teses etiologia

Download teses  etiologia

Post on 15-Oct-2015

12 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p> UNING UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR ING FACULDADE ING </p><p>CURSO DE ESPECIALIZAO EM PRTESE DENTRIA </p><p>GISELE GHIGGI </p><p>PROTOCOLO DE SELEO DE COR </p><p>PASSO FUNDO </p><p>2010 </p></li><li><p> 1 </p><p>GISELE GHIGGI </p><p>PROTOCOLO DE SELEO DE COR </p><p>PASSO FUNDO </p><p>2010 </p><p>Monografia apresentada unidade de Ps-graduao da Faculdade Ing UNING Passo Fundo-RS como requisito parcial para obteno do ttulo de Especialista em Prtese Dentria. Orientador: Prof. Dr. Cezar Augusto Garbin </p></li><li><p> 2 </p><p>GISELE GHIGGI </p><p>PROTOCOLO DE SELEO DE COR </p><p>Aprovada em 23/09/2010. </p><p> BANCA EXAMINADORA: </p><p>________________________________________________ Prof. Dr. Cezar Augusto Garbin - Orientador </p><p>________________________________________________ Prof. Ms. Paula Cristine Ghiggi </p><p>________________________________________________ Prof. Ms. Alosio Oro Spazzin </p><p>Monografia apresentada comisso julgadora da Unidade de Ps-graduao da Faculdade Ing UNING Passo Fundo-RS como requisito parcial para obteno do ttulo de Especialista em Prtese Dentria. </p></li><li><p> 3 </p><p>Esta conquista no somente minha, dedico minha me, Marivone, </p><p>pois sem seu apoio e sua confiana no chegaria to longe, sempre </p><p>deixando de lado seus sonhos em favor dos meus, voc a grande </p><p>mentora de tudo isso, eu agradeo do fundo do meu corao por estar </p><p>sempre presente ao meu lado me motivando e principalmente por ser meu </p><p>porto seguro, com todo meu amor, Obrigado! </p><p>E ao meu pai, Cesar, obrigada por estar sempre comigo, pela fora, por </p><p>no medir esforos a todos meus pedidos, obrigada pela ajuda em todos </p><p>os momentos, e por ser um exemplo para mim! </p><p>Eu amo vocs! </p><p>Se vi mais longe, foi por estar de p sobre ombros gigantes. </p><p>Isaac Newton </p></li><li><p> 4 </p><p> O futuro pertence queles que acreditam na beleza </p><p>de seus sonhos." </p><p>Elleanor Roosevelt </p></li><li><p> 5 </p><p>AGRADECIMENTOS </p><p>Agradeo a DEUS por ter me presenteado com a vida, com uma famlia </p><p>maravilhosa, com pais que so um porto seguro, e irms amigas, por sempre ter </p><p>tido uma educao privilegiada, por ter colocado a Odontologia em minha vida, </p><p>obrigada pela oportunidade de conhecer grandes pessoas e torn-las grandes </p><p>amigos e por estar sempre me guiando e segurando minhas mos! </p><p>Minha irm Paula, amiga e professora, nas horas vagas, obrigada por estar sempre </p><p>comigo, por ser um exemplo de pessoa e profissional, por me ajudar e me agentar </p><p>em todos os momentos, voc sabe o quanto importante na minha vida! </p><p>Minha irm Luciana, obrigada pela ajuda nas tradues, por sempre me ouvir, </p><p>mesmo longe sempre se fazendo presente, obrigada pela alegria e motivao com </p><p>que sempre manteve, queria voc mais perto! </p><p>Ao meu namorado Maurcio, obrigada por entender minha ausncia, por </p><p>compreender sempre minha falta de tempo e pelos momentos de mau humor </p><p>durante a monografia, voc sempre teve muita pacincia comigo e me ajudou em </p><p>tudo que eu precisei, esteve ao meu lado em todos os momentos me apoiando, </p><p>obrigada pela dedicao, pelo carinho e principalmente por acreditar em mim, voc </p><p>sabe o quanto especial. </p><p>Meu professor orientador, amigo e companheiro de fazer prtese, Dr. Cezar </p><p>Garbin, como lhe agradecer? Faltam palavras para expressar todo carinho e </p><p>gratido que sinto, neste tempo todo em que nos conhecemos voc me passou </p><p>muito mais que ensinamentos, me mostrou o quanto somos vencedores e que </p><p>nunca devemos desistir diante de qualquer dificuldade, me fez acreditar em mim </p><p>quando eu achava que no era capaz, foi seu estmulo e confiana que me fez </p><p>crescer, voc muito mais que um exemplo, uma referncia, mesmo quando no </p><p>estava presente em nossa especializao voc sempre esteve em nossos </p><p>coraes, eu te agradeo por tudo que voc fez, por todas as oportunidades que </p><p>voc me deu, estarei sempre tentando retribuir, obrigada de todo meu corao por </p></li><li><p> 6 </p><p>me mostrar que a escalada de uma montanha longa, mas a vista </p><p>maravilhosa.. </p><p>Co-orientador e amigo Prof. Ms. Christian Schuh, obrigada por todo ensinamento, </p><p>pela confiana depositada, pela franqueza com que sempre nos corrigiu e mostrou </p><p>que tnhamos que aprender e pela amizade, voc foi muito importante para que </p><p>meu aprendizado se tornasse completo. Obrigada!! </p><p>Querido Prof. Ms. Leonardo Federizzi, voc deu o seu melhor por nossa </p><p>especializao, em inmeras vezes quando voc ficava pequeno dentro da clnica, </p><p>com seu jeito nico e cheio de pacincia fazia de tudo para nos atender, voc um </p><p>exemplo de como um mestre deve agir, obrigada pela amizade, voc foi essencial </p><p>para esta conquista, muito obrigada! </p><p>Prof. Ms. Alosio Spazzin, obrigada por toda ajuda, principalmente na monografia, </p><p>obrigada por todo ensinamento, obrigada sempre pelo empenho e pela vontade de </p><p>nos ensinar, sem medir esforos para isso. </p><p>Prof. Dra. Lilian Rigo, obrigada pela amizade, pela confiana, pela grande ajuda </p><p>com a monografia, sempre pronta e disposta em todos os momentos, pela </p><p>pacincia com que nos conduziu, tentando sempre nos tranqilizar, obrigada!!! </p><p>Aos meus colegas, Alexandre Rubik , Alexandre Trevizani, Maurcio Pelle, pelos </p><p>momentos de descontrao, alegria, e amizade, foi muito bom ter conhecido e </p><p>convivido com todos vocs. </p><p>s minhas colegas e amigas Marisa Badalotti, amiga me ou me amiga, pelos </p><p>conselhos, almoos, momentos descontrados, a amizade realmente algo que </p><p>conquistamos, a Bruna Baseggio, obrigada pelas conversas, parcerias, foi muito </p><p>bom ter convivido contigo nesse tempo, Caroline Pinzetta, sempre autntica e </p><p>sincera aprendi muito contigo, obrigada pela amizade, Litiane Paludo, obrigada </p><p>pela amizade, e, agradeo especialmente minha dupla querida ngela Limberger, </p><p>obrigada pela amizade, voc foi minha companheira desde o incio, muitos </p></li><li><p> 7 </p><p>momentos de alegria, festas, risadas, conselhos, adorei poder dividir estes </p><p>momentos contigo, voc uma grande amiga. </p><p>Aos tcnicos em prtese dentria, Felipe e Aline, obrigada por terem pacincia </p><p>quando estavam cheio de trabalho e pedamos nossos trabalhos com urgncia, </p><p>obrigada pela parceria e amizade! </p><p>Aos funcionrios do CEOM, Tnia, Carla, Priscila, Dani, Maiara, Lisa, Elisabete, </p><p>sempre prontas para atenderem nossos pedidos, vocs foram essenciais para </p><p>nosso curso. </p><p>Aos laboratrios de prtese Calgaro e Estrasulas, a competncia de vocs revela o </p><p>porqu so to importantes, obrigada por terem feito sempre o melhor. </p><p>Aos professores convidados que de alguma forma contriburam para que nosso </p><p>conhecimento fosse aumentado, obrigada! </p><p>Aos pacientes do curso, obrigada pela confiana, vocs foram muito importantes </p><p>para essa conquista. </p><p>Aos meus amigos e chefes Nelson Massing e Lauter Teixeira, primeiramente tenho </p><p>que agradecer a ajuda com a monografia, e depois por entenderem o quanto fazer </p><p>esta especializao importante para mim, compreendendo minha ausncia de </p><p>quinze em quinze dias. </p><p>Todos que de alguma maneira contriburam para que essa conquista fosse </p><p>realizada, obrigada! </p><p>Quem caminha sozinho pode at chegar mais rpido, mas quem </p><p>caminha acompanhado chega mais longe. </p><p> (Autor Desconhecido) </p></li><li><p> 8 </p><p>RESUMO </p><p> O aumento da exigncia esttica por parte dos pacientes, aliado ao crescente avano cientfico da Odontologia, tem levado os Cirurgies Dentistas a buscarem a excelncia nos procedimentos restauradores com o auxlio de uma equipe de trabalho qualififcada. Toda vez que se faz a seleo de cor de um trabalho, o Tcnico em Prtese Dentria precisa receber corretamente as informaes para que assim possa realizar seu trabalho da melhor maneira possvel. Mediante uma reviso da literatura cientfica, o presente estudo teve como objetivo, estabelecer um protocolo de informaes sobre a seleo de cor que auxilie o TPD na confeco de uma restaurao prottica. Diante das observaes encontradas na literatura foi possvel concluir que: o ambiente para a seleo de cor deve possuir cores neutras, a comparao da cor com a escala no deve exceder 5 segundos, alm disso, as escalas de cor disponveis servem como um guia no momento da seleo de cor, e devem ser usadas de acordo com o material restaurador selecionado; os instrumentos eletrnicos como colormetros digitais e espectrofotmetros so mais eficientes do que as escalas; fotografias digitais auxiliam na seleo de cor, assim como o mapeamento das caractersticas dos dentes. </p><p>Palavras-chave: cor, esttica dentria, tcnicos em prtese dentria </p></li><li><p> 9 </p><p>ABSTRACT </p><p> The growing esthetics requirements made by patients and the increasing </p><p>advances in dental technologies triggered dentists to search for excellence in restorative procedures aided by a qualified team. When performing shade selection in a patient, the technician has to know the correct information of the patient so as to perform his work well. Through a literature review, this study aims at establishing a protocol of information regarding shade selection in order to help the framework fabrication by the technician. According to the literature, it was possible to conclude that: the environment where the shade selection is performed must have neutral colors, the matching cannot exceed 5 seconds. In addition, shade tabs work as a guide during the selection and must be in accordance with the restorative material selected; electronic devices such as the digital colorimeter and the spectrophotometer are more efficient than shade guides; digital photos improve the shade selection as well as mapping teeth features. </p><p>Key words: shade, restorative esthetics, prosthesis technician. </p></li><li><p> 10 </p><p>LISTA DE ILUSTRAES </p><p> Figura 1 - Escala de Cor Vitapan Classical (Vita Zahnfabrik, Bad </p><p>Sckingen, Alemanha)..................................................................................... </p><p>22 </p><p>Figura 2 - Escala de Cor Vita 3-D Master (Vita Zahnfabrik, Bad Sckingen, </p><p>Alemanha)........................................................................................................ </p><p>22 </p><p>Figura 3 - Escala de Cor de dentina Vitapan 3-D Master (Vita Zahnfabrik, </p><p>Bad Sckingen, Alemanha)......................................................................... </p><p>26 </p><p>Figura 4 - Escala de Cor Vita 3-D Master Linearguide (Vita Zahnfabrik, </p><p>Bad Sckingen, Alemanha)........................................................................ </p><p>28 </p><p>Figura 5 - Escala de Cor Chromascop (Ivoclar Vivadent Schaan, </p><p>liechtenstein).................................................................................................... </p><p>29 </p><p>Figura 6 - Vita Easyshade Compact (Vita Zahnfabrik, Bad Sckingen, </p><p>Alemanha)........................................................................................................ </p><p>31 </p><p>Figura 7 - Mapeamento de cor da dentina...................................................... 46 </p><p>Figura 8 - Mapeamento da cor do esmalte..................................................... 46 </p></li><li><p> 11 </p><p> SUMRIO </p><p>1 INTRODUO .......................................................................................... 12 </p><p>2 REVISO DE LITERATURA .................................................................... </p><p>14 </p><p>2.1 EXAME CLNICO ...................................................................................... 14 </p><p>2.2 PROPRIEDADES PTICAS ..................................................................... 15 </p><p>2.3 ILUMINAO............................................................................................. 17 </p><p>2.4 ESCALAS DE COR E INSTRUMENTOS ELETRNICOS........................ 21 </p><p>2.5 IMAGENS DIGITAIS ................................................................................. 38 </p><p>2.6 MAPAS DE COR ....................................................................................... 45 </p><p>2.7 SELEO DE COR NO CONSULTRIO ................................................. 46 </p><p>2.8 COMUNICANDO A COR .......................................................................... 49 </p><p>3 DISCUSSO.............................................................................................. 52 </p><p>4 CONCLUSO............................................................................................ 56 </p><p>REFERNCIAS.................................................................................................... </p><p>57 </p><p>ANEXOS .............................................................................................................. 61 </p></li><li><p> 12 </p><p>1 INTRODUO </p><p>Na Odontologia, com o aumento da exigncia esttica por parte dos </p><p>pacientes, de nada adianta realizar tratamentos restauradores com harmonia de </p><p>textura e forma, sem que atinja concordncia na cor (GRIFFIN, 2009). Alm disso, </p><p> importante salientar que a comunicao com o tcnico do laboratrio essencial </p><p>para o sucesso do trabalho, porm esta comunicao no existe e, ou </p><p>inadequada. Em muitos casos o que acontece que os cirurgies dentistas no </p><p>esto preparados para uma comunicao efetiva, pois, no compreendem o </p><p>trabalho do prottico, isto porque as faculdades no esto preparando os novos </p><p>alunos para ter uma comunicao com o tcnico (JUSZCZYK; CLARK; RADFORT, </p><p>2009). </p><p>Cada vez mais se busca criar dentes bonitos com propores inerentes e um </p><p>agradvel arranjo de dentes em harmonia com a gengiva, lbio e rosto do paciente. </p><p>A esttica de toda a restaurao precisa considerar os parmetros de textura </p><p>superficial, translucidez e cor, sendo esta determinada por fatores intrnsicos e </p><p>extrnsicos. O intrnsico est associado com a disperso de luz e propriedades de </p><p>absoro do esmalte e dentina, quais componentes da luz so absorvidos e </p><p>refletidos pelo dente. Por outro lado o extrinsco est relacionado com a absoro </p><p>de pigmentos (caf, chs, vinho tinto, entre outros) na superfcie dentria (JOINER, </p><p>2004). </p><p>A seleo da cor dos dentes uma etapa crtica principalmente por ser uma </p><p>anlise subjetiva, causando frustraes ao profissional e insucessos. </p><p>Possivelmente, estas falhas se devem falta de controle das variveis que levam </p><p>aos resultados insatisfatrios. Alguns conceitos fundamentais devem ser </p><p>incorporados prtica clnica para que se alcance a cor aproximada do dente </p><p>natural nas restauraes estticas. A compreenso da cor e dos fatores que afetam </p><p>a seleo da cor, os procedimentos que devem ser seguidos, assim como a </p><p>comunicao com o laboratrio so alguns dos fatores que a prtica odontolgica </p><p>ainda carece. Alguns fatores como fadiga, envelhecimento, condies de </p><p>iluminao e metamerismo podem alterar a percepo da cor. A cor e a aparncia </p><p>dos dentes so fenmenos complexos, e a sua medio continua a ser um desafio. </p><p>Portanto uma compreenso completa da aparncia e atributos dos dentes naturais </p><p> necessria (RUSSEL; GULFRAZ; MOSS, 2000). </p></li><li><p> 13 </p><p>Somente com uma comunicao adequada a seleo de cor de uma </p><p>restaurao, que por sua vez possui diversas variveis, ser possvel. Cada vez </p><p>mais se verifica a necessidade de uma interao entre dentistas e tcnicos de </p><p>laboratrio para um trabalho em equipe. Porm a comunicao ainda pobre, seja </p><p>pela crescente falta de comunicao entre estudantes e laboratrio em sua </p><p>graduao, fazendo com que sem saber confeccionar a prtese no tem como </p><p>discutir com o laboratrio, ou ento porque o tcnico no tem a oportunidade de ver </p><p>o paciente, e sim a moldagem feita dele, por isso alm de bem desenvolvidas as </p><p>habilidades do d...</p></li></ul>