escola secundária/3 henrique medina contrato de ?· escola secundária henrique medina página 2...

Download Escola Secundária/3 Henrique Medina Contrato de ?· Escola Secundária Henrique Medina Página 2 de…

Post on 01-Oct-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Escola Secundria/3 Henrique Medina

    Contrato de Autonomia

    Disciplina e Excelncia PARA Todos, numa Escola POR Todos

  • Escola Secundria Henrique Medina

    Pgina 2 de 32

    CONTRATO DE AUTONOMIA

    Prembulo

    A Escola Secundria Henrique Medina (ESHM), organizada enquanto comunidade aprendente,

    procura continuamente consolidar os passos que vem dando, estendendo e aprofundando as

    suas razes no solo particular em que se insere, procurando garantir e afirmar a sua

    especificidade e a sua identidade atravs da autonomia da organizao que for capaz de

    impor e implementar.

    1. Caraterizao da Escola

    Criada em 1981, a Escola Secundria Henrique Medina situa-se no concelho e cidade de

    Esposende, distrito de Braga, numa zona econmica e socialmente heterognea. A sua

    influncia pedaggica abrange uma rea geogrfica que integra 15 freguesias agregadas em 9

    ncleos, muitas delas rurais, pelo que recebe alunos de origem sociocultural muito

    heterognea.

    A nvel da rede pblica de educao e ensino, o concelho de Esposende apresenta dois

    agrupamentos de Escola e uma Escola no agrupada - Agrupamento de Escolas Antnio Correia

    de Oliveira (AEACO), Agrupamento de Escolas de Marinhas (AEM) e Escola Secundria com 3.

    ciclo Henrique Medina (ESHM).

    A Escola Secundria Henrique Medina, apesar de no ter beneficiado de obras de

    requalificao, mantm-se em razovel estado de conservao, embora carea de

    intervenes de melhoria e manuteno, nomeadamente no que se refere ao conforto das

    salas de aula e s coberturas dos diferentes pavilhes, retirando os materiais que integram

    amianto.

    A populao escolar totaliza 1150 alunos distribudos por 45 turmas, sendo 12 do 3. ciclo do

    ensino bsico e com 308 alunos. A oferta educativa do ensino secundrio abrange os cursos

    cientfico-humansticos do ensino regular (23 turmas com 660 alunos) e os cursos profissionais

    (10 turmas com 200 alunos).

    De acordo com os dados disponibilizados pela Inspeo-Geral da Educao e Cincia (IGEC),

    aquando da sua visita institucional de fevereiro de 2012, a percentagem de alunos

    portugueses de 95% e o indicador de carncia econmica revela que 61% no usufruem de

    auxlios econmicos no mbito da ao social escolar. A percentagem de alunos com

    computador e internet em casa de 80% no ensino bsico e de 92% no ensino secundrio. A

    percentagem de pais com profisses de nvel superior e intermdio nos ensinos bsico e

    secundrio de 29,7% e 14,6%, respetivamente. Quanto s habilitaes acadmicas, verifica-

  • Escola Secundria Henrique Medina

    Pgina 3 de 32

    se que 32% dos pais dos alunos do ensino bsico tm habilitaes de nvel secundrio e

    superior, ao passo que no secundrio essa percentagem de 17%.

    O corpo docente constitudo por 106 trabalhadores, sendo 95% docentes dos quadros. A

    experincia profissional significativa, pois cerca de 90% lecionam h 10 anos ou mais. O

    pessoal no docente, composto por 33 elementos, relativamente estvel, j que a

    totalidade possui contrato de trabalho em funes pblicas por tempo indeterminado.

    No ano letivo de 2010-2011, ano para o qual h referentes nacionais calculados, as variveis

    relativas formao acadmica superior ou secundria e superior dos pais dos alunos do

    ensino bsico situam-se acima da mediana nacional, enquanto no ensino secundrio, a

    percentagem de pais com formao acadmica secundria e superior fica abaixo dos valores

    medianos nacionais e a de pais com formao acadmica superior est na mediana. Quanto s

    percentagens de alunos do 9. ano e do 12. ano sem ao social escolar e de pais dos alunos

    do ensino bsico e do ensino secundrio que exercem atividades profissionais de nvel

    superior e intermdio, verifica-se que os valores se situam, respetivamente, acima e abaixo

    da mediana nacional. A idade mdia dos alunos do 9. e do 12. ano de escolaridade fica

    ligeiramente abaixo da mediana nacional.

    2. Resultados da autoavaliao da ESHM

    O projeto de autoavaliao da Escola, elaborado, implementado e divulgado pelo

    Observatrio de Qualidade da Escola (OQE), seguiu um dispositivo prprio e fundamentado,

    que foi reconhecido e validado pela IGEC, na avaliao institucional realizada em 14 e 15 de

    fevereiro de 2012 e que se desenvolveu com base nos critrios e indicadores de avaliao a

    seguir explicitados:

    CRITRIOS PERTINNCIA COERNCIA EFICINCIA EFICCIA

    Relao da atividade com o programa

    Articulao das diferentes variveis de realizao da atividade

    Qualidade dos processos tcnicos a que se recorreu para a realizao da atividade

    Verificao dos efeitos pretendidos para a atividade

    Grau de satisfao

    Consecuo dos objetivos

    Relao entre a qualidade dos recursos e dos meios e os custos

    Qualidade dos produtos

    Relao com o Projeto Educativo de Escola (PEE)

    Equilbrio entre as medidas aplicadas e as aes que as originaram

    Resposta s necessidades Percentagem de participao

    INDICADORES

    Considerao das condies necessrias atividade (oportunidade: tempo/espao)

    Na sequncia deste projeto de autoavaliao, a Escola melhorou, de forma muito acentuada,

    os aspetos relacionados com a autorregulao; melhorou em termos de gesto e de liderana

  • Escola Secundria Henrique Medina

    Pgina 4 de 32

    e tambm nos aspetos relacionados com os resultados e a prestao de servio educativo,

    como se mostrar de seguida.

    Em termos de articulao curricular, passaram a realizar-se testes de diagnose transversal de

    competncias para os 7s e 10s anos; no que ao clima e ambiente educativos diz respeito, a

    Escola implementou o Dia da Escola, implementou o prmio de mrito, assumiu a misso

    Disciplina e Excelncia para Todos. Finalmente, assumiram-se como atingveis as metas

    nacionais propostas pela tutela para 2015 e trabalhou-se no sentido de as atingirmos. Para o

    efeito, aferiram-se critrios de avaliao, implementou-se o projeto Testes Intermdios e

    alargou-se a oferta de salas de estudo especficas, integradas nos horrios de alunos e

    respetivos professores, nos anos terminais de ciclo, nas disciplinas sujeitas a exame nacional.

    Estas medidas, implementadas durante os ltimos quatro anos, perodo de vigncia do projeto

    de autoavaliao 2009-2013, permitiram transformar os resultados em termos de taxas de

    desistncias (tabela 1), de forma a termos j atingido as metas fixadas para 2015:

    2009/10 20010/11 2011/12 2012/13

    Metas nacionais 2015

    14 anos 0 0 0 0,7 1 15 anos 4,2 1,5 2,3 0 2 16 anos 6,5 1 3,7 2 4

    Tabela 1 - Evoluo das taxas de desistncia na ESHM, em percentagem

    No que diz respeito evoluo das taxas de repetncia, elas estiveram sempre abaixo das

    metas nacionais, no Ensino Bsico. Porm, no Ensino Secundrio, preciso ainda melhorar as

    estratgias tendentes a atingir este objetivo (tabela 2):

    2009/10 20010/11 2011/12 2012/13

    Metas nacionais 2015

    7 ano 4,8 6,8 2,5 3,4 8 ano 4,7 9 11,1 4,4 9 ano 12,4 11,1 3,6 8,3 Ensino Bsico 8 8,9 5,9 5,2 10 10 ano 12,2 9 3,8 10,1 11 ano 6 5,1 5,9 3,3 12 ano 22,6 36,2 29,6 28,1 Ensino Secundrio 14 15,8 12,7 13,9 12

    Tabela 2 Evoluo das taxas de repetncia na ESHM, em percentagem

    No que respeita aos resultados obtidos pelos alunos nas avaliaes externas, tm sido

    monitorizados os resultados em Portugus e Matemtica, quer no Ensino Bsico, quer no

    Ensino Secundrio. No Ensino Bsico, depois de uma grande involuo, em Portugus, no ano

    de 2010-11, tem-se assistido a uma subida que, no entanto, ainda est muito aqum das

    metas previstas para 2015. J em Matemtica do Ensino Bsico e Portugus do Ensino

  • Escola Secundria Henrique Medina

    Pgina 5 de 32

    Secundrio, foram as metas para 2015 atingidas em 2012-13, aps uma acentuada queda em

    2010-11, a culminar dois anos de recuperao. na disciplina de Matemtica, no Ensino

    Secundrio, que os resultados esto mais distantes da meta definida:

    2009/10 20010/11 2011/12 2012/13

    Metas nacionais 2015

    Portugus Ensino Bsico

    79,3 50,2 69 60 75

    Matemtica Ensino Bsico

    58,5 42,2 46 59 55

    Portugus Ensino Secundrio

    63,1 45 51 71 65

    Matemtica Ensino Secundrio

    56,6 25 54 44 70

    Tabela 3 Evoluo dos resultados dos exames nacionais de Portugus e Matemtica, na

    ESHM, em percentagem de positivas

    Finalmente, so de destacar os resultados relativos s taxas de sucesso, verificando-se, quer

    no Ensino Bsico quer no Ensino Secundrio, uma subida gradual, aps uma descida no ano de

    2010/2011.

    2009/10 2010/11 2011/12 2012/13 Ensino Bsico 92.1 90.7 94.1 94.8

    Ensino Secundrio 88 86.1 89.6 89

    Tabela 4 Evoluo das taxas de sucesso, em percentagem

    Focalizando a evoluo efetuada, foi esta organizao percebendo que, face aos resultados

    obtidos e no contexto social, poltico e econmico que se atravessa, tinha condies para se

    instituir como unidade orgnica de referncia no Concelho e, nesse sentido, atuou em duas

    vertentes complementares:

    Por um lado, no ano letivo de 2012-13, congregando vontades diversas - da tutela, da

    autarquia e das unidades orgnicas que integram a rede pblica de educao no Concelho

    (ponto 7 do artigo 6., Dec. Lei n. 75/2008, na redao dada pelo Dec. Lei n. 137/2012),

    acordou com os dois Agrupamentos existentes no territrio educativo um Projeto Educativo

    de Escolas em Rede (PEER), que entrar em vigor no ano letivo de 2013-2014. Este esforo