kssf - kardecian spiritist society of florida. roteiro a gÊnese orgÂnica, espiritual e mosÁica...

Download KSSF - KARDECIAN SPIRITIST SOCIETY OF FLORIDA. ROTEIRO A GÊNESE ORGÂNICA, ESPIRITUAL E MOSÁICA GÊNESE ORGÂNICA GÊNESE ESPIRITUAL GÊNESE MOSAICA Primeira

Post on 18-Apr-2015

115 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • KSSF - KARDECIAN SPIRITIST SOCIETY OF FLORIDA
  • Slide 2
  • ROTEIRO A GNESE ORGNICA, ESPIRITUAL E MOSICA GNESE ORGNICA GNESE ESPIRITUAL GNESE MOSAICA Primeira formao dos seres vivos Princpio espiritual Os seis dias Princpio Vital Unio do princpio espiritual e da matria O paraso perdido Gerao espontnea Hiptese sobre a origem dos corpos humanos O homem Encarnao dos Espritos Reencarnaes Emigraes e imigraes dos Espritos Raa admica Doutrina dos anjos decados
  • Slide 3
  • A GNESE ORGNICA
  • Slide 4
  • Cada espcie animal saiu de um primeiro casal ou de vrios casais criados simultneamente em diferentes lugares? A ltima suposio a mais provvel O estudo das camadas geolgicas atesta a presena da mesma espcie sobre os pontos mais distantes do globo A vida de um indivduo est submetida a tantas eventualidades, que toda uma criao poderia estar comprometida, sem a pluralidade dos tipos, o que implicaria numa imprevidncia inadmissvel da parte do Criador
  • Slide 5
  • A GNESE ORGNICA Os elementos constitutivos dos seres orgnicos e inorgnicos so os mesmos; que vm incessantemente, sob o imprio de certas circunstncias, formarem as pedras, as plantas e os frutos, pode-se disso concluir que os corpos dos primeiros seres vivos se formaram, como as primeiras pedras, pela unio das molculas elementares em virtude da lei de afinidade, medida que as condies da vitalidade do globo foram propcias a tal ou tal espcie. A Gnese- cap.X- 15 Na formao dos animais e das plantas, no entra nenhum corpo especial (exclusivamente material) que no se ache igualmente no reino mineral A Gnese- cap. X- 12
  • Slide 6
  • A GNESE ORGNICA L.E- 62 Qual a causa da animalizao da matria? Sua unio com o princpio vital. O Princpio Vital tem por fonte o fluido universal. o que chamais fluido magntico, ou fluido eltrico animalizado. ( LE -65)
  • Slide 7
  • A GNESE ORGNICA O fluido vital um subproduto do FCU encontrado em todos os corpos vivos da Natureza mantido pela ao dos rgos fsicos, pelos alimentos, ar e centros de fora Elemento bsico da vida mantido pela ao dos rgos fsicos, pelos alimentos, ar e centros de fora
  • Slide 8
  • A GNESE ORGNICA Formam-se espontneamente, em nossos dias, seres orgnicos unicamente pela unio dos elementos constitutivos, sem germes preliminares, produtos da gerao comum, ou seja, sem pais nem mes? Os partidrios da gerao espontnea respondem afirmamente e se apiam sobre observaes diretas que parecem conclusivas ( Se aplica somente aos seres mais inferiores, queles onde comea a manifestao da vida) Os contrrios pensam que os seres vivos somente se reproduzem uns pelos outros. ( Essa opinio deixa sempre subsitir a questo da formao dos primeiros tipos de cada espcie) Duas correntes:
  • Slide 9
  • A GNESE ORGNICA Animais Esto livres para procurar seu alimento Zofilos Tm a aparncia exterior da planta, prendem-se ao solo; como animal haurem seu alimento no meio ambiente Plantas O carter mais marcante que as distingue dos animais estarem ligadas ao solo e dele tirarem seu alimento sem deslocamento
  • Slide 10
  • A GNESE ORGNICA Ponto de vista corporal- pertence classe dos mamferos: mesma composio qumica, mesmos rgos, mesmas funes, modos de nutrio, respirao, secreo e reproduo. No h em seu organismo um s tomo diferente dos que se encontram nos animais. Nasce, vive e morre nas mesmas condies Quanto mais o corpo diminui de valor aos seus olhos, mais o princpio espiritual cresce em importncia; se o primeiro o coloca ao nvel do animal, o segundo o eleva a uma altura incomensurvel. Vemos o crculo em que se detm o animal; no vemos o limite onde pode chegar o Esprito do homem.
  • Slide 11
  • A GNESE ORGNICA Chegados ao ponto em que estamos da Gnese, o materialismo se detm, ao passo que o Espiritismo prossegue as suas pesquisas no domnio da GNESE ESPIRITUAL
  • Slide 12
  • A GNESE ESPIRITUAL
  • Slide 13
  • PRINCPIO ESPIRITUAL PRINCPIO MATERIAL (FCU)
  • Slide 14
  • A GNESE ESPIRITUAL O princpio espiritual o corolrio da existncia de Deus; sem esse princpio, Deus no teria razo de ser, porque no se poderia conceber a soberana inteligncia reinando, durante a eternidade, somente sobre a matria bruta. O princpio espiritual tem existncia prpria, independente, uma vez que, se tivesse origem na matria sofreria as vicissitudes da mesma. A inteligncia e o pensamento no podem ser atributos da matria. O elemento espiritual individualizado constitui os seres chamados Espritos.
  • Slide 15
  • A GNESE ESPIRITUAL Intelectualizao da matria Princpio Espiritual Princpio Material Novos corpos Materiais Tudo no universo esta submetido a lei do progresso. Desde a celula verde, desde o embrio errante, a cadeia das especies (manifestaes do princpio inteligente). Cada elo dessa cadeia representa uma forma de existncia que conduz a uma forma superior, a um organismo mais rico, mais bem adaptado as necessidades crescentes da vida; mas, na escala da evoluo, o pensamento, a conscincia e a liberdade s aparecem passados muito graus. L.D
  • Slide 16
  • A GNESE ESPIRITUAL Como no h transio brusca na natureza, provvel que os primeiros homens que apareceram sobre a Terra devem ter pouco diferenciado do macaco pela forma exterior, e, sem dvida, no muito mais pela inteligncia. A Gnese cap. XI- 15 e 16 Corpos de macacos puderam muito bem servir de vestimenta aos primeiros humanos. Em lugar de que uma vestimenta especial fosse feita para o Esprito, nele encontrou uma inteiramente pronta. Deve, pois, ter-se vestido com a pele do macaco, sem deixar de ser Esprito humano. A ORIGEM DO CORPO NO PREJUDICA O ESPRITO, QUE O SER PRINCIPAL. A SEMELHANA DO CORPO DO HOMEM COM O CORPO DO MACACO NO IMPLICA A PARIDADE ENTRE SEU ESPRITO E O DO MACACO.
  • Slide 17
  • A GNESE ESPIRITUAL
  • Slide 18
  • Quando a Terra se encontrou nas condies climaticas prprias existncia da espcie humana, os Espritos humanos nela se encarnaram. De onde vinham? Que esses Espritos foram criados nesse momento; que vieram todos formados da Terra, do espao e de outros mundos, a sua presena depois de um tempo limitado um fato, uma vez que antes deles s haviam animais. A Gnese cap XI- 29
  • Slide 19
  • A GNESE ESPIRITUAL Quando o Esprito deve se encarnar num corpo humano em vias de formao, um lao fludico liga-o ao germe para o qual se acha atrado, por uma fora irresistvel, desde o momento da concepo. Quando o germe est inteiramente desenvolvido, a unio completa, e, ento, ele nasce para a vida exterior. A Gnese cap. XI- 18 A ENCARNAO UMA CONDIO INERENTE INFERIORIDADE DO ESPRITO E UM MEIO DE PROGREDIR. O Cu e o Inferno, cap.III- 8
  • Slide 20
  • A GNESE ESPIRITUAL O princpio da reencarnao uma consequncia necessria da Lei do Progresso. Sem ela como explicar a diferena que existe entre o estado social atual e dos tempos de barbrie? Se as almas so criadas ao mesmo tempo que o corpo, as que nascem hoje so tambm todas novas, to primitivas quanto aquelas que viviam h mil anos.
  • Slide 21
  • A GNESE ESPIRITUAL REENCARNAO: Retorno do Esprito experincia da matria FINALIDADE: Proporcionar ao Esprito meios para sua evoluo Aprender o amor e a sabedoria PROCESSAMENTO: Atravs do renascimento em um novo corpo material, mantendo sua individualidade mas com um novo ego, uma personalidade diferente
  • Slide 22
  • A GNESE ESPIRITUAL H, diariamente, emigraes do mundo corpreo ao mundo espiritual, e imigraes do mundo espiritual ao mundo corpreo, o estado normal. A Gnese Os flagelos ou cataclismas so ocasies de chegadas e de partidas coletivas, os meios providenciais para renovar a populao corprea do globo, de retemper-la com a introduo de novos elementos espirituais mais depurados.
  • Slide 23
  • A GNESE ESPIRITUAL Essa transfuso entre as populaes opera-se tambm entre os mundos. H emigraes e imigraes individuais e coletivas de um mundo para o outro. Novas raas de Espritos se mistura s raas existentes no globo, trazendo com eles a inteligncia e a intuio dos conhecimentos que possuem, imprimem o seu carter raa corprea que vm animar. A Gnese
  • Slide 24
  • A GNESE ESPIRITUAL Os mundos progridem fisicamente pela elaborao da matria, e moralmente pela depurao dos Espritos que o habitam. Neles, a felicidade est em razo da predominncia do bem sobre o mal, e a predominncia do bem o resultado do avano moral dos Espritos. A raa admica tem todos os caracteres de uma raa proscrita; os Espritos que dela fazem parte foram exilados sobre a Terra, j povoda por homens primitivos e ignorantes. A vaga lembrana intuitiva desse mundo de delcias, do qual foram expulsos, no seria para eles como um paraso perdido?
  • Slide 25
  • A GNESE MOSICA
  • Slide 26
  • Depois dos desenvolvimentos contidos nos captulos precedentes sobre a origem e constituio do Universo, segundo a cincia para a parte material e segundo o Espiritismo para a parte espiritual, seria til fazermos um paralelo com a Gnese de Moiss a ttulo de comparao e para que possamos julgar com conhecimento de causa
  • Slide 27
  • A GNESE MOSICA Sobre alguns pontos h uma concordncia notvel entre a Gnese de Moiss e a doutrina cientfica Os estudiosos, com o objetivo de se fazerem aceitar, se esforaram por se colocarem de acordo com o texto sagrado pois a cincia era controloda pela Bblia
  • Slide 28
  • A GNESE