estratégias para erradicar a rubéola no caribe de língua ... · pdf...

Click here to load reader

Post on 18-Mar-2019

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Estratgias para Erradicar a Rubola no Caribe de LnguaInglesa

Beryl Irons, MD, MPH, Merle J. Lewis, DrPH, Marceline Dahl-Regis, MD, MPH, CarlosCastillo-Solrzano, MD, MPH, Peter A. Carrasco, MPH, e Ciro A. de Quadros, MD, MPH.1

RESUMO

Objetivo. Este relatrio apresenta as estratgias usadas para erradicar a rubola na regiodo Caribe e os desafios enfrentados.

Mtodos. Atravs do sistema de vigilncia para casos de sarampo que foi institudo emtodos os pases na Comunidade Caribenha (CARICOM), 12 pases confirmaram casos derubola entre 1992 e 1996. As infeces por rubola ocorreram em propores epidmicas em6 pases durante aquele perodo.

Resultados. Com base nos dados de prevalncia da rubola, a anlise do nus da rubola-sndrome da rubola congnita (SRC), e o custo-efetividade da campanha em massa, oConselho de Desenvolvimento Social e Humano de CARICOM resolveu em 21 de abril de1998, que todo esforo deveria ser feito para erradicar a rubola, como tambm para prevenira ocorrncia de novos casos de SRC at o final de 2000. Usando o modelo da OrganizaoPan Americana de Sade para a erradicao do sarampo, a CARICOM props e implementouas principais estratgias para erradicao da rubola e SRC, e as campanhas em massa contraa rubola foram realizadas em 18 pases. A populao alvo, a qual incluiu homens e mulheres(na faixa etria de 20-40 anos), foi aproximadamente de 2.2 milhes.

Concluso. Os principais desafios para a erradicao da rubola so o alcance de altacobertura vacinal na populao adulta e manuteno de um sistema de vigilncia efetivocapaz de detectar atividade de rubola. (Am J Public Health, 2000:90:1545-1549).

O esforo para erradicao da varola liderado pela Organizao Mundial de Sade nasdcadas de 1960 e 1970 alcanaram em 1980 sua meta de erradicao global dessa doenaincapacitante.1 Essa faanha impeliu os mdicos de sade pblica e a comunidade cientfica aconsiderar a erradicao de outras doenas, tais como a poliomielite nas Amricas at 1991 eem todo o mundo at 20002 e sarampo nas Amricas at 2000.3

A Comunidade Caribenha (CARICOM), uma instituio constituda por chefes do governo eoutros conselhos ministeriais, o principal frum para o alcance do consenso nos manifestose polticas regionais. Em 1988, os ministros da sade em CARICOM, que consiste de 13estados independentes e 6 territrios caribenhos do Reino Unido alm mar, conhecidos como

1 Beryl Irons da Diiviso de Vacinas e Imunizaes e Merle J. Lewis da Diviso de Epidemiologia, Centro deEpidemiologia do Caribe, Organizao Pan Americana de Sade, Porto de Espanha, Trinidad e Tobago.Merceline Dajl-Regis do Ministrio da Sade, Nassau, Bahamas. Carlos Castillo-Solrzano, Peter A. Carrasco,e Ciro A. de Quadros so da Diviso de Vacinas e Imunizaes, Organizao Pan Americana de Sade,Washington, DC.

Solicitaes de reimpressos devem ser enviadas a Ciro A. de Quadros, MD, MPH, Diviso de Vacinas eImunizaes. Organizao Pan Americana de Sade, 525 23rd St NW, Washington, DC 20037 (e-mail:QuadrosC@paho.org).

Este artigo foi aceito em 28 de junho de 2000.

Livros Grtis

http://www.livrosgratis.com.br

Milhares de livros grtis para download.

Outubro de 2000, Vol. 90, No. 10 Jornal Americano de Sade Pblica 2

Caribe de Lngua Inglesa e Suriname, resolveram erradicar os casos nativos de sarampo deseus pases. Estes pases, com uma populao total de cerca de 6.7 milhes, esto dispersospela regio caribenha, abrangendo mais de 3.500 km de Bermuda no norte, at a costa daGuiana e Suriname.

A estratgia planejada pela Organizao Pan Americana de Sade (OPAS) para a erradicaodo sarampo3 incluiu o seguinte: (1) uma campanha de vacinao em massa (catch-up) tendocomo alvo todas as crianas com idade de 9 meses a 14 anos; (2) melhoria do sistema devigilncia para monitoramento do progresso da erradicao do sarampo; (3) manuteno decobertura vacinal contra o sarampo de 95% em cada coorte de nascidos atravs dos serviosde rotina; e (4) campanhas de seguimento contra o sarampo para evitar um acmulo deindivduos suscetveis.

Em maio de 1991, em resposta a uma resoluo da CARICOM, a primeira das 4 propostas foiimplementada. Aproximadamente 1.8 milhes de crianas, representando 92.0% da populaoalvo foram vacinados. As atividades desta campanha tambm aumentou a cobertura vacinalcontra o sarampo das coortes de nascidos em 1991. Houve um livre aumento de coberturavacinal nestes pases entre 1991 e 1997 (Figura 1).

O Sistema de Vigilncia da Erradicao do Sarampo, um sistema de vigilncia melhoradopara o sarampo, foi tambm institudo fazendo do Caribe de Lngua Inglesa e Suriname aprimeira sub-regio nas Amricas a comprometer-se e a implementar as atividades paraerradicao do sarampo.

Um total de 3.286 casos suspeitos de sarampo em 620 locais foram identificados de 1991 a1997. Desses casos suspeitos, 3.179 casos foram descartados incluindo-se neste nmero 81

Outubro de 2000, Vol. 90, No. 10 Jornal Americano de Sade Pblica 3

casos de dengue e 620 casos de rubola. Houve 107 casos confirmados de sarampo: 6 foramconfirmados laboratorialmente e 107 foram confirmados por critrio clnico sem confirmaolaboratorial. Os casos confirmados de sarampo foram importados da Amrica do Norte eEuropa e no ocorreram casos secundrios.

A campanha de vacinao contra o sarampo de 1991, na qual uma vacina contra sarampo econtra rubola foi usada em 11 dos pases participantes, foi provavelmente tambmresponsvel em certo grau pelas baixas taxas de rubola menos de 2.0 casos por 100.000pessoas registradas anualmente entre 1992 e 1995.

Este relatrio apresenta as estratgias e desafios envolvendo a erradicao da rubola.

Situao da Rubola no Caribe de Lngua Inglesa

Epidemias significativas de rubola tm sido documentadas nos pases Caribenhos desde adcada de 60, com casos de sndrome da rubola congnita (SRC) sendo diagnosticadaseguintes a esses surtos. Grenada notificou 648 casos de rubola em 1982, e Trinidad eTobago notificou 1.159 casos em 1983. Vinte casos de CRS, incluindo mortes sbitas, foramdocumentados em Grenada entre abril de 1982 e junho de 1983.4 Similarmente, em Trinidad eTobago, 20 neonatos de partos realizados no Hospital da Mulher Mt Hope entre novembro de1982 e julho de 1993 foram diagnosticados como portadores de SRC.5

O aumento dos nmeros de notificaes de rubola foi tambm registrados em 1986, 1988,1990, e 1996 (Figura 2). Iniciando em 1995, a renovao da atividade da rubola foiobservada na Jamaica, onde 81 casos de rubola foram confirmados laboratorialmente, parauma taxa de incidncia nacional de 3.3 casos por 100.000 pessoas. Em 1996, 672 casos derubola foram notificados por toda parte da regio, para uma taxa de incidncia de 10.3 casospor 100.000 pessoas. A maior proporo desses casos foi em Trinidad e Tobago (55.2%),enquanto que as taxas de incidncia mais altas foram registradas em Barbados e em Trinidad eTobago, com 39.5 e 28.1 casos por 100.000 pessoas, respectivamente. Em 1997, 603 casos derubola foram notificados para uma taxa de incidncia de 9.2 casos por 100.000 pessoas(Figura 2).

Em 1997, uma taxa de incidncia nacional 30.4 casos por 100.000 pessoas foi registradaem Belize. A atividade significativa da rubola foi primeiramente confirmada em Barbadosem 1995, seguido por Trinidad e Tobago em 1996 e Belize e Guiana em 1997.

A distribuio por idade dos casos de rubola que foram confirmados por laboratrio atravsdo Sistema de Vigilncia da Erradicao do Sarampo revelou que 47.0% dos indivduostinham menos de 15 anos e 53.0% eram maiores de 15 anos de idade. Os grupos etrios com aincidncia mais alta foram 15 a 24 anos em 1996 e 5 a 14 anos em 1995 e 1997.

A proporo de homens para mulheres foi aproximadamente 1:1. Em Barbados, Jamaica eSuriname, a proporo de homens para mulheres foi de 2:1, refletindo o resultado doprograma de rubola pr puberdade para garotas nestes pases, enquanto em Belize e Guianafoi 1:2.

O nus da rubola para a sade pblica est relacionado ao risco de infeco em gestantes. Omelhor mtodo de identificao da suscetibilidade a rubola nesta populao o inqurito

Outubro de 2000, Vol. 90, No. 10 Jornal Americano de Sade Pblica 4

sorolgico. Em 1 inqurito em Jamaica em 1968, 43.0% de mulheres urbanas e 51.0% demulheres rurais foram detectadas como suscetveis a rubola.6

Estudos mais recentes realizados em Trinidad e Tobago (M.J. Lewis e G. Maynard, Ministrioda Sade, Trinidad e Tobago, dados no publicados) em 1991 e 1992, indicaram que 46.4%de uma amostra de 1.838 gestantes foram negativas para anticorpos da rubola. Em outroinqurito sorolgico realizado nas Ilhas Virgens Britnicas (M.J. Lewis e I. Potter, Centro deEpidemiologia Caribenho, dados no publicados) em 1996 e 1997, 31.0% das mulheresgestantes foram detectadas como soronegativas para a rubola no momento de seus partos. Asmulheres gestantes com menos de 20 anos de idade nas Ilhas Virgens Britnicas foram 7vezes mais provveis de serem imunes a rubola que as mulheres com 20 anos e mais.

A situao de anticorpo para rubola de gestantes, entretanto, o melhor indicador substitutodo risco potencial de ocorrncia de SRC em uma populao, considerando que as medidas desoroprevalncia no esto temporalmente relacionadas com a incidncia. Adicionalmente, conhecido que o risco atual de SRC determinado no apenas pelas taxas de incidncia darubola entre mulheres em idade frtil, porm tambm pelos padres de suscetibilidade efetilidade especficos a idade.7

Sndrome da Rubola Congnita

A Sndrome da Rubola Congnita uma doena notificvel em 15 dos 19 pases Caribenhosde Lngua Inglesa e Suriname, e todos os 19 pases tm notificado

View more