quem sou eu

Download Quem sou eu

Post on 21-Jun-2015

414 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. Quem sou eu?Bom meu nome Adriana Teixeira da silvaXimenes, tenho 15 anos e vou contar sobre aminha vida desde o meu nascimento. Tudocomea no dia 14041998, as 00h03min, nohospital Azevedo Lima em Niteria terceirafilha de minha me Mnica Teixeira da silvaXimenes, a primeira e nica filha do sexofeminino do meu pai Jos Cleiton XimenesMelo.Quanto eu tinha alguns meses de vida, minhairm Monique me derrubou da cadeira debalano, minha moleira ficou molinha, depoiscom oito meses meus primeiros dentinhosapareceram, com nove meses comecei a andar,e a falar com um ano e cinco meses.Quando eu era pequena minha me saia paraos forrs e me deixava com minhas irmsMonique e Dominique. Um grande problema

2. que sempre achei em minha me foi maneiracomo ela cuida dos seus filhos na verdademinha me um pouco porca e me deixavalargada na rua, descuidada. Meu pai quandome via na rua no gostava, e ficava pedindopara ir para casa.Minha me sempre foi doidinha s vezes elasaia e me deixava l sozinha com meus irmos.Nunca tive infelizmente uma me que eupudesse compartilhar cada momento, cadafase da minha vida, nem meu crescimentodireito ela no viu.Quando eu tinha uns trs anos de idade, nessetempo o Palhao Carequinha (Brizolo), a noiteera tomado pelos vagabundos, na parte damanh eu ia pra l brincar ficavapraticamentejogada l, meu pai via e melevava para casa como sempre fizera.Lembro-me que tinha uma menina que eraminha vizinha a Isabela, ela era minha melhoramiga da infncia, todo dia eu ia a casa dela ela 3. era rica, tinha uma casa bonita, escolaparticular, vrios brinquedos lindos. Nsbrincvamos muito, ela me dava muitosbrinquedos que ela no queria, mas, e euadorava isso.Tinha uma mulher que ela sempre quis serminha madrinha, mas minha me nunca mebatizava, ela era muito legal me dava muitascoisas, beco, brinquedos, roupas etc.Com uns cincos anos, minha me foi trabalhare eu fiquei sozinha em casa dormindo, entocomeou a chover muito forte acompanhadode uma ventania, ainda faltando energia, era,mas ou menos umas 18 h, minha casa comeoua alagar, eu fiquei muito assustada, com medo,depois de alguns minutos meu pai chega londe eu estava, com uma lanterna na mo,estava muito escuro, ele me tirou de l e melevou para sua casa.Minha irm Dominique era sempre a,masimplicante sempre me fazendo raiva, ela 4. ficava vestindo minhas roupas e quando fuivestir as dela ainda brigou comigo.Eu e meu irmo Zeca fugimos de casa comcinco anos, ficamos em um ponto de nibusesperando pelo nibus em que pudssemosentrar, quando chegou esse nibus meu irmoconseguiu passar por debaixo das pernas damulher que estava entrando, j eu noconseguir fiquei nervosa na hora, acho queainda tinha um pouco de juzo na hora, pegueio orelho e liguei para o celular de minha me,que veio imediatamente me pegar. Meu irmofoi achado pelo meu vizinho Junior que j foinamorado de minha me que era pai deMonique e Dominique, ele achou meu irmoem Tribob. Depois desse acontecimento meupai me levou para ir dormir l na casa dele. Eledormia no colcho no cho e eu na cama aolado, ele acordava cedo para ir entregar gs, esempre quando acordava l estava um pedaode bolo que ele chama de "p seco", mas obolinho de chuva, depois de lanchar eu ia l 5. fora pegar um abacate, pois ao lado tinha ump de abacate, eu no sei por que, mas euescondia esse abacate de meu pai, acho queera com medo dele brigar, chegava casa daminha me e pedia pra ela fazer vitamina.Ainda nesse tempo meu pai foi morar com suaex-mulher a Lcia que me do meu irmoGabriel, morei um tempo com ela, ela se gabaque cuidou de mim quando eu era, maspequena, que me levava ao hospital quando euestava doente e mais um monte de coisas. Notempo em que morei com ela, fui praticamentehumilhada, meu irmo o Gabriel derrubavaseus brinquedos de proposito para eu pegar ecolocar no lugar. Um certo dia, ela saiu commeu irmo e me deixou trancada entre a portada entrada e a varanda, meu pai passou emcasa e me tirou de l, me levou para entregargs com ele, ela passou e nos viu. Quandocheguei em casa no tinha se quer uma roupaminha dentro de casa, ela jogou tudo que eutinha na rua, e fechou a porta na minha cara, 6. fui pra casa de minha me. Hoje me deparocom ela e penso "o que leva uma pessoa aexpulsar uma criana de casa?", depois de umtempo expulsou meu pai tambm e fez amesma coisa que fez comigo.Meu pai tomou uma deciso me mandar paraSanta Quitria (CE). Em 2005 com sete anosminha tia Joana Darck, feia me buscar, fomosde nibus trs dias exato de viagem, fiqueiamiga de uma menina no nibus, mas a gentese separou, pois o destino dela era Fortaleza eo meu Santa Quitria, primeiro fui casa daminha outra tia a Cleidiane, depois de uns doisdias fui para Santa Quitria.Primeiro morei no interior de Santa Quitriacana-fstula, no comeo no gostei de nada del era tudo to diferente que no meacostumava com esse lugar.No segundo dia, uma menina chamada Claraveio me ver, ns nos tornamos melhoresamigas, a gente brincava todos os dias, 7. ramosmuitos doidas. Depois de alguns diascomecei a estudar, no Manoel Rufino da Rochaa nica escola que tinha no interior, e a partirdo ensino mdio a escola era no Liseux. Aescola do interior tinha duas salas e s umafuncionava, e as series eram misturas. Naescola tinha uma menina chamada Elenice elano gostava de mim de forma alguma, s porque eu e a Clara ficamos super amigas, a elaficou com cimes, depois comeou a inventarhistrias dizendo que eu ficava chamando elade "preta", mas nunca havia chamado assim, ame dela ia l em casa dizer que eu estavaimplicando com a filha dela, mas um dia eu e aClara no deixamos barato,quando a Elenicevoltava da escola ns ficamos no meio do matose fingindo de mortas, mas ela passou e nemligou, mas em outro dia eu e Clara sujamosnossas mos na lama e comeamos a abraar aElenice a blusa dela ficou toda suja, depois ame dela descobriu que foi a gente... Depois de 8. um tempo ns nos tornamos amigas, eu ia pracasa dela ela ia pra minha, brincvamos muito.Ns tivemos uma vizinha que era a tia Neuza,ns amos tomar banho l s vezes porque notiamos gua encanada em casa, s vezes eu iano rio a tarde pegar gua para tomar banho.Na casa de minha v morava tambm meu tioClaudio, eu sempre gostei muito dele, mas eletinha um problema psicolgico fazendo comque ocorresse ataque nele, quando aconteciaisso ele quebrava tudo que visse pela frente,ele tomavaremdios controlados. O primeirodia que eu vir esse ataque, foi quando eleparou de comer por uns dois dias, no tomavabanho, em uma noite ele comeou a gritar ajogar tudo para cho, ele queria matar meu v,porque minha v no tinha liberdade, meu vde imediato foi at lisieux e chamou o medicologo em seguida me mandou para casa da tiaNeusa, eu ficava observando a minha casa, achegada dos mdicos. Mas no dia seguinteocorreu tudo bem. 9. Minha v sofria com meu v, pois ele no adeixava usar calas, nem shorts, s sais evestidos. Noa deixava ir tomar banho no rio,s se ele fossejunto para vigia-la, e nem podiase quer ir casa de algum em que morassehomens, s se ele fosse junto.Em 2007 me batizei na igreja catlica, minhasmadrinhas eram: Luciana e Lucimar, e ospadrinhos eram: Marion e Raimundo.Para ir a Lisieux era precisa ir de "pau dearara", quem dirigia esse carro era meu tioAntnio Lino marido da minha tia Dark, naverdade nunca gostei muito dele ele semprefoi muito folgado, ele no a merecia, umamulher guerreira, batalhadora. Ela se cuidavamuito era, mas bonita, mas quando foi casarcom ele se esqueceu de simesma. Em2007tiveram uma menina chamada Daniella eucuidei dela por muito tempo, e na verdadesempre achei que ele gostasse da minha outratia a Luciana, mas ela nunca quis nada com ele. 10. No ano de 2007, fiz um aniversrio de oitoanos, fiquei um pouco triste por que vierampoucas, no veio a Patrcia a Camila, que eramgrandes amigas. Mas esqueci, pois a Claraestava l isso que importava, ela era minhamelhor amiga mesmo.Aos nove anos fiz minha primeira comunho,eu fazia aulas dia de domingo na casa da tiaNeuza.Meu pai veio para minha para minha primeiracomunho dessa fez trouxe meu irmo Zeca eo deixou para minha v cuidar dele, de carrocomo sempre fez, eu estava toda de branco,cortei meu vestido do batismo e coloquei ablusa da comunho, minha tia e madrinhaLuciana fez um penteado bem legal em mim.Eu estava muito feliz, at me sentar no carro eminha vela quebrar, chorou muito dentro docarro, e quando meu pai e minha tia meolharam eu estava com os olhos inchados, e euexpliquei o que tinha acontecido. Mas l noLisieux minha tia conseguiu uma era usada,mas 11. servia. Confessei-me para o padre, tomei a ostasagrada, mas l no fundo do meu corao eusempre achava a igreja catlica to pra baixo.Depois de alguns dias meu pai foi embora,choro e, mas choro como sempre. Ele comeouum relacionamento com uma mulher emFortaleza a Iriani, ela trabalhava na casa daminha tia Cleidiane.Ganhei minha bicicleta, era roxa e preta amei,ficava andando direto com ela, ia pra escolacom ela, andava depois da escola e etc. Mastinha dias que quando eu a levava para escolaela estava revirada ou com o pneu vazio, mechateada muito com isso. Mas depois depraticamente um ano ela acabou de vez, opneu ficou empinado. Umas das armaes,mas legais de Clara e eu, era implicar com asvacas, meu v tinha vaca, ovelhas, e galinhas.Quando ele saltava as vacas em um campoperto de casa, eu e Clara amos implicar com asvacas em cima de uma arvore e s saiamos 12. quando meu v tirava as vacas de l, nsramos muito doidas.No dia das crianas ganhei uma boneca da minhatia Luciana e um par de brincos da minha v,fiquei muito feliz, mas essa alegria acaba depoisde alguns minutos, minha v comea a passar mal,ento meu v e minha tia a levam para o hospitalem Sobral, e eu fui para a casa de Clara. Minha vpassou um tempo internada tinha que fazer umaoperao, meu v comeou com umas sadasestranhas a noite para Lisieux depois descobrimosque meu v estava traindo a minha v, com umavagabunda.No tempo que minha v estava internada minhatia Cleidiane vei