fronteira agrÍcola do oeste baiano: 13_sano... · anuais na bahia (ibge, 2009a). ... dinâmica...

Download FRONTEIRA AGRÍCOLA DO OESTE BAIANO: 13_Sano... · anuais na Bahia (IBGE, 2009a). ... Dinâmica temporal

Post on 07-Feb-2019

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

So Paulo, UNESP, Geocincias, v. 30, n. 3, p. 479-489, 2011 479

FRONTEIRA AGRCOLA DO OESTE BAIANO: CONSIDERAESSOBRE OS ASPECTOS TEMPORAIS E AMBIENTAIS

FRONTEIRA AGRCOLA DO OESTE BAIANO: CONSIDERAESSOBRE OS ASPECTOS TEMPORAIS E AMBIENTAIS

Edson Eyji SANO 1, Clvis Caribe Menezes dos SANTOS 2,Euzebio Medrado da SILVA 1, Joselisa Maria CHAVES 2

(1) EMBRAPA Cerrados. BR-020, km 18. CEP 73301-970. Planaltina, DF.Endereos eletrnicos: sano@cpac.embrapa.br; euzebio@cpac.embrapa.br

(2) Departamentos de Cincias Humanas e Filosofia e de Cincias Exatas, Universidade Estadual de Feira de Santana / UEFS.BR-116, km 03. CEP 44031-460. Feira de Santana, BA. Endereos eletrnicos: coio@uefs.br; joselisa@uefs.br

Introduorea de EstudoAspectos TemporaisAspectos AmbientaisConclusesAgradecimentosReferncias Bibliogrficas

RESUMO O oeste baiano representa uma regio tpica do Cerrado em termos de produo de gros com alta produtividade e intensamecanizao. Este estudo apresenta algumas consideraes sobre os aspectos temporais e ambientais da ocupao agrcola da referidaregio. Para isso, foram utilizados dados derivados de imagens de satlite, com uma srie histrica de 35 anos. No perodo de 1985 a 2005,houve um acrscimo de 352% na rea plantada com culturas agrcolas. Em contrapartida, a recente adoo de tcnicas ambientalmentesustentveis de manejo de solo e gua por grande parte dos produtores tem reduzido os impactos ambientais da regio. Esses so os casosda utilizao do sistema de plantio direto para reduzir perdas de solo, gua e fertilizantes e para aumentar a produtividade das culturasagrcolas e do uso da tensiometria para reduzir a demanda de gua relacionada com irrigao de caf.Palavras-chave: produo de alimentos, Cerrado, impactos ambientais, agricultura sustentvel.

ABSTRACT E.E. Sano, C.C.M. dos Santos, E.M. da Silva, J.M. Chaves Agricultural frontier of western Bahia: considerations abouttemporal and environmental aspects. The western Bahia State, Brazil, represents a typical region of the Cerrado in terms of high-yield,heavily mechanized grain production. This study presents some considerations about the temporal and environmental aspects of the landoccupation in this region. It was based on data derived from satellite images, with a time series of 35 years. In the period of 1985-2005,there was an increase of 352% in areas planted with crops. In exchange, the recent use of environmentally sustainable techniques of soiland water management by most of the producers has reduced the environmental impacts in this region. These are the cases of the use ofno-tillage system to reduce soil, water, and nutrient losses and to increase the grain productivity as well as the use of tensiometry toreduce the water demand for coffee irrigation.Keywords: food production, Cerrado, environmental impacts, sustainable agriculture.

INTRODUO

Grande parte do incremento da produo dealimentos no Brasil tem resultado em acentuadaremoo da cobertura vegetal natural (Brannstrom,2005). Desde a dcada de 1980, o oeste baiano vemse transformando e se consolidando como um dosprincipais plos de produo de gros do Brasil(Brannstrom et al., 2008; Sano & Pinhati, 2009). Noprocesso de ocupao agrcola do oeste baiano, apoltica pblica de subsidiar compras de terras a preose juros reduzidos (Klink & Moreira, 2002) e as foraseconmicas e polticas regionalmente dominantes tmdesempenhado papel importante como facilitadorespara os produtores, vindos principalmente das regiesSul e Sudeste do pas, terem acesso s terras.

A topografia plana, a gerao de cultivares notadamente de soja e milho mais adaptados deficincia hdrica e toxicidade de alumnio, aliada disponibilidade de recursos hdricos superficiais e presena de fontes prximas de calcrio para correoda acidez dos solos, foram outros fatores que incen-tivaram a ocupao de solos do oeste baiano. Antesconsiderados como espaos vazios e marginais doEstado (Santos, 2008), o oeste baiano, em 2007,contribuiu com 49% da rea total ocupada com culturasanuais na Bahia (IBGE, 2009a).

Os incentivos disponibilizados pelo ProgramaNipo-Brasileiro de Cooperao para o Desenvol-vimento do Cerrado (PRODECER) e pela Agncia de

So Paulo, UNESP, Geocincias, v. 30, n. 3, p. 479-489, 2011 480

Cooperao Internacional do Japo (JICA) tambmtiveram papel de destaque no processo de ocupaodessa regio (Ross, 2005). De fato, o PRODECERdeu considervel impulso agricultura do oeste baiano,principalmente pela implantao de um modelo agrcolaque proporcionou mais de uma colheita por ano,viabilizada pela utilizao de variedades mais adaptadass condies climticas e edficas da regio, aplicaode grandes quantidades de fertilizantes qumicos, usode maquinaria agrcola moderna e adoo da irrigao.Entre os aspectos negativos do PRODECER, est adependncia exagerada da agricultura local aosinteresses das grandes empresas que comercializaminsumos agrcolas. O aporte excessivo de fertilizantese biocidas pode favorecer a contaminao de guassuperficiais e subterrneas. Por causa do carterseletivo na aprovao dos seus investimentos,

acentuaram-se ainda as desigualdades econmicas esociais entre as pessoas e entre os municpios na regio,contribuindo decisivamente para a formao de novossegmentos sociais na regio.

Pesquisas agropecurias mais recentes na regioCentro-Oeste do Brasil tm enfatizado produo dealimentos com sustentabilidade ambiental (Bolliger etal., 2007). Entende-se por sustentabilidade ambientala diminuio na abertura de novas fronteiras agrcolas,a reduo de perda de solos por eroso hdrica ou elica,a diminuio da contaminao de lenis freticos porfertilizantes e defensivos agrcolas e a reduo nademanda de gua para irrigao, entre outros aspectos.Com foco nesse contexto, esse estudo foi delineadocom o objetivo de apresentar consideraes sobre osaspectos temporais e ambientais da ocupao agrcolado oeste baiano nas ltimas trs dcadas.

REA DE ESTUDOA rea de estudo localiza-se entre as coordenadas

-10,05 e -15,30 de latitude sul e entre -43,25 e -46,70de longitude oeste (Figura 1). Abrange uma superfciede aproximadamente 117 mil km2 e corresponde mesorregio do Extremo Oeste da Bahia, denominada,neste estudo, de oeste baiano. Ela localiza-se namargem esquerda do Rio So Francisco, tendo como

afluentes principais, os rios Grande, Preto, Corrente eCarinhanha (Nou & Costa, 1994). Trata-se de umaregio que corresponde a uma zona de transio entreCerrado e Caatinga.

O oeste baiano formado por trs microrregiese 24 municpios: Baianpolis, Barreiras, Catolndia,Formosa do Rio Preto, Lus Eduardo Magalhes,

FIGURA 1. Localizao do oeste baiano no Estado da Bahia.Linhas contnuas dentro da rea de estudo correspondem a divises municipais.

So Paulo, UNESP, Geocincias, v. 30, n. 3, p. 479-489, 2011 481

Riacho das Neves e So Desidrio (microrregio deBarreiras); Angical, Brejolndia, Cotegipe, Cristpolis,Mansido, Santa Rita de Cssia, Tabocas do BrejoVelho e Wanderley (microrregio de Cotegipe); eCanpolis, Cocos, Coribe, Correntina, Jaborandi, SantaMaria da Vitria, Santana, So Flix do Coribe e SerraDourada (microrregio de Santa Maria da Vitria). Em30 de maro de 2000, foi criado, no povoado de

Mimoso do Oeste, o Municpio de Luis EduardoMagalhes. Com uma rea de 4.014 km2 e umapopulao de aproximadamente 20.000 habitantes(IBGE, 2009b), esse municpio vem absorvendo, emgrande velocidade, alguns setores dos principais fluxoseconmicos e, gradativamente, vem ocupando o lugarde principal centro regional que antes pertencia aBarreiras.

ASPECTOS TEMPORAIS

Para a anlise do padro temporal de ocupaodo oeste baiano, foram obtidas, do sistema eletrnicode disponibilizao de imagens de satlite do InstitutoNacional de Pesquisas Espaciais (INPE) (http://www.dgi.inpe.br/cdsr/), sries multitemporais deimagens do satlite Landsat TM do perodo de 1975 a2005, espaadas de cinco anos. O Landsat o satlitede recursos terrestres mais antigo em operao. Desde1972 e a cada 16 dias, esse satlite tem registrado dadosda superfcie terrestre na faixa ptica do espectroeletromagntico (Gowan et al., 2001; Liu, 2007). Cadacena do Landsat cobre uma rea no terreno de185 km x 185 km.

As imagens foram georreferenciadas para osistema de projeo cartogrfica UTM (UniversalTransversa de Mercator) e datum WGS84,mosaicadas em um aplicativo comercial de processa-mento de imagens digitais, com equalizao dehistogramas (Shimabukuro et al., 2002) e recortadaspara a rea de estudo. Os recortes foram processadospor meio da tcnica de segmentao de imagens por

crescimento de regies, disponvel no aplicativoSPRING 4.0 (Camara et al., 1996). Foram utilizadosos valores de limiar e similaridade iguais a 15. Ospolgonos gerados pela segmentao de imagens foramconvertidos para o formato shape e exportados paraum aplicativo de sistema de informaes geogrficas.A identificao de classes de cobertura de terras decada polgono foi feita diretamente no monitor da telade computador, sobrepondo-se a composio coloridadas imagens Landsat com o arquivo vetorial desegmentao em uma escala de visualizao deaproximadamente 1:50.000. As seguintes classesespectrais foram consideradas na interpretao deimagens: culturas agrcolas, pastagens cultivadas,reflorestamento e vegetao natural.

Uma crescente e acentuada ocupao do oestebaiano pelas culturas agrcolas, a partir de 1985, pdeser comprovada a partir da anlise das imagens desatlite (Figura 2). A rea plantada com culturasagrcolas passou de aproximadamente 225 mil hectaresem 1985 para mais de 1,8 milhes de hectares em

FIGURA 2. Dinmica temporal da ocupao do oeste baiano em termos de rea plantadacom culturas agrcolas, pastagens cultivadas e reflorestamento no perodo de 1975 a 2005.

So Paulo, UNESP, Geocincias, v. 30, n. 3, p. 479-489, 2011 482

TABELA 1. Clculo de reas ocupadas por pastagens cultivad