bgpt2 - a experiência de meselson e stahl

Click here to load reader

Post on 29-Dec-2014

435 views

Category:

Documents

8 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • 1. Nuno Correia 2010/11
  • 2. Trabalho Laboratorial (TL) Trabalho de Campo/ Actividades realizadas em Outdoor (TC) laboratrio (verificaes Actividades educativas que experimentais, exerccios, envolvem um contacto directo experincias, demonstraes, dos alunos com o ambiente simulaes, investigaes...) natural Trabalho Experimental (TE) Investigaes que envolvem os alunos desde a colocao do problema ao planeamento, execuo da experincia e elaborao das conclusesNuno Correia 10/11 Fontes: Hodson, 1994; Oliveira,1999; Brusi, 1992 3
  • 3. ModeloObservao Hiptese Experincia Teoria Cientfico Nuno Correia 10/11 4
  • 4. http://www.sumanasinc.com/webcontent/animations/content/meselson.html Nuno Correia 2010/11
  • 5. As bactrias que tinham sido cultivadas num meio com N (G0) possuem um DNA denso, que se deposita prximo do fundo do tubo da centrfuga. Ao serem transferidas para um meio com 14N, na gerao (Gx), cada molcula de DNA tem uma cadeia com 15N e outra com 14N, isto , apresenta uma densidade intermdia entre o DNA s com 15N e o DNA s com 14N. Na segunda gerao obtm-se 50% de molculas de DNA com 15N14N e a mesma percentagem de molculas s com 14N. Nuno Correia 2010/11
  • 6. Na terceira gerao devem aparecer 75% de molculas de DNA com 14N e 25% com DNA de densidade intermdia. Nuno Correia 2010/11
  • 7. Nas divises seguintes observa-se uma proporo crescente de molculas com DNA pouco denso relativamente s molculas com DNA de densidade intermdia. Nuno Correia 2010/11
  • 8. Os resultados da experincia de Meselson e Stahl apoiam, pois, o modelo de replicao semiconservativa que se processa segundo a regra da complementaridade de bases. O modelo considerado permite explicar a transmisso do programa gentico e a constncia da composio do DNA no decurso de divises celulares sucessivas. Nuno Correia 2010/11