edição 414

Download Edição 414

Post on 30-Mar-2016

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

jornal Aqui Notcias

TRANSCRIPT

  • FEIRA DO MRMORE INICIA HOJE EM CACHOEIRO COM

    BOAS EXPECTATIVAS

    DANIEL E SKANK SO ATRAES DA FESTA DE JERNIMO

    0,50R$APENAS

    MELHOR AT NO PREO

    TERA-FEIRA, 28/08/2012 | DIRIO | ANO 2 | N 414 | CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM E REGIO SUL

    www.aquies.com.br @folhadocaparao facebook.com/grupofolhadocaparao

    pobreza tem queda de 7,7% no estado

    DE ACORDO COM O gOVERNO, A REDuO EST ATRELADA AOS PROgRAMAS SOCIAIS CIDADES | Pg 12

    POLTICOS VO A ALEGRE APOIAR PAULO LEMOS

    FILIPE RODRIguES

    ATAQUE X TRANQUILIDADE

    ECONOMIA | Pg 11

    POLTICA | Pg 04

    ESCOLA FAZ EVENTO PARA HOMENAGEAR CAMILO COLA

    OS CANDIDATOS A PREFEITO DE MIMOSO DEBATERAM PROPOSTAS NA RDIO CuLTuRA. DIANTE DA OFENSIVA DO PREFEITO gIL (PMDB), A EX-PREFEITA FLVIA CYSNE (PSB) REBATEu COM SERENIDADE

    POLTICA | Pg 05

    DIVu

    LgA

    O

    ARQUIVO ESCOLA DE IDIOMAS INSIGHT 2011

  • TERa-fEiRa, 28/08/2012 CaCHOEiRO DE iTaPEMiRiM E REGiO SUL

    www.aQUiES.com.br02 OPiNiO

    EXPEDIENTEDIRETOR GERAL: Elias CarvalhoEDITOR CHEFE: Ilauro OliveiraEDITOR DE CRIAO E ARTE: Luan Ola GERENTE COMERCIAL: Marcela Paganotti REPRTEREs: Alissandra Mendes, Filipe Rodrigues,Leandro Moreira e Marcos Freire e Olvia MariaDIAGRAMADOREs: Carlos Guilherme Gomes e Marcelo Lopes Moth

    E-mails: comercialfolhadocaparao@gmail.comdiretoriafolhadocaparao@gmail.com; publicidadefolhadocaparao@gmail.com; redacaofolhadocaparao@gmail.com; assinaturafolhadocaparao@gmail.com

    Circulao: Es - Afonso Cludio, Alegre, Alfredo Chaves, Anchieta, Apiac, Atlio Vivacqua, Bom Jesus do Norte, Brejetuba, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Conceio do Castelo, Divino de So Loureno, Dores do Rio Preto, Guau, Ibatiba, Ibitirama, Iconha, Irupi, Itapemirim, Ina, Jernimo Monteiro, Maratazes, Mimoso do Sul, Muniz Freire, Muqui, Pima,

    DEPARTAMENTO COMERCIAL: Diego Gomes (28) 3521 7726comercialfolhadocaparao@gmail.comAssINATURAs: Jane Cruz (28) 3036 2960 / 3521 7726assinaturafolhadocaparao@gmail.com

    COLAbORADOREs: Srgio Oliveira, Srgio Garschagen, Srgio Neves, Wagner Medeiros Junior, Ruy Guedes, Luciana Fernandes, Ricardo Lemos, Lucas Oliveira, Jussan Silva e Silva, Ramon Barros, Marcelo Soncino, Ewerton M. Trggia, Alexandre Garcia

    As matrias assinadas publicadas neste jornal, necessariamente no traduzem a opinio do prprio jornal. A veracidade das informaes publicitrias veiculadas de responsabilidade de quem as patrocina (anunciante). A legislao no impe ao rgo que veicula o anncio (jornal) a obrigatoriedade de verificao e comprovao da fidedignidade e correo destes anncios. Fonte: STJ (Superior Tribunal de Justia).

    Editora e Jornal Sul Capixaba Ltda - ME | CNPJ: 10.916.216.0001-55. AV. GOVERNADOR CRISTIANO DIAS LOPES FILHO, 75, bairro GILBERTO MACHADO, CEP 29.303-320, Cachoeiro de Itapemirim-ES.Anexo a GrafBand. Tel: (28) 3521 7726

    Presidente Kennedy, Rio Novo do Sul, So Jos do Calado, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante.

    FALE COM A REDAO: (28) 3521 7726 ANUNCIE / AssINE: (28) 3521 7726 / 3036 2960redacaofolhadocaparao@gmail.com comercialfolhadocaparao@gmail.com

    RENaTO CaSaGRaNDEROLf kUNTzGovernador do Esprito Santo Jornalista

    Esses aspectos inovadores se complementam com a priorida-de que o Proedes atribui atra-o de empresas caracterizadas pela competitividade, eficincia e avano tecnolgico. Alm dis-so, o programa incorpora instru-mentos de estmulo e incentivo que levam interiorizao e des-centralizao do desenvolvimen-to e gerao de oportunidades de crescimento pessoal, social e profissional para os capixabas de todas as regies.

    So objetivos ambiciosos, mas realizveis, que respeitam e valo-rizam o esprito e m p re e n d e d o r dos capixabas, mobilizam re-cursos prprios do Estado, mu-nicpios e da iniciativa priva-da, baseados em forte articulao, em diversos n-veis de poder.

    Como acon-tece com outros programas em execuo In-cluir, Reflorestar e Estado Pre-sente , o Proedes ter gesto profissionalizada e ser perio-dicamente avaliado e aperfeio-ado, para que se mantenha fiel aos seus objetivos. Estamos exe-cutando 18 programas e mais de 170 projetos, que so acompa-nhados de perto pelo meu Ga-binete. Todos, direcionados ao objetivo maior de levar qualida-de de vida aos capixabas.

    O Proedes nasceu da imperiosa necessidade de prepararmos o Es-prito Santo para um novo ciclo de desenvolvimento, fortalecendo a economia e a competitividade das regies e dos municpios, e di-versificando a nossa produo. O Governo investir R$ 1,5 bilho ao ano, destinando grande parte desse montante infraestrutura, logstica, educao tecnolgica e aes de inovao que tornem o

    Estado mais efi-ciente e compe-titivo. O progra-ma conta com diversos meca-nismos de incen-tivo, dentre eles, o Fundepar, com aporte inicial de R$ 200 milhes e, em setembro, submeteremos Assembleia Le-gislativa o pro-jeto da Lei de Inovao. Deter-minei ao Bandes que abra linha de crdito a pre-feituras interes-sadas em investi-

    mentos compatveis com os obje-tivos do Proedes, e vamos manter no exerccio 2013 o mesmo volume de recursos oferecidos aos municpios em 2011 e 2012 por meio de convnios. No curto prazo, trata-se de uma agenda de projetos e aes destinada a supe-rar as restries econmicas que iremos enfrentar. No longo prazo, significa uma profunda mudana na estrutura da economia e da so-ciedade capixabas.

    Segundo esses especialistas, dificil-mente o crescimento de janeiro a de-zembro de 2012 chegar a 2%. Eles parecem estar certos, mas uma anli-se daquele resultado mensal poderia proporcionar informaes interessan-tes. O ponto de partida muito baixo, depois de uma fase de estagnao, obviamente parte da resposta, mas a explicao completa envolveria outros fatores. Primeira pergunta: quais fo-ram os setores mais dinmicos?

    Seria instrutivo combinar a informa-o do BC com os dados do IBGE e de outras fontes a respeito de consu-mo, criao de em-pregos e atividade industrial. Isso da-ria mais solidez a qualquer discusso sobre as perspec-tivas da economia at o fim do ano e mais impor-tante sobre as possibilidades dos prximos anos. Afinal, essa uma das preocupaes evidenciadas pela deciso do governo de envolver o setor privado, mais amplamente, nos planos de expanso e de modernizao da in-fraestrurura.

    Posio PragmticaO Brasil passou o Cabo da Boa

    Esperana e retomou o crescimento, disse na sexta-feira (17/8) o ministro da Fazenda Guido Mantega, comen-tando os ltimos dados de conjuntura criao de cerca de 142,5 mil em-pregos formais em julho, expanso de 0,5% nas vendas do varejo em junho, e o aumento da atividade apontado

    pelo IBC-BR. Mas as perspectivas de mdio e de longo prazos envolvem questes mais complicadas. O plano de investimentos em logstica lanado pelo governo pertence a esse captulo, assim como a promessa de reduo de encargos sobre a energia eltrica.

    Todos os jornais classificaram como privatizao ponto destacado na primeira pgina a convocao do setor privado para o plano de rodo-vias e ferrovias. O apelo ao capital e competncia administrativa dos gru-

    pos particulares inegvel, assim como o emperra-mento das obras previstas no Pla-no de Acelerao do Crescimento (PAC). Mas discu-tir se concesso uma forma de pri-vatizao pouco relevante. Do lado da imprensa, foi uma picuinha. Do lado do governo, uma tentativa de marcar posio e, acima de tudo, uma satisfao aos companheiros de ideologia.

    As novidades mais importantes eram outras. Uma delas, obviamente, foi a deciso de retomar as concesses e de recorrer s parcerias pblico-pri-vadas (PPPs). Foi o afrouxamento de uma restrio poltica, em troca de uma posio mais pragmtica. Outra mudana relevante foi a nfase em aes de maior alcance, num esforo para garantir o crescimento no m-dio e longo prazos. A presidente Dil-ma Rousseff chamou a ateno para essa nova nfase na ao de carter estrutural.

    O lanamento do Proedes Programa de Desenvolvimento Sustentvel do Esp-rito Santo constitui marco inovador no processo de crescimento da economia capi-xaba, tanto pela abrangncia do programa quanto pelo compartilhamento de sua gesto com a sociedade. Pela primeira vez, o Estado rene em uma s iniciativa

    as mais diversas ferramentas de incentivo ao desenvolvimento sustentvel e execu-ta aes coordenadas de atrao de empreendimentos, utilizando recursos prprios

    e criando estrutura especializada de negociao com investidores em potencial.

    A economia brasileira cresceu em ritmo chins em junho, a julgar pelo ndice de atividade calculado mensalmente pelo Banco Central, o IBC-BR, considerado uma prvia do clculo oficial do produto interno bruto (PIB). Se a taxa de 0,75% fosse acumulada em 12 meses, o resultado seria uma expanso de 9,38%, mas os jorna-listas parecem haver esquecido de fazer essa conta. Preferiram concentrar-se na ava-liao das perspectivas deste ano, reproduzindo as opinies de vrios entrevistados.

    UM sALTO PARA O FUTUROJORNALIsMO ECONMICO

    O bRAsIL CREsCEU EM RITMO CHINs E NINGUM FEsTEJOU

    O Proedes nasceu da imperiosa necessi-dade de prepararmos o Esprito Santo para um novo ciclo de de-senvolvimento, forta-lecendo a economia e a competitividade das regies e dos munic-pios, e diversificando a nossa produo.

    O apelo ao capi-tal e competncia administrativa dos grupos particulares inegvel, assim como o emperramento das obras previstas no Plano de Acelera-o do Crescimento (PAC).

  • tera-feira, 28/08/2012 CaCHOeirO De itaPeMiriM e reGiO SUL 03GeraLwww.aQUieS.com.br

    thiago guimares/secom

    divulgao

    Municpio ter Centro de Comercializao do Pequeno Produtor

    a CiDaDe fOi UMa DaS DUaS, nO eSPritO SantO, a ter SiDO COnteMPLaDa COM aPrOvaO DO PrOjetO PeLO GOvernO feDeraL, Para a reaLizaO Da Obra

    JERNIMO MONTEIRO

    aNchIETa

    O municpio de Jerni-mo Monteiro vai receber recursos do governo f