jornal da manhã 27.03.2013

of 16/16
R$ 2,00 Ijuí, Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 WWW.JMIJUI.COM.BR Familiares lembram vítimas com homenagens Pág. 5 Ano 39 - Nº 284 Indenizações pagas às vítimas de acidentes crescem 39% Já o Ministério orienta prevenção g. 4 Mensalmente, o hospital recebe, em média, R$ 4 milhões referentes à prestação de serviços do SUS, mas atrasos ocorrem desde o mês de agosto. g. 3 Representante do governo federal esteve em Ijuí para debater Plano Viver sem Limite. g7 Plano debate políticas de inclusão Municípios endividados DIREITOS IGUAIS CNM Governo endurece regras Fumacê só será usado em caso de epidemia SINDICATOS Ministério anunciou ontem mudanças para criação de novos sindicatos e notifiou 862. g. 9 Estudo aponta que mais de 80% das prefeituras brasileiras não podem realizar convênios com a União por dívidas públicas. g. 3 TRAGÉDIA NO TREVO Agentes da Vigilância Ambien- tal seguem realizando o trabalho de fiscalização nas residências Colisão entre uma carreta e automóvel resultou na morte de empresário ijuiense, na manhã de ontem, no trevo da ERS- 342 com a Rua do Comércio, área urbana de Ijuí. g. 11 Atrasos em repasses ao HCI chegam a R$ 6 mi Capa_ok.indd 1 27/02/2013 09:03:35

Post on 23-Feb-2016

221 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição de quarta-feira do JM

TRANSCRIPT

  • R$ 2,00Iju, Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

    www.jmijui.com.br

    Familiares lembram vtimas com

    homenagens Pg. 5

    Ano 39 - N 284

    Indenizaes pagas s vtimas de acidentes crescem 39%

    J o Ministrio orienta prevenoPg. 4

    Mensalmente, o hospital recebe, em mdia, R$ 4 milhes referentes prestao de servios do SUS, mas atrasos ocorrem desde o ms de agosto. Pg. 3

    Representante do governo federal esteve em Iju para debater Plano Viver sem Limite. Pg7

    Plano debate polticas de incluso

    Municpios endividados

    direitos iguais

    CNM

    Governo endurece regras

    Fumac s ser usado em caso de epidemia

    siNdiCatos

    Ministrio anunciou ontem mudanas para criao de novos sindicatos e notifiou 862. Pg. 9

    Estudo aponta que mais de 80% das prefeituras brasileiras no podem realizar convnios com a Unio por dvidas pblicas. Pg. 3

    tragdia No trevo

    Agentes da Vigilncia Ambien-tal seguem realizando o trabalho de fiscalizao nas residncias

    Coliso entre uma carreta e automvel resultou na morte de empresrio ijuiense, na manh de ontem, no trevo da ERS-342 com a Rua do Comrcio, rea urbana de Iju. Pg. 11

    Atrasos em repasses ao HCI chegam a R$ 6 mi

    Capa_ok.indd 1 27/02/2013 09:03:35

  • Getlio

    *valores acima de R$ 300,00

    2 Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 Radar Jornal da Manh

    Dengue Em reunio realizada no municpio de Capo da Canoa com todos os coordenadores re-gionais de sade do Estado, a Dengue foi o assunto mais discutido. Na ocasio, o secretrio da Sade Ciro Simoni explanou a preocupao do Estado para o combate doena. A reunio mostra a preocupa-o dos rgos governamentais com o aumento do nmero de casos. Porm, a realizao de reunies no ir adiantar se a populao no fizer a sua parte, dando fim aos potenciais focos do mosquito em suas residncias.

    Cotrijui Uma reunio realizada na ltima segunda-feira, selou um acordo entre a Cotrijui e a CCGL para o pagamento de 50% dos valores relativos ao leite e que foram bloqueados pelo Banco Daycoval no incio deste ms. Pelo convnio, at amanh ser feito o pagamento do valor restante aos associados da cooperativa que esperam pelo pagamento. Pelo que estamos acompanhando, esse s um dos pro-blemas que a nova administrao tem que enfrentar. Outra questo pendente o pagamento atrasado dos salrios dos funcionrios, que esto h alguns meses sem receber.

    HCI O diretor-executivo do HCI Joo Leone Sen-na, em entrevista Rdio Jornal da Manh, se mostrou esperanoso a partir do encontro com o secretrio estadual da Sade Ciro Simoni na ltima semana. A expectativa que seja revista a forma do bloqueio de recursos, a partir dos servios prestados. O hospital recebe cerca de R$ 4 milhes do SUS, mas desde setembro h uma divergncia entre o valor faturado e o valor pago. O HCI tem para receber, do governo estadual, R$ 6 milhes. O anseio da comunidade que esta situao se resolva o mais rpido possvel.

    Contratos Um grande nmero de professores atua a partir de contratos emergenciais na 36 Co-ordenadoria Regional de Educao (CRE). As 68 escolas de abrangncia da Coordenadoria tm vagas em todas as reas. O baixo nmero de professores aprovados no ltimo concurso do magistrio um dos fatores que causam essa baixa nas escolas da regio. Tambm entra nesta soma os baixos salrios e o pouco investimento na educao. Um novo con-curso do magistrio inicia hoje suas inscries. A data desta nova prova deve ser anunciada em breve.

    "Vamos ficar em viglia. Depois da meia-noite dia 6, vamos passar. J no vai mais estar valendo a cobrana de pedgios", disse Milton Schmitz, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Carazinho, sobre a mobilizao no ltimo dia em que a Coviplan poder cobrar tarifas de pedgios no Polo de Carazinho.

    "Conforme j reconhecido pelo excelentssimo ministro relator, o presente processo singulariza-se, entre outras coisas pela sua complexidade e pela sua excepcional dimenso", disse o ex-ministro, condenado no mensalo, Jos Dirceu, ao solicitar acesso a votos do Supremo por atencipao.

    "Como membro vou apontar as irregularidades que eu j apurei e fazer os meus questionamentos", disse o vereador Moacir Camerini, sobre a investigao da Cmara de Vereadores de Bento Gonalves, sobre a comisso que ir investigar a Fenavinho.

    "Fique bem claro que no estamos participando de nenhum campeonato de protagonismo, nem queremos ter o monoplio da luta pela verdade", disse o coordenador da Comisso Nacional da Ver-dade, o ex-ministro Paulo Srgio Pinheiro, ao criticar o exibicionismo e busca de notoriedade de membros da Comisso.

    " O Ministrio da Agricultura acompanha o abate, o processa-mento da carne e os equipamentos usados. Nenhum produto sai do frigorfico para a indstria sem certificao", disse o presidente da Associao Brasileira das Insdstrias Exportadoras de Carne, Antnio Jorge Camardelli, sobre a valorizao da carne de cavalo brasileira.

    Desperdcio- Aps dias com um vazamento, ontem tarde, uma equipe da Corsan foi at a Rua Joo Specialski, bairro Elizabeth, para realizar manuteno de uma tubulao de gua. A demora, segundo a Corsan, foi em decorrncia de que somente ontem pela manh entrou o pedido na au-tarquia. A Corsan solicita que sempre ocorrer esse problema, a populao ligue para que logo seja feita a melhoria.

    Curtas da Rdio JM

    Observatrio

    Indicadores

    Taxa Selic %

    Loterias

    1 - 1.650

    2 - 7.827

    3 - 4.142

    4 - 0.837

    5 - 8.807

    QUINA - CONCURSO n 3129

    21 33 37 51 71

    Utilidade Pblica

    Concurso do Detran - Uma medida cautelar do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS), publicada no Dirio Eletrnico Oficial ontem, determina que o Departamento Estadual de Trnsito (Detran-RS) no d seguimento a concurso pblico para provimento de cargos de Tcnico Superior Administrativo, Tcnico Superior em Trnsito e Tcnico Superior. De acordo com o relator, conselheiro substituto Alexandre Mariotti, o edital n 01/2013 contm supostos privilgios no que se refere prova de ttulos.

    Vagas do Cefor - H vagas de estgio remunerado para alunos dos cursos de: Ensino Mdio; Tcnico em Administrao e Contabilidade; Administrao; Cin-cias Contbeis; Tcnico em Informtica; Engenharia Mecnica; Pedagogia; Qualificao em Sade Bucal; Tcnico em Eletrotcnica. Interessados devem compa-recer ao Cefor de Iju com comprovante de matrcula atualizado, cpia de RG e CPF e uma foto 3x4, na Rua Jos Bonifcio, N 534, no Centro. Informaes pelo telefone 3332 3170 ou 3332 3242.

    Prestao de Contas: Acontece amanh, s 9h na Cmara de Vereadores de Iju a audincia pblica de prestao de contas da prefeitura. A audincia tratar da transparncia nos gastos pblicos e investimentos feitos na ltima gesto.

    MS TAXA IRPF

    FEVEREIRO 0,75 5,28

    MARO 0,82 4,46

    ABRIL 0,71 3,75

    MAIO 0,74 3,01

    JUNHO 0,64 2,37

    JULHO 0,68 1,69

    AGOSTO 0,69 1,00

    DUPLASENA- CONCURSOn 1154

    10 11 28 31 41 471 FAIXA

    01 09 22 24 37 492 FAIXA

    Poupana 27.02.2013 .............................5000%

    TJLP Maro/2011 ....................................6,00%

    Ouro 25.02.2013 .........................R$101,0 0(gr)

    Dolar Comercial (compra) ...................R$1,9840

    Dolar Comercial (venda) ...................R$1,9860

    Dolar turismo (compra) ........................R$1,900

    Dolar turismo (venda) ...........................R$2,120

    Euro (compra) ......................................R$2,591

    Euro (venda) ........................................R$2,594

    IPC/FIPE Janeiro/2013 .............................1,15%

    IGPM/FGV Janeiro/2012 ......................... 0,34%

    INPC/IBGE Janeiro/2012 ..........................0.92%

    IPCA/IBGE Janeiro/2012 ..........................0,86%

    IGP-DI-FGV Janeiro/2013 .........................0,31%

    UPF/RS 2012 ...................................R$ 13,7420

    p2_new2.indd 1 27/02/2013 08:16:29

  • 3Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013GeralJornal da Manh

    Ary Vanazzi

    AMUPLAM

    Maioria das prefeituras tem problemas nas contas

    Local para aterro segue indefinido

    Na tarde de ontem, estiveram reunidos na prefeitura de Iju os 11 prefeitos que integram a Associao dos Municpios do Planalto Mdio (Amuplam), juntamente com o prefeito de Boa Vista do Cadeado, para deliberar sobre sobre assuntos relacionados ao aterro sanitrio regional.

    Segundo presidente da Amu-plam, Gederson Mri, durante a reunio todos os prefeitos presen-tes aprovaram que seja comprada a rea para construo do aterro, seja pago para o projeto e o licen-ciamento da rea. "No entanto, o problema na implantao, pois como o recurso alto, teremos tentar busc-los junto ao Estado e ao governo federal para implan-tar, e esse um dos problemas, por ser um valor alto", disse Mri.

    J a rea para construo do aterro sanitrio ainda no foi defi-nida, mas segundo Mri, existem estudos de implantao em duas reas em Iju e uma em Pejuara, porm essa ltima hiptese est quase descartada.

    Sobre esses possveis locais onde podero ser construdos, o presidente disse ainda a Amuplam ainda no ir divulgar devido a questes legais e as definies que precisam ser feitas, principal-mente com o Ministrio Pblico e porque os proprietrios das reas precisam ser notificados e cabem manifestaes.

    Mais de 80% dos municpios brasileiros, um total de 4.458, no podem celebrar qualquer tipo de convnio com a Unio, aponta pesquisa da Confede-rao Nacional de Municpios (CNM).

    H 30 dias, quando o governo federal promoveu o Encon-tro Nacional com Prefeitos e Prefeitas, em Braslia, a CNM divulgou estudo semelhante. Nesta primeira anlise, 3.589 municpios estavam irregulares no Cadastro nico de Convnios (Cauc), portanto, em um ms houve aumento de 24,2%.

    Com este resultado, a quase totalidade de gestores munici-pais no pde captar os recursos oferecidos pela presidente da Repblica, Dilma Rousseff, para convnios e programas. Pois, com a no regularidade no Cauc da Secretaria do Tesouro

    INADIMPLENTES Nacional (STN), no h viabili-dade para isso.

    A pesquisa feita pela entida-de considera quatro requisitos fiscais, que constam no Servio Auxiliar de Informaes para Transferncias Voluntrias do Cauc. So eles: obrigaes de adimplncia financeira, adim-plemento na prestao de contas de convnios, obrigaes de transparncia e adimplemento de obrigaes constitucionais ou legais.

    O Piau o Estado com maior nmero de municpios com itens a comprovar. De um total de 224, 216 deles - ou 96,4% -, no podem firmar convnios com o governo federal. Em seguida vm Amazonas (95,2%), Par (95,1%), Tocantins (95,0%) e Pernambuco (94,6%).

    Entre os Estados com o menor porcentual esto Mato Grosso do Sul (53,8%), Rio Grande do Sul (56,9%) e Paran (68,2%).

    No entanto, o Rio Grande do

    Sul que tinha um dos menore-percentuais em janeiro, teve um crescimento de 109% no nmero de municpios com pendncia, seguido de Santa Catarina com um aumento de 93% e do Paran com 67,9%.

    A Confederao esclarece que os dados do Cauc so atu-alizados frequentemente e, os nmeros apontados na pesquisa levam em considerao as infor-maes divulgadas pela STN at o dia 20 de fevereiro.

    Para o presidente da Famurs, Ary Vanazzi, a inadimplncia das prefeituras tem inmeros fatores. "O primeiro deles que os mu-nicpios tm assumido cada vez mais responsabilidade, muito mais projetos, convnios de aes que so lanados e oficializados pelo governo federal , mas tem pouco recurso para dar contrapartida, fazer o custeio e fazer os projetos funcionar. Ns no queremos perder isso, mas as polticas p-blicas e as demandas pblicas para

    Ana Amlia cobra aes do governo contra crise

    Reajuste na tabela do Sistema nico de Sade (SUS), liberao dos recursos das emendas parlamen-tares e refinanciamento das dvidas dos hospitais filantrpicos e Santas Casas de Misericrdia so algumas das propostas apresentadas pela senadora Ana Amlia (PP-RS) para resolver a crise financeira das insti-tuies de sade sem fins lucrativos.

    Em pronunciamento no Ple-

    HOSPITAIS FILANTRPICOS

    FINANAS

    Bloqueios do governo do Estado atrasam repasses do SUS ao HCI

    O Estado do Rio Grande do Sul tem um dficit com o Hospital de Caridade de Iju de aproximadamente R$ 6 milhes, referentes aos atrasos no repasse de recursos. Conforme o diretor executivo do HCI, Joo Luiz Leone de Senna, mensalmente, o hospital tem uma relao de negcios prximo dos R$ 4 mi-lhes com o SUS, com relao prestao de servio. Devera-mos ter todos os meses o rece-bimento de R$ 4 milhes. Mas, na parte contbil, temos uma terminologia chamada liquidez (aquilo que temos para receber e recebemos na data prevista, em tempo hbil) e neste sentido tem havido alguns percalos,

    melhorias, os municpios no tm como avanar e manter as polticas pblicas", comenta.

    O segundo empecilho, de acordo com Zuanazzi, o tempo de adaptao quando ocorrem as trocas de governos munici-pais, onde existe um perodo de adaptao. "No Rio Grande do Sul houve uma renovao de 70% das prefeituras, o que leva um perodo de adaptao e do conhecimento do mquina pblica", explica.

    nrio segunda-feira, Ana Amlia informou que o endividamento das Santas Casas poder passar dos R$ 17 bilhes este ano, enquanto a remunerao desses hospitais no passa de 65% das despesas, e cobrou aes urgentes do governo federal contra a crise financeira das instituies. " uma conta que nunca fecha. E que, no mdio prazo, tem impactos catastrficos no aten-dimento de sade, podendo causar um colapso no sistema", alertou.

    A senadora acrescentou que os

    explica, acrescentando que isso ocorre desde agosto do ano passado. Houve divergncia entre o valor faturado e o que efetivamente pago, destaca.

    Senna ressalta que, dos R$ 4 milhes que o HCI deveria receber, houve meses em que entraram apenas R$ 2 milhes. Na mdia, no atinge o valor necessrio e isso produz um descompasso no fluxo de caixa, porque todos os dias h o com-promisso com a alimentao, com os medicamentos, e com os valores relativos aos honorrios dos profissionais, com a folha de pagamento, explica.

    Conforme o diretor execu-tivo, o bloqueio tambm retm e atrasa o repasse dos recursos ao HCI. Senna explica que, caso o HCI tenha gerado 700 contas

    hospitalares de pacientes inter-nados, metade delas foi bloquea-da, devido misso da auditoria mdica. Ela inegvel e neces-sria. Mas essa auditoria sempre era procedida ps-faturamento. H cerca de cinco meses ela pas-sou a ser via bloqueio, destaca, acrescentando que cerca de R$ 1,2 milho fica pendente para a auditoria verificar. "Em 30 dias, essas contas esto liberadas, mas vo entrar apenas no prximo faturamento, ressalta.

    Na semana passada, o diretor executivo da HCI, juntamen-te com o prefeito Fioravante Ballin, esteve em audincia com o secretrio Ciro Simoni, para reivindicar uma soluo para o caso. Alm de prometer o repasse ao HCI, o secretrio destacou que uma das estratgias

    HCI deveria receber mensalmente cerca de R$ 4 milhes referentes prestao de servios do SUS, mas atrasos ocorrem desde agosto

    hospitais beneficentes tambm foram responsveis por 44% das internaes pelo SUS, em 2011. Ela defendeu o apoio a essas instituies para a melhoria no atendimento. Ana Amlia apontou a defasagem no valor dos procedi-mentos pagos pelo Sistema nico de Sade como uma das principais dificuldades enfrentadas pelas instituies filantrpicas que esto ou "encolhendo", ou "fechando as portas".

    "No Rio Grande do Sul, que

    possui 245 hospitais filantrpicos, essas instituies so responsveis por 72% das assistncias ao Sis-tema nico de Sade, o SUS. A dvida no Estado superior a R$ 1,2 bilho", acrescentou.

    A parlamentar tambm afirmou que o endividamento das Santas Casas aumentou com o corte do repasse de verbas de estados e municpios prejudicados pela falta de receita com a poltica do governo federal de desonerao de impostos.

    modificar o critrio de audi-toria. A alternativa no fazer o bloqueio neste volume para hospitais to estratgicos. No HCI, por exemplo, num volume

    de 350 contas, no mais que cin-co sofrem glosa (so criticadas). Essas contas no passam de R$ 5 mil, enquanto fica retido mais de R$ 1 milho, finaliza.

    Ballin e Senna vieram com boas expectativas aps reunio com Simoni

    p3_new2_materia_meia_pg.indd 9 27/02/2013 09:14:12

  • FUMAC DA DENGUE

    Na ltima semana, a Secretaria Municipal de Sade (SMS) di-vulgou a confirmao do segundo caso de Dengue em Iju. Na mesma semana, a Vigilncia Ambiental do municpio divulgou o ndice de Infestao Predial (IIP), em torno de 2,65%, quase trs vezes acima do considerado normal pela Orga-nizao Mundial de Sade (OMS). Diante dos fatos, o Comit Munici-pal de Combate Dengue organiza aes para mudar essa realidade, e convoca a comunidade para parti-cipar, j que o Fumac deve ser a ltima opo de preveno.

    "Ns temos 25 casos notifica-dos em Iju, como suspeitos, que so pessoas que apresentaram sintomas caractersticos da Dengue. Destes, 17 j tiveram resultados negativos, dois positivos importados, e seis a gente est aguardando o resultado", explica a secretria municipal de Sade, Alexandra Lentz.

    Sobre o incio de bloqueio

    vetorial, atravs da aplicao do co-nhecido Fumac, a secretria afirma que s deve ocorrer de forma efetiva em casos especiais, como ltima opo: "A orientao do Minsitrio da Sade que em ltimo caso se use o fumac", disse Alexandra. "Primeiro preciso trabalhar com a preveno, realizando todo um trabalho em relao pessoa, nos quarteires, tentando eliminar toda

    Aplicao de veneno s ocorre em casos especiais

    Agentes comunitrios seguem realizando trabalho de fiscalizao

    ALERTA PARA SURTO

    Ministrio orienta agir antes de epidemia

    4 Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 Geral Jornal da Manh

    Conselho de Consumidores se rene para deliberar sobre a reviso das tarifas de energia

    DEMEI

    RESOLUO

    MINHA CASA MINHA VIDA CAIXA ECONMICA

    Anvisa probe a fabricao e o comrcio de lcool lquido

    Caixa responsvel por falhas em construo

    Agncia de Iju possui novo gerente geral

    Os problemas nos imveis financiados pelo programa Mi-nha Casa Minha Vida no so de responsabilidade exclusiva das construtoras. A Justia decidiu que a Caixa Econmica Federal tam-bm responsvel pelas falhas de construo. A Defensoria Pblica da Unio conseguiu uma liminar que vale para o pas inteiro e deixa a Caixa Econmica tambm respon-svel pelas falhas na construo.

    A Caixa Econmica recorreu da liminar e diz que s pode se responsabilizar por obras que acompanha desde o comeo. Ela diz que j entregou mais de 1,3 milho de casas pelo programa e considera que os problemas so pontuais. Caso a construtora no resolva, a Caixa sempre se

    A Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria (Anvisa) determinou, por meio de resolu-o publicada na segunda-feira no Dirio Oficial da Unio, a suspenso da fabricao, dis-tribuio e comrcio em todo o territrio nacional de lcool lquido com graduao acima de 54 Gay Lussac. A medida se estende a todas as empresas fabricantes e as associadas Associao Brasileira dos Pro-dutores e Envasadores de lcool (Abraspea). Alm de proibir a comercializao, a Anvisa determina que as empresas re-colham o produto remanescente no mercado.

    Pertencem a Abraspea 14 empresas. Segundo dados da Unio da Agroindstria Cana-vieira de So Paulo (Unica), o Brasil produz 15 bilhes de litros de lcool por ano, sendo um 1% desse total destinado ao mercado de lcool engarrafado, aproximadamente 150 milhes de litros por ano, que equivalem a uma movimentao de cerca de R$ 215 milhes. A Abraspea estima que o mercado em gel, que deve substituir o produto lquido, no alcance 10% desse total, o que comprovaria que o novo produto no ganhou a preferncia do consumidor.

    posiciona do lado do comprador. Ela vai primeiro orient-lo e j vai de imediato impedir um cadastro que ela possui, que esse vendedor possa continuar a vender pra qual-quer outra pessoa. Voc tira ele do negcio imediatamente, afirma o vice-presidente de habitao da CEF, Jos Urbano Duarte.

    A Caixa Econmica diz que a liminar s vale para contratos com renda familiar mensal de at R$ 1,6 mil, mas a Defensoria afirma que a deciso da Justia clara e vale para todos os contratos do programa Minha Casa Minha Vida. A deciso da liminar bem clara no sentido de abranger todos os beneficirios do programa. So problemas sers-simos em paredes, tetos, fundaes e a Caixa responsvel porque ela participa da relao de consumo, garante o defensor pblico federal, Paulo Rogrio Cirino de Oliveira.

    A Caixa Econmica Federal de Iju tem novo gerente. Joo Carlos Silva de Almeida disse em entrevista ao Grupo JM que sua atuao ser na agncia centro. Se-gundo ele, h em andamento uma parceria grande com o municpio de Iju no setor de habitao. Te-mos inmeros empreendimentos em andamento e darei sequncia na liberao de recurso para o andamento das obras. Deveremos entregar mais de mil imveis neste ano, somente em parceria com a prefeitura, disse ele.

    O novo gerente disse ainda que a presidente Dilma cobra da Caixa e dos municpios para que se resolva de fato a situao de falta de moradias. O grande sonho da maioria das pessoas a casa pr-

    O pas j registrou, este ano, quase o triplo do nmero de casos de Dengue em comparao ao ano passado. O secretrio de Vigiln-cia em Sade do ministrio, Jar-bas Barbosa alerta que estados e municpios no devem agir apenas baseados no conceito de epidemia a partir da incidncia de 300 casos por 100 mil habitantes : "Qualquer aumento de transmisso deve ser considerado como surto", diz.

    O Levantamento de ndice Rpido de Infestao por Aedes aegypti (LIRAa) mostra que, em janeiro deste ano, 267 municpios brasileiros estavam em situao de risco para Dengue; 487 em situao de alerta e 238 em situ-ao satisfatria. A pesquisa, que serve para identificar onde esto concentrados os focos de repro-duo do mosquito transmissor

    Estiveram reunidos na tarde de ontem, na sede do Depar-tamento Municipal de Energia de Iju ( Demei), os integrantes do Conselho de Consumidores, para deliberar sobre o processo de reviso das tarifas de energia eltrica.

    De acordo com o presidente do Conselho, Arno Feigel, um dos motivos debater o motivo do reajuste da tarifa e a relao

    desse aumento com a melhoria da qualidade da energia eltrica.

    Tambm foram expostos os assuntos debatidos no 12 Semi-nrio Sobre Processo Tarifrio do Setor Eltrico, evento promovido pela Agncia Nacional de Energia Eltrica ( Aneel).

    Os encontros do Conselho de Consumidores esto sendo men-sais at o ms de julho. O Con-selho composto por integrantes da OAB, Crea, Procon, poder pblico e classes de consumo.

    e qualquer larva que haja nesse quadrante, e, se for necessrio, avaliado e aplicado o inseticida".

    A secretria destaca que optar pelo Fumac somente em ltimo caso, resultado da falta de infor-maes mais consistentes sobre os efeitos desse veneno no ser hu-mano: "Porque um veneno e no se sabe se pode vir causar algum malefcio", conta.

    pria e este programa do governo proporciona condies de buscar isso, explica Joo.

    De acordo com ele, o lucro operacional da Caixa foi de R$ 6,1 bi e mesmo com a reduo da taxa de juros, a quantidade de operaes feitas fez com que mantivesse e ainda aumentasse em 17% os lucros da Caixa. Com a reduo de juros, o brasileiro toma mais crdito, mais emprstimo, investe mais e gera mais emprego e renda, diz Joo. Ele esclarece que em Iju h vrios correspondentes imobilirios que auxilia no contra-to da casa prpria. Os Programas Minha Casa Minha Vida esto sendo feitos pelos corresponden-tes imobilirios e at a metade do ano todos estaro automatizados. Queremos, at o final de ano, que a liberao do contrato seja feita em no mximo 15 dias, finaliza.

    da Dengue, foi realizada em 983 municpios.

    At 16 de fevereiro, 204,7 mil casos foram identificados, frente a 70,5 mil casos registrados no mesmo perodo de 2012, segundo balano divulgado nesta segunda-feira pelo Ministrio da Sade.

    Oito Estados concentram qua-se 85% dos casos, puxados pelo Mato Grosso do Sul, com 42 mil registros. O risco da Dengue nesse Estado quase 15 vezes maior que o ndice nacional. Os dados indicam a ocorrncia de epidemia em Mato Grosso do Sul, Tocan-tins, Mato Grosso, Acre e Gois.

    "Ns temos, sim, epidemia em alguns estados e municpios do pas. Qualquer estado ou munic-pio que ainda no est classificado como em epidemia no pode reduzir as medidas de combate. O maior nmero de transmisses at maio", disse o ministro da Sade, Alexandre Padilha.

    Consumidores e representantes de entidades estiveram reunidos

    p4_new2.indd 10 27/02/2013 09:14:35

  • 5Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013GeralJornal da Manh

    Familiares das vtimas da tragdia criam associao

    UNIO

    ESTADO DE SADECMARA DOS DEPUTADOS ILEGALIDADE

    MINISTRIO PBLICO

    HOMENAGENS

    Reduz para 21 o nmero de internados

    Comisso vai apostar na transparncia

    MP contra pedido de advogado

    H um ms da tragdia na boate Kiss, 21 pacientes ainda seguem internados nos hospitais do Estado. Quatro deles esto no Hospital de Caridade de Santa Maria, outros 17 esto em Porto Alegre. Na segunda-feira, trs pacientes receberam alta: Brian Zeppenfeld, que estava na Santa Casa de Misericrida; Juciane Bonela, que deu alta do Hospital Me de Deus e Jssica Duarte da Rosa, do Hospital Cristo Redentor.

    A tragdia deixou um total de 239 mortos, 233 no dia do incndio e os demais dias depois, em hospitais do Estado.

    O Ncleo de Ateno Psicos-social, fora-tarefa de profissio-nais da sade mental das esferas nacional, estadual e municipal, criado com a finalidade de atender e dar suporte a familiares, amigos e outros envolvidos na tragdia da Boate Kiss, atravessa uma nova fase no processo de aco-lhimento, atendendo as pessoas que receberam alta dos hospitais e que precisam assimilar todos os acontecimentos.

    O Ministrio Pblico teve parecer contrrio ao pedido feito pelo advogado Jader Marques, de prorrogao da priso temporria de seu cliente, Elissandro Spohr, o Kiko, scio da boate Kiss. A deciso foi tomada na manh de ontem e encaminhada ao juiz Ulysses Fonseca Louzada da 1 Vara Criminal de Santa Maria.

    J a Polcia Civil poder fazer acareaes entre os scios da boate Kiss Elissandro Spohr, o Kiko, e Mauro Hoffmann, o Maurinho, e testemunhas.

    A deciso sobre fazer ou no o procedimento ser tomada antes da concluso do inqurito, prevista para 3 de maro. A data tambm o prazo final das prises tempo-rrias de Mauro, Kiko, o vocalista da banda Gurizada Fandangueira, Marcelo de Jesus dos Santos, e o produtor da banda, Luciano Augusto Bonilha Leo.

    Ainda no h data definida para o procedimento, caso ele ocorra de fato. A possibilidade existe porque a polcia precisa esclarecer alguns pontos contraditrios de depoimentos.

    A Comisso Externa da Cma-ra dos Deputados que acompanha as investigaes sobre o incndio da boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, que matou 239 pessoas e completa um ms nesta quarta-feira (27), vai apostar na transparncia como arma para evitar que novas ocorrncias desse tipo se repitam em solo brasileiro.

    O deputado federal Otvio Lei-te (PSDB-RJ), membro do grupo, acredita que essa uma forma para que a prpria sociedade passe a se-lecionar os estabelecimentos que oferecem condies de segurana. Por isso, o tucano apresentou dois projetos de lei: em um deles prope que casas de espetculo e similares disponibilizem os alvars em seus sites. "Serve para que um pai saiba se a boate que o filho frequenta tem todos os requisitos de segurana", explicou.

    O outro foco deve ser na bu-rocracia para conseguir licenas. Segundo o projeto de Leite, os rgos como Corpo de Bombei-ros e prefeituras devem unificar a fiscalizao, como forma de evitar a corrupo.

    Antes mesmo da concluso do inqurito da Polcia Civil, o Ministrio Pblico avalia que as provas juntadas at agora so su-ficientes para afirmar que os dois scios da boate Kiss, Elissandro Spohr e Mauro Hoffman e os dois integrantes da banda Gurizada Fandangueira, Luciano Augusto Bonilha Leo e Marcelo de Jesus dos Santos, sero denunciados por homicdio com dolo eventual, quando se assume o risco de ma-tar. Existe a possibilidade, ainda, de tratar o caso como homicdio qualificado, tendo em vista que a morte se deu por asfixia, segundo o promotor Joel Dutra. Tanto no caso do homicdio quanto da ten-tativa de homicdio, o qualificador a morte por asfixia, considerada como meio cruel.

    Conforme Dutra, para que a denncia seja oferecida, a lei exige materialidade do crime que, neste caso, so os 239 mortos, as centenas de feridos e at mesmo as pessoas que estavam l e no se feriram. Outra exigncia que existam indcios da autoria, no necessariamente provas definiti-

    Denncia ser por homicdio doloso qualificado

    Ato em memria das vtimas ocorre hoje

    No dia em que a tragdia completa um ms, a associao que reunir pais, familiares e sobreviventes da tragdia na boate Kiss deve promover uma homenagem em forma de alegria. Segundo Adherbal Alves Ferreira, presidente da associao, hoje, s 8h, os sinos de todas as igrejas de Santa Maria, independente da reli-gio, iro badalar por um minuto. Queremos promover um ato de homenagem e de orao. Uma orao diferente a esses jovens, explica Ferreira.

    Ainda em meio ao luto pela tragdia de Santa Maria, que ma-tou 239 pessoas e deixou dezenas de feridos no incndio da boate Kiss, em 27 de janeiro, famlias de sobreviventes se organizam, agora, para cobrar responsabi-lidades e exigir compensao pelas perdas. Foi oficializada no sbado a Associao das Vtimas e Sobreviventes da Tragdia de Santa Maria (AVTSM). Cerca de 700 familiares, amigos e representantes das vtimas se reuniram no Colgio Marista Santa Maria para formalizar a diretoria da entidade.

    Passados quase 30 dias da tragdia, a prioridade neste momento dar suporte aos fami-liares, desde assistncia jurdica at atendimento psicolgico. Adherbal Alves Ferreira, pai de Jennefer Mendes Ferreira, morta no incndio, foi eleito presidente da associao e afirmou que a hora de unio entre aqueles que perderam seus filhos. O princpio da associao ampa-rar emocionalmente as famlias,

    Universidade e prefeitura devero construir memorial em homenagem s vtimas

    Associao foi criada no sbado no Colgio Marista de Santa Maria

    Com o intuito de envolver toda a cidade, a associao incentiva que moradores batam palma ou buzinem no mesmo horrio.

    A ideia, de acordo com Fer-reira, que diversas entidades e municpios da regio participem da mobilizao, que pode se tornar peridica.

    A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) construir um memorial para lembrar os 115 alunos da instituio que morreram no incndio da boate Kiss. O prefeito de Santa Maria, Cezar Schirmer, tambm exige um monumento em homenagem s vtimas do incndio.

    para que tenham apoio psicol-gico, o que j est sendo feito. Ser uma fonte de unio, para no deixar cair no esquecimento tudo o que aconteceu, porque a dor que sentimos como pais muito grande, destaca, acres-centando que sero promovidas aes preventivas de fiscalizao nas casas noturnas.

    Conforme Adherbal, foram criadas as diretorias espec-ficas, como a de ao social, que comeou a trabalhar na segunda-feira e tambm a de comunicao social. O intuito da associao querer justia e no vingana. Atos vingativos

    ns no vamos aceitar, porque nossa associao pacfica e a maioria das pessoas est muito fragilizada e necessita de apoio psicolgico, ressalta.

    At o momento a Associao das Vtimas e Sobreviventes da Tragdia de Santa Maria conta com mais de 230 associados, en-tre familiares de vtimas fatais e sobreviventes. Mas o presidente acredita que a AVTSM deve atin-gir 85% a 90% dos vitimados. O presidente coloca disposio um telefone para contato para familiares de vtimas da regio que queiram fazer parte da as-sociao: 9949 6555.

    Associao dos Familiares de Vtimas da Tragdia de Santa Maria tem o objetivo de dar suporte aos familiares e j conta com mais de 230 associados vas. At o momento, a polcia no

    recebeu os laudos do Instituto-Geral de Percias (IGP).

    Para Dutra, o dolo (inteno de matar) fica evidenciado quando os donos da boate assumem o risco de matar ao desprezarem as questes de preveno de incndio que ga-rantiriam a segurana do pblico no local. Em relao aos msicos, para o promotor, eles assumiram o risco quando ignoraram a adver-tncia de que os artefatos usados no show pirotcnico no poderiam ser utilizados em ambientes fecha-dos. O alerta foi feito pela loja que vendeu os produtos.

    A primeira parte do inqurito policial deve ser concluda pela Polcia at o final da semana, quan-do o pedido de priso preventiva dos quatro envolvidos no incndio dever ser encaminhado para a Justia. A segunda parte dever averiguar responsabilidades do poder pblico, como prefeitura e bombeiros, e dever levar mais tempo para ser concludo.

    O processo j passa de trs mil pginas. Para agilizar o tra-balho, Dutra contar com a ajuda do colega Maurcio Trevisan e, provavelmente, com um reforo de Porto Alegre.

    p5_new2.indd 10 27/02/2013 09:14:57

  • 6 Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 Opinio Jornal da Manh

    Luto irreversvel

    Editorial

    "

    Um ms se passou da tragdia que consternou o mundo. A dor a mesma, mas agora acompanhada de um pedido de justia. O incndio que deixou 239 mortos na boate Kiss, em Santa Maria, levou o Rio Grande do Sul s manchetes do mundo inteiro.

    "A madrugada

    trgica parecia ina-creditvel, e de l para c, dia a dia mais nomes se so-maram s vtimas fatais. Hoje, 30 dias aps o incndio, a nica coisa que resta aos familiares e ami-gos destas vtimas, so as homenagens que acontecem es-palhadas pelas cida-des atingidas pelas perdas.

    No h maior impac-to do que ver estampadas por todos os jornais as fotos das vti-mas, os olhares cheios de futuro dos jovens que perderam sua vida por erros to pequenos que poderiam ser evitados.

    As notcias agora tratam de mobili-zaes, protestos e do a perspectiva de mudana. Agentes que deveriam estar infiltrados no problema comeam agora, apenas depois da tragdia a repensar o sistema.

    Crticas surgem no mundo inteiro e por aqui, o Brasil v deputados, senadores e as foras de segurana tentando impor mudanas.

    Somente depois de 239 famlias paga-rem com a perda dos seus filhos, depois de 239 jovens, aos quais cabia boa parte do desenvolvimento do prprio Estado e do Pas, que o alerta e a palavra fiscalizao parece que ganharam outro significado.

    A polcia exige explicaes e ter que respaldar a dor que a sociedade sente ao ver seus jovens padecerem frente a um sistema falido. Uma soma de erros que envolve setores pblico e privado veio tona e precisa agora ser justificada e punida.

    So 30 dias de sofrimento que a nao completa hoje. E o que resta protestar para que fatos como esse no voltem a acontecer. No h maior impacto do que ver estampadas por todos os jornais as fotos das vtimas, os olhares cheios de futuro dos jovens que perderam sua vida por erros to pequenos que poderiam ser evitados.

    A sociedade que clama por justia no pode baixar a guarda. Do proprietrio do local aos rgos responsveis pela liberao do alvar e ainda banda que investia num atrativo que sequer tinha conhecimento tcnico para fazer. Todos devem ser cobrados. Foram 239 jovens que pagaram pela falta de segurana, pela falta de fiscalizao, porque algum no fez o trabalho ao qual foi pago para garantir. E essa a realidade em muitos lugares espalhados pelo Brasil. Realidade que precisa mudar, porque o exemplo foi duro, chocante e irreversvel. Que os dias de luto deem lugar a dias de esperana.

    Qual a importncia da eleio da Comisso dos Advogados Trabalhistas da Ordem?

    Essa comisso muito importante, nica no Estado, eleita pelos advogados, e que foi um belo trabalho da doutora Isaura nos seus dois mandatos. Deu espao e representatividade para os advogados trabalhistas na OAB, resultando nessa eleio da comisso. muito importante o advogado votar, pois ele vai ter represen-tatividade - de empregado e empregador - com relao aos advogados na Vara do Trabalho.

    Quando ocorre a votao?Ser hoje, das 8h s 17h. muito

    importante votar, porque os advogados da regio vo ter representatividade, de representantes que vo falar por todos e ter legitimidade. Direito do trabalho e justia do trabalho um dos mais importantes, porque trata do capital do trabalho, das relaes de trabalho e dos direitos dos trabalhadores.

    H uma comisso eleitoral?A comisso ser composta pelos

    advogados Antenor Weiler e Humberto Meister e presidida por Eululio Jappe. Esta comisso ir organizar as eleies que acontecem durante todo o dia, das 8h s 17h, na OAB Servios, junto Vara do Trabalho.

    Avaliao divulgada no incio deste ano pela Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria (Anvisa) aponta que os remdios comercializados no Brasil, entre 2004 e 2011, tiveram um custo 35% menor para os consumidores do que o sugerido pelos fabricantes. O feito se deu graas Cmara de Regulao do Mercado de Medicamen-tos (CMED), criada em 2003, justamente para monitorar os preos dos remdios comercializados no pas, de acordo com regras pr-estabelecidas. No entanto, ape-sar desse avano, pesquisa divulgada em 2012 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatsticas (IBGE) revela que o gasto com a sade est entre as quatro maiores despesas das famlias brasileiras - junto com habitao, alimentao e transporte.

    Num pas em que grande parte da populao enfrenta enormes dificuldades para ter acesso a cuidados mdicos e onde

    Uma dose de boa vontade para a sade no Brasil

    Artigos assinados so responsabilidade de seus autores. Para publicao, os artigos devem ser enviados para o e-mail: [email protected], na fonte times, corpo 10,5, com no mximo 30 linhas.

    Qual a expectativa de participao dos advogados na eleio?

    A expectativa de que pelo menos 200 advogados associados Ordem participem da votao. Os advogados podem acessar a lista dos dez nomes que concorrem na eleio em cada categoria, na sede da OAB e na OAB Servios, sendo que sero eleitos os dois mais votados que representam os empregados e os empregadores.

    Quando acontece o escrutnio da eleio da comisso?

    O escrutnio dos votos acontece logo aps encerrado o pleito e ser feito pela comisso organizadora, com acompanha-mento da direo da 23 Subseo da OAB.

    Luiz Carlos Vasconcellos

    Advogado trabalhista, atual presidente da comisso trabalhista fala sobre o plei-to eleitoral que acontece no final do ms para eleger a nova Comisso de Advoga-dos Trabalhistas da Ordem.

    Jornal da Manh Diretor: Edmundo H. Pochmann

    Editora: Maristela Silveira [email protected]

    Jornal da Manh: (55) [email protected] JM: (55) [email protected] Comerciais: Grupo de Dirios

    Rua Albino Brendler, 122 Centro - 98700-000 IJU/RSCx. Postal 518 - Fone/Fax: 55-3331-0300

    Impresso em Off-Set Rotativa Cia de ArteCNPJ 92.107.978/0001-75Rua Albino Brendler, 146 - IJU/RS(55) 3331-0318/ 3331-0320 (aps s 18h)[email protected]

    GRFICA E EDITORAJORNALSTICA SENTINELA LTDA.CNPJ: 87.657.854/0001-23

    ASSINATuRAS E CIRCuLAO:(55) 3331-0315/ 3331-0316 / 3331-0317

    www.jmijui.com.br

    Semestral: R$150,00Anual: R$300,00Correio: R$ 300,00 (semestral); R$ 600,00 (anual)

    Diretor da PBMA Associao Brasileira das Empresas Operadoras de PBM

    os investimentos pblicos na rea da sade parecem cada vez mais escassos, a participao do setor privado se torna cada vez mais importante e indispens-vel. Cientes disso, grandes empresas j aderiram ao PBM Programa de Bene-fcio em Medicamentos, que oferece aos seus funcionrios subsdio para a compra de remdios em uma rede de farmcias credenciadas, garantindo cobertura que pode chegar a at 100% do valor embora a mdia praticada seja de 53%. Entre as empresas que j oferecem este benefcio para os seus funcionrios esto a Petrobras, Unilever, Nestl, Oi e IBM.

    Porm, mesmo tendo grandes empresas j adeptas do PBM, o conceito ainda no muito conhecido no Brasil. Hoje, pouco mais de 2 milhes de empregados recebem subsdio das empresas onde trabalham para a compra de medicamentos. Nos Estados Unidos, onde o subsdio oferecido a fun-cionrios desde a dcada de 1980, j so mais de 200 milhes de beneficirios. No entanto, h uma grande expectativa de que o nmero de beneficirios no Brasil cresa consideravelmente nos prximos anos,

    atingindo a marca de 20 milhes at 2017. A prpria difuso do PBM, o aumento da importncia de benefcios para o oramento dos funcionrios e os possveis incentivos fiscais que podem vir a ser concedidos pelo governo devem contribuir para isso.

    Todos saem ganhando. O funcionrio passa a ter mais condies de seguir o tratamento medicamentoso prescrito pelo especialista e, consequentemente, a cuidar melhor da sua sade; a empresa passa a contar com funcionrios mais produtivos, diminui o nmero de absentesmo e de diversas despesas com a sade dos em-pregados; o governo tambm reduziria gastos, como, por exemplo, os do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), com problemas de sade da populao e com os afastamentos provocados por doenas do trabalho. De janeiro a novembro do ano passado, s para apoiar profissionais que nunca mais podero exercer normalmente suas atividades, o INSS desembolsou mais de R$ 30 bilhes.

    Como se v, possvel promover me-lhorias sade da populao. Basta apenas uma dose de boa vontade!

    Fabio Hansen

    p6_new2.indd 1 27/02/2013 08:38:34

  • 7Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013GeralJornal da Manh

    Abertas inscries para concurso do magistrio

    EDUCAO

    Abriram-se hoje as inscries para o concurso da Secretaria de Educao do Estado do Rio Grande do Sul (Seduc-RS) que oferta 10 mil vagas para o cargo de professor. As inscries podem ser feitas no site da Fundao para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH), organizado-ra, at o dia 13 de maro. Aps preencher o cadastro ser preciso imprimir o boleto para efetuar o pagamento da taxa no valor de R$56,87, para nvel mdio, e R$129,70, para graduados, preferencialmente no Banrisul. O pagamento deve ser feito at o dia 14 de maro.

    Os vencimentos bsicos va-riam de R$488,52 a R$842,70, para o nvel mdio, e de R$635,08 a

    IBGE

    IMPOSTOS

    Arrecadao chega a R$ 116,1 bi

    Taxa de desemprego o menor para janeiro desde 2003

    Diante da sada de trabalha-dores temporrios do mercado de trabalho, a taxa de desemprego subiu para 5,4% em janeiro, havia sido de 4,6% em dezembro, a mais baixa da srie histria do IBGE, iniciada em maro de 2002. Os dados so da Pesquisa Mensal de Emprego do instituto e foram divulgados ontem. O desemprego cresce tradicionalmente em janeiro

    A arrecadao federal so-mou R$ 116,1 bilhes em janeiro, um aumento real (des-contada a inflao) de 6,6% em relao ao mesmo ms do ano passado. Em termos nominais, o montante recorde para todos os meses da srie histrica, iniciada em 1985, de acordo com a Receita Federal, a srie corrigida pela inflao tem incio em 2003. A principal con-tribuio para o recorde veio da alta de 20% no pagamento do Imposto de Renda Pessoa Jurdica e da Contribuio Social sobre o Lucro Lquido (CSLL). Os valores obtidos com esses tributos totalizaram R$ 34 bilhes em janeiro deste ano. A Receita Federal avalia que a forte alta no reflete um possvel reaquecimento da economia neste ano, mas a antecipao de pagamentos de tributos referentes ao ano passado.

    Em janeiro, foram recolhi-dos R$ 271 milhes em Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automveis, queda de 66% ante o mesmo ms de 2012, quando a incidncia do tributo era maior. Tambm houve que-da de 28% nos valores arrecada-dos por meio do Imposto sobre Operaes Financeiras (IOF). O resultado de R$ 2,2 milhes explicado, principalmente, pela reduo das alquotas no crdito pessoa fsica.

    VIVER SEM LIMITE

    Representante do governo federal divulga Plano em Iju

    Esteve em Iju, na manh de ontem, a consultora tcnica da Secretaria Nacional de Promo-o dos Direitos da Pessoa com Deficincia (SNDP), Luciana de Almeida, acompanhada de repre-sentantes da Secretaria de Direitos Humanos (SDH) e da Fundao de Atendimento ao Deficiente e ao Superdotado no RS (Faders), com a finalidade de apresentar e promover o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficincia Viver sem Limite.

    "Esta a primeira, de 12 inser-es que sero realizadas no RS, para a divulgao e mobilizao das pessoas com relao ao Plano Viver sem Limite do governo fede-ral", explica Luciana. "O principal objetivo da visita tcnica mobilizar os gestores e a sociedade como um todo sobre a importncia da imple-mentao desse Plano".

    Segundo a consultora, o RS foi

    A visita ao municpio teve incio no Lar Henrique Liebisch, ontem pela manh

    Grfico mostra os motivos pelos quais os funcionrios no contam que sofrem bullyng

    o primeiro Estado a aderir ao Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficincia, lanado pela Secretaria de Direitos Humanos (SDH) do governo federal. O pacto um grande passo na consolidao de polticas voltadas a este pblico de 40 milhes de brasileiros.

    "No incio deste ano a ministra (Direitos Humanos) Maria do Rosrio esteve em Iju e compro-meteu-se com a cidade e a regio

    Bullying afeta at quem no sofre agresso

    AMBIENTE DE TRABALHO

    quando muitas pessoas voltam a procurar uma vaga aps as festas de final de ano, quando a busca reduzida.

    A taxa de janeiro deste ano, porm, a mais baixa para o ms em dez anos. O primeiro resultado do IBGE para janeiro de 2003, j que esta srie foi iniciada em maro de 2002. De dezembro de 2012 para janeiro de 2013, 293 mil trabalha-dores perderam seus empregos. J o total de desocupados subiu 17,2% de dezembro para janeiro, o que

    No surpresa saber que ser vtima de bullying do chefe ou de um colega de trabalho resulta em um aumento nas chances de um funcionrio se demitir. Mas existem efeitos que as provoca-es e o mau tratamento provocam nas pessoas que apenas presen-ciam situaes de abuso. Um estudo da universidade canadense de British Columbia mostra que a vontade de deixar o emprego nesses casos ainda maior.

    A psicloga Snia Arriens diz que o Bullying a exposio dos trabalhadores a situaes humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas, durante

    para a divulgao do Plano, porque um novo paradigma na ateno com as pessoas com deficincia. A Conveno Internacional dos Direitos para a Pessoa com Defi-cincia diz que todos tm direitos iguais. A sociedade deve adaptar-se s diferenas de cada pessoa, e os governos devem criar condies para que as pessoas tenham acesso a todos os servios", acrescenta Luciana.

    R$1.465,56, para o superior. Alm de benefcios como completivo salarial que integraliza o valor de R$783,50 para os que o salrio base no alcana esse valor; gratificao por unidocncia e classe especial no valor de R$244,26, trinios de at 50% do vencimento bsico do professor, gratificao por funo, auxlio-alimentao no valor de R$155,32 e auxlio transporte equivalente a duas passagens mu-nicipais/dia til.

    Do total das vagas, 16% so reservadas para candidatos negros e 10% so destinadas a pessoas com deficincia. A prova ainda no possui uma data. Para ser aprovado ser preciso alcanar 60% de acertos em cada um dos mdulos. As datas e os locais de realizao sero divulgados no site da organizadora com 10 dias de antecedncia.

    a jornada de trabalho. Pode ser nas relaes hierrquicas (chefes) ou mesmo entre colegas, predomi-nando condutas negativas, rela-es desumanas, desestabilizando a relao da vtima com o ambiente de trabalho, forando-a a desistir do emprego.

    Inclui comportamentos que intimidam, denigrem, ofendem ou humilham o sujeito e normalmente ocorrem na frente de outras pes-soas, como crticas no cabveis; culpar o funcionrio sem justifi-cativa; ser alvo de xingamentos e piadas, ser excludo ou isolado socialmente, entre outros, explica a Snia.

    A universidade canadense analisou mais de 350 enfermei-ros em 41 hospitais canadenses e constatou que os professores responsveis pelo estudo identi-ficaram casos de bullying em diversos nveis, desde situaes simples, como fazer gestos ner-vosos, a casos mais graves, como um funcionrio impedir que outro

    use equipamentos importantes, ataques fsicos e danos na pro-priedade alheia. Segundo os autores, o ambiente hospitalar uma rea em que o bullying uma prtica comum. A psicloga explica que quem sofre deste tipo de agresso pode desenvolver srios problemas fsicos e men-tais como alto stress, baixa auto-estima, fobias, dificuldades para dormir, depresso, problemas gastrintestinais e alimentares.

    A prtica do bullying, alm de afetar a prpria empresa pela perda do funcionrio, compro-mete a produo deste, o clima organizacional na quebra da confiana, desestabilidade, opor-tunizando processos trabalhistas e afetando os funcionrios gerando clima de tenso, medo, stress, desmotivao, insegurana, baixa produtividade, ndice maior de adoecimento e faltas no trabalho, finaliza.

    corresponde a 195 mil desempre-gados procura de trabalho. Na comparao com mesmo ms do ano passado, houve alta de 1,4% ou 18 mil desempregados a mais nas seis regies metropolitanas onde a pesquisa realizada.

    Considerando a forma de insero da mo de obra no mer-cado de trabalho, o emprego com carteira ficou praticamente estvel (alta de apenas 0,1%) de janeiro para fevereiro. A maior parte das vagas fechadas em janeiro foi de

    empregados sem carteira assinada, categoria que registrou queda de 5,4% na comparao com dezem-bro --ou 134 mil pessoas ocupadas a menos. Em relao a janeiro de 2012, o emprego com carteira subiu 4,1% (459 mil registrados a mais). J as contrataes sem contrato de trabalho recuaram 1,6% nessa base de comparao. Segundo o IBGE, o rendimento caiu 0,1% de janeiro para dezembro e foi estimado em R$ 1.820. Em relao a janeiro de 2012, houve alta de 2,4%.

    p7_new2_materia_meia_pg.indd 9 27/02/2013 09:15:30

  • 8 Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 Rural Jornal da Manh

    Incidncia de pragas aumenta devido ao clima

    Lagarta-da-ma ataca lavouras a partir do estgio reprodutivo da planta

    Vanderlei Fragoso

    A incidncia da lagarta-da-ma em lavouras de soja est maior nesta safra. O calor e o bom desenvolvimento da cultura esto entre os fatores que favorecem o desenvolvimento da praga. Alm desta, a falsa-medideira tam-bm tem aparecido em algumas propriedades. As duas espcies so de difcil controle e os agri-cultores devem estar atentos ao problema para evitar perdas na produtividade.

    Tem ocorrido a presena dessas duas lagartas na cultura da soja. A lagarta da falsa-medideira vem surgindo h mais tempo, e tem aumentado essa presena no decorrer das ltimas safras. J, a lagarta-da-ma, assim chamada devido a sua presena e ataque na cultura do algodo, tem sido verificada sua presena em v-rias regies do RS, em algumas regies com maior intensidade que outras", explica o engenheiro agronmo do Departamento Tc-nico da Cotrijui, Osmar Lohmann.

    LAVOURAS DE SOJA

    Cotrijui apresenta diagnstico ao seu quadro social no prximo dia 15

    Um levantamento realizado pela atual diretoria da Cotrijui, apurou que em 2012 a cooperativa pagou mais de R$ 80 milhes em juros a agentes privados, o que em termos gerais, significaria um pagamento de R$ 220 mil ao dia.

    Segundo o presidente da Cotrijui, Vanderlei Fragoso, se-guem negociaes com o BRDE, Sicredi, Badesul, e com empresas fornecedoras, cujas parcerias permitam assegurar as operaes futuras e antigas que necessitam da injeo de recursos.

    Estamos efetuando um diag-nstico de todos os setores, e doa a quem doer, at o dia 15 de maro vamos divulgar uma radiografia da real situao da cooperativa, at pelo fato de que na campanha sempre apregoei transparncia

    SITUAO REAL

    Controle de ervas daninhas est prejudicado

    Com a proibio da Fundao Estadual de Proteo Ambiental (Fepam) para o uso de produtos base de Paraquate, o setor agrcola no RS diminuiu sua capacidade competitiva e j registra perdas nas lavouras de soja devido ao surgimento de ervas daninhas de dficil controle. A afirmao do presidente da Associao de Re-vendedores de Agrotxicos de Iju (Arai), Armando Petinelli.

    "A Fepam veio e proibiu o uso desse produto e no deu nenhuma alternativa para o agricultor. No deu tempo hbil para que as em-presas desenvolvessem um produto que subsitusse essa molcula que o Paraquate. Ento a agricultura est refm da Fepam, e toda a economia do RS est sendo muito prejudicada por isso, principalmente os agricul-tores", disse o presidente.

    Em 14 de setembro de 2012, a Fundao Estadual de Proteo

    PROIBIO DA FEPAM

    Monsanto apresenta soluo

    Beneficirios tm at o final de maro para renegociar

    A Monsanto trabalhou com diversas lideranas do setor rural do Brasil, na busca de uma solu-o para soja RR1 no Pas. Em consequncia, a empresa adiar a cobrana de royalties da soja RR1 no Brasil at que haja deciso final da Justia.

    A companhia pretende conti-nuar documentando e mantendo as informaes comerciais relativas queles que usam a soja RR1 durante este perodo de adiamento da cobrana.

    No Brasil, a soja RR1 prote-gida por vrios direitos de proprie-dade intelectual, inclusive patentes. De acordo com a legislao brasi-leira, a Monsanto busca corrigir o prazo de uma de suas patentes brasileiras para essa tecnologia at 2014. Esse assunto ainda est pendente de deciso judicial e a Monsanto recorreu da recente deci-so do Superior Tribunal de Justia. Aps manifestao final do STJ, a deciso definitiva ficar a cargo do Supremo Tribunal Federal.

    Os agricultores que preferirem uma soluo imediata e definitiva podem faz-lo por meio de uma verso simplificada do termo de quitao geral. Os agricultores que assinaram a primeira verso desse termo podero mant-la, encerr-la ou substitu-la pelo novo documento que est disponvel no site www.monsanto.com.br

    Os beneficirios dos progra-mas Crdito Fundirio e Banco da Terra tm at o dia 28 de maro para aderir ao processo de renegociao das dvidas e, at 28 de abril deste ano, para pagar o valor de 5% da ltima parcela devida atualizada e apresentar a documentao necessria para a formalizao da renegociao. A formalizao com a entrega

    SOJA RR1

    CRDITO FUNDIRIO

    total", disse Fragoso, em nota ofi-cial, acentuando que cada contrato da cooperativa est sendo avaliado minunciosamente.

    Segundo Fragoso, em entre-vista ao Grupo JM de Comunica-o, no dia seguinte sua posse o ex-presidente da cooperativa, Carlos Poletto, solicitou a trans-ferncia dos avais pessoais que a ex-diretoria possui junto a agentes privados no prazo de 30 dias: "Ele veio notificar a atual direo, como se ns no soubssemos a responsabilidade", explica o pre-sidente. "Ento, o primeiro ato foi notificar de que 30 dias de acordo com o artigo 59 da cooperativa deve substituir os avais pessoais".

    Mas, Fragoso declara que antes desta transferncia ocorrer, toda a situao da cooperativa ser conhecida, e revelada aos associados: "Esses avais pessoais permanecero at o momento

    "Alm da lagarta-da-ma, os pesquisadores registraram a presena de outra lagarta que possui uma extrema semelhana com essa espcie, a helicoverpa gelotopoeon", disse Lohmann, destacando que essas duas pra-gas atacam da mesma maneira, ficando difcil sua distino, sendo possvel somente quando em formato de mariposa.

    Apesar da praga no desenvol-ver uma populao muito grande, ela pode causar prejuzos ex-pressivos quando no controlada adequadamente. Essas lagartas tm uma caracterstica muito interessante, porque so de difcil

    controle, e no existe uma receita nica. Mas importante que produtores e tcnicos conheam bem o perfil dessas pragas, faam a correta identificao, saibam dos seus hbitos e entendam a sua agressividade nas lavouras", acentua.

    De acordo com Lohmann, pelo fato de essas pragas ficarem na parte mediana da planta, e atacarem principalmente a partir do estgio reprodutivo, em que a ao do produto mais no topo da planta, importante "aplicar o veneno nas condies mais favorveis, utilizando um bico adequado que tenha mais pro-

    Soja: R$ 55,50 Milho: R$ 29,00

    INDICADORES RURAISPreos de ontem, 26/02/2013

    do aditivo do contrato assinada e registrada em cartrio tm prazo limite para 28 de junho de 2013.

    Os prazos e as novas normas para a renegociao das dvidas foram divulgados pelo Ministrio do Desenvolvimento Agrrio, atravs da Secretaria de Reor-denamento Agrrio, no incio deste ano. A iniciativa tem por objetivo facilitar a regularizao daqueles produtores com atra-sos no pagamento das parcelas dos seus contratos, permitindo,

    assim, que eles possam voltar a acessar as polticas pblicas de custeio e sociais.

    Com as novas condies, divulgadas atravs da Resoluo 4178, do Conselho Monetrio Nacional (CMN), os juros fica-

    ram mais baixos para todos que possuam contratos com ndices maiores de 2% ao ano, o bnus de adimplncia aumentou para 20% ao ano, e o limite de R$ 1,3 mil por parcela/ano aumentou para R$ 3 mil parcela/ano, de bnus.

    em que ns conhecermos toda a estrutura e toda a situao de contrato por contrato que a coope-rativa tem. J levantamos, que s no ano passado a Cotrijui pagou mais de R$ 80 milhes de juro a agentes privados. Temos que ver efetivamente o que h de contrato, o que compromete e o que bom para nossa cooperativa", sinaliza Fragoso, revelando que o momento de diagnstico da situao.

    Ambiental (Fepam), esclareceu, via nota tcnica, o indeferimento dos produtos base do princpio ativo Paraquate, por consider-lo "extremamente txico", alegando que "no existe antdoto para o Pa-raquate e a morte se d por asfixia".

    Para Petinelli, a deciso da Fepam arbitrria e no leva em considerao os agricultores: " um veneno amplamente usado em todo o mundo, principalmente aqui no Brasil", explica. "Hoje est sendo direcionado no controle da buva resistente do azevm, que so algumas ervas que ns temos grande incidncia aqui no RS por causa da nossa condio climtica, e est difcil o controle. A partir do momento que no possvel controlar essas ervas daninhas no meio das lavouras, passa a ter prejuzos por mato - competio. Ento, a produtividade de soja acaba diminuindo. um prejuzo muito grande que at o presente momento estamos sem saber o que fazer ", destaca Petinelli.

    Milho ser tema de debates

    Considerado um dos encon-tros de maior destaque da Expo-direto Cotrijal 2013, que acontece em No-Me-Toque, a 5 Edio do Frum do Milho. Assuntos como a garantia de preos mnimos e o estmulo rpida movimentao do gro entre as regies estaro presentes nos debates.

    Diversas entidades do agrone-gcio e do cenrio poltico bra-sileiro j confirmaram presena para o evento. "Os mecanismos e a eficincia na formao de estoques pblicos, armazenagem e movimentao do produto sero amplamente discutidos", adianta Odacir Klein, que presidir a mesa de debates do Frum.

    EXPODIRETO COTRIJAL

    p8.indd 10 27/02/2013 09:15:45

  • Collor eleito presidente da Comisso de Infraestrutura

    Fim do 14 e 15 salrios deve ser votado hoje

    Mdicos do Senado so transferidos para o SUS

    SENADOPROPOSTAMUDANA

    A Comisso de Infraestrutura do Senado elegeu hoje (26) Fer-nando Collor (PTB-AL) como presidente e Srgio Peteco (PSD-AC) como vice. O resultado era esperado, porque havia acordo em torno dos nomes dos dois senadores.

    A comisso responsvel por sabatinar e aprovar os nomes dos indicados para diretorias e presi-dncias de agncias reguladoras. considerada a terceira comisso mais importante do Senado, de-pois das de Constituio e Justia e de Assuntos Econmicos.

    Fernando Collor presidiu a Comisso de Infraestrutura, pela primeira vez, em 2007 e 2008, quando tratou do marco regulatrio do pr-sal, que estava tramitando no Congresso. Entre 2011 e 2012, o senador presidiu a Comisso de Relaes Exteriores.

    Aps reunio entre os lderes dos partidos realizada ontem, o presidente da Cmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), informou que ser votada hoje no plenrio a proposta que acaba com os 14 e 15 salrios dos deputados e senadores. O pagamento, no valor R$ 26.723,13, feito a ttulo de ajuda de custo e recebido pelos parlamentares no comeo e no final de cada ano.

    Para realizar a votao, necessria a aprovao de um re-querimento de urgncia para que a proposta siga direto ao plenrio, no precisando, dessa forma, tra-mitar em todas comisses da Casa. Segundo Alves, todos os lderes concordaram em aprovar tanto a urgncia quanto o mrito na sesso prevista para hoje. O texto de autoria da ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) veda o pagamento dos 14 e 15 salrios aos parlamentares.

    O Senado vai transferir para o Sistema nico de Sade (SUS) cerca de 137 profissionais de sade que trabalham no servio mdico da Casa. Por sugesto do ministro Alexandre Padilha (Sade), o presi-dente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), pretende colocar os mdicos e outros profissionais da rea disposio do GDF (Gover-no do Distrito Federal) depois de anunciar a extino do servio m-dico do Senado. "Viemos propor ao presidente Renan a possibilidade de fazermos um termo de cooperao, um convnio junto com o GDF, para identificarmos servios pblicos na cidade de Braslia que possam rece-ber esses profissionais mdicos, que fiquem melhor alocados para servir melhor a populao", disse Padilha.

    Segundo o ministro, a transfe-rncia de mdicos do Senado para o SUS um "gesto importante" do Senado para o pas.

    Poltica 9Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013Jornal da Manh

    GOVERNO

    CONTROLE

    Renan se compara aos manifestantes

    Brasil lana novo plano de combate ao trfico de pessoas

    O Ministrio da Justia anun-ciou ontem novo plano de combate ao trfico de pessoas. Entre as metas, esto a criao de mais dez postos de atendimento em cidades de fronteira; a perda dos bens dos envolvidos com o trfico de pessoas; e o envio ao Congresso de projetos de lei que tipifiquem como crime tambm o trfico para o trabalho escravo, domstico, de criana e de retirada de rgos humanos.

    O governo pretende investir R$ 5,9 milhes para a criao dos 10 novos postos de atendi-mento em cidades na regio das fronteiras e para a capacitao de 400 agentes. Os postos ficam em locais de grande circulao, como portos, aeroportos e rodovirias, e tm o objetivo de prestar apoio s vtimas. Segundo informaes do Ministrio da Justia, atualmente o pas conta com 13 postos de atendimento ao migrante e 16 n-cleos estaduais de enfrentamento ao trfico de pessoas.

    O plano, previsto para ser im-plementado de 2013 a 2016, tem o objetivo de reduzir as situaes de vulnerabilidade ao trfico de pessoas, capacitar profissionais, instituies e organizaes en-volvidas com o enfrentamento

    ao trfico de pessoas; produzir e disseminar informaes sobre o trfico de pessoas e propor aes para seu enfrentamento e sensibi-lizar e mobilizar a sociedade para prevenir a ocorrncia da prtica.

    O ministro da Justia, Jos Eduardo Cardozo, explicou que, atualmente, o Cdigo Penal s especifica como crime de trfico de pessoas aquele praticado para fins de explorao sexual. Com o novo plano, o governo pretende apoiar projetos que tornem a lei mais rgida, segundo o ministro. Hoje voc tem a tipificao do trfico de pessoas, mas vinculado a explorao sexual e o trfico de pessoas hoje assume uma amplitu-de maior do que a explorao se-xual, afirmou o ministro. Ento a ideia modificar a lei, para que ns possamos ter uma abrangncia da tipificao e claro estarmos ins-trumentalizados legalmente para fazer esse enfretamento, disse.

    Governo quer dar mais transparncia ao processo de concesso. Novas regras entram em vigor em 30 dias

    O Ministrio do Trabalho e Emprego ir endurecer as regras para a criao de novos sindica-tos, com o aumento da exigncia de documentao, e passar a terceirizar a deciso sobre pe-didos polmicos, nos quais haja dvida se j existe um sindicato em funcionamento atendendo categoria pleiteada. As medidas foram anunciadas pelo ministro da pasta, Brizola Neto, ontem. Elas entraro em vigor 30 dias aps a publicao de uma nova portaria.

    De acordo com o minist-rio, o objetivo da medida dar maior transparncia ao processo de concesso e acabar com as "fbricas de sindicatos" no pas. Os sindicatos que j esto em funcionamento tambm tero de se adequar. Uma devassa nos registros do ministrio mostrou que, dos cerca de 14 mil sindicatos existentes, 940 possuam registros irregulares.

    Destes, 862 foram notificados devido incapacidade de prover a documentao necessria ou de provar sua representativida-

    Governo endurece regras para criao de sindicatos e notifica 862

    Brizola Neto anunciou novas regras aos presidentes das centrais sindicais Jos Eduardo Cardozo

    O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou ontem que, no perodo em que participou do movimento estudantil, fez protestos como os que atualmente pedem a sada dele da presidncia do Sena-do. E disse que os manifestantes podero trocar de papel no futuro, se tornando parlamentares, como ele fez.

    No ltimo fim de semana, mani-festantes protestaram contra Renan em diversas capitais. Uma petio pblica feita pela internet pedindo a sada dele da presidncia do Senado reuniu mais de 1,6 milho de adeses. Na semana passada, um grupo de cerca de 30 pessoas estendeu no gramado da Esplanada dos Ministrios, em Braslia, uma rplica da bandeira do Brasil com a seguinte inscrio: "1,6 milho dizem: Fora Renan! Ser que o Senado vai ouvir?". Ns vamos, daqui a alguns anos, ter o prazer de contar com essas pessoas, que hoje esto fazendo essas manifes-taes de rua, nos parlamentos. E

    OPINIO

    a ser uma coisa complementar, declarou Renan Calheiros.

    Segundo o presidente do Sena-do, h duas maneiras de participar da poltica. "Uma delas recla-mando, protestando, fazendo o que todos ns fizemos como dirigentes estudantis em diferentes momentos. A outra voc se dispondo a entrar na poltica partidria, mais conven-cional, e disputar uma eleio, afirmou. Na ltima quarta-feira, parlamentares assinaram uma carta com solicitao ao STF para que d celeridade na denncia contra o senador feita pela Procuradoria-Geral da Repblica.

    Renan Calheiros

    de. Eles podero ter o registro suspenso caso no atendam aos questionamentos do ministrio.

    Entre as federaes, o quadro encontrado ainda mais preo-cupante: das 40 registradas, 23 estavam irregulares e j foram efetivamente suspensas. Com a suspenso, as federaes ficam proibidas de receber a contribui-o sindical dos trabalhadores.

    Alm da exigncia de docu-mentos bsicos que antes no eram pedidos, como a identi-ficao dos responsveis pelos requerimentos ou o registro em cartrio de atas e estatutos das entidades, a portaria define que o CRT (Conselho Regional do Tra-balho) passe a decidir sobre casos em que a criao do sindicato seja posta em dvida.

    Segundo a legislao brasi-leira, apenas uma entidade pode representar uma classe de tra-balhadores em cada localidade.

    Trata-se do princpio da "unici-dade sindical".

    Caber agora ao CRT, criado em 2010 e composto por represen-tantes do governo e dos movimen-tos sindicais, decidir se o sindicato dever ou no ser criado.

    O pacote de novas medidas tambm prev um maior rigor nos casos de dissociao de sindica-tos ou desmembramento. Nestes casos, as novas entidades precisa-ro descrever qual sindicato est perdendo a base de representados para permitir sua criao. "De uma maneira geral, a portaria traz mais celeridade, transparncia e contro-le. E pe fim ao que era classificado como interferncia indevida do governo por meio do Ministrio do Trabalho", disse Brizola Neto. "Estamos apertando o controle documental, exigindo certificao digital e definindo regras claras para diviso de base, evitando fracionamento das organizaes."

    p9__new2.indd OK.indd 1 27/02/2013 09:12:29

  • 10 Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 Poltica Jornal da Manh

    Lewandowski promete voto no prazo

    O ministro Ricardo Lewan-dowski, revisor da Ao Penal 470, o processo do mensalo, no Supremo Tribunal Federal (STF), disse ontem que entregar sua parte para redao do acrdo dentro do prazo. De acordo com o regimento interno do Supremo, o acrdo deve ser publicado at 60 dias aps a concluso do julgamento. No caso da Ao Penal 470, esse prazo se encerra dia 1 de abril. Vou respeitar rigorosamente o prazo, disse o ministro, ao che-gar ao STF nesta tarde. Segundo Lewandowski, h divergncia de entendimentos na Corte se o prazo de 60 dias para a publicao do acrdo ou se para a entrega da parte de cada ministro.

    O acrdo o documento que traz um resumo do julgamento, os votos dos ministros e a transcrio do que foi discutido. Somente com a publicao do acrdo, as partes envolvidas podem recorrer den-tro do prazo de cinco dias - ou a sentena pode ser executada. No STF, o prazo de 60 dias dificilmen-te seguido.

    Na semana passada, o relator do processo do mensalo e presi-dente do STF, ministro Joaquim Barbosa, encaminhou ofcio aos demais ministros indicando que terminou o trabalho que cabia a ele no acrdo. Ainda no h infor-mao oficial de quantos ministros esto na mesma situao.

    PR-CAMPANHA

    MENSALO

    Em evento ao lado do senador Acio Neves (MG), virtual candi-dato do PSDB Presidncia em 2014, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso chamou de "ingrata" sua sucessora petista, Dilma Rousseff.

    Questionado sobre o discurso de Dilma na festa dos 10 anos do PT, em So Paulo, em que a pre-sidente afirmou no ter herdado "nada" da gesto tucana, FHC afirmou: "O que que a gente pode fazer quando a pessoa ingrata? Nada. Cospe no prato que comeu. Meu Deus".

    Terminou em clima e com dis-curso de campanha o seminrio que o PSDB promoveu segunda-feira, em Belo Horizonte, com FHC e o senador Acio Neves (PSDB-MG).

    O tucano, que tem sido

    FHC ao lado de Acio Neves (E) e Antonio Anastasia

    "Vamos apresentar um projeto para 20 anos", diz Acio

    Acusado de estelionato inspira deciso do TCURepresentao de uma empresa de con-sultoria GF, de Paulo Godoy, de So Paulo, fez o ministro Walton Rodrigues, do Tribunal de Contas da Unio, conceder cautela contra a estatal de ferrovias Valec, suspendendo duas licitaes, uma delas j concluda, no valor de R$ 800 milhes, para a compra de trilhos de 2 mil km das ferrovias Norte-Sul e Leste-Oeste. Godoy acusado em 72 processos, de estelionato a contrabando e descaminho, e de chantagear a vencedora da licitao.Leilo internacionalA estatal Valec convidou empresas nacio-nais e internacionais ao leilo de menor preo para fornecer trilhos, vencido pela brasileira PNG.ChantagemScios da PNG, vencedora do leilo, di-zem que Godoy os chantageou, exigindo parte do negcio. Do contrrio, melaria a licitao no TCU.A conta nossaSem trilhos, as obras das ferrovias sero paralisadas, cancelando 30 mil empregos e provocando prejuzo mensal de R$ 50 milhes Valec.Faz um XCom o arranha-cu de Eike Batista, a Marina da Glria, maravilha tombada pelo Patrimnio no Rio, passar a ser chamada de Ex-Marina.Dilma ignora Congresso e lidera f-brica de vetosConsiderada campe de vetos no Con-gresso, a presidenta Dilma descartou mais de 70 itens aprovados pelos par-lamentares desde que a Suprema Corte obrigou o Congresso a votar os trs mil vetos presidenciais acumulados ao longo dos ltimos dez anos. Segundo levantamento do PDT, a maioria dos vetos publicados entre 15 de dezembro de 2012 e primeiro de fevereiro deste ano parcial.Problema delesDilma tambm vetou na ntegra ma-trias aprovadas por unanimidade no Congresso, como a que d autonomia a defensorias pblicas. Medo da rasteiraPara o presidente do Senado, Renan Calheiros, o jeito esperar nova deciso do STF: O governo tem grande preocu-pao com os vetos. CarnavalescaVoltou moda a marchinha da cidade que seduz. No Rio falta gua, porque de noite faltou luz, desligando o abaste-cimento da cidade. Telhado de vidroUma jovem do movimento de mulheres do PDT foi agredida, segunda (25), numa manifestao diante da Fundao Alberto Pasqualini-Leonel Brizola, em Braslia, onde despacha o mandachuva Carlos Lupi. EsperanaAdvogado de Henrique Pizzolato, Marthius Lobato vai analisar com lupa possveis omisses e contradies nos autos, com a publicao do acrdo do julgamento do mensalo, que condenou seu cliente, ex-diretor do Banco do Brasil, a doze anos e sete meses de priso. Horta garantidaO presidente do Senegal, Macky Sall, anunciou eufrico nas TVs locais a ajuda de US$ 200 milhes para a agricultura, prometida por Dilma no encontro frica-Amrica do Sul na Guin Equatorial, semana passada.

    Claudio Humberto

    uma vergonha nacional, indefensvel e inexplicvel

    Carlos Sampaio (SP), lder do PSDB, sobre o 14 e 15 salrios de parlamentares

    DE BRASILIA

    econmico nas menes a uma possvel candidatura Presidn-cia em 2014, deixou o auditrio de um hotel na capital mineira dizendo que vai apresentar "um projeto para os prximos 20 anos do Brasil".

    "O PT optou por comemorar seus dez anos no governo olhan-do pelo retrovisor. Ns vamos apresentar um projeto para os prximos 20 anos do Brasil", declarou, cercado por militantes aos gritos de "Acio Presidente", com bandeiras nas mos e cami-sas do PSDB.

    Na semana passada o mineiro criticou o que chamou de "anteci-pao da campanha" presidencial, aps o evento de comemorao dos 10 anos do PT no poder em que o ex-presidente Lula lanou Dilma Rousseff reeleio.

    O mineiro disse ainda que seria portador de "novas ideias". Antes do incio do evento, FHC

    havia reafirmado imprensa sua predileo pela candidatura de Acio. "Temos que sacudir o pas. Acho que o momento de uma renovao. At mesmo do estilo de falar, do estilo de pessoa".

    No fim do ato, questionado por um militante se haveria risco de Acio perder a vaga na disputa Presidncia, a exemplo do que

    houve em 2010, quando o mineiro abdicou e abriu espao para Jos Serra, FHC usou uma metfora. "No fim do tropicalismo, eles tinham apenas uma palavra de ordem. Eles diziam: 'vocs fracas-saram, deixem o espao para ns'. Quero que vocs digam outra coi-sa: digam 'chegou a nossa hora.'"

    ALLANA WILLERS10/06/1994 V27/01/2013

    EM MEMRIA DO 1 MS DE FALECIMENTO

    Voc era diferente, era brilhante em tudo que fazia, e fazia de tudo. Sabamos disso, porm no tnhamos quantificado as tuas aes. Somente agora fomos nos dar conta disso. Por onde voc passou deixou uma histria, e foram muitos os lugares, deixou o seu toque, o seu jeito de ser, transformando com um abrao, com o teu sorriso e com muita alegria a vida de muitas pessoas. Autoconfiante, independente, segura, de personalidade forte e marcante, perfeccionista e apaixonada por tudo que fazia. Gostava muito de ajudar os outros, de dar conselhos, de emprestar o ombro amigo, e quo amigo foi esse ombro. Isso nos est sendo mostrado agora pela quantidade de abraos e mensagens solidrias que recebemos e a cada dia continuamos recebendo, muitas vezes de pessoas que nem te conheceram, mas se comoveram com a tua histria, ou com a tua msica. Quantas pessoas nos perguntaram sobre a msica que voc postou no you tube, pois no sabiam que voc tocava e cantava, quantas pessoas choraram de emoo, e quantas se confortaram com ela. Quantas homenagens a voc de amigos, colegas, professores, annimos, da banda Planta e Raiz de quem a musica que voc cantou, do Jornal do Almoo, da banda Chimarruts que voc era f, e quantas ainda viro...Ficamos confortados pela maravilhosa filha que Deus nos concedeu e pela mensagem da tua msica que ser eterna...

    Eu estarei com vocO meu corao estar em vocMinhas oraes so pra te protegerQuero que saiba que amo voc

    (Encontre a Liberdade)Banda Planta e Raiz

    Iju, 27 de fevereiro de 2013.

    p10_new2esta.indd 11 27/02/2013 09:12:45

  • 11Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013PolciaJornal da Manh

    Empresrio morre aps coliso lateral na ERS-342 O motorista Horst Zimpel ao fazer o contorno na rtula para entrar na Rua do Comrcio , acabou sendo atigindo por um caminho

    Na manh de ontem, por volta da 9h50, um acidente na ERS-342, trevo com a Rua do Comrcio, rea urbana de Iju, resultou na morte de um idoso de 82 anos.

    Segundo o boletim de ocor-rncia, registrado no planto da Polcia Civil, nmero 1854/2013, uma carreta, placa de Entre-Iju, e um veculw Marea, placa de Iju, transitavam no mesmo sentido pela ERS-342, quando no trevo de acesso a Iju, o condutor do veculo no obedeceu a parada obrigatria e ingressou na via, no momento em que foi atingido pelo caminho na parte lateral esquerda do automvel.

    Com o choque, o condutor do automvel, Horst Zimpel, acabou sendo projetado para fora

    TRNSITO

    DPVAT

    TRS DE MAIO

    Acidente envolve caminhes e carros na BR-472

    Indenizaes pagas crescem 39% em 2012

    Um acidente envolvendo dois caminhes e dois automveis, deixou trs pessoas feridas na BR-472, em Esquina Wusch, interior de Trs de Maio.

    O acidente ocorreu prximo das 13h de ontem, envolvendo veculos que esperavam na fila a autorizao dos funcionrios da empresa que recuperam a ro-dovia, para seguir viagem. Mais

    de 30 veculos estavam na fila no sentido Boa Vista do Buric/Trs de Maio. Um caminho com placa de Santo Cristo, usado no transporte de sunos, por moti-vos desconhecidos chegou em velocidade no compatvel e de forma desgovernada bateu com violncia em outro caminho e mais dois automveis que esta-vam logo frente.

    Ficaram feridos no acidente, o motorista do caminho de Santo Cristo, e os dois ocupantes de

    JULIO DE CASTILHOS

    Pedestre atropelado

    O total de indenizaes pagas pelo seguro obrigatrio, o Dpvat, aumentou 39% no ano passado, enquanto a frota de veculos subiu apenas 7,9%. Em 2012, 507.915 pessoas receberam o benefcio in-denizatrio por causa de acidentes no trnsito. Os dados divulgados pela seguradora Lder mostram tambm que os motociclistas so as principais vtimas, em seguida os pedestres.

    Ao todo, 69% das indeniza-es so pagas em caso de aci-dentes com motocicletas e dentro deste montante, 72% das vtimas o motociclista. Os nmeros di-vulgados nesta tera-feira, 26 de fevereiro, so relevantes porque a quantidade de motos em circula-o de apenas 27% do total de veculos no Brasil.

    Quando os acidentes so cau-sados por automveis, no so os motoristas as principais vtimas, e sim os pedestres. Eles somam 52% das indenizaes. A frota nacional de automveis de 60% e este tipo de veculo foi respon-svel por 25% das indenizaes pagas em 2012.

    O Nordeste a regio onde mais se paga benefcios, com percentual de 29%. Em seguida vm o Sul, 28%; Sudeste, 25%; Norte, 10% e Centro-Oeste, 8%.

    Foi comunicado no Planto da Polcia Civil na segunda feira o furto da moto Honda, de cor preta, placa IRF 2242. O furto , segundo consta no registro policial ocorreu na Ave-nida David Jos Martins, prximo ao Hospital de Caridade de Iju.

    Homicdios

    Furto

    Joo Eleuterio Coite, de 60 anos, morreu n tarde de ontem aps ser atropelado no km 279 da BR-158, em Jlio de Casti-lhos. O acidente ocorreu pouco antes das 12h30.

    A vtima foi atingida por um caminho com placa de Santa Catarina. O pedestre chegou a ser socorrido por uma ambu-lncia do municpio, mas no resistiu.

    OPERAO

    Cruz-altense preso em So Leopoldo

    Na tarde de ontem, agentes da Polcia Civil de Cruz Alta, coor-denados pelo delegado Alfredo Ineu e agentes da Delegacia de Homicdios de So Leopoldo, coordenados pelo delegado Alencar Carraro, efetuaram a priso de Jorge Alexandre Santos da Silva, de 28 anos, natural de Cruz Alta em decorrncia de

    A regio Metropolitana de Porto Alegre teve um acrscimo de 24% no nmero de homicdios em 2012 na comparao com o ano anterior. Os nmeros foram divulgados, na noite de segunda-feira, pela Secre-taria de Segurana Pblica (SSP) do Estado. Conforme os dados, o municpio de Esteio foi onde o indicador mais cresceu. A elevao foi de 80%. J em Nova Santa Rita, a criminalidade diminuiu. Segun-do os dados, o decrscimo foi de 87%. As 11 cidades que compem a Associao dos Municpios da Regio Metropolitana (Granpal) registraram 928 mortes em 2012. No ano anterior foram 747.

    O secretrio de Segurana Pblica e Mobilidade Urbana de Esteio, Arno Leonhardt, salienta que os nmeros esto dentro da mdia histrica do municpio. Segundo o poltico, o nmero de 2011 ficou abaixo da mdia. J em 2012, dos 18 crimes, seis deles foram ocasionados por motivo passional. Ele lembra que h uma reduo nos homicdios relacionados ao trfico de drogas, que era a principal causa de mortes na cidade. Para diminuir o indicador, o secretrio afirma que ir ampliar o trabalho do Gabinete de Gesto Integrada (GGI).

    um Fiat Uno com placa de Barra Funda, que so funcionrios da empresa que trabalha na rodovia.

    Os ocupantes de um caminho ba de uma empresa atacadista da cidade de Itapu SP, e o condutor do Gol, com placas de Redentora, no se feriram, apenas um dos ocupantes do caminho ficou em estado de choque.

    O caminho ba tombou na pista, o Gol ficou semidestrudo, o Uno ficou completamente des-trudo com a fora da batida, e o

    caminho transportador de su-nos teve a cabine toda esmagada, prensando o motorista.

    Os Bombeiros e o Samu de Trs de Maio prestaram socorro s vtimas conduzindo-as ao pronto atendimento do Hospi-tal So Vicente de Paulo. Os policiais da Brigada Militar trs-maiense prestam servio de segurana no local. O trn-sito est interrompido para caminhes, somente automveis passam pelo local.

    Um revlver calibre 38, marca taurus, foi furtado de uma residncia localizada na Ramo B. da Silva, no bairro Tom de Souza. Segundo o depoimento do comunicante, Orides Jos Prestes Duncker, o furto ocorreu entre as 15 e 16 horas de segunda-feira. A arma estava escondida no forro da residncia, acondicionada numa caixa de sapatos,

    Arma

    do veculo. O Samu foi chamado, mas constatou a morte instantnea do idoso.

    O condutor do caminho, Roberto Luiz de Morais, 45 anos, no ficou ferido. Morais foi sub-

    metido ao teste do etilmetro, que resultou negativo.

    No planto da Delegacia de Polcia, o registro foi realizado como homicdio culposo, artigo 302.

    Coliso lateral entre caminho e automvel ocorreu no trevo da ERS-342

    priso preventiva por homicdio. A priso ocorreu no Bairro Cam-pina, na Rua Colnias, n 380, So Leopoldo.

    A priso de Jorge decorreu da deflagrao da Operao Canto do Grilo realizada no dia de ontem em Cruz Alta, onde foram cumpridos quase uma dezena de mandados de busca e apreenso e trs mandados de priso preventiva.

    PANAMBI

    Morre uma das vtimas de atropelamento

    Morreu ontem pela manh, Wally Isolde Brust Vergani, de 53 anos. Ela foi vtima do atro-pelamento por uma caminhonete desgovernada, no bairro Arco-ris de Panambi.

    Uma caminhonete Ford que estava estacionada desceu de r pela Avenida Presidente Kennedy, sem condutor, e nas imediaes de uma esquina atingiu um Fiat Plio que passava pelo local. Na sequncia a caminhonete foi em direo a uma parada de nibus

    e acertou a mulher, alm do filho dela, Daniel Viegas, de 5 anos. Os dois aguardavam o transporte coletivo.

    Wally Vergani e a criana fo-ram levados ao hospital de Cruz Alta. O menino segue internado na UTI.

    CENTRO DE IJU

    Coliso deixa homem ferido

    Acidente por volta das 12h15 de ontem deixou um motociclista ferido no Centro de Iju.

    O motociclista, de 31 anos, conduzia uma moto quando houve coliso com um auto-mvel na esquina das Ruas 7 de Setembro e do Comrcio.

    O condutor teve fratura exposta numa das pernas e foi atendido no HCI.

    Foi registrado no Planto da Delegacia de Polcia, na ltima segunda-feira, um dano ao patri-mnio pblico na escola muni-cipal infantil Trilha do Saber, do bairro Ferrovirio.

    Segundo a diretora do edu-candri, Rosalina Elizete dos Santos Pires, foram quebrados vrios vidros das janelas das salas e desligada a chave da luz, o que descongelou um freezer e duas geladeiras onde so armazenados alimentos.

    Dano

    Ladres furtaram do galpo da prefeitura de Iju localizado na Pedreira, Avenida 21 de Abril, 200 metros de fiao eltrica. O comunicado foi realizado pelo vigilante do local.

    Fiao eltrica

    Horst Zimpel

    p11_new2.indd 9 27/02/2013 09:11:14

  • 12 Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 Esporte Jornal da Manh

    Trs jogos foram disputados sbado pela primeira rodada do Campeonato de Futebol do Ser-vio Social da Indstria (Sesi), em Iju. No campo da Imasa pela Chave B, a Imasa goleou por 8 a 4 a Okeizitos/FMC. No Centro Esportivo Arthur Fuchs, foram realizadas duas partidas pela Chave A. A Camera fez 8 a 1 na equipe Moinho Iju/Madelli Mveis/Recapasul e depois a So-berana/Hidroenergia/Esquadrias Tomm venceu por 3 a 0 a Cisbra Farinhas/Cisbra Blocos. A se-gunda rodada ter mais trs jogos no prximo sbado. No campo da Imasa s 13h45 jogam Okeizitos/FMC e Brasil Foods. No Centro Esportivo do Sesi s 13h45 se enfrentam Soberana/Hidroener-gia/Esquadrias Tomm e Camera e s 16h jogam Cisbra Farinhas/Cisbra Blocos e Moinho Iju/Madelli Mveis/Recapasul.A equipe campe da modalidade disputar a fase microrregional com a equipe campe das cidades de Panambi ou Ibirub.

    Comandante da campanhaJOGOS DO SESI

    GAUCHO

    Paulo Porto cuida de todos os detalhes para levar o So Luiz deciso da Taa Piratini

    Alessandro Telles e Paulo Porto

    Drones Iju disputou em Santa Maria o seu primeiro jogo-treino

    INTERNACIONAL

    PLACAR GERAL

    Recomeam os treinos

    Buscando aperfeioar suas tcnicas de jogo, o time de futebol americano Drones Iju, esteve em Santa Maria no ltimo sbado para um jogo-treino com o Soldiers Santa Maria. Esta foi a primeira partida do time de Iju utilizando o equipamento de proteo com-pleto, exigido para competies.

    O resultado do jogo foi 34 pontos para o Soldiers Santa Maria contra 7 do Drones Iju. O resultado, no entanto, foi o que menos importou. O que marcou a competio foi a garra da equi-pe ijuiense que buscou a todo o momento aprender com uma das melhores equipes gachas da modalidade. A competncia da equipe de Santa Maria tambm

    O tcnico Paulo Porto vem colecionando nos ltimos anos excelentes campanhas por onde passa. Foi assim no Esportivo, Veranpolis, Inter-SM, Caxias e So Luiz. Estudioso do futebol, ele cuida de todos os detalhes. Tra-balha ao mximo e os resultados sempre aparecem. Acompanha os treinos atentamente e a todo o momento passa orientaes aos atletas e troca ideias com o auxiliar-tcnico Alessandro Tel-les. Conhece detalhadamente as caractersticas de todos os atletas que o seu time enfrenta.

    O So Luiz se transformou desde a chegada de Paulo Porto. Os nmeros mostram isso. Est invicto h sete partidas e levou o time s semifinais da Taa Piratini, primeiro turno do Gaucho. Lide-ra a competio com 20 pontos.Ele disse que mais uma vez a torcida ter papel importante. "O jogo contra o Caxias deve ser difcil e por isso o grito da arqui-bancada pode fazer a diferena",

    PUNIO

    A Confederao Sul-Ame-ricana de Futebol (Conmebol) negou o recurso do Corinthians e manteve a punio aplicada ao time aps a morte de um torcedor boliviano, na partida de estreia da Libertadores.Com a deciso, o atual campeo ter mesmo que jogar as prximas partidas da competio sem pblico nas arquibancadas. Pelo menos at que o mrito do caso seja julgado de forma definitiva. Como no h uma data para o Tribunal da Con-mebol julgar a questo, a medida preliminar, com prazo de at 60 dias, est em vigor. Hoje s 22h no Pacaembu, o Corinthians enfrenta o Millonrios, da Colmbia.

    O Clube Aqutico Tiaraju est recebendo inscries para o Torneio Interno de Vlei de Areia em Duplas categoria livre masculino e feminino que ser realizado no dia 10 de maro s 9h. O ltimo prazo para confir-mar participao o dia 9 de maro s 12h. Informaes na secretaria do Tiaraju.

    Local do jogo segue indefinido

    GRMIO O elenco do Internacional reapresentou-se na tarde de ontem, no CT do Parque Gigante iniciando a preparao para a partida decisiva contra o Esportivo, pela semifinal da Taa Piratini, primeiro turno do Gaucho. O duelo ser disputado no prximo domingo, s 16h, no Estdio Centenrio, em Caxias do Sul. A movimentao teve n-fase na posse de bola em campo reduzido. D'Alessandro, Juan e Rodrigo Moledo ficaram de fora da atividade e apenas correram em volta do gramado. Os atletas que no atuaram os 90 minutos no clssico tambm exercitaram finalizaes em gol.O grupo colorado far mais cinco perodos de treinamentos at a partida. Nesta quarta-feira os trabalhos sero comandados em dois turnos pelo tcnico Dunga. Na sexta-feira, os jogadores fazem ativi-dade pela manh e se reapresentam noite, para dar incio ao regime de concentrao em Porto