conteudos reproducao femeas

Download Conteudos reproducao femeas

Post on 24-May-2015

561 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. 04/08/13 www.uff.br/fisiovet/Conteudos/reproducao_femeas.htm#ciclo www.uff.br/fisiovet/Conteudos/reproducao_femeas.htm#ciclo 1/15 REPRODUO NAS FMEAS (MORAES, I.A.) OVRIOS CICLO ESTRAL FECUNDAO GESTAO PARTO PUERPRIO OVRIOS 1 - CONCEITO um rgo duplo de forma varivel encontrado dorsalmente na cavidade abdominal prximo ao bordo plvico apresentando funo celular e endcrina. 2 - FORMA Mltiparas - cacho de uva - porca, cadela, gata Unparas - ovide - vaca, ovelha, gua. A gua apresenta ovrios riniformes com presena de uma fossa de ovulao Nas aves apenas o ovrio esquerdo funcional. O direito muitas vezes um ovostestis 3 - HISTOLOGIA Apresenta uma parte medular interna com vasos e nervos Apresenta uma parte cortical externa com estruturas funcionais tais como folculos, corpo lteo e corpo hemorrgico e estruturas vestigiais tais como o corpus fibrosum e corpus albicans . O revestimento feito pelo epitlio germinativo e a falsa albugnea ovariana. 4 - FOLCULOS OVARIANOS 4.1 - FOLICULOS PRIMORDIAIS Aps a migrao das clulas germinativas primordiais para a crista gonadal ocorre o envolvimento destas pelas clulas foliculares que se originam e passa a ser chamado de folculo primordial. Assim o folculo primordial consta de um ovcito envolvido por uma camada nica de clulas epiteliais achatadas. A vaca apresenta ao nascimento cerca de 150.000 folculos primordiais. 4.2 - FOLCULOS SECUNDRIOS So folculos com 2 ou 3 camadas de clulas epiteliais cuboidais. Nestes folculos j ocorre a formao da membrana pelcida. 4.3 - FOLCULOS TERCIRIOS => Produzem Estrognio A medida que ocorre processo de multiplicao das clulas foliculares ocorre aumento no numero de camadas e formao de lacunas repletas por lquido rico em estrognio devido a coalescncia dessas clulas. Tambm ocorre a diferenciao da parede do folculo que passa a ter 2 camadas chamadas de Teca e Granulosa. A camada da Teca pode ainda ser dividida em duas camadas: a teca externa de estrutura fibrosa e a teca interna celular e produtora de hormnio esteride.

2. 04/08/13 www.uff.br/fisiovet/Conteudos/reproducao_femeas.htm#ciclo www.uff.br/fisiovet/Conteudos/reproducao_femeas.htm#ciclo 2/15 Observa no final desse estgio uma grande lacuna (ou antro) repleta de lquido e com manuteno do ocito envolvido por clulas da granulosa que forma o cummulus oophorus (montculo ovrico ou eminncia germinal). 4.4 - FOLCULOS ATRSICOS Correspondem a folculos em qualquer estgio (I, II ou III) em processo de degenerao que acabam desaparecendo e deixando apenas uma estrutura vestigial com aspecto hialino chamada de Corpus fibrosum. Observaes Durante um ciclo estral a maior parte dos folculos que iniciam o seu desenvolvimento entram em atresia e apenas um deles a cada ciclo chega a ovulao. O mecanismo que determina a evoluo ou maturao folicular ainda est pouco esclarecido mas hoje acredita que exista uma fase de Recrutamento que est na dependncia da presena de receptores para FSH/LH na parede celular. Uma vez recrutados alguns podero sofrer a atresia ou evoluir ainda mais transformando-se em secundrios e tercirios. Dependendo da quantidade de estrognio produzido o folculo poder ser selecionado para continuar crescendo posto que o estrognio capaz de criar receptores para o FSH na parede do folculo. Este processo chamado de seleo folicular. Somente um dos folculos selecionados evoluir para a ovulao e os demais entraro em atresia. Acredita-se que exista um mecanismo de dominncia folicular onde um foliculo maior domine sobre os menores. O fato evidenciado, mas no se sabe exatamente de que maneira esta Dominncia exercida. 5 - CORPO HEMORRGICO a estrutura de consistncia frivel semelhante a um cogulo que surge no local do folculo rompido. No existe nos ovinos e nas aves. 6 - CORPO LTEO => Produzem progesterona Tambm inexistente nas aves. Corresponde a uma estrutura de cor amarelada ( por isso tambm chamado de corpo amarelo) que substitui o corpo hemorrgico. Ocorre proliferao das clulas da teca e granulosa que invade o corpo hemorrgico alterando-o completamente, seguindo-se a acumulao de grnulos de luteina que confere o aspecto j mencionado. Aps a luteinizao a estrutura chama de corpo lteo. O corpo lteo pode ter durao varivel. Quando este formado em ciclo estral sem ocorrncia de gestao chamado de Corpo Lteo Cclico e tem vida curta ( mais ou menos 12-14 dias). Caso ocorra a gestao o corpo lteo chamado de Gestacional e se mantm at o final da gestao. Na gua mesmo quando prenhe ocorre formao de corpos lteos acessrios at mais ou menos at 150 dias da gestao pois estes so sempre de curta durao, mas nesta espcie a produo de Progesterona substituda pela Placenta. Na cadela o corpo lteo dura em mdia 30 a 60 dias. Quando ultrapassa este perodo e ainda ocorre aumento de Prolactina a cadela normalmente apresenta a Pseudociese. 7 - CORPUS ALBICANS Corresponde ao corpo lteo sem funo ou mesmo a cicatriz deixada pelo corpo lteo na superfcie do ovrio. 8 - FUNES DO OVRIO 8.1 - Funo celular => corresponde to somente a produo de gametas femininos - ocito. 8.2 - Funo endcrina => Produo de Estrognio (responsvel principalmente pelas caractersticas sexuais secundrias, sinais de cio e desenvolvimento da glndula mamria) 3. 04/08/13 www.uff.br/fisiovet/Conteudos/reproducao_femeas.htm#ciclo www.uff.br/fisiovet/Conteudos/reproducao_femeas.htm#ciclo 3/15 => Produo de Progesterona - responsvel pela manuteno da gestao, lactao e ainda pelo comportamento materno. => Produo de Inibina (importante para a regulao endcrina por f eed back negativo) => Produo de Ocitocina ovariana que parece influir no processo de involuo do corpo lteo. => Produo de Relaxina que facilita a passagem do feto no canal do parto => Alm disso, j foram evidenciadas cerca de 25 substancias diferentes no lquido folicular com funes ainda pouco esclarecidas. 9 - OVULAO Corresponde a ao do LH sobre o folculo que passa a sintetizar enzimas hidrolticas capazes de desintegrar a matriz de tecido conjuntivo fragilizando a parede do folculo e permitindo o seu rompimento. A maioria dos animais apresenta cios naturais com ovulaes espontneas, mas alguns apresentam ovulaes induzidas como as fmeas de coelhos, gatos, camelos, furo, mink (viso, zorrilho), field vole (tipo de rato). Os ratos de laboratrio, camundongos e hamster ficam a meio caminho pois quando h coito a prolactina liberada e o corpo lteo se mantm, entretanto, na ausncia do coito o corpo lteo dura apenas 3 dias. Nos ces, fures, cangurus e wallabis (pequeno canguru) o tempo de vida do CL cclico e gestacional no difere. NA PUBERDADE A fmea recm nascida e at mais ou menos 3 meses de idade j apresenta folculos em crescimento com pouca concentrao de esterides, porm o hipotlamo hipersensitivo a estes esterides e mantm-se hipo-ativo por feed-back negativo. Na puberdade e perde hipotlamo perde a hipersensitividade aos esterides e passa a secretar o GnRH que atua na hipfise e leva a liberao de FSH e LH e ocorre a primeira ovulao normal, entretanto, sem sinais externos de cio. No CICLO ESTRAL Existe um momento no final do ciclo que o Corpo lteo est perdendo a sua funo secretora de Progesterona e ocorre o crescimento folicular com secreo de Estrognio que por feed back positivo Topo CICLO ESTRAL 1 - DEFINIO o perodo compreendido entre dois estros, de durao varivel, porem em torno de 20 dias, apresentando fases bastante evidentes e caracterizado por modificaes da genitlia tanto interna quanto externa assim como no comportamento da fmea. Os animais quanto ao desenvolvimento do ciclo estral so classificados em Polistricos estacionais => guas Polistricos no estacionais => vacas Monostricos => cadelas 2 - FASES DO CICLO (Proestro - Estro - Meta-estro - Diestro) O Proestro e o Estro so tambm chamadas de fases estrognicas ou Proliferativas. 4. 04/08/13 www.uff.br/fisiovet/Conteudos/reproducao_femeas.htm#ciclo www.uff.br/fisiovet/Conteudos/reproducao_femeas.htm#ciclo 4/15 As fases de Meta-estro e Diestro so chamadas de fases progesternicas ou Secretoras. 3 - DURAO DAS FASES PROESTRO ESTRO META-ESTRO DIESTRO Vaca 3 a 4 dias 12-18 horas 3- 5 dias 10-12 dias gua 6 a 7 dias 15 a 16 dias Porca +/- 3 horas +/- 56 horas Cerca de 18 dias Cadela 5 a 9 dias 6 a 12 dias 30 a 100 dias O estro da gua pode variar de 2 a 11 dias, sendo normalmente mais longos na primavera e mais curtos no vero. A cadela aps uma fase progesternica chamada de metaestro ou diestro entra na fase de ANESTRO. 4 - ESTUDO DAS FASES PROESTRO ESTRO META- ESTRO DIESTRO Ovrio Folculo com com cerca de 1,5cm Folculo com cerca de 2,0cm, tenso, parede fina e fcil ruptura Corpo hemorrgico Corpo Lteo Principal hormnio Estrognio Estrognio Estrognio em queda e Progesterona subindo Progesterona tero Trgido e aumentado de volume Maior, + trgido, ertil Inicia a flacidez e pode alternar contrao e flacidez Flcido Cervix Comea relaxar, aparece o muco Relaxamento completo, > volume, muco intenso Inicia o fechamento Fechada Vagina e Vulva Inicia hiperemia e edema Edematosa, congesta, Muco copioso Plidas e secas ou com pouco muco Plida e seca Comporta- mento Inquietao, olhar vivo, anorexia, urina com freqncia, maior vocalizao, montam sobre outros animais e no aceita ser montada Todos os sinais do proestro ainda mais evidentes e o animal aceita a monta com complacncia. Tranqilidade Tranqilidade A gata, ao manifestar o cio (estro) apresenta uma conduta sexual caracterstica caracterizada por rolamento sobre si mesma, rastejamento e apresenta sua cauda elevada, num tipo de cortejo ao macho. A conduta sexual que antecede a cpula difere bastante entre os animais domsticos, assim como o local onde o animal deposita seu ejaculado (Observe a tabela na Reproduo dos machos ). A conduta sexual dos bovinos se d da seguinte forma: 5. 04/08/13 www.uff.br/fisiovet/Conteudos/reproducao_femeas.htm#ciclo www.uff.br/fisiovet/Conteudos/reproducao_femeas.htm#ciclo 5/15 5 - SANGRAMENTOS RELACIONADOS COM OS CICLOS REPRODUTIVOS ENTRE OS AN