38. abismo

Download 38. abismo

Post on 23-Jun-2015

218 views

Category:

Spiritual

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. 1| ApostilaAbismo ABISMO(Gen 1: 2; 7: 11; II Pe 3: 6; Gen 8: 2) Ento "se romperam todas asfontes do grande abismo, e as janelas do cu se abriram". Gn. 7:11. Agua parecia vir das nuvens em grandes cataratas. Os rios romperamos seus limites, e inundaram os vales. Jatos de gua irrompiam daterra, com fora indescritvel, arremessando pedras macias amuitos metros para o ar; e ao carem, sepultavam-se profundamenteno solo. (PP, 99)Os homens excluram a Deus de seu conhecimento, e adoraram ascriaturas de sua prpria imaginao; e, como resultado, se tornarammais e mais desprezveis. O salmista descreve o efeito que sobre oadorador de dolos produzido por tal culto. Diz ele: "Tornam-sesemelhantes a eles os que os fazem, e todos os que neles confiam."Sal. 115:8. uma lei do esprito humano que, pelo contemplar, somostransformados. O homem no se elevar acima de suas concepessobre a verdade, pureza e santidade. Se o esprito nunca exaltadoacima do nvel da humanidade, se no pela f elevado a contemplar asabedoria e o amor infinitos, o homem estar constantemente asubmergir mais e mais. Os adoradores de deuses falsos vestiram suasdivindades com atributos e paixes humanas, e assim sua norma decarter se degradou semelhana da humanidade pecadora.Corromperam-se conseqentemente. "Viu o Senhor que a maldade dohomem se multiplicara sobre a Terra, e que toda a imaginao dospensamentos de seu corao era s m continuamente." "A Terra,porm, estava corrompida diante da face de Deus; e encheu-se a Terrade violncia." Gn. 6:5 e 11. Deus dera ao homem os Seusmandamentos, como regra da vida; mas Sua lei era transgredida, etodos os pecados imaginveis foram o resultado. A impiedade dohomem era franca e ousada, a justia pisada no p, e os clamores dosopressos chegava at o Cu.A poligamia fora logo introduzida, contrria s disposies divinas dadasao princpio. O Senhor dera a Ado uma s esposa, mostrando Sua</li></ul><p> 2. A p o s t il a A b is m o |2ordem a tal respeito. Mas, depois da queda, os homens preferiramseguir os seus prprios desejos pecaminosos; e, como resultado, ocrime e a misria aumentaram rapidamente. Nem a relao docasamento nem os direitos de propriedade eram respeitados. Quemquer que cobiasse as mulheres ou as posses de seu prximo, tomava-as pela fora, e os homens exultavam com suas aes de violncia.Deleitavam-se na destruio da vida de animais; e o uso da carne comoalimento tornava-os ainda mais cruis e sanguinolentos, at que vierama considerar a vida humana com espantosa indiferena. (PP, 91 / 92) Ex 15: 5, 8; J 28: 14; 38: 16; 38: 30; 41: 32; Sl 30: 3; 33: 7; 36: 6; 42: 7; 69: 15; 71: 20; 77: 16; 78: 15; 88: 6; 104: 6; 107: 26; 135: 6; 148: 7; Prov. 3: 20; 8: 24; 8: 27; 8: 28; Isa 14: 15; 51: 10; 63: 13; Ez 26: 19; 31: 4; 31: 15; Amos 7: 4; Jonas 2: 5; Ml 1: 4; Hac 3: 10; Luc 8: 31; 16: 26; Rom 10: 7; II Cor 11: 25; Apoc 9: 1; 9: 11; 9: 2; 17: 8; 20: 1; 20: 3; Mat 6: 22, 23; Luc 11: 33 36; Mat 5: 14 -16; Joo 8: 12 Textos para comparao, J 34: 22; Isa 8: 22; 9: 2 50: 10; 59: 9; II Cor 6: 14 16; I Joo 1: 6.Ez 28: 13 15. Mesmo depois de haverem recebido o mais plenoconhecimento, ter-se-ia renovado a dificuldade a qualquer questo deprecedncia. Assim sobreviria runa igreja de Cristo depois de Suapartida. A luta pelo mais alto lugar era a operao do mesmoesprito que dera origem grande controvrsia nos mundos decima, e trouxera a Cristo do Cu para morrer. Diante dEle surgiu aviso de Lcifer, o "filho da alva", sobrepujando em glria a todosos anjos que rodeavam o trono, e ligado pelos mais ntimos laosao Filho de Deus. Lcifer dissera: "Serei semelhante ao Altssimo"(Isa. 14:12 e 14); e o desejo de exaltao prpria levara conflito scortes celestiais, e banira uma multido das hostes de Deus. Houvessena verdade Lcifer desejado ser semelhante ao Altssimo, e nunca teriaperdido o lugar que lhe fora designado no Cu; pois o esprito doAltssimo manifesta-se em abnegado ministrio.Lcifer desejava o poder de Deus, mas no o Seu carter. Buscavapara si mesmo o mais alto lugar, e toda criatura que movida por seuesprito far o mesmo. Assim sero inevitveis a separao, a discrdia 3. 3| ApostilaAbismoe a contenda. O domnio torna-se o prmio do mais forte. O reino deSatans um reino de fora; cada indivduo considera todos os outroscomo obstculo no caminho de seu prprio progresso, ou um degrausobre o qual pode subir para chegar a uma posio mais elevada.Enquanto Lcifer reputava o ser igual a Deus uma coisa de que sedevesse apoderar, Cristo, o Exaltado, "aniquilou-Se a Si mesmo,tomando a forma de servo, fazendo-Se semelhante aos homens; e,achado na forma de homem, humilhou-Se a Si mesmo, sendo obedienteat morte, e morte de cruz". Filip. 2:7 e 8 (DTN, 435 - 436)Era um ser admirvel de poder e glria o que se pusera em oposio aDeus. De Lcifer, diz o Senhor: "Tu s o aferidor da medida, cheiode sabedoria e perfeito em formosura." Ezeq. 28:12. Lcifer fora oquerubim cobridor. Estivera luz da presena divina. Fora o maiselevado de todos os seres criados, e o primeiro em revelar ao Universoos desgnios divinos. (DTN, 758)Lcifer: Portador de luz, aquele que brilha, ou aquele que tem a luz.A palavra sinete em hebraico KHAW THAN, que significa lacrado,selado, feito para um fim.A palavra perfeio no hebraico TOKNITH: na medida certa, ouseja, no padro ou soma das outras medidas, ele foi o padro dasoutras medidas, no podia ser aberto.Dele emanava todo o conhecimento de Deus.ABISMO: Palavra que no hebraico TEHOWM, que tem vriossignificados.O primeiro: guas profundas. Lembrando que gua na Bblia umafigura de esprito ou mundo espiritual.O segundo: sensaes ruins de perigo ou angustia.O terceiro significado: o oposto do Cu. xodo 15: 5, onde fala domar que cobre as pedras. Que tambm significativo. Pois na verdadeestava falando do exercito de fara que estava sendo coberto pelas asguas do mar. 4. A p o s t il a A b is m o |4ABISMO. II Pe. 2: 4; Pois Deus no poupou os anjos que pecaram,mas precipitou-os os nos abismos tenebroso do inferno, reservando-ospara o juzo. Neste sentido um sentido espiritual. Isto quer dizer queelos foram condenados a viver na eterna escurido espiritual, at quechegue o dia de sua destruio. Ou seja, nunca mais podero terconhecimento das coisas de Deus.Judas 6 E quanto aos anjos que no conservaram sua primazia, masabandonaram sua morada, guardou-os presos em cadeias eternas, sobas trevas, para o julgamento do grande Dia.Esses anjos foram criados para serem morada do esprito de Deus, ouseja, ter o Esprito de Deus, mas eles se rebelaram contra o SeuCriador, tendo um esprito do mal. (Luc 11: 33 36; Mat 6: 22 23; Mat5: 14 -16;Joo 8: 12; 9: 5)Gen 1: 2 A terra estava deserta e vazia, as trevas cobriam o oceano eum vento impetuoso cobriam as guas. Ou seja, um mundo espiritualde trevas. Que eram retidos pelo o poder do Esprito Santo.(Luc.1:31-35; 1Cor.15:22,44-48; Heb.4:15) Sede cuidadosa,sumamente cuidadosa na forma em que vs ocupais da natureza deCristo. No o apresenteis perante o povo como um homem comtendncia ao pecado. Ele o segundo Ado. O primeiro Ado foicriado como um ser puro e sem pecado, sem uma mancha depecado sobre ele; era a imagem de Deus. Podia cair e caiu pela atransgresso. Por causa do pecado sua posteridade nasceu comtendncias inerentes desobedincia. Porem Cristo era o unignitoFilho de Deus. Tomou sobre si a natureza humana, e foi tentado emtodo sentido como tentada a natureza humana. Podia ter pecado;poderia ter cado porem em nenhum momento houve nele tendncia aalgum mal. Foi assediado pelas as tentaes no deserto como foi Adopelas as tentaes no den.Gen 1: 2; J 41: 31; Sl 71: 20; J 41: 22-24. Ex 19: 16.Abismo, a RVR traduz como priso, alguns MSS dizem poo ouabismo. A linguagem de Pedro figurada, e no serve paraidentificar nenhum lugar especial como a morada dos anjoscados. Judas diz que os anjos esto guardados debaixo daescurido em algemas eternas. 5. 5| ApostilaAbismoPoo de um lugar sem fundo, ou poo do abismo. A palavra se usavarias vezes na LXX para traduzir a palavra hebria tehom (ver com.Gen 1: 2, onde abussos representa o oceano primitivo). Em Jo 41: 31representa o mar em geral: no Sal 71: 20, as profundezas da terra. Obussos onde vive o levitam, segundo a LXX, cujo texto foi tirado daBJ. Eis aqui a descrio que aparece em J: faz do abismo uma panelaborbulhante, que exala sua brisa perfumada. Deixa atrs de sim umaesteira luminosa, o abismo dir uma marca branca... Eis rei de todos osfilhos do orgulho (J 41: 23-24, 26 BJ), o poo do abismo se podeconsiderar como um smbolo das extensas regies do deserto rebe, deonde saram os seguidores de Mahome para estender suas conquistasem grandes regies.Em resumo: abismo, quer dizer que a terra e suas limitaespelo pecado, e assim como Cristo tem as chaves da porta dasalvao o diabo tem as chaves da destruio.Gen 19: 28; Ex 19: 18; Joel 2: 2, 10; Apoc 8: 12; Joel 1: 11; Luc 8:31.POO DO ABISMOESCURECEU-SE. Cf com. cap. 6: 12; Isa 13: 10; Ez 32: 7; Jl 2: 31; Mat24: 29; Mar 13: 24-25; Luc 21: 25; Apoc 8: 12) a escurido tambmcaracterstica da quinta praga (cap.16: 10). O escurecimento do sol podese considerar, com, respeito aos mulumanos, como o escurecimentodo sol do cristianismo. Tal foi o efeito da propagao da religioislmica. Este escurecimento do Sol pode se considerar como umescurecimento espiritual. Mais precisamente com apostasia daigreja.Que a expresso "abismo" representa a Terra em estado de confuso etrevas, evidente de outras passagens. Relativamente condio daTerra "no princpio", o relato bblico diz que "era sem forma e vazia; ehavia trevas sobre a face do abismo". Gn. 1:2. A profecia ensina queela voltar, em parte ao menos, a esta condio. (GC, 658)O profeta Isaas, vendo antecipadamente o tempo da queda deSatans, exclama: "Como caste do Cu, estrela da manh, filha daalva! como foste lanado por terra, tu que debilitavas as naes! E tu 6. A p o s t il a A b is m o |6dizias no teu corao: Eu subirei ao Cu, acima das estrelas de Deusexaltarei o meu trono. ... Serei semelhante ao Altssimo. E contudolevado sers ao inferno, ao mais profundo do abismo. Os que te viremte contemplaro, considerar-te-o, e diro: este o varo que faziaestremecer a Terra, e que fazia tremer os reinos? Que punha o mundocomo um deserto, e assolava as suas cidades? que a seus cativos nodeixava ir soltos para suas casas?" (Isa. 14:12-17; Apoc 8: 10; Apoc 12:7-9 (GC, 659) (Apoc 8: 13; 14: 6; 19: 17; 9: 12; 11: 14; 12: 12; 3: 10)9.1. O domnio do papado, quando satans teve total controle sobre aigreja e foi lhe dado todo poder. Apoc 8: 10; Isa 14: 12; Luc 8: 31. Aquiem (Luc 8: 31), os demnios ficam com medo de Cristo lhesprobam de aproximar dos homens para continuar sua obrar deatormentar. (Apoc 8: 13); guia smbolo de viso espiritual esclarecida,algum com viso espiritual, estaria tocando as trombeta (trsmensagens anglicas juntas) e que seria desmascarados os demniose Satans estaria agindo com todo poder de engano (14: 6; 19: ) aquipode se dizer como EGW, Vi o terceiro anjo...). justamente ao serdesmascarada toda apostasia, um poder religioso (mulher, querepresenta igreja) estaria vivendo no esprito dos sete perodos da eracrist, s que da maldade (17; 9); o povo de Deus vencer por causa damorte de Cristo (12; 11) aqui vemos a perseverana dos santos (14; 12)pouco tempo lhe resta, pode denotar os ltimos momento da historia daterra (12: 12), ao mesmo tempo que ter um acumulo do mal, tambmum acumulo do bem (3: 10).O QUINTO ANJO.Perodo da igreja de Tiatira, a primeira advertncia com Lutero ( GC,211) A quinta trombeta o primeiro ai, que apresenta nos vers 1-12 (vercap. 8: 13; um nascimento da luz da Palavra de Deus Isto Haja Luzdepois de um grande perodo de trevas espirituais.cf. cap. 9: 13-14;temos Guilherme Miller dando inicio a mensagem do terceiro anjo, quecomo movimento so quatro, fechando com Apoc 18. altar de ouro. Umpovo cheio de conhecimento, com quatro chifres, um povo unido, queformaro um quadrado perfeito. Ex 30: 1-3) 7. 7| ApostilaAbismoUMA ESTRELA QUE CAIU.Ou uma estrela que havia cado. Esta estrela no se v cair, como aque se menciona na terceira trombeta (cap. 8: 10 se apresentam comose j tenha cado sobre a terra). Isa 14: 12; Apoc 8: 10. temos que vque a expresso do profeta como se ele estivesse no perodo daqueda, ele participava, descubra que perodo? interessante notar que afigura de uma estrela cada aparece tambmna literatura apocalptica judia, para descrever a Satans como umaestrela que caiu do cu (Enoc Etipico 88).SE LHE DEU.O poder representado pela a chave no era intrinsecamente seu, lhe foiconcedido por um poder superior ao seu.A CHAVE.A posio da chave significa poder para abrir e para fechar (Apoc 3: 7;cf. Mat. 16: 19)9.3 Ex 10: 12-15, 5, 10; Eze 2: 6; Luc 10: 19; 11: 12.GAFANHOTOS.Esta praga recorda a praga dos gafanhotos que arrasou o Egito (Exo 10:3-15). Aqui temos uma luta espiritual, entre um chamado para o povoservir a Deus e um poder apostata se passando por Deus.Aqui deve ser a morada de Satans com seus anjos maus, durante milanos. Aqui estar ele circunscrito, para errar para c e acol, sobre arevolvida superfcie da Terra, e para ver os efeitos de sua rebeliocontra a lei de Deus. Durante mil anos, ele poder consumir o fruto damaldio, que ele determinou. Restrito apenas Terra, Satans noter o privilgio de percorrer outros planetas para tentar e molestaros que no caram. Durante esse tempo, Satans sofre extremamente.Desde a queda, suas ms caractersticas tm estado em constanteexerccio. Mas deve ele ento ser despojado de seu poder e deixado arefletir na parte que desempenhou desde sua queda, e aguardar comtremor e terror o terrvel futuro, em que dever sofrer por todo o mal que 8. A p o s t il a A b is m o |8perpetrou, e ser castigado por todos os pecados que fez com quefossem cometidos (MM, F Pela a Qual eu Vivo, 353).Ao esprito de Jesus apresentaram-se as cenas do passado e dofuturo. Contemplou Lcifer, ao ser no princpio expulso dos lugarescelestiais. Viu antecipadamente as cenas de Sua prpria agonia,quando, perante todos os mundos, havia de revelar-se o carterdo enganador. Ouviu o brado: "Est consumado" (Joo 19:30),anunciando estar para sempre assegurada a redeno da raaperdida e achar-se eternamente a salvo das acusaes, enganos epretenses de Satans. (DTN, 490)Julgaremos AnjosNo sabeis vs que havemos de julgar os anjos? Quanto mais s coisaspertencentes a esta vida? I Cor. 6:3.Durante os mil anos entre a primeira e a segunda ressurreio, ocorrero julgamento dos mpios. ... Nessa oportunidade os justos reinarocomo reis e sacerdotes diante de Deus. Joo, em Apocalipse, diz: "Vitronos; e assentaram-se sobre eles aqueles a quem foi dado opoder de julgar. ... Sero sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarocom Ele mil anos." Apoc. 20:4 e 6. nesse tempo que, conforme foipredito por Paulo, "os santos ho de julgar o mundo". I Cor. 6:2.Em unio com Cristo julgam os mpios, comparando seus atoscom o cdigo - a Escritura Sagrada, e decidindo cada casosegundo as aes praticadas no corpo. Ento determinada a parteque os mpios devem sofrer,...</p>