profetas menores lição 4 - amós

Download Profetas menores   lição 4 - Amós

Post on 03-Jul-2015

899 views

Category:

Spiritual

10 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Aula ministrada na Igreja Evangélica Sem Fronteiras - Escola Bíblica (Série Profetas Menores)

TRANSCRIPT

  • 1. ESCOLA BBLICA 07/04/13Os Profetas Menores Advertncias e consolaes para a santificao da Igreja de Cristo

2. LIO 4 3. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO 4. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO 5. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO LEITURA DIRIA Segunda - Pv 14.34 - A justia social exalta as naes Tera - Pv 19.17 - Quem ajuda o pobre empresta a Deus Quarta - Is 1.13-15 - O sacrifcio e o estado espiritual do adorador Quinta - Rm 15.26,27 - A espiritualidade do trabalho social Sexta - 2 Co 9.8,9 - Deus abenoa quem socorre os pobres Sbado - Tg 1.27 - Socorrer os necessitados parte da adorao 6. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO LEITURA BBLICA EM CLASSEAms 1.1; 2.6-8; 5.21-23. 7. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO INTRODUO O profeta combateu a idolatria, denunciou as injustias sociais, condenou a violncia, profetizou o castigo para os pecadores contumazes e tambm falou sobre o futuro glorioso de Israel. Ams conhecido como o livro da justia de Deus e mostra aos religiosos a necessidade de se incluir na adorao dois elementos importantes e h muito esquecidos: justia OBJETIVOS DA AULA: e retido. Dissertar a respeito da vida pessoal de Ams e a estrutura do livro. Saber que a justia social um empreendimento bblico. Apontar a poltica e a justia social como elementos de adorao a Deus PALAVRA CHAVE: Adorao: Rendio a Deus em todas as esferas da vida 8. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO POLTICA E JUSTIA SOCIAL EM AMS POLTICA Queremos dizer sobre poltica o conjunto de prticas relativo a uma sociedade. Pois as relaes humanas numa sociedade so estabelecidas de acordo com decises polticas tomadas por representantes dela (Am 7.10-14). JUSTIA SOCIAL Justia social o conjunto de aes sociais, destinado a suprimir as injustias de todos os nveis, reduzindo a desigualdade e a pobreza, erradicando o analfabetismo e o desemprego, etc (Am 8.4-8). 9. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO INTERAO O nome Ams quer dizer fardo e Tecoa significa soar o chifre do carneiro. Estas significaes denotam a mensagem de destruio ecoada no Reino do Norte. O profeta no exitara em denunciar a corrupo do sistema poltico, jurdico, social e religioso de Israel. Ams ainda teve de enfrentar uma franca oposio religiosa do sacerdote Amazias. Este era alinhado poltica de Jeroboo II. Em Ams aprendemos o quanto pode ser nefasta a mistura da poltica com a religio. Ali, tnhamos um sacerdote, representante de Deus dizendo sim para tudo o que o rei fazia. Mas l, o profeta boieiro dizia no! Era o Soberano dizendo no para aquela espria relao de poder. 10. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO 1. Contexto histrico. Ams era originrio de Tecoa, aldeia situada a 17 quilmetros ao sul de Jerusalm e exerceu o seu ministrio durante os reinados de Uzias, rei de Jud, e de Jeroboo II, filho de Jos, rei de Israel (1.1; 7.10). Foi, de acordo com a tradio judaico-crist, contemporneo de Oseias, Jonas, Isaas e Miqueias, no perodo assrio. 2. Vida pessoal. Apesar de ser apenas um campons de Jud, boieiro e cultivador de sicmoros (7.14) e de no fazer parte da escola dos profetas, foi enviado por Deus a profetizar em Betel, centro religioso do Reino do Norte (4.4). Ali, Ams enfrentou forte oposio do sacerdote Amazias, alinhado politicamente ao rei Jeroboo II (7.10-16). 11. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO Todo o sistema poltico, religioso, social e jurdico do Reino de Israel estava contaminado. Foi esse o quadro que Ams encontrou nas dez tribos do Norte. O profeta tornou pblica a indignao de Jeov contra os abusos dos ricos, que esmagavam os levantou-se tambm contra as injustias sociais e contra toda a Elepobres.sorte de desonestidade que pervertia o direito das vivas, dos rfos e dos necessitados (2.6-8; 5.10-12; 8.4-6). No cardpio da iniquidade, estavam includos ainda o luxo extravagante, a prostituio e a idolatria (2.7; 5.12; 6.1-3). 12. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO 3. Estrutura e mensagem. O livro se divide em duas partes principais. A primeira consiste nos orculos que vieram pela palavra (1-6) e a segunda, nas vises (7-9). O discurso de Ams um ataque direto s instituies de Israel, confrontando os males que assolavam os fundamentos sociais, morais e espirituais da nao. 4. O assunto do livro a justia de Deus. O discurso fundamenta-se em denncias e ameaas de castigo, terminando com a restaurao futura de Israel (9.11-15). Ele citado em o Novo Testamento (Am 5.25,26 cp. At 7.42,43; 9.11,12 cp. At 15.16-18). 13. LIO 04 AMS II. POLTICA E JUSTIA SOCIAL 1. Mau governo. Infelizmente, alguns lderes, como Saul e Jeroboo I, filho de Nebate, causaram a runa do povo escolhido (1 Cr 10.13,14; 1 Rs 13.33,34). Ams encontrou um desses maus polticos no Reino do Norte (7.10-14). Oseias, seu colega de ministrio, tambm denunciou esses males com tenacidade e veemncia (Os 5.1; 7.5-7 14. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO 2. A justia social. nossa responsabilidade pessoal lutar por uma sociedade mais justa. Tal senso de justia expressa o pensamento da lei e dos profetas e parte do grande mandamento da f crist (Mt 22.35-40).Ams foi o nico profeta do Reino do Norte a bradar energicamente contra as injustias sociais, ao passo que, em Jud, mensagem de igual teor aparece por intermdio de Isaas, Miqueias e Sofonias. 15. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO 3. O pecado. A expresso: Por trs transgresses de Israel e por quatro, no retirarei o castigo (2.6) refere-se no numerao matemtica, mas mxima comum na literatura semtica (veja fraseologia similar em J 5.19; 33.29; Ec 11.2; Mq 5.5,6). Nesse texto, significa que a medida da iniquidade est cheia e no h como suspender a ira divina. 16. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO III. INJUSTIAS SOCIAIS 1. Decadncia social (2.6). Ams condena o preconceito e a indiferena dos mais abastados no trato aos carentes do povo, que vem seus direitos serem violados (2.7; 4.1; 5.11; 8.4,6). Vender os prprios irmos pobres por um par de sandlias algo chocante. Tal ato, que atenta contra a dignidade humana, demonstra a situao de desprezo dos poderosos em relao aos menos favorecidos. Uma vez que as autoridades e os poderosos aceitavam subornos para torcer a justia contra os pobres, o profeta denuncia esse pecado mais de uma vez (8.4-6). 2. Decadncia moral. A prostituio cultual era outra prtica chocante de Israel e mostra a decadncia moral e espiritual da nao: Um homem e seu pai coabitam com a mesma jovem e, assim, profanam o meu santo nome (2.7 ARA). O pior que tal prostituio era financiada com o dinheiro sujo da opresso que os maiorais infligiam ao povo (2.7,8). 3. Decadncia religiosa. O profeta denuncia a violao da lei do penhor que ningum mais respeitava (x 22.26,27; Dt 24.6,17). A acusao no se restringe crueldade e apropriao indbita, mas tambm a prtica do culto pago, visto que a expresso qualquer altar (2.8) no pode ser no templo de Jeov, e sim no de um dolo. Ams encerra a denncia a essa srie de pecados, condenando a idolatria, a cobrana indevida de taxas e a malversao dos impostos no culto pago e nos banquetes em honra aos deuses. 17. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO IV. A VERDADEIRA ADORAO 1. Adorao sem converso. A despeito de sua baixa condio moral e espiritual, o povo continuava a oferecer o seu culto a Jeov sem refletir e com as mos sujas de injustias. Comportando-se assim, tanto Israel como Jud, reproduziam o pensamento pago, segundo o qual sacrifcios e libaes so suficientes para aplacar a irados deuses. Entretanto, Deus declara no ter prazer algum nas festas religiosas que os israelitas promoviam (5.21; Jr 6.20). 18. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO IV. A VERDADEIRA ADORAO 2. O significado dos sacrifcios. Expressar a consagrao do ofertante a Deus era uma das marcas dos sacrifcios. E Ams menciona dois: ofertas de manjares e ofertas pacficas (5.22). As ofertas de manjares no eram sacrifcios de animais. Tratava-se de algo diferente, que inclua flor de farinha, pes asmos e espigas tostadas, representando a consagrao dos frutos dos labores humanos a Deus (Lv 2.1416). J as ofertas pacficas eram completamente voluntrias e tinham uma marca distintiva, pois o prprio ofertante podia comer parte do animal sacrificado (Lv 7.11-21). 19. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO IV. A VERDADEIRA ADORAO 3. Os cnticos. Os cnticos faziam parte das assembleias solenes (5.23). No entanto, eles perdem o valor espiritual quando no h arrependimento sincero. A verdadeira adorao, porm, no consiste em rituais externos ou em cerimnias formais. O genuno sacrifcio para Deus o esprito quebrantado e o corao contrito (Sl 51.17). H um nmero muito grande e variado de palavras hebraicas e gregas para descrever a adorao e o ato de adorar. Contudo, a ideia principal de todas de devoo reverente, servio sagrado e honra a Deus, tanto de maneira pblica como individual. Em suma, Deus exige de seu povo verdadeira adorao. 20. LIO 04 AMS A JUSTIA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAO A verdadeira adorao no consiste em rituais externos ou em cerimnias litrgicas, mas no esprito quebrantado e num corao contrito. CONCLUSO A adorao ao verdadeiro Deus, nas suas vrias formas, requer santidade e corao puro. Trata-se de uma comunho vertical com Deus, e horizontal, com o prximo (Mc 12.28-33). Essa mensagem alerta-nos sobre o dever cristo de no nos esquecermos dos pobres e necessitados e tambm sobre a responsabilidade de combatermos as injustias, como fizeram Ams e os demais profetas.