nocaute jack london

Download Nocaute   jack london

Post on 21-Aug-2015

14 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  1. 1. DADOS DE COPYRIGHT Sobre a obra: A presente obra disponibilizada pela equipe Le Livros e seus diversos parceiros, com o objetivo de oferecer contedo para uso parcial em pesquisas e estudos acadmicos, bem como o simples teste da qualidade da obra, com o fim exclusivo de compra futura. expressamente proibida e totalmente repudavel a venda, aluguel, ou quaisquer uso comercial do presente contedo Sobre ns: O Le Livros e seus parceiros disponibilizam contedo de dominio publico e propriedade intelectual de forma totalmente gratuita, por acreditar que o conhecimento e a educao devem ser acessveis e livres a toda e qualquer pessoa. Voc pode encontrar mais obras em nosso site: LeLivros.link ou em qualquer um dos sites parceiros apresentados neste link. "Quando o mundo estiver unido na busca do conhecimento, e no mais lutando por dinheiro e poder, ento nossa sociedade poder enfim evoluir a um novo nvel."
  2. 2. Com o ltimo pedao de po, Tom King raspou do prato a ltima partcula de molho e mastigou o bocado resultante numa pensativa lentido. Quando se levantou da mesa, sentia-se oprimido pela sensao de que estava claramente com fome. Ainda assim, s ele tinha comido. As duas crianas do quarto ao lado tinham sido postas na cama cedo com a esperana de que, no sono, pudessem se esquecer de no terem jantado. Sua mulher no tinha tocado em nada, sentando-se calada mesa e fitando Tom com olhos solcitos. Era uma mulher magra e desgastada da classe trabalhadora, embora no faltassem em seu rosto sinais de uma beleza anterior. A farinha para o molho ela tinha obtido de emprstimo com a vizinha do outro lado do corredor. As duas ltimas moedas de meio penny ela tinha gasto na compra do po. Ele se sentou junto janela numa cadeira raqutica que protestou ao receber seu peso, ps mecanicamente o cachimbo na boca e mergulhou a mo no bolso externo do palet. A falta de tabaco fez com que tomasse conscincia de seu gesto e, fazendo uma careta por causa do esquecimento, ps o cachimbo de lado. Seus movimentos eram lentos e desajeitados, como que sobrecarregados pelo peso macio de seus msculos. Era um homem de corpo slido e ar obstinado, e sua aparncia no abundava em atrativos. Suas roupas speras eram velhas e tratadas com desleixo. O corpo de couro de seus sapatos estava fraco demais para arcar com o peso das pesadas solas a eles acrescentadas e que, elas tambm, j vinham de longa data. A camisa de algodo que usava, artigo muito barato, exibia o colarinho pudo e manchas irremovveis de tinta. Mas era o rosto de Tom King que indicava, sem possibilidade de erro, o que ele fazia. Era o rosto tpico de um lutador profissional; de algum que tinha dedicado muitos anos de servio lona do ringue, desenvolvendo e enfatizando assim todos os traos do animal lutador. Tinha um rosto claramente achatado e, para que nenhum de seus traos deixe de ser descrito, era totalmente barbeado. Os lbios eram informes e constituam uma boca muito desagradvel aos olhos, que mais parecia uma ferida em seu rosto. A mandbula era agressiva, brutal, excessiva. Os olhos, de movimentos lentos e plpebras pesadas, no tinham expresso quase nenhuma debaixo das sobrancelhas bastas e quase unidas. Puro animal que era, seus olhos representavam seu trao mais animalesco. Sonolentos como os de um leo, eram olhos de um animal que luta. A testa se inclinava rapidamente para trs ao encontro dos cabelos, que, cortados muito curtos, deixavam ver todas as protuberncias de um crnio de ar malvolo. O nariz, duas vezes fraturado e deformado de vrias maneiras por inmeros socos, e as orelhas de couve-flor, permanentemente deformadas e inchadas ao dobro do tamanho, completavam sua aparncia, enquanto a barba, ainda que recm-raspada, j lhe brotava da pele e criava uma sombra azul-escura em seu rosto. No final das contas, era o rosto de um homem a ser temido, num beco escuro ou num lugar deserto. Mas Tom King no era um criminoso. Tirando as trocas de socos, comuns em seu modo de vida, nunca ferira ningum. E nem jamais fora visto puxando briga. Era um profissional, e toda a disposio brutal de que dava mostras se limitava s suas apresentaes profissionais. Fora do ringue, era um homem lento, de natureza dcil e, na juventude, quando ganhava muito dinheiro, foi mais mo-aberta do que deveria. No guardava rancor e tinha
  3. 3. poucos inimigos. Para ele, lutar era um negcio. No ringue, golpeava para ferir, golpeava para incapacitar, golpeava para destruir; mas sem animosidade. Era sua proposta de negcio. Plateias se reuniam e pagavam pelo espetculo de dois homens derrubando-se a socos. O vencedor ficava com a maior parte da bolsa. Quando Tom King enfrentou Woolloomoolloo Gouger, vinte anos antes, sabia que o queixo de Gouger s estava curado havia quatro meses, depois de ter sido quebrado numa luta em Newcastle. E procurou acertar esse queixo, que tornou a fraturar no nono round, no porque tivesse alguma diferena com Gouger, mas porque era a maneira mais segura de derrubar o adversrio e ficar com a parte maior do dinheiro. E Gouger tambm no ficou com raiva dele. Era o jogo, o jogo que os dois conheciam e disputavam. Tom King, que nunca fora de falar, ficou sentado junto janela, num silncio sombrio, contemplando as prprias mos. As veias saltavam nas costas delas, grandes e inchadas; e as juntas dos dedos, maltratadas, surradas e deformadas, revelavam o emprego que costumavam ter. Nunca ouvira dizer que a vida de um homem era a vida de suas artrias, mas sabia bem o que queriam dizer aquelas veias enormes em relevo. Seu corao tinha bombeado sangue demais para elas mxima presso. Elas agora no serviam mais para aquele trabalho. Ele forara a elasticidade delas at o mximo e, com essa maleabilidade, tambm se acabara a resistncia de Tom. Hoje em dia ele se cansava depressa. No era mais capaz de lutar vinte rounds a toda velocidade, martelo e pinas, lutar, lutar, lutar, de gongo a gongo, um ataque feroz atrs do outro, ser empurrado para as cordas e por sua vez tambm empurrar o adversrio para elas, combater com mais velocidade e fria no ltimo round, o vigsimo, com a plateia toda de p e aos gritos, ele prprio atacando, golpeando, se esquivando, despejando chuvas de socos e recebendo chuvas de socos em resposta, o tempo todo o corao bombeando sem parar o sangue pelas veias certas. As veias, inchadas naquele tempo, sempre tinham murchado depois, mas no de todo a cada vez, quase imperceptivelmente no incio, foram ficando um pouco maiores do que antes. Olhou para elas e para suas falanges maltratadas e, por um instante, teve uma viso da excelncia juvenil daquelas mos antes de ter a primeira falange esmagada contra a cabea de Benny Jones, tambm conhecido como o Terror de Gales. A sensao de fome voltou. Diabo, se pelo menos eu pudesse comer um bife!, resmungou em voz alta, cerrando os punhos e cuspindo uma maldio abafada. Tentei nos dois aougues da rea, respondeu sua mulher em tom de desculpas. E eles, nada?, perguntou ele. Nem meio penny. Burke me disse..., ela hesitou. Conte! O que ele disse? Que ele achava que Sandel ia ganhar de voc hoje noite, e que sua conta por l j estava bem grande. Tom King grunhiu, mas no respondeu. Estava ocupado pensando no bull terrier que tinha quando jovem e que alimentava com bifes e mais bifes. Burke lhe dava crdito para at mil bifes naquele tempo. Mas as coisas tinham mudado. Tom King estava ficando velho; e os
  4. 4. velhos, que lutavam em clubes de segunda, no podiam esperar que os comerciantes da rea lhes vendessem fiado. Ele acordara de manh louco por um bife, e o desejo no diminura. No treinara direito para aquela luta. Era um ano de seca na Austrlia, tempos difceis, e quase impossvel achar trabalho, mesmo irregular. No tinha sparring para treinar e sua alimentao no fora das melhores e nem sempre suficiente. Trabalhava em escavaes sempre que conseguia e corria em torno do parque Domain, em Sidney, de manh cedo, para manter as pernas em forma. Mas era difcil treinar sem parceiro e com uma mulher e dois filhinhos para sustentar. O crdito com os comerciantes da rea sofrera uma expanso muito limitada quando seu combate com Sandel foi anunciado. O secretrio do Clube Gayety lhe adiantara trs libras a parte da bolsa para o perdedor e, alm disso, se recusara a lhe dar qualquer coisa. De tempos em tempos, ele conseguia o emprstimo de alguns xelins com velhos amigos, que at emprestariam mais se o ano no fosse de seca e eles prprios no estivessem tambm em dificuldades. No e no havia como disfarar , seu treinamento no fora satisfatrio. Ele devia ter comido melhor e se preocupado menos. Alm disso, quando o homem chega aos quarenta anos, tem mais dificuldade para entrar em forma do que aos vinte. Que horas so, Lizzie?, perguntou ele. Sua mulher foi perguntar do outro lado do corredor e voltou. Quinze para as oito. A primeira luta vai comear daqui a pouco, disse Tom. s um ensaio. Depois so quatro rounds entre Dealer Wells e Gridley e uma luta de dez rounds entre Starlight e algum marinheiro idiota. Eu s entro daqui a pelo menos uma hora. Ao final de mais dez minutos de silncio, ele se levantou. A verdade, Lizzie, que eu no me preparei direito. Estendeu a mo para o chapu e ps-se a caminho da porta. No fez meno de beijar a mulher ele nunca a beijava quando saa de casa , mas naquela noite ela se adiantou e lhe deu um beijo, lanando os braos em torno do pescoo dele e obrigando-o a se abaixar. Parecia muito mida ao lado daquela montanha de homem. Boa sorte, Tom, disse ela. Voc precisa ganhar. , eu preciso ganhar dele, repetiu Tom. E pronto. S preciso ganhar. Riu, tentando se mostrar animado, enquanto ela o abraava com mais fora. Por cima dos ombros dela, ele contemplou a sala despojada. Era tudo que ele tinha no mundo, com o aluguel atrasado, ela e as crianas. E ele estava saindo para a noite em busca de carne para seus filhotes e a me deles no como um homem moderno que se dirige ao moinho mecnico de cada dia, mas da maneira antiga, primitiva, animal e nobre, luta