edição nº 63

Download Edição Nº 63

Post on 28-Mar-2016

217 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Capital - Edição nº 63

TRANSCRIPT

  • 1CAPITAL5 a 11 de Julho de 2011

    www.jornalcapital.jor.br | ANO 3 N 63 | CAPITAL EMPRESA JORNALSTICA LTDA | DE 05 A 11 DE JULHO DE 2011 | NAS BANCAS RS 1,00

    Oi fere o Cdigo do

    ConsumidorPG. 2

    Indi

    cado

    res*

    Indi

    cado

    res*

    Cmbio*Cmbio*

    MO

    ED

    AS

    CO

    TAD

    AS

    EM

    DO

    LA

    R (U

    SA)

    MO

    ED

    AS

    CO

    TAD

    AS

    EM

    DO

    LA

    R (U

    SA)

    (*) FECHAMENTO: 4 DE JULHO DE 2011(*) FECHAMENTO: 4 DE JULHO DE 2011

    Exportaes no ms de junho alcanaram recorde histrico

    Itamar Franco(1930-2011)

    Vendas da indstria cresceram

    8,9 %

    Receita Federalmelhora a

    arrecadao com apreenso

    Banda largaanunciada

    pelo governo vai limitar downloads

    Baixada pode receber centro para tratar usurios de crack

    Governadores discutem a diviso de royalties

    A ANUNCIADA FUSO entre as redes de hipermercados Carrefour e Po de Acar encontra adversrios ferrenhos. Alm da Firjan, que refl ete a preocupao das indstrias, rgos de defesa do consumidor tambm a questionam. At o Senado j se manifesta. O ministro do Desenvolvi-mento, Indstria e Comrcio, Fernando Pimentel, porm, disse que o BNDES tem autonomia para decidir se participa da fuso PGINA 4

    A ELEIO SUPLEMENTAR, que estava marcada para o dia 17, havia sido suspensa atreavs de pedido de liminar feito pelo presidente da Cmara, Leonardo da Vila e defe-rida pela ministra do TSE , Nancy Andrighi. Agora, foi remarcada para o dia 31. Seis candidatos esto inscritos e confi rmados pelo TRE para disputar a Prefeitura. PGINA 3

    O BOM DESEMPENHO das exportaes, que cresceram 31,6% no primeiro semestre (so-bre igual perodo do ano passado), em especial por causa do resultado mais robusto dos dois ltimos meses, pode determinar mais uma correo, para cima, das expectativas de vendas externas em 2011. Tendncia nesse sentido foi manifestada pelo secretrio executivo do Ministrio do Desenvolvimento, Indstria e Comrcio Exterior, Alessandro Teixei-ra, no dia 1, ao analisar os nmeros da balana comercial no ms de junho PGINA 8

    AS VENDAS reais da in-dstria do Rio avanaram 8,9% em maio frente a abril, na srie que desconta os efeitos sazonais. Houve novo crescimento em pes-soal ocupado (1.100 pos-tos de trabalho a mais), o segundo consecutivo des-de a pequena acomodao de maro. Os dados fazem parte de pesquisa divulga-da pela Federao das In-dstrias. PGINA 8

    A RECEITA federal divulgou que apreen-deu mercadorias no to-tal de R$ 618 milhes nos quatro primeiros meses do ano, como resultado do combate sistemtico ao contra-bando, descaminho e outros ilcitos adua-neiros. Houve um au-mento de 51,11% em relao s apreenses no mesmo perodo de 2010. PGINA 2

    A PROPOSTA foi fei-ta durante audincia na ALERJ, pela presidente da Comisso de Assuntos da Criana, Adolescente e Idoso da Assembleia Le-gislativa do Rio, deputada Claise Maria Zito.

    PGINA 5

    Ministra do TSE revoga liminar e marcaeleio suplementar em Mag para o dia 31

    PGINA 6

    PGINA 3

    DIV

    ULG

    A

    O

    ABR

    /JOSE C

    RU

    Z

    BAN

    CO

    DE IM

    AG

    ENS

    BAN

    CO

    DE IM

    AG

    ENS

    PGINA 7

    Fuso ganha mais adversrios

    Moeda Compra (R$)Venda(R$)

    Variao %

    Dolar Comercial 1,551 1,553 0,32Dlar Paralelo 1,590 1,730 0,00Dlar Turismo 1,500 1,660 0,00

    (U$) (U$) %Coroa Dinamarca 5,129 5,133 0,14Dlar Austrlia 1,073 1,073 0,43Dlar Canad 0,960 0,960 0,19Euro 1,453 1,454 0,10Franco Sua 0,847 0,848 0,00Iene Japo 80.720 80,810 0,09Libra Esterlina Inglaterra 1,608 1,608 0,06Peso Chile 465,450 465,850 0,45Peso Colmbia 1.760,000 1.762,000 0,00Peso Livre Argentina 4,100 4,140 0,00Peso MXICO 11,581 11,588 0,24Peso Uruguai 18,250 18,450 0,00

    ndice Valor Variao %Ibovespa 63.891,31 0,78IBX 21.129,28 0,58Dow Jones 12,582,77 0,00Nasdaq 2.816,03 1,53Merval 3.418,11 0,65

    Poupana 05/07 0,608Poupana p/ 1 Ms 04/07 0,624TR 04/07 0,120

    Juros Selic meta ao ano 12,25

    Salrio Mnimo (Federal) R$ 545,00Salrio Mnimo (RJ) R$ 581,88

  • CAPITAL 5 a 11 de Julho de 201122

    Capital Empresa Jornalstica Ltda - CNPJ 11.244.751/0001-70Av. Governador Leonel Brizola (antiga Presidente Kennedy)

    n 1995, Sala 804 - Edifcio Sul Amrica - Centro, CEP 25.020-002Duque de Caxias, Rio de Janeiro: Telefax: (21) 2671-6611

    Endereos eletrnicos:comercial.capitalmercado@gmail.comcontato.capitalmercado@gmail.comredacao.capitalmercado@gmail.com

    TIRAGEM: 10.000 exemplares (assine o Capital: 21 2671-6611)

    IMPRESSO: NEWS TECHNOLOGY GRFICA EDITORA LTDACNPJ 07.253.882/0002-27

    Departamento Comercial:(21) 2671-6611 / 9287-1458 / 7854-7256 ID 8*21653

    Diretor Geral: Marcelo Cunha (contato.capitalmercado@gmail.com)Diretor de Redao: Josu Cardoso (josuejornalista@gmail.com)

    Paginao e Arte: Alberto Ellobo (21 9320-1379)

    Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomo, Karla Ferreira,Geiza Rocha, Nestor Vidal, Priscilla Ricarte e Roberto Daiub

    Filiado ADJORI - Associao de Jornais do InteriorFiliado ADJORI - Associao de Jornais do Interior

    Na internet: www.jornalcapital.jor.brNa internet: www.jornalcapital.jor.br

    Ponto de ObservaoPonto de ObservaoALBERTO MARQUES

    Dobrou o nmero de mulheres na cadeia

    Educao e futuro

    GEIZA ROCHA jornalista e secretria-geral do Frum Permanente de Desenvolvimento Estratgico do Estado do Rio de Janeiro Jornalista Roberto Marinho. www.querodiscutiromeuestado.rj.gov.br

    EM 2000, ERA DE 4,3% o percentual de mulheres na populao carcerria bra-sileira. Em 2010, o ndice quase dobrou: 7,4%. No mesmo perodo, a porcen-tagem de homens presos caiu de 95,7% para 92,6%. Os dados foram apresenta-dos por Geder Luiz Rocha Gomes, promotor de Jus-tia da Bahia e presidente do Conselho Nacional de Poltica Criminal e Peni-tenciria do Ministrio da Justia (CNPCP/MJ), du-rante o Encontro Nacional sobre o Encarceramento Feminino, realizado pelo Conselho Nacional de Jus-tia na ltima quarta-feira (29), em Braslia.

    - O responsvel por esse fenmeno o trfico de drogas, que cada vez mais vem recrutando as mulhe-res - disse o promotor, que tambm apresentou dados para mostrar que, nos l-timos anos, a maior parte dos investimentos do Fun-do Penitencirio Nacional (Funpen) foi destinada a projetos de reforma e am-pliao de vagas em uni-dades prisionais no pas, em detrimento da aplica-o de polticas voltadas reinsero social dos detentos, sejam homens ou mulheres. Segundo ele, entre 1994 e 2007 os

    investimentos do Funpen foram de R$ 1,40 bilho, dos quais R$ 1,37 para obras de infraestrutura.

    Esses dados so assus-tadores, na medida em que boa parte das famlias brasileiras hoje tem como chefe uma mulher. Se ela presa, quem cuidar dos seus fi lhos, uma vez que o preconceito machista diz que a educao e a criao dos fi lhos papel exclusivo da mulher. Vale acrescentar ainda que a mulher, quando adere ao trfi co, faz por desespero, por falta de opo ou de emprego, que lhe permita sustentar a famlia. Boa parte das presas so nova-tas no ramo, no tendo a mesma manha para fugir do indiciamento e conde-nao, como ocorre com os homens que atuam no trfi co.

    - O Brasil campeo mundial na ampliao de vagas em unidades prisio-nais. Entre 1990 e 2009, houve um aumento de 221% - informou, obser-vando que, em razo da ausncia de polticas de ressocializao, a necessi-dade de vagas continuar aumentando, por causa da reincidncia criminal. Hoje a populao carce-rria brasileira de cerca

    de 500 mil detentos, dos quais 34 mil so mulhe-res. Mesmo com todo o investimento do Funpen em construo e reforma, ainda h um grande dfi cit de vagas no superlotado sistema carcerrio brasi-leiro.

    A entrada em vigor, nesta segunda-feira, da nova legislao sobre priso preventiva ou provisria, que poder mandar para as ruas de criminosos por estarem sujeitos a penas inferiores a 4 anos, um perigoso remenda, pois, ao invs de investir em pro-gramas de ressocializao, o Governo, com apoio da sua maioria no Congresso, prefere mandar os crimino-sos para as ruas a pretexto de economia, pois cada preso custaria em torno de R$ 1,8 mil por ms. Quanto custaria tratar das vtimas dos bandidos, as que escapam com vida? E as penses pagas s famlias das vtimas que morrem durante assaltos ou seqestros?

    O encontro promovido pelo Conselho Nacional de Justia em Braslia teve a participao da chilena Olga Espinoza, coordena-dora da rea de Estudos Penitencirios do Instituto de Assuntos Pblicos da

    Universidade do Chile. Em sua palestra, ela fa-lou sobre as regras de Bangkok, um conjunto de normas editadas pelas Naes Unidas em 2010 com o reconhecimento da especifi cidade feminina e uma srie de recomenda-es, que incluem o acom-panhamento das detentas por mdico ginecologista (em vez de mdico genera-lista), aproximao com os fi lhos e demais membros da famlia, visitas ntimas e capacitao dos profi ssio-nais do sistema carcerrio.

    Embora as regras de Bangkok sejam recentes, Olga Espinoza est oti-mista com a possibilidade de mudana do quadro atual do encarceramen-to feminino em todo o mundo. um avano positivo, mas depende somente de ns a trans-formao desse conjunto de normas em realidade, disse a especialista. Para a juza Kenarik Boujikian Felippe, de So Paulo, o encontro realizado pelo CNJ foi um marco na histria do Poder Judi-cirio e do Brasil, j que a primeira vez que um rgo do Judicirio pro-move um debate sobre as condies de encarcera-mento de mulheres.

    ESTAMOS NO AUGE DE UMA ERA de crescimento em que a Educao e o Conhecimento podero nos catapultar ou nos frear. Dizem que governar fazer escolhas. No sistema representativo, geralmente de-legamos as escolhas a outras pessoas. Porm, com a evoluo da partic