06/11/2013 - os mensageiros - cap. 41 e 42

Click here to load reader

Post on 15-Jun-2015

452 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. CAPTULO 41 ENTRE RVORES CAPTULO 42EVANGELHO NO AMBIENTE RURAL ngela- 06/11/2013

2. Entre rvoresAniceto, Andr Luiz e Vicente encontram-se no campo para reestabelecer as foras antes de retornar ao trabalho junto aos irmos encarnados e desencarnados. 3. Aniceto faz ento uma bela preleo de como a natureza se apresenta em vrias partes da crosta terrestre e finaliza com uma bela explicao sobre a influncia das emisses dos seres vivos nos ambientes terrestres. 4. "... na floresta temos uma densidade forte, pela pobreza das emanaes, em vista da impermeabilidade ao vento. A, o ar costuma converter-se em elemento asfixiante, pelo excesso de emisses dos reinos inferiores da Natureza. Na cidade, a atmosfera compacta e o ar tambm sufoca, pela densidade mental das mais baixas aglomeraes humanas. No campo, desse modo, temos o centro ideal..." 5. Os Elementais 6. Revista Allan Kardec entrevista de Divaldo Franco - Existem os chamados Espritos elementais ou Espritos da Natureza? - Sim, existem os espritos que contribuem em favor do desenvolvimento dos recursos da Natureza.- Que tarefas executam? - Inumerveis. Protegem os vegetais, os animais, os homens. Contribuem nas tempestades, chuvas, maremotos, terremotos - Qual o habitat natural desses Espritos? - A erraticidade, o mundo dos Espritos, pertencendo a uma classe prpria e, portanto, vivendo em regies compatveis ao seu grau de evoluo 7. Retornando ao posto do Nosso Lar, a ateno dos trs viajores atrada pela movimentao prxima de encarnados e desencarnados.Um homem tinha levado uma patada do seu burro aps muito ter usado o chicote para descarregar a sua raiva."Auxiliemos o homem, quanto esteja em nossas mos, cumpramos nosso dever com o bem, mas no desprezemos as lies. Esse trabalhador imprudente foi punido por si mesmo. A clera punida por suas consequncias. Ao mal segue-se o mal. Se os seres inferiores, nossos irmos no grande lar da vida, nos fornecem os valores do servio, devemos dar-lhes, por nossa vez, os valores da educao. Ora, ningum pode educar odiando, nem edificar algo de til com a fria e a brutalidade. 8. Infelizmente, muitas pessoas no tratam os animais com o devido respeito. Para se justificar, eles usam o mesmo raciocnio dos antigos escravocratas: a de dono com direito de vida e morte. preciso lembrar que seremos cobrados pela vida de cada ser indefeso deixado sob a nossa responsabilidade. 9. O EVANGELHO NO MEIO RURALAproveitando a visita, os trabalhadores do campo solicitam a Aniceto que discorra sobre alguma das lies evanglicas. 10. Ele ento escolhe alguns versculos da Epstola de Paulo aos Romanos.Na sua preleo, Aniceto fala do imenso dbito que todos ns temos para com a Natureza amorvel e generosa.Em especial, ele lembra da importncia do NITROGNIO para os seres vivos e que este, apesar de abundante na atmosfera, s se torna acessvel para o homem graas ao trabalho das plantas. 11. "Por enquanto, no permite o Senhor a criao de clulas nos organismos viventes do nosso mundo, que procedam absoro espontnea desse elemento de importncia primordial na manuteno da vida, como acontece ao oxignio comum. Somente as plantas, infatigveis operrias do orbe, conseguem retir-lo do solo, fixando-o para o entretenimento da vida noutros seres. Cada gro de trigo uma beno nitrogenada para sustento das criaturas, cada fruto da terra uma bolsa de acar e albumina, repleta do nitrognio indispensvel ao equilbrio orgnico dos seres vivos. Todas as indstrias agropecurias no representam, na essncia, seno a procura organizada e metdica do precioso elemento da vida." 12. Por isso, importante respeitar a Natureza. Ela torna vivel a nossa existncia na Terra. "Ensinemos aos nossos irmos que a vida no um roubo incessante, em que a planta lesa o solo, o animal extermina a planta e o homem assassina o animal, mas um movimento de permuta divina, de cooperao generosa, que nunca perturbaremos sem grave dano prpria condio de criaturas responsveis e evolutivas! No condenemos! Auxiliemos sempre!" 13. usado pelos seres vivos para a produo de molculas complexas necessrias ao seu desenvolvimento tais como aminocidos, protenas e cidos nucleicos. O principal repositrio de nitrognio a atmosfera (78% desta composta por nitrognio) onde se encontra sob a forma de gs. Outros repositrios consistem em matria orgnica nos solos e oceanos. Os animais recebem o nitrognio que necessitam atravs das plantas e de outra matria orgnica, tal como outros animais (vivos ou mortos) 14. Aniceto calou-se, olhou os animais e aves prximas com simpatia, Vamos continuar trabalhando por elas, mas no nos deixemos levar por polmicas inteis. Os homens tambm esperam pela nossa manifestao espiritual! Desse modo, vamos ajudar a todos, no trabalho do grande entendimento. 15. Fonte de consultas: Os Mensageiros Chico Xavier/ Andr Luiz http://pt.wikipedia.org/wiki/Ciclo_do_nitrog%C3%AAnio http://diariodeumamediuminiciante.blogspot.com.br/2012/10/osmensageiros-capitulo-41 .html