creativity: yes! but when? o papel da regulação do foco e da ?· creativity: yes! but when? o...

Download Creativity: Yes! But when? O Papel da Regulação do Foco e da ?· Creativity: Yes! But when? O Papel…

Post on 09-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Creativity: Yes! But when?

    O Papel da Regulao do Foco e

    da Auto-liderana na

    Criatividade

    Joo Manuel Guerra Antunes

    Catarina Joana Vieira Gomes

    Dissertao para obteno de grau de Mestre em Polticas de Desenvolvimento de

    Recursos Humanos

    Lisboa

    2016

  • 2

    Creativity: Yes! But when?

    O Papel da Regulao do Foco e

    da Auto-liderana na

    Criatividade

    Joo Manuel Guerra Antunes

    Dissertao orientada pela Prof. Doutora Catarina Joana Vieira

    Gomes

    Dissertao para obteno de grau de Mestre em Polticas de Desenvolvimento de

    Recursos Humanos no Instituto Superior de Cincias Sociais e Polticas da Universidade

    de Lisboa

    Lisboa

    2016

  • 3

    Agradecimentos:

    Se eu fizer somente aquilo que consigo fazer, nunca serei melhor do que aquilo que sou!

    Frase extrada do filme de animao Panda do Kung Fu.

    O facto de concluir este Mestrado e elaborar esta dissertao constitui para mim um

    marco muito importante. Ao fazer uma reflexo sobre este percurso acadmico em que

    houve momentos melhores e momentos piores, acredito que todos eles me trouxeram

    maturidade e me permitiram aprender. Acredito que o que posso retirar de mais

    importante vai muito alm dos conhecimentos tericos e prticos e centra-se no que eu

    melhorei como pessoa, na minha viso de mim mesmo e do que eu posso fazer. o que

    de melhor posso retirar deste Mestrado.

    Gostava desta forma de agradecer a todos os que me ajudaram e apoiaram a concluir

    este desafio, em especial minha famlia, que sempre me apoiou e a base de tudo aquilo

    a que posso almejar na vida, sem eles nada disto teria sido possvel. Um especial obrigado

    urea que nunca me deixou desistir e acreditou sempre em mim. Esse apoio foi vital

    para o sucesso deste empreendimento. Gostava de deixar um apreo especial aos meus

    amigos, pois o mrito de concluir esta tese vosso tambm. Tenho muita sorte pelos

    amigos que tenho e por todo o apoio que sempre me deram, fosse atravs de um

    telefonema, de um caf, de uma conversa. Sem vocs no teria conseguido. Obrigado por

    me aturarem.

    No sei como hei-de agradecer minha Orientadora, a Professora Doutora Catarina

    Gomes, que foi incondicional e acreditou sempre em mim. Mas tambm pela confiana,

    pelo apoio e acima de tudo por ter conseguido fazer com que a elaborao desta tese fosse

    uma experincia positiva, enriquecedora e estimulante. Que todos tivessem essa sorte.

    Todo o mrito que possa ser retirado desta tese no teria sido possvel sem a sua

    orientao.

    Quero agradecer ao ISCSP, a todo o corpo docente de GRH, pela partilha de

    conhecimentos e valores e a todos os outros que contriburam nem que fosse por uma

    pequenina coisa para a concluso desta dissertao, a todos o meu Muito Obrigado.

  • 4

    Resumo

    A criatividade, embora se trate de um constructo vlido teoricamente e no meio

    organizacional, continua em muitas situaes longe de ser explorada e vista como uma

    mais-valia para o dia-a-dia organizacional. O facto de poderem existir organizaes onde

    no existe uma promoo da criatividade mas uma represso da mesma demonstra que

    este conceito continua a necessitar de mais validao terica e prtica, na medida em que

    o mesmo deve fortalecer a sua relao com outros conceitos indispensveis ao contexto

    organizacional. Desta forma, o objetivo deste estudo passa por explorar a relao

    existente entre a auto-liderana e a criatividade praticada na organizao e, para alm

    disto, perceber em que condio a regulao do foco tem impacto nesta relao. Para

    estudar esta relao foram recolhidos dados de 100 profissionais do setor tercirio em

    Portugal. Os resultados evidenciaram que apenas a auto-liderana e a regulao da

    promoo do foco possuem uma relao positiva significativa com a criatividade

    praticada. No se verificou qualquer influncia da regulao do foco na relao proposta.

    No entanto, este estudo de caso contribui com resultados pertinentes para a investigao

    sobre a problemtica da criatividade praticada nas organizaes.

    Palavras-chave: Auto-Liderana, Regulao do Foco, Criatividade

  • 5

    Abstract

    Creativity although it is a valid construct and essential to the organizational

    environment, it still continues in many situations, far from being explored and viewed as

    an asset for an organizations day-to-day life. The fact that there may be organizations

    where there is no promotion of creativity but a repression of the same, shows that this

    concept still requires more theoretical and practical validation in that it should strengthen

    its relationship with other essential concepts for the organizational context. Thus, the aim

    of this study involves exploring the relationship between self-leadership and practiced

    creativity in organizations, and in addition, it aims to understand when the regulatory

    focus, as a trait, influences this relationship. To study this relationship data were collected

    from 100 professionals from the tertiary sector in Portugal. The results showed that only

    self-leadership and the promotion focus have a significant positive relationship with

    practiced creativity. There was no influence of regulatory focus in the proposed relation.

    However, this study provides relevant results for research regarding practiced creativity

    in organizations.

    Key Words: Self-Leadership, Regulatory Focus, Creativity

  • 6

  • 7

    ndice

    Introduo ......................................................................................................................... 8

    Enquadramento Terico ................................................................................................. 10

    Criatividade ................................................................................................................. 10

    Auto-liderana ............................................................................................................ 13

    Auto-liderana e Criatividade ..................................................................................... 18

    Regulao do Foco e Criatividade .............................................................................. 18

    Auto-liderana e Criatividade: O papel da Regulao do Foco .................................. 22

    Opes Metodolgicas ................................................................................................... 23

    Metodologia de estudo ................................................................................................... 25

    Amostra ....................................................................................................................... 26

    Procedimento .............................................................................................................. 27

    Medidas ....................................................................................................................... 27

    Instrumentos ................................................................................................................ 28

    Resultados ....................................................................................................................... 31

    Discusso ........................................................................................................................ 35

    Mrito ............................................................................................................................. 36

    Limitaes e Investigaes Futuras ................................................................................ 37

    Implicaes prticas ....................................................................................................... 38

    Contribuio da presente tese para a proposta de polticas de desenvolvimento de

    recursos humanos ........................................................................................................... 39

    Concluso ....................................................................................................................... 39

    Bibliografia ..................................................................................................................... 41

  • 8

    Introduo

    A criatividade tende a ser vista como sinnimo de desenvolvimento e produtividade

    no meio organizacional (Zhou & Hoever, 2014). Amabile (1988) definiu a criatividade

    como o desenvolvimento de produtos (ideias) que so novos e aplicveis, por um

    indivduo ou pequeno grupo de indivduos que operam em conjunto laboralmente. J

    Diliello e Houghton (2008) reforam esta noo de que a criatividade remete para a

    capacidade/qualidade de desenvolver ideias que so, ao mesmo tempo, novas e teis e

    que visam o aumento da produtividade organizacional e a resoluo de problemas

    A criatividade , no entanto, em muitas situaes, sabotada pela prpria organizao,

    que atravs de um controlo apertado, impossibilita aos seus colaboradores a abertura para

    que possam ser criativos. Diversos factores (e.g.: excesso de controlo, falta de

    cooperao, ambiente demasiado formal) podem limitar a actuao individual (e.g.:

    prossecuo de objetivos; produo de resultados), condicionando desta forma a

    criatividade e inviabilizando possveis alteraes nos processos de trabalho (Amabile,

    1988). Em suma, cabe s organizaes o desenvolvimento de uma cultura organizacional

    que perm

Recommended

View more >