quem sou eu entre lÍnguas? identidade ... - uece.· quem sou eu entre lÍnguas? identidade,...

Download QUEM SOU EU ENTRE LÍNGUAS? IDENTIDADE ... - uece.· QUEM SOU EU ENTRE LÍNGUAS? IDENTIDADE, INTERCÂMBIO

Post on 19-Jan-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • QUEM SOU EU ENTRE LNGUAS? IDENTIDADE, INTERCMBIO E COMPLEXIDADE EM CENA

    Daniela Santos Aires, LAEL/PUC-SP, GPeAHFC/CNPq, dani_aires@hotmail.com

    RESUMO Este artigo pretende apresentar uma sntese do espetculo de investigao do fenmeno a construo identitria de professores de lngua estrangeira, a partir de sua vivncia de estudos no exterior a fim de oferecer uma base de conhecimento que contribua para uma melhor compreenso sobre como professores de lngua estrangeira constroem sua identidade e como lidam com traos identitrios. A pesquisa que deu origem dissertao de mestrado 1 fundamenta-se teoricamente no vis da complexidade (MORIN, 2007, 2008) e se desenvolve de maneira articulada com os conceitos de identidade e construo identitria em seus aspectos lingustico e emocional (NORTON, 1997; REVUZ, 1998/2006; HALL, 2003; PENNYCOOK, 2006, 2011; RAJAGOPALAN, 2003, 2004, 2006; SIGNORINI, 1998, 1998a, 2006; PAVLENKO, 2002). Metodologicamente, o espetculo montado a partir da abordagem hermenutico-fenomenolgica (VAN MANEN, 1990; FREIRE, 2010, 2012, 2012a). PALAVRAS-CHAVE: Identidade. Complexidade. Abordagem hermenutico-fenomenolgica. Intercmbio. ABSTRACT This article aims to give an overview of the performance of investigation of the phenomenon the identity construction of foreign language teachers from their studying experience abroad, in order to offer a knowledge base which may contribute to a deeper understanding of how foreign language teachers construct their identity and how they deal with identity features. The research which led to the masters dissertation is theoretically oriented on complexity (MORIN, 2007, 2008) and it is also carried out and articulated with identity and identity construction concepts on their linguistic and emocional aspects (NORTON, 1997; REVUZ, 1998/2006; HALL, 2003; PENNYCOOK, 2006, 2011; RAJAGOPALAN, 2003, 2004, 2006; SIGNORINI, 1998, 1998a, 2006; PAVLENKO, 2002). Metodologically, the show is organized based on the hermeneutic-phenomenological approach (VAN MANEN, 1990; FREIRE, 2010, 2012, 2012a).

    KEYWORDS: Identity. Complexity. Hermeneutic-phenomenological approach. Exchange. 1 AIRES, D. S. 2014. Em busca da essncia do self: um espetculo da vivncia de estudos de professores no exterior sob a perspectiva da complexidade. Dissertao de Mestrado. Programa de Estudos Ps-Graduados em Lngustica Aplicada e Estudos da Linguagem. Pontifcia Universidade Catlica de So Paulo (PUC-SP).

  • ABRINDO AS CORTINAS

    Abrem-se as cortinas desta nova experincia de reflexo, com o intuito de

    lanar um olhar ampliado ao percurso da construo de identidade de professores de

    lngua estrangeira em contexto de intercmbio de maneira a contribuir para o avano de

    saberes e prticas para uma cidadania planetria.

    Ao verificar a atual necessidade de suporte e investimento no aprimoramento e

    no incentivo autorreflexo, visando ao crescimento e transformao frente s

    questes de identidade que permeiam a rea de ensino-aprendizagem de lngua

    estrangeira, a proposta de investigar a vivncia de professores que se lanaram em uma

    experincia de intercmbio surge como uma oportunidade de aprendizagem valiosa e

    instigante.

    O espetculo de dana a metfora escolhida, especialmente, para apresentar a

    pesquisa por estar diretamente relacionada com a experincia de estudo do ballet

    clssico vivenciada pela pesquisadora, como uma forma de resgatar sua trajetria na

    dana de maneira articulada com sua relao de trabalho com a lngua inglesa.

    Tendo por objetivo descrever e interpretar os traos constituintes do fenmeno

    em foco, a fim de chegar compreenso de sua natureza, a pesquisa pretende, tambm,

    oferecer uma base de conhecimento que contribua para um melhor entendimento sobre

    como professores de lngua estrangeira constroem sua identidade e como lidam com

    traos identitrios. Tais aspectos podem ser fundamentais tanto para a formao de

    futuros professores, quanto para a preparao de novos intercambistas; ou seja, so

    questes de relevncia social que carecem de aprofundamento investigativo na

    atualidade.

    A partir dos objetivos e consideraes explicitados anteriormente, a questo que

    norteia a pesquisa a seguinte: Qual a natureza da construo identitria de

    professores de lngua estrangeira a partir de sua vivncia de estudos no exterior?

    A pesquisa realizada conta com trs participantes: duas professoras de ingls

    (sendo que uma delas no concluiu toda a investigao) e uma professora de francs.

    So utilizados como instrumentos de registro de textos o curriculum vitae, a narrativa e

    a conversa hermenutica.

    A pesquisa de mestrado abordada neste artigo desenvolve-se com foco na

    abordagem hermenutico-fenomenolgica (FREIRE, 2010, 2012), de cunho qualitativo,

  • que busca descrever e interpretar fenmenos da experincia humana, a fim de investigar

    sua essncia por meio da identificao de temas hermenutico-fenomenolgicos.

    Inserido no mbito da Lingustica Aplicada, o trabalho acadmico mencionado

    anteriormente desenvolve-se junto ao Grupo de Pesquisa sobre a Abordagem

    Hermenutico-Fenomenolgica e Complexidade/CNPq (GPeAHFC/CNPq)2, integrando

    o Projeto A abordagem hermenutico-fenomenolgica em pesquisas na rea da

    Lingustica Aplicada (tambm coordenado pela Profa. Dra. Maximina M. Freire), que

    congrega vrias pesquisas com foco nessa linha metodolgica sob a perspectiva da

    Lingustica Aplicada.

    A investigao do material textual registrado pelas participantes ocorre por meio

    da etapa de interpretao do fenmeno - tematizao (VAN MANEN, 1990) - e se

    revela por meio da identificao de temas hermenutico-fenomenolgicos (FREIRE,

    2010, 2012, 2012a), que expressam e caracterizam a constituio e a essncia do

    fenmeno investigado. Segundo van Manen (1990, p.107), ao determinar a qualidade

    essencial e universal de um tema, nossa preocupao est voltada para aspectos ou

    qualidades que fazem do fenmeno o que ele , e sem os quais o fenmeno no poderia

    ser como .

    Todavia, Freire (2012a, p.187) assume estar ciente de que os fenmenos da

    experincia humana so fonte inesgotvel de investigao, interpretaes e

    reinterpretaes. Sendo assim, verifica-se a impossibilidade de desvendar os

    fenmenos em sua totalidade.

    Segundo van Manen (1990, p.36), a natureza do fenmeno emerge a partir da

    reflexo sobre a experincia vivida, relacionando-se a parte com o todo e na inter-

    relao entre as partes - viso que vai ao encontro do pensamento complexo, proposto

    por Morin (2007, 2008).

    Sustentada pelo aporte terico do pensamento complexo (MORIN, 2007, 2008),

    que lana um olhar sistmico, no linear, dinmico, recursivo, hologramtico e

    dialgico aos fenmenos da experincia humana, essa perspectiva articulada com os

    conceitos tericos acerca da identidade e de sua construo, ligando e religando saberes

    2 GPeAHFC/CNPq um grupo de pesquisa sediado no LAEL/PUCSP e liderado pela Profa. Dra. Maximina M. Freire, que tem por objetivo central o estudo, desenvolvimento e aplicabilidade da Abordagem Hermenutico-Fenomenolgica (AHF) nas pesquisas em Lingustica Aplicada. Busca reflexo e questionamento crtico sobre a abordagem, seus instrumentos e procedimentos, procurando estabelecer interlocues com posturas tericas diversas e, em particular, com o Pensamento Complexo (MORIN). Para maior detalhamento, consultar http://www.gpeahfc.pro.br/.

  • conforme a proposta de Morin (2007, 2008). Assim, a relao estabelecida entre as

    frentes tericas da complexidade e da identidade, inseridas no contexto de intercmbio

    vivido por professores de lngua estrangeira, revela-se de maneira indita em pesquisas

    no mbito da Lingustica Aplicada.

    DEFININDO O REPERTRIO

    O repertrio deste espetculo foi especialmente selecionado para a ocasio e

    conta com as ilustres presenas dos acordes da complexidade e da identidade, os quais

    apresentam uma influncia significativa na composio de sua exibio, colaborando,

    de maneira harmoniosa e articulada, para a investigao do fenmeno a construo

    identitria de professores de lngua estrangeira, a partir de sua vivncia de estudos no

    exterior.

    A complexidade, compreendida pelo senso comum como algo complicado ou de

    difcil resoluo, tem sua raiz etimolgica na palavra latina complexus, que significa o

    que tecido junto (MORIN, 2007, p.13), e valoriza as dinmicas relaes que

    interconectam o todo e suas partes e que geram sucessivas transformaes.

    Morin (2007, 2008), um dos principais articuladores da complexidade,

    reconhece que, de fato, a pesada carga semntica que a palavra complexidade traz

    consigo exprime o incmodo, a confuso, a incerteza e a desordem com relao

    incapacidade para se definir e nomear, de modo simples e claro, e ordenar as ideias

    objetivamente. O autor, assim, afirma que complexo o que no pode se resumir numa

    palavra-chave, o que no pode ser reduzido a uma lei nem a uma ideia simples

    (MORIN, 2007, p.5).

    Lanando um novo olhar ao mundo, Morin (2007, 2008) passa a conceb-lo

    como um sistema aparentemente catico, de estruturas dinmicas e imprevisveis,

    porm auto-organizveis e inter-relacionadas, relao essa que pode ser associada

    forma como os elementos sonoros, as luzes, a coreografia performatizada pelas

    bailarinas, o figurino e o teatro se inter-relacionam harmoniosamente para a composio

    de um espetculo.

    No entanto, Morin (2008) desmistifica o mal-