelo menos no perodo infantil mais tenro, que compreende os primeiros sete anos de existncia carnal. Assistncia Espiritual
  • 11. http://espacodespertar.blogspot.com 11 Cap. 30 Em palestra Afetuosa Em vossa vida, tomam parte as entidades do Alm: sem que as vejais, perambulam em vosso meio, atuam em vossos atos, sem que os vossos nervos visuais lhes registrem a presena. Edificante observarmos o sacrifcio de tantos seres envolvidos que consagram a sagrados labores, no planeta das sombras, quais os da regenerao de individualidades obcecadas no mal, operando abnegadamente a servio da redeno de todas as almas, atirando-se com destemor a tarefas penosas, cheios de renncia santificadora. EMMANUEL - 5 livro de Francisco Cndido Xavier -1938 1 livro ditado por Emmanuel, 22 edio.
  • 12. http://espacodespertar.blogspot.com 12 Cap. 30 Em palestra Afetuosa Na reencarnao de Segismundo, herculano amigo do plano espiritual permaneceu em definitivo junto a ele, na nova experincia, at que Segismundo atinja os sete anos aps o renascimento, ocasiao em que o processo reencarnacionista estar consolidado. Depois desse perodo, a sua tarefa de amigo_e_orientador ser amenizada, visto que seguir o nosso irmo em sentido mais distante. Sei que o devotado companheiro tomar todas as providncias indispensveis harmoniosa organizao fetal, seja auxiliando o reencarnante, seja defendendo o templo maternal contra o assdio de foras menos dignas; MISSIONRIOS DA LUZ 25a ed. - Francisco Cndido Xavier Andr Luiz - 1943
  • 13. http://espacodespertar.blogspot.com 13 Cap. 30 Em palestra Afetuosa O CONSOLADOR 16a. edio - Francisco Cndido Xavier ditado pelo esprito Emmanuel O perodo infantil o mais srio e o mais propcio assimilao dos princpios educativos. At aos sete anos, o Esprito ainda se encontra em fase de adaptao para a nova existncia que lhe compete no mundo. Nessa idade, ainda no existe uma integrao perfeita entre ele e a matria orgnica. Suas recordaes do plano espiritual sao, por isso, mais vivas, tornandose mais suscetveis de renovar o carter e estabelecer novo caminho, na consolidao dos princpios de responsabiliade, se encontrar nos pais legtimos representantes do colgio familiar. Eis por que o lar to importante para a edificao do homem, e porque to profunda a misso da mulher perante as leis divinas.
  • 14. http://espacodespertar.blogspot.com 14 Cap. 30 Em palestra Afetuosa AO e