linha do tempo ciencias nf6 a

Download Linha do tempo ciencias nf6 a

Post on 31-Jul-2015

186 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • A Cincia Atravs dos TemposSculos XVIII e XIXUniversidade do Estado de Minas GeriasFaE CBHNF6AGrupo: Brbara Mello; Camila Jlia; Dbora Malaguth; Felipe dos Santos Gomes; Isabela Pereira.

  • Sculo XVIIIO Sculo das Luzes

  • Sculos das LuzesOs Tempos de IluminismoA humanidade havia aprendido sobre o universo, com um novo modo de ver o mundo, chega concluso, que o pensamento no precisa mais de limites ou tutores, negando a teologia na construo dos saberes, desligando a cincia da igreja.Conhecimento era dito como fator chave para a virtuosidade e felicidade.

  • Iluminismo para KantO filsofo Kant, define o que Iluminismo:

    A sada do homem de sua menoridade, da qual ele o prprio responsvel. (...) Sapere aude! Tenha coragem de usar seu prprio entendimento(WEFFORT, 2006, p. 83).

  • Iluminismo Sc. XVIIIKant, portanto, define o Iluminismo como aquilo que permite ao homem pensar por si mesmo e repensar as decises dos outros. (CHASSOT, 2004, p. 165)

    O nome iluminismo fez uma aluso ao perodo vivido at ento, desde a Idade Mdia, perodo este de trevas, no qual o poder e o controle da Igreja regravam a cultura e a sociedade.

  • Iluminismo Sc. XVIIIO Iluminismo assim, advindo do racionalismo e do empirismo do sculo XVII, concebe suas reflexes filosficas.

    O Iluminismo tem como plano de fundo e contexto histrico a Europa na:(1760 a 1830) -Primeira Fase da Revoluo Industrial.(1789) - Revoluo Francesa.

  • O Iluminismo defendiaA liberdade econmica, sem a interveno do Estado;

    O avano da cincia e da Razo;

    O predomnio da burguesia e dos seus ideais.

  • Principais pensadores iluministas:Montesquieu (1689-1755) fez parte da primeira gerao de iluministas. Sua obra principal foi O esprito das leis. Antes mesmo da sociologia surgir, Montesquieu levantou questes sociolgicas, e foi considerado um dos precursores da sociologia. Voltaire(1694-1778) Critico da religio e da Monarquia, Voltaire o homem smbolo do movimento iluminista. Foi um grande agitador, polmico e propagandista das idias iluministas. Segundo historiadores, as correspondncias de Voltaire eram concludas sempre com o mesmo termo:

  • Principais pensadores iluministasDiderot (1713-1784) Dedicou parte de sua vida organizao da primeira Enciclopdia, sendo essa a sua principal contribuio. DAlembert (1717-1783) Escreveu e ajudou na organizao da enciclopdia. Rousseau (1712-1778) redigiu alguns verbetes para a Enciclopdia. Suas idias eram por vezes contrrias as dos seus colegas iluministas, o que lhe rendeu a fama de briguento. Sua principal obra foi Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens.

  • Conhecimento no IluminismoO enciclopedismo e os enciclopedistas;

    Lavoisier e a qumica moderna;

    A Revoluo Industrial.

  • O enciclopedismo e os enciclopedistas1750

    A Enciclopdia considerada da obra fundamental do Sculo das Luzes, lanada em 1750, tinha como objetivo reunir os conhecimentos dispersos no planeta, para expor seu sistema para todos os homens e transmiti-los atravs das geraes.

  • A Revoluo Industrial 1760

  • A Revoluo Industrial 1760A sociedade europia ocidental passou, a partir de meados do sculo XVIII, por um processo de transformao global que marcou o estabelecimento do sistema capitalista como modo de produo predominante. Essa transformao atingiu todos os nveis da sociedade e teve no nvel econmico sua concretizao na Revoluo Industrial.

  • A Revoluo Industrial 1760Dessa maneira a Revoluo Industrial deve ser entendida como um conjunto de transformaes ocorridas na indstria, na agricultura, nos transportes, nos bancos, no comrcio, nas comunicaes, ou seja, em toda a economia, que se tornou capitalista. Esse processo envolveu a prpria sociedade, que se dividiu em duas classes principais: a burguesia, proprietria dos meios de produo e o proletariado, que para subsistir tem que vender o nico bem que possui: sua fora de trabalho.

  • A Revoluo Industrial 1760Num sentido mais restrito a Revoluo Industrial representou o processo de mecanizao das indstrias, ocorrido primeiramente na Inglaterra, em fins do sculo XVIII e depois em outros pases como a Frana, Alemanha e os Estados Unidos. De acordo com esse conceito, a partir da mquina a vapor houve uma revoluo industrial que, em sua evoluo, teve vrias fases. No entanto, vrios autores citam trs revolues industriais, sendo que a primeira ocorreu, mais ou menos, entre 1760 e 1870, a segunda entre 1870 e 1945 e a terceira a partir de 1970 at os nossos dias.

  • A Revoluo Industrial 1760A Revoluo Industrial representou a concretizao do sistema capitalista, na medida em que alterou profundamente o dia-a-dia dos homens e de sua forma de vida.

  • Consequncias da Revoluo Industrial 1760A afirmao do capitalismo como modo de produo dominante e da burguesia e do proletariado como classes bsicas na nova estrutura social.A utilizao constante de mquinas e a maior diviso tcnica do trabalho com o conseqente aumento da produo e da produtividade, o que imps o alargamento dos mercados.A falncia das antigas corporaes e manufaturas, a proletarizao dos antigos artesos e o surgimento de uma questo social, uma vez que as condies do proletariado eram precrias.

  • Conseqncias da Revoluo Industrial 1760O aumento da produo e da urbanizao e a reduo de populao rural em conseqncia da Revoluo Agrcola que diminuiu a necessidade de muita mo de obra nos meios rurais.Em virtude da Questo Social, surgimento de ideologias que contestavam o sistema, com o socialismo e o anarquismo.

  • Lavoisier e a qumica moderna 1789A qumica chega ao sculo XVIII ainda marcada pela alquimia.1789Antoine Laurent de Lavoisier (1743-1794) foi o responsvel pela Revoluo Qumica no sculo XVIII, onde a qumica passou a ser tratada como cincia. E com a sua obra: publiTratado Elementar da Qumica publicado em 1789 (Trait lmentaire de chimie), cao considerada marco da Qumica Moderna.

  • A freqente utilizao da balana pode ser considerada uma das principais caractersticas do trabalho de pesquisa de Lavoisier. Isso o levou descoberta da importncia fundamental da massa da matria em estudos qumicos, o que fez concluir que a soma das massas dos reagentes igual soma das massas dos produtos de uma reao, ou seja, a famosa "Lei da conservao das massas".

  • Lavoisier foi o primeiro a realizar a anlise de substncias orgnicas, queimando-as em oxignio e pesando a gua e o gs carbnico formados. Foi assim, um precursor da qumica orgnica. Criou uma nomenclatura das substncias qumicas semelhante que ainda est em uso; surgiram, assim, os compostos do oxignio, enxofre e fsforo, respectivamente. Deve-se a ele tambm a concluso de que a gua uma substncia composta, formada por hidrognio e oxignio. Isso, na poca, foi surpreendente, pois a gua era tida como substncia simples, ou seja, impossvel de se decompor. A partir da publicao do "Tratado Elementar da Qumica" at o dia de sua morte, ele se dedicou ao estudo da fisiologia, realizando, entre outras, pesquisas relativas respirao e transpirao.

  • RefernciasCHASSOT, A.A cincia atravs dos tempos(2. ed.) So Paulo: Moderna, 2004.

    WEFFORT, Francisco Correia (Org.). Os Clssicos da Poltica. v. 2. 11 Ed. 2006.

  • Sculo XIXA Cincia se consolida.

  • Sculo XIXA migrao do criacionismo para o evolucionismo de Darwin, a eletricidade e Marx, a cincia nas relaes sociais.

  • A qumica: da anlise sntese.O tratamento quantitativo dos fenmenos qumicos, a investigao qumica;

    1803 - John Dalton (1766-1844), buscando explicar as propriedades dos gases, prope que estes deveriam ser formados por tomos, que se diferenciam apenas no seu tamanho.

  • A qumica: da anlise sntese.1869 - A tabela peridica legitimada mundialmente, com base nos trabalhos de Dmitri Ivanovitch Mendeleiv(1834-1907). Fundamental para o entendimento da qumica at os dias de hoje.

    Em conseqncia de todos os avanos surge a indstria qumica. Cosmticos, plvora, diferentes explosivos, adubos entre outros;

  • A qumica: da anlise sntese.

  • A fsica: a eletricidade muda a maneira de viverO estudo mais desenvolvido no campo da fsica foi sobre a eletricidade e o eletromagnetismo, dando continuidades as contribuies de Galileu, Newton, Leibnz entre outros;

  • A fsica: a eletricidade muda a maneira de viver1784 - Coulomb, estudou a repulso entre cargas opostas, Lei de Coulomb;

    Luigi Galvani (1737-1798) fez as primeiras experincias sobre conduo eltrica;

  • A fsica: a eletricidade muda a maneira de viver1800 Em 20 de maro de 1800 o italiano Alexandre Volta descobriu a pilha eltrica, que recebeu este nome, j que as primeiras pilhas eram formadas por moedas empilhadas, e a unidade de corrente eltrica, chamada volt em sua homenagem;

  • A fsica: a eletricidade muda a maneira de viverOutros nomes foram importantes para a evoluo nos estudos da eletricidade no sculo XIX como, Georg S. Ohm (1787-1854) estudou a unidade de resistncia eltrica ohm, o dinamarqus Hans Christian Oersted (1777-1851) estudou o campo magntico, o francs Andr Marie Ampre (1775-1836) a unidade de intensidade de corrente, o ampre.

  • A fsica: a eletricidade muda a maneira de viverO britnico Michael Faraday: contribuies no campo da eletroqumica e criador das leis da eletrlise de Faraday. Fez diversas descobertas como: motores e geradores eltricos, os trens e bondes eltricos, o suprimento de eletricidade pblica, as centenas de inventos patenteados pelo estadunidense Thomas Alva Edison e o telefone eltrico inventado pelo estadunidense Alexander Graham Bell.

  • A fsica: a eletricidade muda a maneira de viverJames Clerk Maxwell: escreveu o clebre Tratado