Everybody Lies: o estudo das emoções na série Lie To Me

Download Everybody Lies: o estudo das emoções na série Lie To Me

Post on 08-Jan-2017

219 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • ii

    ii

    ii

    ii

    Everybody Lies: o estudo das emoes na srie Lie To Me

    Fernando Gomes & Valquiria Michela JohnUniversidade do Vale do Itaja

    E-mail: fernandogomess@gmail.com / vmichela@gmail.com

    Resumo

    A televiso coloca seus telespectadoresem contato com diferentes filosofias, es-tudos e tendncias. Principalmente a par-tir da dcada de 2000, os Estados Uni-dos, principais produtores do formato se-riado, apostaram com mais fervor na in-sero de contedo cientfico para o de-senvolvimento de roteiros. Nesse con-texto, em 2009 estreava na Fox norteame-ricana a srie Lie To Me: um drama poli-

    cial baseado em estudos contemporneossobre comunicao no-verbal. O obje-tivo desta pesquisa proporcionar umareflexo sobre o estudo das emoes, ela-borado por Paul Ekman, refletir sobre arelevncia da televiso como divulgadorade cincia e investigar, atravs da anlisede contedo, se Lie To Me oferece contri-buio na divulgao cientfica.

    Palavras-chave: fico seriada, Lie To Me, Paul Ekman, divulgao cientfica.

    Abstract

    Television puts its viewers in touch withdifferent kinds of subjects, philosophies,studies and tendencies. The american TVshows, especially from 2000 to 2010, hadmore scientific content on their screen-plays. In this context, in 2009, the ameri-can network FOX premiered Lie To Me, a

    drama series based on contemporary stu-dies on non-verbal communication. Thisresearch wants to provide a reflection onthe Paul Ekmans studies of emotion, toreflect on television as a tool for sciencedissemination and investigate if Lie ToMe offers any contribution on this matter.

    Keywords: serialized fiction, Lie To Me, Paul Ekman, science dissemination.

    Estudos em Comunicao n 18, 77-121 Maio de 2015

  • ii

    ii

    ii

    ii

    78 Fernando Gomes & Valquiria Michela John

    Introduo

    NA dcada de 2000, mais especificamente a partir de 2001, a televisonorteamericana iniciou um processo de valorizao criativa de seus pro-dutos ficcionais. Comearam os investimentos em roteiristas, diretores, atorese outros profissionais 1 que elevaram as sries de TV ao nvel de qualidade docinema hollywoodiano. Nesse mesmo perodo, os produtos televisivos passa-ram a apostar mais fortemente na utilizao de contedos cientficos em seusroteiros. Na dcada de 1990, se destaca nesse quesito a srie Arquivo X 2, quemisturava cincia, drama e investigao, uma frmula muito reaproveitada ereformulada com o passar dos anos. Com C.S.I 3, o tema investigao foi tra-zido de volta para a televiso com doses de contedo cientfico e, aos poucos,os cientistas foram se proliferando em outras atraes.

    Principalmente na segunda metade da dcada passada, a cincia e os ci-entistas forenses ficaram muito mais em evidncia em sries como CriminalMinds, The Mentalist, Bones, The 4400, Fringe e Lie To Me, objeto de estudodesta pesquisa. Outros gneros absorveram a ideia de ter a cincia como panode fundo para seus acontecimentos, como o caso do drama mdico House,a sitcom The Big Bang Theory, e os dramas de fico cientfica BattlestarGalctica e Lost.

    O recurso de aliar cincia e fico nos contedos televisivos, embora sejauma tendncia que se expandiu na dcada passada, no uma ideia recente.Basta citar o caso clssico de Star Trek. Criada em 1966, talvez uma dasprimeiras a entender e explorar o potencial cientfico na televiso e, posterior-mente, no cinema, pois se fixou como uma das franquias de maior sucesso de

    1. O crescente interesse pela televiso foi responsvel pela migrao de profissionais docinema para a televiso. o caso dos atores Ralph Fiennes, Samuel L. Jackson, Sally Field,Alec Baldwin e Kiefer Sutherland.

    2. Srie criada por Chris Carter e exibida pela Fox de 1993 a 2002. Era centrada em doisagentes do F.B.I, Fox Mulder e Dana Scully, que investigavam conspiraes governamentaise casos ditos sobrenaturais. Enquanto Scully apresentava uma postura ctica, Mulder tinhamais facilidade em acreditar nos fenmenos que presenciava. Essa diferena de perfil dospersonagens serviu de base para aprimorar o formato investigativo das sries ao longo dosanos.

    3. Sigla para Crime Scene Investigation. A srie do canal CBS estreou em outubro de2000 e foi um dos principais programas da emissora, se mantendo por muitos anos como asrie mais vista dos Estados Unidos.

  • ii

    ii

    ii

    ii

    Everybody Lies: o estudo das emoes na srie Lie To Me 79

    vendas e locaes. O padro adotado em produes recentes, e tambm emStar Trek, a fuga de uma cincia fantasiosa e impossvel, em que se observacada vez mais a busca de uma fico com tom de veracidade e possibilidade,fatores esses que poderiam justificar o crescimento da audincia e a ampliaodos investimentos.

    No Brasil, os seriados comearam a se proliferar de maneira discreta na te-leviso aberta, principalmente a partir das dcadas de 1980 e 1990. Nesse pe-rodo, ocupavam uma pequena porcentagem da programao e, com o tempo,foram se fixando no imaginrio e no cotidiano de seus telespectadores. Na se-gunda metade dos anos 2000, os canais abertos brasileiros conseguiram bonsndices de audincia ao inaugurarem suas faixas de sries. O primeiro epis-dio de Lost, exibido na Rede Globo em fevereiro de 2006, rendeu 29 pontos noIbope apenas na grande So Paulo 4. Na Record, o sucesso foi com C.S.I que,em 2010, atingia a mdia de 12 pontos, dois a mais do que a novela Ribeirodo Tempo, veiculada no horrio nobre 5. Em 2009, a exibio de Superna-tural, no SBT, competia com a novela das 21h da Rede Globo e conquistavaa mdia de 10 pontos no Ibope, em um aumento de 110% nos nmeros deaudincia da emissora no horrio 6.

    Aps 2004, com a estreia de Lost, a maneira de assistir televiso passoupor um processo de reviso, afinal, os seriados passaram a ser popularizadoscom mais fervor via internet logo ao trmino de sua exibio nos EstadosUnidos. Esse foi um fator que colocou em xeque o procedimento de exibiodesse tipo de programa nos canais de TV a cabo no Brasil. Os seriados ofere-cem uma alternativa para os que no se identificam com a telenovela, principalforma de fico seriada brasileira. Seja atravs de downloads ou locaes, naTV aberta, a cabo ou nas telas dos computadores, as produes importadasso cada vez mais um sucesso inegvel.

    Em janeiro de 2009, a Fox, uma das maiores redes de televiso dos Es-tados Unidos, estreou em sua programao a srie Lie To Me. Seu episdiopiloto foi assistido por, aproximadamente, 13 milhes de telespectadores, deacordo com o Nielsen, instituio que mede a audincia nos EUA. O programachegou ao Brasil em setembro do mesmo ano, tambm pela Fox e estreou naRede Globo em maro de 2011. Nos Estados Unidos, a srie teve seu ltimo

    4. Disponvel em: www1.folha.uol.com.br.5. Disponvel em: www1.folha.uol.com.br.6. Disponvel em: www1.folha.uol.com.br

  • ii

    ii

    ii

    ii

    80 Fernando Gomes & Valquiria Michela John

    episdio exibido em 31 de janeiro de 2011 e foi cancelada pela emissora emsua terceira temporada, com o motivo de baixa audincia.

    A maior parte da srie baseada nos estudos do psiclogo norteamericanoPaul Ekman, que dedicou boa parte de sua vida ao estudo das emoes e dalinguagem no-verbal. Em Lie To Me, o personagem principal Cal Light-man, interpretado pelo ator Tim Roth. O cientista, que foge da figura estereo-tipada do homem de jaleco branco no laboratrio, possui uma postura ctica ecida a respeito da realidade, defende que a verdade no precisa ser dita, poisest escrita em nossa fisionomia. Sua colega, Gillian Foster (Kelli Williams),alm de scia de Cal, psicloga e atua como parceira de investigao.

    O time de especialistas do Lightman Group composto tambm por EliLoker (Brendan Hines) e Ria Torres (Mnica Raymund). O primeiro umestudante graduado no MIT e se junta ao time de cientistas para aprender astcnicas de leitura corporal. A segunda agente de segurana de um aeroportoe termina como protegida de Cal Lightman, por possuir o dom natural deobservao de pessoas. Os quatro personagens se dividem em duplas e, acada episdio, utilizam a linguagem corporal como uma das fontes para aresoluo dos casos. O estudo das emoes tambm aplicado, sendo o focodesta pesquisa, que teve como objetivo analisar como ocorre a divulgao docontedo cientfico relacionado aos estudos do psiclogo Paul Ekman na srie.

    Foram selecionados e analisados cinco episdios da primeira temporadade Lie To Me, sendo quatro da primeira metade e um da segunda metade. Aprimeira temporada composta de 13 episdios que foram exibidos pela Foxde 21 de janeiro a 13 de maio de 2009. Os episdios eram exibidos semanal-mente e possuam uma durao mdia de 40 a 44 minutos, sem comerciais. Aescolha dos episdios do primeiro ano da srie se deve ao fato de que existe apreocupao em explicar, de maneira sinttica, os assuntos relacionados s ex-presses faciais. Trata-se de uma tentativa de aproximar os telespectadores dotema e de fixar a srie como produto, sendo assim, h melhor aproveitamentodos estudos de Paul Ekman. Este artigo , entretanto, um recorte da pesquisaem que se buscou comparar a teoria elaborada por Paul Ekman veiculada noseriado. Devido limitao de espao, aqui apresenta-se somente a anlise doepisdio piloto.

  • ii

    ii

    ii

    ii

    Everybody Lies: o estudo das emoes na srie Lie To Me 81

    O estudo das emoes

    Para entender os princpios bsicos que envolvem a expresso de umaemoo, basta pensar em aes que esto fora do controle da vontade. involuntrio, por exemplo, salivar diante de um prato apetitoso ou controlara ao do sistema nervoso quando os batimentos cardacos e a circulao dosangue se alteram em momentos de tenso. As emoes funcionam da mesmamaneira, tendo incio a partir de estmulos internos ou externos em que osistema nervoso se altera e conduz energia aos msculos do corpo como formade alvio. Essa energia, quando descarregada, culmina na expresso de sinaisque