Ana Filipa Alves Costa A Metáfora e a Imagética: um ... Filipa Alves... · A prática pedagógica…

Download Ana Filipa Alves Costa A Metáfora e a Imagética: um ... Filipa Alves... · A prática pedagógica…

Post on 24-Jan-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

<ul><li><p>Ana Filipa Alves Costa </p><p>A Metfora e a Imagtica: um contributo </p><p>para a expressividade musical no ensino </p><p>do violino </p><p>Universidade do Minho</p><p>Instituto de Educao</p><p>Outubro de 2016</p><p>Um</p><p>inho |</p><p> 2016</p><p>Ana F</p><p>ilipa A</p><p>lves </p><p>Cost</p><p>a </p><p>A M</p><p>et</p><p>fora</p><p> e a</p><p> Im</p><p>ag</p><p>ti</p><p>ca</p><p>: u</p><p>m c</p><p>on</p><p>trib</p><p>uto</p><p> pa</p><p>ra a</p><p> exp</p><p>ressiv</p><p>ida</p><p>de</p><p> m</p><p>usic</p><p>al n</p><p>o e</p><p>nsin</p><p>o d</p><p>o v</p><p>iolin</p><p>o</p></li><li><p>Ana Filipa Alves Costa</p><p>A Metfora e a Imagtica: um contributo </p><p>para a expressividade</p><p>musical no ensino do violino</p><p>Universidade do Minho</p><p>Instituto de Educao</p><p>Outubro de 2016</p><p>Relatrio de Estgio</p><p>Mestrado em Ensino da Msica</p><p>Trabalho realizado sob a orientao do</p><p>Professor Doutor Lus Pipa</p><p>e do</p><p>Dr. Eliot Lawson</p></li><li><p>III</p><p>Agradecimentos </p><p>A realizao deste trabalho no seria possvel sem a ajuda, incentivo e colaborao de </p><p>diversas pessoas. A todas gostaria de deixar aqui a minha profunda gratido. </p><p>Ao Professor Doutor Lus Pipa e Dr. Eliot Lawson pela presena sempre disponvel e </p><p>amabilidade demonstrada durante o decurso do projeto de interveno e redao deste </p><p>Relatrio de Estgio. </p><p> professora cooperante Filipa Abreu, por todo o entusiasmo e animao durante as aulas, </p><p>por toda a disponibilidade que demonstrou durante todo o processo procurando sempre </p><p>solues e estratgias perante as dificuldades que fui encontrando e por todo o incentivo </p><p>que me foi dando durante todo o processo. </p><p> Academia de Msica Valentim Moreira de S, instituio onde leciono e na qual foi </p><p>realizado o estgio pedaggico. </p><p>Aos alunos intervenientes neste projeto, pela abertura a novas ideias, pelo empenho, </p><p>entusiasmo e disponibilidade. </p><p>Aos meus pais, que sempre me apoiaram e me incentivaram sempre a continuar. </p><p>Ao Nuno por sempre estar presente quando precisei, pelo apoio e incentivo a continuar. </p><p> Raquel e Sara por toda a amizade e ajuda. </p></li><li><p>IV</p><p>Ttulo: A Metfora e a Imagtica: um contributo para a expressividade </p><p>musical no ensino do violino </p><p>Resumo </p><p> O presente relatrio de estgio pedaggico foi elaborado no mbito da unidade </p><p>curricular de Estgio Profissional, inserida no segundo ano do mestrado em Ensino da </p><p>Msica do Instituto de Educao da Universidade do Minho. Para a realizao do mesmo </p><p>foi efetuada uma investigao terica e seguida prtica pedaggica supervisionada realizada </p><p>no ano letivo de 2014/2015, na Academia de Msica Valentim Moreira de S em </p><p>Guimares. </p><p> O propsito traado para este projeto foi o de aferir se estas ferramentas (metforas </p><p>e imagtica), quando aplicadas nas aulas de instrumento, poderiam contribuir para uma </p><p>maior expressividade musical aquando da performance. Assim, os objetivos especficos </p><p>deste trabalho foram: (1) os alunos serem capazes de transportar as suas experincias </p><p>pessoais para a msica sendo mais expressivos musicalmente quando se apresentam; (2) a </p><p>metfora e imagtica como forma de libertao de tenses inerentes prtica do violino; (3) </p><p>motivar os alunos; (4) implementar o espirito criativo nos discentes. </p><p> Vrios so os autores que defendem a utilizao das ferramentas metforas e </p><p>imagtica no ensino. No entanto, estas ferramentas s so realmente teis e facilitadoras da </p><p>aprendizagem quando utilizadas corretamente. Assim, neste relatrio apresentam-se vrios </p><p>autores que ajudam a utilizar a metfora e imagem para um melhor ensino. </p><p> A prtica pedaggica supervisionada foi realizada com trs alunos de violino. No </p><p>decorrer das aulas foram utilizadas, para alm da prtica mais tradicional de ensino-</p><p>aprendizagem, as ferramentas anteriormente referidas. No final do projeto realizou-se uma </p><p>anlise dos dados recolhidos sob a forma de questionrio aos alunos participantes, onde </p><p>possvel verificar que todos eles afirmam ter sido uma experincia muito positiva enquanto </p><p>estudantes de msica. </p><p>Palavras-chave: Metfora; Imagtica; Expressividade musical; Ensino de violino; Projeto </p><p>de Interveno. </p></li><li><p>V</p><p>Imagery and metaphor: a contribute for the musical expressiveness </p><p>when teaching the violin </p><p>Abstract </p><p>The following pedagogical internship report, is part of the curricular unit </p><p>Professional Internship, present in the second year of the Master of Teaching Music of </p><p>Minho University. In order to do this report it was undertaken both a theoretical </p><p>investigation and a pedagogical practise, carried out as well as supervised, during the </p><p>academic year of 2014/1015 at Academia de Msica Valentim Moreira de S in Guimares </p><p>(Portugal). </p><p>The purpose of this project was to assess if these tools (imagery and metaphor), </p><p>when applied during instrument classes, could contribute for a deeper musical </p><p>expressiveness while performing. Therefore the specific objectives of this report were: (1) </p><p>students to be able to bring their personal experiences into music becoming, this way, more </p><p>musically expressive when performing; (2) the imagery and the metaphor as a way to </p><p>release tensions inherent in violin practise; (3) to motivate students; (4) to implement a </p><p>creative spirit within in the students. </p><p>Several authors defend the usage of these tools when teaching. However, these tools </p><p>are only helpful and facilitate the learning process when correctly applied. Therefore in this </p><p>report are presented several authors, who work as guides to use the imagery and metaphor </p><p>in a way to improve teaching. </p><p>This pedagogical practise was carried out in three violin students. And, as well as </p><p>the so-called classic teaching method, the strategies mentioned above were also carried </p><p>out during classes. At the end of the project, it was undertaken a data analysis in the form of </p><p>a questionnaire, where we can ascertain that all the students say they have had a very </p><p>positive experience as music students. </p><p>Keywords: Metaphor; Imagery; Musical Expressiveness; Violin Teaching; Intervention </p><p>Project. </p></li><li><p>VI</p><p>ndice</p><p>Resumo .............................................................................................................................................. IV </p><p>ndice .................................................................................................................................................. VI </p><p>I - Introduo ........................................................................................................................................ 1 </p><p>1.1. TemticaeMotivao.......................................................................................................1</p><p>1.2. Estruturageraldorelatrio..............................................................................................2</p><p>II Enquadramento Terico da Interveno Pedaggica. ................................................................... 3 </p><p>2.1.Autilizaodemetforaseimagticanoensino....................................................................3</p><p>2.2.Autilizaodemetforaseimagticanoensinodamsica...................................................8</p><p>III Caracterizao do contexto de interveno ................................................................................ 12 </p><p>3.1CaracterizaodaInstituio..............................................................................................12</p><p>3.2Caracterizaodocontextodasaulasindividuaisdeinstrumento(violino).......................15</p><p>IV Plano Geral da Interveno Pedaggica .................................................................................... 17 </p><p>4.1Problemtica.......................................................................................................................17</p><p>4.2Objetivos.............................................................................................................................18</p><p>4.3 Metodologia.................................................................................................................19</p><p>4.3.1 InstrumentosdeRecolhadeDados.........................................................................20</p><p>4.4 ProcessodeIntervenonocontextodasaulasdeinstrumentoViolino.................21</p><p>4.4.1Prticadeensinosupervisionada.................................................................................21</p><p>4.4.2Implementaodoprojeto...........................................................................................38</p><p>V Apresentao e Anlise dos resultados ....................................................................................... 47 </p><p>5.1Anlisedosdadosrecolhidosduranteafasedeobservao..............................................47</p><p>5.2-Anlisedosdadosrecolhidosduranteafasedeinterveno..............................................47</p><p>5.3Discussodosresultados.....................................................................................................60</p><p>VI Consideraes Finais ................................................................................................................. 62 </p><p>Bibliografia ........................................................................................................................................ 64 </p><p>VIII Anexos .................................................................................................................................... 67 </p></li><li><p>1</p><p>IIntroduo</p><p> O presente Relatrio de Estgio insere-se no mbito do Estgio Profissional da </p><p>Prtica do Ensino Supervisionada, presente no segundo ano do Mestrado em Ensino da </p><p>Msica realizado no Instituto de Educao da Universidade do Minho. </p><p>Este trabalho, comporta um vnculo da minha prtica de ensino supervisionada com </p><p>o meu projeto de investigao, realizado na Academia de Msica Valentim Moreira de S </p><p>no ano letivo 2014/2015 atravs do tema A Metfora e a Imagtica: um contributo para a </p><p>expressividade musical no ensino do violino. O respetivo trabalho serviu tambm como </p><p>uma reflexo da minha prtica pedaggica. </p><p>1.1. TemticaeMotivao</p><p> O trabalho musical deve ser reinterpretado, ou melhor ainda, recriado na mente </p><p>do artista ou grupo de artistas. (Copland, 1952, p. 2)1 . </p><p> objetivo deste trabalho abordar a utilizao de metforas e imagtica como </p><p>ferramenta para fundamentar a tcnica violinstica e a musicalidade inerente performance. </p><p>Enquanto violinista, pude deparar-me com grandes dificuldades tcnicas como a </p><p>obteno de um som grande e claro mas tambm, e principalmente, dificuldades </p><p>expressivas. Foi-me extremamente difcil perceber o que fazer para conseguir expressar o </p><p>que a msica queria falar. Ouvi frequentemente que deveria ser mais expressiva durante as </p><p>minhas performances, mas como fazer isso? Mais tarde, na universidade, consegui colmatar </p><p>1 Texto original: The musical work must be reinterpreted, or better still, re-created in the mind of performer or group of performers (Copland, 1952, p.2) </p></li><li><p>2</p><p>esse problema. Talvez pela forma como o meu professor abordava essa questo, de forma </p><p>prtica e simples. </p><p>Quando ingressei no mundo da pedagogia, assim como tinha sido difcil para mim </p><p>perceber como corrigir os meus erros, foi tambm difcil explicar aos meus alunos como </p><p>resolver alguns problemas. </p><p>Durante as aulas do mestrado, fomos falando de algumas ferramentas menos </p><p>clssicas que poderamos utilizar nas aulas, como utilizao de metforas, imagens, </p><p>improvisao, entre outras coisas. Assim surgiu a ideia do tema. A utilizao de metforas </p><p>e imagtica como contributo para a expressividade durante o estudo e performance do </p><p>violino. </p><p> importante salientar que um professor de instrumento no pode ensinar apenas por </p><p>metforas ou imagens. necessrio que haja tambm uma prtica mais clssica para </p><p>explicar e resolver vrios problemas relacionados com a tcnica, como golpes de arco, </p><p>articulao, produo do som, afinao, assim como sentido da frase, forma da obra, entre </p><p>outras coisas. No entanto, o uso de outras ferramentas menos clssicas podem </p><p>complementar tudo isto. Por vezes os alunos percebem o que o professor est a dizer mas </p><p>no conseguem pr imediatamente em prtica. Por isto que utilizao de metforas e </p><p>imagens pode ajudar a que mais facilmente os discentes percebam o que devem fazer e </p><p>como devem fazer, uma vez que relacionam os conceitos a serem transmitidos, que por </p><p>vezes at so bastante abstratos, com factos que eles percebem perfeitamente (Low, 2008, </p><p>p. 216). </p><p>1.2. Estruturageraldorelatrio</p><p>O presente relatrio est dividido em seis captulos. No primeiro captulo </p><p>apresentado o tema e a motivao para a escolha do mesmo. No segundo exposta uma </p><p>breve reviso bibliogrfica sobre a utilizao da metfora e da imagtica aplicada ao ensino </p></li><li><p>3</p><p>num contexto geral, e de seguida abordada a utilizao dessas ferramentas aplicadas ao </p><p>ensino da msica. No terceiro captulo feita uma caracterizao da instituio onde foi </p><p>realizado o estgio pedaggico e uma breve descrio dos seus intervenientes, bem como </p><p>do contexto das aulas individuais. No que concerne ao quarto captulo descrito o plano </p><p>geral da interveno pedaggica mencionando e definindo a problemtica, objetivos, </p><p>metodologia e o processo de interveno, procedendo-se a uma sucinta amostra das </p><p>planificaes das aulas lecionadas. No quinto captulo so apresentados os dados recolhidos </p><p>e realizada uma anlise dos mesmos. Por fim, no sexto captulo, consideraes finais, </p><p>feita uma reflexo sobre os resultados obtidos bem como a pertinncia da temtica </p><p>abordada. Depois do ltimo captulo apresentada a bibliografia que ajudou elaborao </p><p>deste relatrio de estgio e apresentam-se tambm os anexos, que contm todos os </p><p>inquritos e questionrios realizados. </p><p>IIEnquadramentoTericodaIntervenoPedaggica.</p><p>2.1.Autilizaodemetforaseimagticanoensino</p><p>A imaginao mais importante do que o conhecimento. O conhecimento </p><p>limitado, enquanto a imaginao abraa o mundo inteiro, estimulando o progresso, </p><p>dando origem evoluo. (Albert Einstein, 1929; citado por Mast, Tartaglia e </p><p>Herzog, 2012; trad. da autora).2 </p><p>Nielsen (2009) refere Egan (2003) para defender que as crianas no aprendem s a </p><p>partir daquilo que elas j sabem sobre o mundo, antes entendem melhor e mais </p><p>2 Texto original: Imagination is more important than knowledge. For knowledge is limited, whereas imagination embraces the entire world, stimulating progress, giving birth to evolution. (Albert Einstein, 1929; citado por Mast, Tartaglia e Herzog, 2012). </p></li><li><p>4</p><p>profundamente atravs da interao com aquilo que conseguem imaginar. Egan defende </p><p>que papel fundamental do educador aplicar ferramentas cognitivas como: narrativas, </p><p>metforas, associao com heris, entre outras coisas. Estas ferramentas cognitivas so </p><p>maiores e tornam-se mais sofisticadas medida que as crianas se vo desenvolvendo </p><p>(Nielsen, 2009). </p><p> Nos ltimos 15 anos domnios cerebrais doa alunos, mostram que faz-lo </p><p>aumenta os nveis de ateno, reteno e prazer no ato de aprendizagem. A </p><p>investigao sobre como funciona o nosso crebro tambm mostrou que o </p><p>envolvimento emocional est intimamente relacionado com imagens e da </p><p>imaginao. (Nielsen, 2009, p. 131; trad. da autora).3 </p><p>Assim, quando os alunos esto a usar a sua imaginao esto tambm a utilizar o </p><p>seu domnio afetivo, sendo mais agradvel para eles aprender e memorizando mais </p><p>facilmente os contedos. Segundo o autor, por este motivo que Egan acredita que utilizar </p><p>ferramentas cognitivas como a narrativa essencial, uma vez que uma histria (narrativa) </p><p>no nos mostra apenas a informao que esta contm, antes nos diz como nos sentimos </p><p>sobre o contedo pois a informa...</p></li></ul>

Recommended

View more >