brasília - capital da esperança

Click here to load reader

Post on 20-Mar-2016

244 views

Category:

Documents

24 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

História bem contada de Brasília a Capital da Esperança

TRANSCRIPT

  • Prefcio O texto Braslia Capital da Esperana mostra a trajetria do Ex. Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira desde os tempos em que era estudante de medicina na cidade de Belo Horizonte at a sua morte. Juscelino foi o mais importante dos Presidentes brasileiros. Sua principal obra realizada, a Construo de Braslia e a bem sucedida transferncia da Capital Federal para l, projetou-o no cenrio mundial. rfo de pai desde os trs anos de idade, foi criado e educado por sua me a professora Da. Jlia Kubitschek, na cidade de Diamantina, Estado de Minas Gerais. Tenente-Coronel Mdico da Polcia Militar do Estado de Minas Gerais iniciou sua carreira poltica como Chefe da Casa Civil do Governador Benedito Valadares, depois como Deputado Federal, Prefeito de Belo Horizonte, Governador do Estado de Minas Gerais, onde realizou grandes obras, Presidente da Repblica do Brasil, onde se notabilizou pela construo de Braslia, e, finalmente, Senador pelo Estado de Gois. Quis o destino que JK iniciasse a sua campanha para Presidente da Repblica na cidade de Jata, no Estado de Gois. L ele foi desafiado a mudar a Capital Federal para o Planalto Central Goiano, ao ser perquirido pelo jovem Antonio Soares Neto, o Toniquinho, se pretendia cumprir a Constituio Federal. Eleito Senador pelo Estado de Gois, teve o seu mandato cassado pelo Governo Revolucionrio, que tambm suspendeu os seus direitos polticos por um perodo de dez anos. Pretendia reeleger-se Presidente da Repblica em 1965, criando o slogan: JK 1965: A Vez da Agricultura. Exilou-se voluntariamente em Nova York e depois em Paris, por

    4

  • um longo perodo. Morreu de desastre de automvel na Rodovia Presidente Dutra, na altura da cidade de Rezende, Estado do Rio de Janeiro e at hoje no se sabe se foi acidente ou atentado. Seu corpo foi levado para Braslia, onde foi sepultado temporariamente no Cemitrio Campo da Esperana. Com a construo do Memorial JK em Braslia, seus restos mortais foram trasladados para l, onde se encontram descansando numa cmara morturia lacrada, exposta visitao pblica. Por tudo isto, JK foi merecidamente chamado de:

    a) O Prefeito Furaco, de Belo Horizonte;b) O Governador Tocador de Obras, do Estado de Minas

    Gerais;c) O Construtor de Braslia, e, finalmente,d) O Brasileiro do Sculo.

    Leiser Lima de SouzaAutor

    5

  • Quem v Braslia atualmente no tem a menor idia do que foi a idealizao e a construo dessa linda Capital, na segunda metade da dcada de 1950. O local era ermo. As cidades mais prximas do ponto demarcado eram: Corumb, Cristalina, Formosa, Luzinia e Planaltina, no Estado de Gois, bem como, Paracatu e Una, no vizinho Estado de Minas Gerais. Todas de pequeno porte e de difcil acesso. Os campos e cerrados do Planalto Central estavam ali em seu estado primitivo, desafiando qualquer aventureiro que quisesse conquist-lo. As distncias dos grandes centros eram desanimadoras, conforme se v a seguir:

    Belo Horizonte: 735 quilmetros;Goinia: 206 quilmetros;Rio de Janeiro: 1.162 quilmetrosSo Paulo: 1.009 quilmetros.

    A maior parte dessas estradas era de terra e sem a infraestrutura necessria. Os rios e crregos eram atravessados em pontes de madeira improvisadas ou em balsas. Nas estaes chuvosas, uma viagem que podia ser feita em algumas horas, durava dias e at semanas. Era comum encontrarmos caminhes atolados no meio do percurso, aguardando socorros que nunca vinham. Rodovias asfaltadas e pontes de concreto armado s existiam nas regies litorneas ou ligando as maiores cidades aos grandes centros. As dificuldades eram tantas, que a populao brasileira concentrou-se nas faixas litorneas, por mais de trezentos anos. Poucos se aventuraram a penetrar o interior do Pas, com a finalidade de explorar uma atividade econmica com fins lucrativos.

    V-se, pois, que a conquista do oeste brasileiro era o maior desafio daquela poca. Vrios governantes passaram pela Presidncia

    6

  • da Repblica, mas nenhum deles teve a coragem de enfrentar o problema de frente. A idia da mudana da Capital Federal para o Planalto Central era antiga. A prpria Constituio Federal de 1891 tinha um dispositivo que tratava do assunto. Tambm contemplaram a matria, as Constituies de 1934 e 1946.

    A Misso CrulsEm 1892/93, a Misso Cruls chefiada pelo Engenheiro

    Pesquisador Dr. Luiz Cruls, esteve no Brasil Central e demarcou o local da futura Capital. Da por diante, um quadriltero passou a ser colocado nos mapas do Estado de Gois e nos livros didticos com os seguintes dizeres:

    Futuro Distrito FederalDecorridos 58 anos daquela visita e mais de 200 anos do

    surgimento da idia mudancista, a situao permanecia a mesma. Nenhum Presidente da Repblica ousou transferir a Capital Federal para o interior do Pas, porque seria um trabalho imenso. Uma obra faranica.

    A Disputa do Poder Poltico no BrasilA partir da Proclamao da Repblica, o Poder Poltico no Brasil

    passou a ser disputado por grupos muito fortes, que chegavam a pegar em armas para conseguirem o seu intento.

    No bastasse isso, presses externas tambm eram comuns naquele tempo, na tentativa de proteger os investimentos feitos no Brasil.

    7

  • A Poltica Caf com LeitePor muitos anos, a poltica caf com leite foi mantida no Brasil.

    O caf representava o Estado de So Paulo e o leite o Estado de Minas Gerais. Ambos revezavam os Mandatos Presidenciais entre si. Assim, quando um Mandato Presidencial era exercido por So Paulo, cabia a Minas Gerais exercer o Mandato seguinte. E vice versa. Dificilmente outros Estados conseguiam eleger um Presidente da Repblica de sua regio.

    A poltica do caf-com-leite foi um acordo firmado entre as oligarquias estaduais e o governo federal durante a Repblica Velha para que os Presidentes da Repblica fossem escolhidos entre os polticos de So Paulo e Minas Gerais.

    Embora, no geral, o acordo entre So Paulo e Minas Gerais visasse ocupao da Presidncia da Repblica pelos dois estados, houve momentos de grande tenso na aliana paulista e mineira, levando escolha de candidatos de outras regies do pas. Este foi o caso, por exemplo, do gachoHermes da Fonsecae do paraibanoEpitcio Pessoa.

    Os Movimentos Golpistas Todos os Presidentes da Repblica eleitos nesse perodo tiveram dificuldades em governar o Pas. Grupos poderosos infiltrados na poltica de So Paulo e do Rio de Janeiro uniram-se com a finalidade de desestabilizar o Governo Federal e assumir o poder. As Revolues de 1924 e 1930 aconteceram devido a essa resistncia. A prpria Coluna Prestes que percorreu o Pas de norte a sul e de leste a oeste, visava tirar o poder das mos desses governantes.

    Getlio Vargas foi um dos beneficirios desses movimentos. Assumiu a Presidncia da Repblica quando comandava movimentos

    8

  • vitoriosos no Estado do Rio Grande do Sul. Natural de So Borja, RS, ps fim Repblica Velha, depondo o Presidente Washington Lus e impedindo a posse do Presidente eleito em 1 de maro de 1930, Jlio Prestes.

    Foi Presidente do Brasil em dois perodos. O primeiro durou 15

    anos (03/11/30 a 29/10/45). Depois. foi eleito por voto direto (31/01/51 a 24/08/54).

    Suicidou-se com um tiro no peito quando lhe exigiram a renncia. Alegou numa Carta-Testamento encontrada em seu Gabinete Presidencial, no Palcio do Catete, no Rio de Janeiro, que assim agira impelido por foras estranhas que o ameaavam. Morreu no dia 24 de agosto de 1954 e at hoje no se sabe se foi homicdio ou suicdio.

    Eis o inteiro teor da Carta-Testamento deixada pelo Ex-Presidente Getlio Vargas, um documento histrico publicado exaustivamente nos jornais e revistas da poca.

    A Carta-Testamento de Getlio Vargas Mais uma vez, as foras e os interesses contra o povo coordenaram-se novamente e se desencadeiam sobre mim.

    No me acusam, insultam; no me combatem, caluniam e no me do o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ao, para que eu no continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes. Sigo o destino que me imposto. Depois de decnios de domnio e espoliao dos grupos econmicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revoluo e venci. Iniciei o trabalho de libertao e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao Governo nos braos do povo. A campanha subterrnea dos grupos

    9

  • internacionais aliou-se dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho. A lei de lucros extraordinrios foi detida no Congresso. Contra a justia da reviso do salrio-mnimo se desencadearam os dios. Quis criar a liberdade nacional na potencializao das nossas riquezas atravs da Petrobrs, mal comea esta a funcionar, a onda de agitao se avoluma. A Eletrobrs foi obstaculada at o desespero. No querem que o trabalhador seja livre. No querem que o povo seja independente.

    Assumi o Governo dentro da aspiral inflacionria que destrua os valores de trabalho. Os lucros das empresas estrangeiras alcanavam at 500% ao ano. Na declarao de valores do que importvamos existiam fraudes constatadas de mais de 100 milhes de dlares por ano. Veio a crise do caf, valorizou-se o nosso principal produto. Tentamos defender seu preo e a resposta foi uma violenta presso sobre a nossa economia a ponto de sermos obrigados a ceder.

    Tenho lutado ms a ms, dia a dia, hora a hora, resistindo a uma presso constante, incessante, tudo suportando em silncio, tudo esquecendo, renunciando a mim mesmo, para defender o povo que agora se queda desamparado. Nada mais vos posso dar a no ser meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de algum, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereo em holocausto a minha vida. Escolho este meio de estar sempre convosco. Quando vos humilharem, sentireis minha alma sofrendo ao vosso lado. Quando a fome bater a vossa porta, sentireis em vosso peito a energia para a luta por vs e vossos filhos. Quando vos vilipendiarem, sentireis no meu pensamento a fora para a reao. Meu sacrifcio vos manter unidos e meu nome ser a vossa bandeira de luta.

    Cada gota de meu sangue ser uma chama imortal na vossa conscincia e manter a vibrao sagrada para a resistncia. Ao dio respondo com o perdo. E aos que pensam que me derrotaram respondo com a minha vitria. Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo de quem fui escravo no mais ser escravo de ningum. Meu sacrifcio ficar para sempre em sua alma e meu sangue ser o preo do seu resgate.

    Lutei contra a espoliao do Brasil. Lutei contra a espoliao do

    10

  • povo. Tenho lutado de peito aberto. O dio, as infmias, a calnia no abateram meu nimo. Eu vos dei a minha vida. Agora ofereo a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na histria. (SIC).

    Getlio Vargas

    O Pas Parou com a Morte de Getlio VargasA inesperada morte de Getlio Vargas causou um rebulio

    tremendo em todo o Pas. O comrcio, os bancos, as escolas e as reparties pblicas fecharam por um longo tempo, at que a situao acalmasse. Boletins noticiosos, seguidos de msicas militares (marchas) nos intervalos, eram transmitidos a todo instante nas rdios de todo o Pas, dando conta dos ltimos acontecimentos. O Brasil parou. O perigo iminente de um Golpe de Estado, seguido de uma forte ditadura militar, pairava por todos os lugares.

    A Posse de Joo Caf FilhoJoo Fernandes Campos Caf Filho, natural de Natal, Rio Grande

    do Norte, que era ligado aos grupos golpistas, assumiu interinamente o cargo de Presidente da Repblica, entre 24 de agosto de 1954 e 08 de novembro de 1955.

    O Estado de StioO primeiro ato de seu governo foi decretar Estado de Stio por

    tempo indeterminado, em todo o Pas, assim permanecendo at a posse de Juscelino, ocorrida no dia 31 de janeiro de 1956. Joo Caf Filho no conseguiu completar o Mandato Presidencial de Getlio, porque foi deposto.

    11

  • A Posse de Carlos LuzEm seu lugar assumiu o Sr. Carlos Coimbra da Luz, natural de Trs

    Coraes, Estado de Minas Gerais (de 08 a 11 de novembro de 1955), ocupando a cadeira presidencial por apenas trs dias.

    As novas eleies aproximavam-se. Alguns candidatos ao cargo j se movimentavam para lanar-se em campanha. A situao poltica do Pas era preocupante. As mesmas foras golpistas do Rio de Janeiro e de So Paulo afirmavam que somente assumiriam o poder candidatos por eles indicados.

    Juscelino, um Candidato Ideal.Juscelino era o homem certo para a funo de Presidente

    da Repblica. Realizou uma excelente administrao como Prefeito em Belo Horizonte, onde recebeu popularmente o ttulo de Prefeito Furaco.

    Belo Horizonte que era tida e conhecida como a Capital mais moderna do Pas, carecia de infraestrutura e esta foi feita durante o seu mandato de Prefeito. Da a Governador do Estado de Minas Gerais foi um pulo para Juscelino. Novos investimentos foram feitos na Capital e em todo o Estado de Minas Gerais.

    Oscar Niemeyer, o Arquiteto da Modernidade.Projetos feitos pelo arquiteto Oscar Niemeyer foram implantados

    em toda a cidade, sobressaindo o Complexo da Pampulha, pela graciosidade, beleza e modernidade de seus traados. A repercuo da construo da Igreja So Francisco de Assis da Pampulha, em Belo

    12

  • Horizonte, Minas Gerais, foi tamanha que chocou a conservadora sociedade da Capital Mineira e a prpria Igreja Catlica.

    JK, o Poltico Nmero Um do Brasil.Bem, voltando ao homem Juscelino, preciso dizer que os seus

    feitos e o seu estilo de governar, transformaram-no no poltico nmero um no cenrio nacional. Sua fora era to grande que nenhum outro poltico de seu partido quis concorrer com ele.

    JK, o Tocador de Obras.JK notabilizou-se pela quantidade de obras que realizou. Era um

    verdadeiro tocador de obras. O Brasil inteiro tinha os olhos voltados para a sua administrao. Era o candidato ideal para o cargo de Presidente da Repblica. Ningum podia questionar.

    As Foras ContrriasMas a sua pretenso no agradava a ala golpista sediada no

    Rio de Janeiro e em So Paulo. As foras contrrias, juntamente com os militares tinham outros planos polticos para o Brasil e, certamente iriam reagir, como de fato reagiu.

    A Primeira ReaoLogo que surgiram os primeiros rumores da candidatura de

    Juscelino ao cargo de Presidente da Repblica, ainda no Governo de Minas Gerais, este foi chamado ao Rio, pelo Presidente da Repblica em exerccio, Dr. Joo Caf Filho. L fora advertido para desistir da pretenso de ser Candidato a Presidente, porque se fosse eleito no

    13

  • tomaria posse. As mesmas foras ocultas mencionadas por Getlio, no permitiriam a sua posse. E, como Caf Filho fazia parte dessas mesmas foras, finalizou dizendo que: No valeria a pena tamanha aventura.

    O Bilhete do Senador Dr. Dario CardosoDesolado, mas ainda com um fio de esperana, Juscelino voltou

    a Belo Horizonte e, por sorte, l encontrou, por escrito, um recado do Senador goiano Dr. Dario Cardoso, tambm do seu partido.

    No bilhete, esse Senador aconselhava-o a:

    No comear a sua campanha pelos grandes centros, porque era l que se encontravam a maior parte das foras adversrias. (SIC).

    Na oportunidade, sugeriu que JK iniciasse a sua campanha pelo interior do Pas, se possvel, pela cidade de Jata, no Estado de Gois, que, medindo as propores, l se encontrava o maior reduto de seu partido no Pas. Imediatamente JK entrou em contato com o citado Senador sobre o assunto. Este, por sua vez, explicou-lhe que Jata tinha como lder o Dr. Serafim de Carvalho, uma das maiores foras polticas de Gois. A notcia no podia ser melhor. Ambos estudaram medicina em Belo Horizonte e eram grandes amigos. Tinha a absoluta certeza de que podia contar com o seu apoio, naquele momento difcil.

    O Telegrama e a DesincompatibilizaoAto contnuo telegrafou ao amigo informando-lhe que, na data

    prevista pela Legislao Eleitoral da poca, passaria a Chefia de seu Governo ao seu sucessor para desincompatibilizar-se e comearia a sua campanha em Jata. At 1957, Jata no tinha telefone. Por isso, toda

    14

  • comunicao anterior quela data era feita por carta ou por telegrama, tal como aconteceu no presente caso. O telegrama de Juscelino foi entregue ao Dr. Serafim de Carvalho, dentro de uma Igreja em Jata, numa missa de domingo. Terminada a missa, o Dr. Serafim, ainda na porta da Igreja, mostrou o telegrama recebido a um grupo de amigos e incumbiu o Sr. Antonio Soares Neto (Toniquinho), para levar a correspondncia ao Prefeito Municipal da cidade Dr. Luziano Ferreira de Carvalho. Este, aps l-lo, pediu ao emissrio para ir com ele at a casa do Dr. Serafim, explicando-lhe que o tempo era curto para preparar uma recepo ao Candidato. Tudo isto ocorreu no dia 27 de maro de 1955. A chegada de JK estava prevista para o dia 04 de abril de 1955, s 10h30min. Portanto, dispunham de apenas oito dias para organizar o evento.

    A Chegada de Juscelino a JataNo dia aprazado, exatamente s dez horas e trinta minutos da

    manh, o avio - o famoso Douglas DC-3 comprado pelo partido para a campanha JK - sobrevoou a cidade e desceu no Aeroporto sob ovao total da populao local. Jata tinha cerca de 20.000 habitantes naquela poca. A maioria absoluta apoiava os candidatos do seu partido.

    Logo em seguida, foi organizado um grande cortejo que percorreu as principais Ruas e Avenidas da cidade, com o carro do candidato na frente (uma Buick Conversvel aberta), JK de p, ao lado do Dr. Serafim de Carvalho. Muito simptico, de chapu numa das mos, acenando com a outra, JK chamava a ateno de todos at chegar Praa Tenente Diomar Menezes, que se encontrava completamente lotada.

    15

  • O nome dessa praa foi dado em homenagem a um heri da Fora Area Brasileira (FAB), nascido em Jata, que lutou na 2 Guerra Mundial.

    A Mudana do Local do ComcioMais uma vez o destino quis mudar os acontecimentos. Uma

    forte ventania seguida de chuva e poeira dispersou a concentrao que o estava aguardando. Alm da presso vinda do Rio de Janeiro, naquela hora ela vinha tambm do espao, em forma de vendaval e tempestade. Os desgnios de Deus modificaram a programao do encontro. A situao era desesperadora. O povo para no se molhar por completo, comeou a sair do local em disparada procura de um abrigo. Concomitante a tudo isto foi anunciada a transferncia do comcio para um barraco da Concessionria Studebaker, situado na Rua Jos Carvalho Bastos, entre a Avenida Gois e a Rua Jos Manoel Vilela. Naquela poca, esse barraco pertencia ao Sr. Epaminondas Honrio de Campos, ex. Prefeito da cidade e amigo do Dr. Serafim. Hoje, esse local pertence ao Sr. Lindomar J. Zaiden, irmo do cunhado do autor, o j falecido Sr. Nicolau Zaiden. O povo, numa correria desenfreada para no se molhar, acompanhou o candidato at a citada oficina procurando espao para se acomodar.

    O Comcio de Jata Os ltimos acontecimentos ocorridos obrigaram os

    organizadores do encontro a modificar o programa, permitindo que apenas dois oradores discursassem num palanque improvisado em cima da carroceria de um caminho que estava l para conserto (foto abaixo).

    16

  • O Comcio de Jata (GO). Foto exposta no Memorial JK, em Braslia

    Primeiro, falou o Dr. Jos Feliciano Ferreira, que era o Deputado Estadual da cidade e exercia a funo de Secretrio da Educao do Estado de Gois. O orador fez a apresentao do candidato, enaltecendo os seus feitos como Prefeito de Belo Horizonte e como Governador do Estado de Minas Gerais.

    O Discurso de JKEm seguida, falou o prprio Juscelino deixando claro que, se eleito

    fosse, queria fazer um governo de coalizo, voltado para os interesses do povo e com absoluto respeito Constituio Brasileira. Depois descreveu o seu Plano de Metas, com nfase para a industrializao do Pas, construo de usinas hidreltricas, de estradas de rodagem, de escolas e instalao de montadoras de automveis, ainda inexistentes no Pas.

    Antes de terminar o seu discurso, JK inaugurou um sistema de conversao com o povo, como sempre costumava fazer em seus comcios. Queria conhecer a opinio de cada um sobre poltica,

    17

  • administrao pblica e outras coisas. Na verdade, ele queria sentir a reao popular quanto aos seus feitos como Prefeito de Belo Horizonte e como Governador do Estado de Minas Gerais, objetos de admirao em todo o Pas. Mas o povo permaneceu calado.

    Para quebrar o impasse criado, o Dr. Jos Feliciano Ferreira que se encontrava ao seu lado, pediu novamente a palavra e falou sobre a economia do Estado de Gois, naquela poca. Disse que a maioria dos pecuaristas do Estado encontrava-se em dificuldade devido a um surto de febre aftosa em toda a regio, que estava dizimando os rebanhos bovinos. Por fim, concluiu pedindo ao Candidato presente que, se fosse eleito, envidasse esforos em favor daquela sofrida classe. Juscelino, como bom interlocutor que era, pediu algum ao seu lado para anotar o pedido. Prosseguindo, Juscelino postou-se um pouco mais frente no palanque improvisado e voltou a perguntar ao povo de Jata, o que mais tinham a sugerir ao candidato.

    O DesafioFoi justamente nesse instante que o Sr. Antonio Soares Neto

    (Toniquinho), um jovem de 29 anos de idade, levantou o dedo e com o corao saindo pela boca, pediu a palavra e fez a seguinte pergunta:

    Senhor Candidato, j que o Senhor falou tanto na Constituio, se eleito for mudar a Capital para o Planalto Central Goiano? Essa mudana est prevista na Constituio. (SIC).

    Toniquinho referiu ao artigo 4, do Ato das disposies constitucionais transitrias da Constituio de 1946, que dizia:

    18

  • Art. 4 - A Capital da Unio ser transferida para o Planalto Central do Pas. 1 - Promulgado este Ato, o Presidente da Repblica, dentro de sessenta dias, nomear uma Comisso de tcnicos de reconhecido valor para proceder ao estudo da localizao da nova Capital. 2 - O estudo previsto no pargrafo antecedente ser encaminhado ao Congresso Nacional, que deliberar a respeito, em lei especial, e estabelecer o prazo para o incio da delimitao da rea a ser incorporada ao domnio da Unio. 3 - Findos os trabalhos demarcatrios, o Congresso Nacional resolver sobre a data da mudana da Capital. 4 - Efetuada a transferncia, o atual Distrito Federal passar a constituir o Estado da Guanabara. (SIC).

    Constituio

    Federal de 1946

    A Resposta Como Candidato Presidncia no posso ignorar referido dispositivo constitucional. Sua pergunta, apesar de embaraosa, muito oportuna e feliz. Por isso, a partir desse momento fao dessa pergunta o objetivo principal de minha Campanha e de sua administrao se eleito for. (SIC).

    19

  • A Reao PopularEra justamente isto que o povo queria ouvir. O silncio de antes

    explodiu numa manifestao de alegria, em total delrio, contagiando todo mundo, inclusive o candidato que se emocionou muito com a inesperada reao. E para Juscelino isto seria um bom comeo, porque ele precisava de respaldo popular para levar em frente a sua Campanha Poltica.

    A Certido de Nascimento de BrasliaNota-se, portanto, que Braslia nasceu exatamente naquele

    momento. Com aquela afirmao, Juscelino selou a Certido de Nascimento da Nova Capital. Braslia nasceu com ano, ms, dia e hora marcados. Dificilmente uma cidade nasce assim.

    A regra sempre a mesma: A mais bela construo no se teria efetuado seno a partir do primeiro tijolo.... E ali, naquele exato momento, foi assentado o primeiro tijolo da construo da Nova Capital. Foi na simplicidade daquela oficina mecnica, em pleno serto brasileiro, na pacata cidade de Jata, utilizando a carroceria de um caminho que estava sendo consertado, como palanque improvisado, que nasceu a grande idia de incluir no Plano de Metas de Juscelino, a mudana da Capital Federal para o Planalto Central de Gois. A ideia mudancista era antiga, mas ningum teve peito de enfrent-la, fazendo com que tudo no passasse de uma simples teoria. O lado prtico da questo comeou ali, naquele exato momento, cheio de audcia, coragem e confiana. Todos sabem que a audcia fruto dos homens de viso. Antnio Soares Neto, o Toniquinho, foi um visionrio, um sonhador. JK percebeu isto. Aproveitou a idia e fez dela uma meta a mais em seu plano de governo, transformando-a na maior de todas. Aquela

    20

  • que mudou o Brasil para melhor. Ambos os interlocutores tiveram um impulso de patriotismo, iluminado por uma manifestao Divina que, num relmpago, acionou o gatilho que desencadeou a construo de Braslia. Os impulsos para tornar o Brasil mais forte e competitivo comearam exatamente naquele momento. E, quer queiram, quer no queiram, os resultados esto a para quem quiser ver. No consigo imaginar como seria o Brasil sem Braslia. S no v isso quem no patriota. No fosse o questionamento de Antonio Soares Neto (Toniquinho), sobre a mudana da Capital Federal para o interior do Brasil, este no teria atingido o desenvolvimento atual em todos os nveis. O Brasil deve muito a Juscelino e a Antnio Soares Neto, o Toniquinho. So dois benfeitores da nao brasileira. Um, pela coragem, audcia e empreendedorismo. Outro, pela brilhante ideia e oportuno questionamento. preciso ficar claro, que o Brasil no s a faixa litornea como alguns brasileiros acreditam ser. Tem uma viso mope quem pensa assim. A maioria das riquezas naturais est no interior do Pas, no corao da nossa Ptria. Foi o interior que transformou o Brasil num dos maiores celeiros do mundo. Nossa agricultura e a nossa pecuria no perdem para nenhum Pas estrangeiro. No aleatrio que estamos atravessando a crise financeira mundial sem maiores conseqncias. O Comcio de Jata foi um divisor de guas. Antes, vivamos num subdesenvolvimento absoluto. Ningum pode negar. Depois, comeamos a crescer a passos largos, mesmo prejudicados pelas foras estranhas e pelos maus polticos que s pensavam em si mesmos. Aqueles que s enxergavam apenas dois palmos frente de seu nariz. De maus brasileiros. Mas o Brasil muito maior do que tudo isto. Penso at que ele caminharia sozinho, devido grandeza de seus recursos naturais. 21

  • Os Primeiros PassosAinda em Jata, o candidato altera o seu plano de metas,

    determinando aos tcnicos que iniciassem, imediatamente, os estudos para a transferncia da capital. Braslia hoje est no mesmo patamar de Jerusalm (Israel), Veneza e Roma (Itlia), vora (Portugal), Cidade de Gois (Brasil) e de monumentos notveis como as Pirmides do Egito e as Muralhas da China. Todas foram transformadas em Patrimnio Cultural da Humanidade.

    Trs fatos que contriburam para a construo de Braslia:

    a) Um sonho, uma premonio: Dom Bosco;

    b) Um questionamento iluminado e sbio: Antonio Soares Neto (Toniquinho). Ele estava no lugar certo e na hora certa. Deus o colocou ali para mudar os destinos do Brasil. E galhardamente ele o fez. Cumpriu o seu dever de cidado brasileiro. E, por ltimo,

    c) Uma deciso: Foi em Jata, no Estado de Gois, que Juscelino decidiu construir Braslia.

    O Local do ComcioNo local do comcio em Jata, existe atualmente uma placa na

    parede interna do barraco com os seguintes dizeres:

    22

  • Aqui nasceu Braslia. Em 04 de abril de 1955, neste local Juscelino Kubitschek de Oliveira fez o seu primeiro comcio para a Presidncia da Repblica. E respondendo a uma pergunta do jataiense Antnio Soares Neto (Toniquinho), JK se comprometeu a construir Braslia. (SIC).

    Eis a o testemunho de um dos acontecimentos mais importantes de nossa histria. Sobre o Comcio de Jata, no Estado de Gois, o candidato JK escreveu a seguinte mensagem: Quero confessar que at aquele instante no havia fixado, com a devida ateno, o problema da mudana. Mas tive de responder de pronto pergunta. Sendo assim, daria eu os primeiros passos para a construo da futura Capital do Brasil. (SIC).

    No Encerramento do Comcio No encerramento do Comcio de Jata, Juscelino, muito alegre e cordial, agradeceu muito ao povo local, por proporcionar aquele encontro histrico da Poltica Nacional. Ainda no palanque, despediu-se dizendo que, logo aps o almoo para o qual estava sendo convidado, voaria para Anpolis, naquele Estado e de l partiria para Manaus, onde assistiria a inaugurao oficial de um poo de petrleo, em Nova Olinda, naquele Estado do Norte. Esclareceu ainda que, naquele evento pretendia falar ao povo do Amazonas sobre o compromisso que acabara de assumir. O de mudar a Capital Federal para o Planalto Central Goiano, ainda em seu governo.

    23

  • O Almoo No Jquei Clube local, onde estava sendo servido o almoo (foto abaixo), Juscelino mandou chamar o Sr. Antnio Soares Neto (Toniquinho), alegando que queria conhec-lo. Feitas as devidas apresentaes, ambos conversaram por um bom tempo, onde falaram sobre a vida em Jata e sobre a Constituio Brasileira. Perquirido a respeito de sua pergunta, Toniquinho esclareceu ao candidato que estudou a Constituio do Brasil para prestar um concurso para Escrivo de Cartrio em Goinia, em 1.952.

    Foto do almoo no Jquei Clube de Jata, Gois.

    Na Despedida a Confirmao J no aeroporto da cidade, ao despedir-se do Dr. Serafim de Carvalho, JK voltou a dizer ao amigo e que o compromisso por ele assumido haveria de ser cumprido, sob a proteo de Deus.

    24

  • O Plano de Metas O Plano de Governo proposto por Juscelino Kubitschek, caso fosse eleito Presidente da Repblica, era arrojado para aquela poca. Conforme j foi dito acima, compunha-se de 30 (trinta) metas, com nfase para a industrializao do Pas, principalmente construo de usinas hidreltricas, implantao de indstrias de grande porte, construo de estradas de rodagem, de escolas e instalao de montadoras de veculos automotores no Pas.

    A Meta SnteseO Comcio de Jata, no Estado de Gois e o inesperado desafio

    de construir a Nova Capital do Brasil, no Planalto Central, levaram Juscelino a repensar o seu Plano de Metas e acrescentar mais uma. A trigsima primeira ou meta-sntese. A mais ousada de todas. Aquela que a maioria dos brasileiros no acreditava que podia acontecer. A Construo de Braslia. Tudo isto est registrado nos anais do Arquivo Pblico do Distrito Federal e nos livros escritos por JK. s pesquisar.

    Da por diante, a campanha de Juscelino Presidncia da Repblica transcorreu dentro dos padres de normalidade. As chamadas foras estranhas e os incansveis polticos golpistas arrefeceram os seus nimos, dando uma folga para que Juscelino conclusse a sua campanha em paz. Toda vez que Juscelino mencionou em seus comcios a sua pretenso de mudar a Capital para o Planalto Central Goiano, foi ovacionado de p.

    Estava absolutamente claro que a mudana da Capital Federal

    para o Planalto Central era o interesse maior da nao brasileira.

    A idia fortaleceu a sua candidatura, tornando-a irreversvel.25

  • As Eleies PresidenciaisRealizadas as eleies no dia 03 de outubro de 1955, Juscelino

    foi eleito Presidente da Repblica com cerca de 400.000 votos a mais do que o candidato Juarez Tvora, e, 800.000 votos a mais que o terceiro colocado Ademar de Barros. S que ele no teve maioria absoluta. E isto lhe causaria um grave problema, pois, as alas descontentes, as mesmas j descritas anteriormente, iriam valer-se disto e fazer de tudo para impedir a sua posse. Por esta razo, o seu mandato presidencial, garantido pelas eleies gerais, ainda permanecia uma incgnita.

    A Tentativa de ImpugnaoComo era de se esperar, as foras contrrias mencionadas

    anteriormente tentaram impugnar o resultado da eleio, sob a alegao de que Juscelino no obteve vitria por maioria absoluta de votos.

    Consequentemente, a sua posse juntamente com o vice Joo Belquior Marques Goulart o (Jango), s foi garantida com um contragolpe militar liderado pelo General Henrique Batista Dufles Teixeira Lott (O General Lott), que em 11 de novembro de 1955, deps o ento Presidente Interino Carlos Luz, sucessor de Joo Caf Filho e entregou o poder ao ento Presidente do Senado, Sr. Nereu Ramos, que era do mesmo partido de Juscelino.

    Suspeitava-se na ocasio, que o Ex. Presidente Carlos Luz no daria posse a Juscelino. Com Nereu Ramos no poder tudo ficou mais fcil. O mandato presidencial de Getlio Vargas foi concludo, ficando assim assegurada a posse de JK.

    O contragolpe feito pelo General Lott enfraqueceu os

    26

  • movimentos golpistas que aspiravam assumir o poder a qualquer custo, assegurando, desse modo, a normalidade democrtica do Pas, durante todo o governo JK.

    A Primeira Visita ao Planalto CentralSomente um estadista poderia ter dentro de si a imagem que

    lhe foi transmitida ao olhar a vastido silenciosa do cerrado goiano, sintetizada em uma das mais representativas, belas e fortemente expressivas frases da histria de Braslia, pronunciada por Juscelino Kubitscheck:

    Deste planalto central, desta solido que em breve se transformar em crebro das altas decises nacionais, lano os olhos mais uma vez sobre o amanh do meu pas e antevejo esta alvorada com f inquebrantvel e uma confiana sem limites no seu grande destino. Braslia, 02 de outubro de 1956. (SIC). A frase acima foi dita no dia 02 de outubro de 1956, quando Juscelino pisou pela primeira vez no solo do Planalto Central, com o objetivo de construir a Nova Capital. Constou no Livro de Ouro da futura capital e est transcrita no mrmore do Museu da Cidade, na Praa dos Trs Poderes e gravada na memria da maioria dos brasileiros com mais de 65 anos de idade.

    O Pontap InicialCom a linda mensagem acima JK deu o pontap inicial para a

    construo da Nova Capital Federal. Em seguida, criou a Comisso Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (NOVACAP). Convidou grandes tocadores de obras para administrar a maior de todas. Convidou o

    27

  • arquiteto Oscar Niemeyer e o urbanista e arquiteto Lcio Costa para idealizar como seria a cidade. Escolheu o nome da nova Capital. Submeteu o Plano de Obras ao Congresso Nacional que, mesmo desacreditando no empreendimento pretendido, aprovou-o sem ressalvas, dando assim o sinal verde para que Juscelino construsse a maior obra do sculo feita no Brasil.

    Consta que a maioria dos Parlamentares votou favorvel realizao do empreendimento somente para assistirem a queda de Juscelino. Para eles sua pretenso era impossvel, uma simples utopia.

    A ConstruoObras com ritmos alucinantes comearam a ser executadas nos

    principais pontos do chamado Plano Piloto. Primeiro dois riscos em forma de uma cruz ou de um avio ou de um pssaro foram traados naquela imensido isolada do cerrado goiano.

    A partir daquele lugar, lanaram-se as primeiras bases para a construo da Esplanada dos Ministrios.

    Do nada iam surgindo edificaes as mais variadas. Estruturas de palcios nunca dantes imaginadas emergiam no meio daquela imensido isolada como se fosse uma miragem. A Catedral de Braslia, o Teatro Nacional de Braslia em forma de pirmide e o Palcio da Alvorada com os seus arcos modernssimos contrastavam com o vazio do cerrado.

    Os Dois EixosOs dois riscos em forma de um avio ou de uma cruz ou de um

    pssaro acima referidos, resultaram no Eixo Monumental que parte

    28

  • da Estao Rodoferroviria e vai at a Praa dos Trs Poderes e no Eixo Rodovirio Sul e Norte, popularmente chamado de Eixo, numa extenso de 14 quilmetros aproximadamente. Ambos se tornaram smbolos da nova Capital, bem como foram considerados por muito tempo, no guinness book, como as duas Avenidas mais largas do mundo.

    O Sonho de Dom Bosco Entre os paralelos de 15 e 20, havia uma depresso bastante larga e comprida, partindo de um ponto onde se formava um lago. Ento, repetidamente uma voz assim falou ... - Quando vierem escavar as minas ocultas, no meio dessas montanhas, surgir aqui a terra prometida, vertendo leite e mel. Ser uma riqueza inconcebvel - . (SIC). Interpreta-se que este local era Braslia. Dom Bosco, santo italiano, nasceu em 1815 e foi o fundador da Ordem dos Salesianos. Desse sonho nasceu Braslia, rodeada pelo Lago Parano, abrangendo uma rea superficial de 37,5 km2, totalizando cerca de 498 milhes de metros cbicos, com uma profundidade mdia de 12,4 metros e mxima de 40 metros, esta na regio da Barragem do Parano. O permetro do Lago Parano atinge cerca de 111,8 quilmetros, com 40 quilmetros de comprimento e 5 de largura. O espelho dgua por ele formado reflete a beleza do cu da Nova Capital com algumas nuvens brancas mais parecendo blocos de algodo, dando a impresso de que a terra e o cu encontravam-se justamente naquele lugar. O cu de Braslia lindo. Quem o v jamais o esquece. Todos os cartes postais da cidade mostram isto. Muitos argumentam que Dom Bosco no teve um sonho e sim uma premonio. Pressentiu com antecedncia o que estava prestes a acontecer.

    29

  • A Escolha dos Administradores Obras grandiosas exigem administradores audaciosos. Para o desempenho da misso, Juscelino convidou, alm de outros, Israel Pinheiro e Bernardo Sayo, verdadeiros tocadores de obras, cones da construo civil, ambos seus conhecidos e homens de sua inteira confiana. Israel Pinheiro foi o homem que dirigiu a construo de Braslia. Bernardo Sayo comeou atuando em Braslia, mas logo a seguir foi incumbido de construir a Rodovia Belm/Braslia, num total aproximado de 2.277 quilmetros, ligando essas duas Capitais.

    O Primeiro Pouso de Avio em Braslia No dia 23 de fevereiro de 1956, ocorreu o primeiro pouso na pista de 2.400 metros do Aeroporto, do Douglas C-47, da FAB, procedente do Rio de Janeiro. A bordo, Israel Pinheiro e Parlamentares.

    A Criao da NOVACAP No dia 18 de abril de 1956, JK envia ao Congresso Mensagem de Anpolis, propondo criar a Cia. Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (NOVACAP), essencial para a construo de Braslia. NOVACAP ela cabia:

    a) o controle das terras;

    b) o planejamento e execuo das obras;

    c) os contratos e as concorrncias;

    d) a aquisio de materiais para a construo, que no incio eram transportados por avies de carga. (SIC).

    30

  • A TERRACAP assumiu as funes da NOVACAP Com o passar dos anos, a Companhia Imobiliria de Braslia TERRACAP assumiu as funes da NOVACAP.

    A Companhia Imobiliria de Braslia - TERRACAP originria do desmembramento da NOVACAP, realizado pela Lei n 5.861, de 12 de dezembro de 1972.

    Por meio desse regulamento, a empresa assumiu como suas as competncias da NOVACAP de exerccio dos direitos e as obrigaes na execuo das atividades imobilirias de interesse do Distrito Federal, objeto de utilizao, aquisio, administrao, disposio, incorporao, onerao ou alienao de bens, assim como realizar obras e servios de infraestrutura e obras virias no Distrito Federal, vinculados s suas finalidades essenciais. (SIC).

    A Escolha do Nome da Nova Capital O nome Braslia entrou na Lei 2.874 mediante emenda do Deputado Francisco Pereira da Silva, do PSD do Amazonas, Presidente da Comisso Parlamentar da Mudana da Capital. O Congresso Nacional, mesmo com descrena, conforme j foi dito anteriormente, aprovou a Lei n 2.874, sancionada por JK, em 19 de setembro de 1956, determinando a mudana da Capital Federal e criando a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil - NOVACAP. As obras, lideradas pelo urbanista e arquiteto Lcio Costa e pelo arquiteto Oscar Niemeyer comearam com entusiasmo em fevereiro de 1957.

    31

  • Os Candangos Mais de 200 mquinas e de 30 mil operrios os candangos - vindos de todas as regies do Brasil (principalmente do nordeste), exerceram um regime de trabalho ininterrupto, dia e noite, para construir e concluir Braslia at a data prefixada de 21 de abril de 1960, em homenagem Inconfidncia Mineira. As obras terminaram no tempo recorde de 41 meses, antes do prazo previsto. J no dia da inaugurao, em pomposa cerimnia, Braslia era considerada como uma das obras mais importantes da arquitetura e do urbanismo contemporneos.

    A Primeira Viagem de Jk A Braslia No dia 2 de outubro de 1956, ocorreu a primeira viagem do Presidente da Repblica Juscelino Kubitschek regio onde seria construda a nova capital. O avio pousou em pista construda por Bernardo Sayo, onde hoje se encontra a Estao Rodoferroviria. Foi nesse dia que JK proferiu a famosa frase anteriormente citada, que se fez constar no Livro de Ouro da Nova Capital, para conhecimento da posteridade.

    A Construo e Inaugurao do Catetinho No dia 10 de novembro de 1956, aps 10 dias de trabalho, amigos de JK e alguns operrios inauguraram a residncia provisria para o Presidente. Dilermando Reis, um dos idealizadores da construo, violinista e compositor paulista, amigo de JK, sugeriu o nome Catetinho, que permanece at hoje.

    32

  • A Criao do Distrito Federal No dia 18 de fevereiro de 1957, JK preside cerimnia de assinatura de transferncia para a Unio de 30.933,759 alqueires geomtricos do Estado de Gois, por Cr$ 18.255.789,70, para a construo da futura Capital do Pas.

    A Inaugurao do Aeroporto Internacional de Braslia No dia 2 de abril de 1957, s 11 horas, ocorreu o pouso do Viscount Presidencial com o Presidente JK e os Embaixadores de Portugal e da Frana, inaugurando o novo aeroporto, dotado de extensa pista pavimentada e de moderna estao de passageiros.

    A inaugurao da Rodovia Belm/Braslia No dia 1 de fevereiro de 1959, ocorreu a abertura da Rodovia Bernardo Sayo o desbravador, ligando Belm a Braslia, popularmente conhecida como Rodovia Belm/Braslia. Bernardo Sayo no estava presente proque morrera de acidente quando estava construindo essa estrada.

    Belm/Braslia! A Obra de Jk Mais Criticada Depois da Nova Capital. A construo da Rodovia Belm/Braslia foi uma das obras de Juscelino mais criticadas na poca. Os crticos afirmavam que essa rodovia partia de um ponto despovoado, passando por regies despovoadas em direo Capital do Estado do Par, que ficava nos confins do Brasil. Outros a chamavam de rodovia das onas. E outros,

    33

  • para criticar essa obra, chamavam de Belm/Braslia as mulheres altas e feias. Na verdade eles queriam dizer que essas mulheres eram compridas e mal acabadas. A Rodovia Belm/Braslia tinha 2.277 quilmetros de comprimento. Era comprida e sem asfalto. Da a razo da comparao. O fato que a criticada Rodovia Belm/Braslia ligou o sul do Pas ao norte, promovendo o progresso por onde passou, transformando-se numa das mais importantes rodovias do Brasil, uma espcie de espinha dorsal do complexo rodovirio brasileiro. Belm at aquela poca s tinha acesso ao resto do Brasil pelo mar ou pelo ar. A Rodovia Belm Braslia, alm de mudar tudo isto, foi a primeira estrada brasileira aberta em plena Floresta Amaznica. Rasgou a selva levando o progresso a lugares jamais imaginados pelo homem comum. Vale lembrar ainda, que todas as rodovias abertas por JK foram importantes para levar o progresso ao interior do Pas. A Rodovia BR-364, popularmente conhecida como Rodovia So Paulo/Cuiab, ligou a cidade de Limeira, no Estado de So Paulo a Santa Cruz de La Sierra, na Bolvia, passando pelo sudoeste goiano, no centro do Pas. Abriu espao para que o progresso chegasse tambm quela regio, assegurando com isto, as nossas fronteiras no local onde foram demarcadas. A Rodovia BR-60, popularmente conhecida como Rodovia Braslia/Acre, tambm foi de suma importncia para o crescimento do Brasil. A Rodovia Braslia/Fortaleza, rasgou o Brasil do centro at o nordeste brasileiro. Rodovias como a Ferno Dias, que liga Belo Horizonte a So Paulo, Regis Bitencourt, que liga So Paulo a Curitiba, bem como, Belo Horizonte/Braslia e Braslia/Goinia, tambm foram concludas por Juscelino Kubitscheck.

    34

  • As Maiores Obras de JK Foi na rea do desenvolvimento industrial que JK teve maior xito. Abrindo a economia para o capital internacional, atraiu o investimento de grandes empresas. Foi no governo JK que entraram no pas grandes montadoras de automveis como, por exemplo, Ford Motors do Brasil, S.A, Volkswagen do Brasil, S.A, Willys Overland do Brasil, S.A e General Motors do Brasil, S.A. Essas indstrias instalaram suas filiais nas regio sudeste do Brasil, principalmente nas cidades do ABC Paulista (Santo Andr, So Bernardo e So Caetano) e na cidade do Rio de Janeiro. As oportunidades de empregos aumentaram muito nessas duas regies, atraindo trabalhadores de todo Brasil. Este fato fez aumentar o xodo rural (sada do homem do campo para as cidades) e a migrao de nordestinos e nortistas de suas regies para as grandes cidades do Sudeste. Mas Juscelino queria mais. O seu Plano de Metas era extenso. Construiu as Centrais Eltricas de Furnas e Trs Marias. A primeira quando ainda era Governador de Minas Gerais. Ambas consideradas um colosso para alavancar o progresso brasileiro, principalmente a ampliao do Parque Industrial. A grandiosidade do Lago de Furnas fez com que todos o chamassem de Mar de Minas Gerais.

    A histria da instalao da Volkswagen do Brasil, S.A, em So Bernardo do Campo, forma um captulo parte. JK teve de convencer a Alemanha investir no Brasil, prometendo-lhe que seria um bom negcio. O fato que, com o passar dos anos, essa montadora brasileira tornou-se o maior investimento daquele Pas, fora de seu limite territorial. Juscelino era um empreendedor nato. Ainda como Governador de Minas Gerais inaugurou a Siderrgica Mannesmann nas proximidades de Belo Horizonte. Um investimento alemo que impulsionou o Brasil na rea da siderurgia.

    35

  • De Volta a Construo de Braslia Bem, voltando construo de Braslia, JK conseguiu concluir a maior parte das obras antes da data prevista.

    A Inaugurao do Palcio da Alvorada No dia 30 de junho de 1959, ocorreu a inaugurao do Palcio da Alvorada, com as colunas imortais de Oscar Niemeyer e as esculturas As Iaras, de Alfredo Ceschiatti, expostas na entrada principal. As colunas do Palcio da Alvorada e os seus bem distribudos arcos, mostram o crescimento e a modernidade da arquitetura brasileira. A partir da, Oscar Niemeyer projetou-se no cenrio internacional como o arquiteto da modernidade, passando a executar o seus projetos tambm no exterior, como ocorreu no caso do Edifcio das Naes Unidas (ONU), em Nova York.

    A Instalao dos Trs Poderes

    No dia 21 de abril de 1960, ocorreram as seguintes inauguraes:

    a) de Braslia, e

    b) a instalao dos trs poderes:

    I - Presidncia da Repblica (Executivo)

    II - Congresso Nacional (Legislativo);

    III - Supremo Tribunal Federal (Judicirio).

    36

  • As Dificuldades Ps-Transferncia da Capital Nos governos dos Presidentes Jnio da Silva Quadros e Joo Belchior Marques Goulart (o Jango), a continuao das obras da Nova Capital foi interrompida. Ambos os governantes limitaram-se a administrar o Pas do jeito em que o encontrou. Assim, despachavam ora do Rio de Janeiro, ora de Braslia. Isso se deu, porque parte dos rgos do governo federal ainda se encontrava na cidade do Rio de Janeiro, por falta de acomodaes em Braslia. A partir de 1964, os Presidentes Humberto de Alencar Castelo Branco, Arthur da Costa e Silva, Emlio Garrastazu Mdici, Ernesto Geisel e Joo Batista de Oliveira Figueiredo consolidaram Braslia como a capital de fato do Brasil.

    As Construes Mais Importantes de Braslia Braslia foi edificada num curto perodo de quarenta e um meses. As construes mais importantes, imprescindveis para viabilizar a mudana de JK e seu squito para Braslia, foram idealizadas e concludas num passe de mgica. Com a graa de Deus tudo caminhou bem. O Braslia Place Hotel foi o primeiro hotel construdo em Braslia. Fica nas margens do Lago Parano, parte norte, prximo do Palcio da Alvorada. Hoje, completamente restaurado, continua servindo sua finalidade. Braslia depois de construda ficou uma cidade muito bonita. Suas largas Avenidas, as Super-Quadras, o Setor Bancrio Sul e Norte, o Setor Comercial Sul e Norte, a Torre de Televiso, o Memorial JK, a Universidade de Braslia, o Lago Parano com os seus Clubes, o Aeroporto Internacional de Braslia, a Concha Acstica, os Bares que promovem os encontros noturnos, a Esplanada dos Ministrios, a Praa dos Trs Poderes, o Palcio do Planalto, o Palcio da Alvorada, o Palcio dos Buritis, a Granja do Riacho Fundo, a Granja do Torto, o Jardim Botnico, o

    37

  • Estdio Man Garrincha, o Autdromo Nelson Piquet, o Parque Rogrio Pithon de Farias (hoje Parque Sara Kubstichek), a Catedral de Braslia, o Teatro Nacional de Braslia, o Setor de Embaixadas, a Avenida das Naes, tudo isto e muito mais humanizou a Nova Capital, transformando-a na Capital do Milnio. Braslia diferente de tudo aquilo que conhecemos em termo de cidade. Vale a pena conhec-la. O Plano Piloto, Lago Norte e Lago Sul so as reas mais nobres da cidade e tambm as mais prximas do local de trabalho. Por isto, o metro quadrado nesses locais um dos mais caros do Pas.

    Os Crticos de Braslia O jornalista e engenheiro Gustavo Coro foi um dos maiores crticos da construo de Braslia. No dia 12 de setembro de 1959, afirmou que o Lago Parano nunca encheria. JK assistiu a tudo passivamente. Todavia, no dia que o lago encheu, JK mandou-lhe um telegrama com apenas duas palavras: Encheu, viu?. Como se pode notar, Juscelino rebatia os ataques recebidos entregando obras prontas. Era o seu jeito de administrar o Pas.

    O Surgimento das Cidades Satlites Paralelo a tudo isso foi surgindo as chamadas cidades satlites idealizadas para acomodar a populao de menor renda que tambm mudou para Braslia. O Ncleo Bandeirante, inicialmente chamado de Cidade Livre, foi a primeira cidade construda nas proximidades de Braslia. Serviu para acomodar os trabalhadores que vieram participar da construo da Nova Capital. Taguatinga e Ceilndia so as maiores cidades satlites de Braslia. Hoje, j tm o aspecto de metrpole, proporcionando aos seus

    38

  • moradores as mesmas regalias de quem mora no Plano Piloto. Vila Planalto, Parano, Gama, Planaltina e Sobradinho tambm fazem parte das povoaes pioneiras da Nova Capital. Candangolndia, Guar I, Guar II, SIA, rea Octogonal, Setor Sudoeste e Cruzeiro, so as cidades satlites mais prximas do Plano Piloto. A partir da, dezenas de outras povoaes foram surgindo ao redor da Capital, para acomodar os migrantes que vieram de todo o Pas.

    As Cidades do Entorno de Braslia Luzinia, Valparazo I, Valparaizo II, Cidade Ocidental, Cidade Osfaia, Novo Gama, Pedregal, Cu Azul, Esplanada I, Esplanada II, Cidade Jardins, Santo Antnio do Descoberto, Padre Bernardo, Formosa, Una e guas Lindas formam uma espcie de conurbao ao redor de Braslia. Muitas dessas cidades j esto localizadas nos Estados de Minas Gerais e Gois. So as chamadas cidades do entorno de Braslia. Hoje, o entorno de Braslia tem quase trs milhes de habitantes, sendo que os Estados de Gois e Minas Gerais no do a mnima condio estrutural a esses municpios recm-criados, jogando toda a responsabilidade no governo do Distrito Federal. preciso lembrar que quando referimos ao entorno de Braslia, estamos mencionando todas as cidades localizadas num raio de 100 quilmetros ao redor da Capital Federal ou um pouco mais. O Distrito Federal tambm tem quase trs milhes de habitantes e a cada dia chegam mais. Se no houver um controle rgido do governo federal em parceria com o governo do Distrito Federal, no vai demorar muito para que Cristalina, Taguatinga de Gois e Alexnia tambm se emendem regio do entorno.

    primeira vista, todas essas cidades esto interligadas a Braslia, mas, na verdade, pertencem aos Estados de Minas Gerais e Gois, a quem

    39

  • respondem poltica e administrativamente. Hoje, a regio do entorno de Braslia vem causando enormes problemas para os moradores locais e do Distrito Federal, principalmente pelo alto ndice de criminalidade l existente. preciso levar em conta, que, apesar de estarem localizadas nos Estados de Minas Gerais e Gois, todos os seus moradores vivem em funo de Braslia. Todos trabalham ou estudam l. O problema muito srio. A violncia vem aumentando dia a dia. As autoridades de Minas e Gois no conseguem manter a segurana necessria. As autoridades do Distrito Federal fazem vista grossa a tudo isto, alegando que nada podem fazer porque esses povoados pertencem aos Estados de Gois e Minas Gerais.

    O aumento da marginalidade da regio perifrica da cidade do Rio de Janeiro aconteceu por falta de assistncia dos rgos responsveis pelo seu controle. sempre assim. Onde as autoridades governamentais omitem o seu poder de mando, por falta de recursos e mesmo por desinteresse, passam a mandar faces criminosas, principalmente traficantes e contrabandistas.

    Eu, particularmente, penso que a situao dessas cidades poderia ser resolvida criando uma rea neutra, substituindo os atuais prefeitos por administradores regionais e secretrios, bem como, criando um Fundo para o desenvolvimento do entorno de Braslia, com recursos oramentrios previamente alocados dos cofres do Governo Federal, do Estado de Gois, do Estado de Minas Gerais e do Distrito Federal. Tenho a certeza de que, com o passar dos anos, esses povoados atingiriam o mesmo desenvolvimento das demais cidades

    40

  • satlites que ficam dentro do Distrito Federal. Existem tambm aqueles que pleiteiam o aumento da rea geogrfica do Distrito Federal at atingir um raio de 100 quilmetros ao redor de Braslia ou um pouco mais, a fim de integrar esses municpios vizinhos s regies administrativas j existentes. Essa ideia, se colocada em prtica, tambm poder ser uma boa alternativa.

    O Crescimento de Braslia Hoje, Braslia atingiu um desenvolvimento impressionante. As cidades satlites acima cresceram. Algumas delas mais do que outras. Novos povoados foram surgindo ao longo dos anos. Regies desabitadas h vintes anos atrs, hoje j esto totalmente urbanizadas. Condomnios residenciais horizontais surgiram por todos os lados, a exemplo do que ocorre no restante do Pas.

    A Ponte JK A Ponte JK ligando o centro da cidade ao Lago Sul, recentemente construda, forma um espetculo parte. Foi considerada a mais linda ponte do Brasil, logo aps a sua inaugurao.

    O Metr de Braslia Hoje, Braslia j conta com vrias Linhas de Metr ligando o Plano Piloto s maiores Cidades Satlite. J um bom comeo. Todavia, novos investimentos precisam ser feitos com urgncia no setor. Engarrafamentos nas principais vias da cidade acontecem todos os dias. A regio de guas Claras, por exemplo, um caos. Dificilmente algum consegue sair das garagens dos prdios em que residem nos horrios de maior fluxo de veculos.

    41

  • De Volta a Construo de Braslia Bem, voltando construo de Braslia, podemos notar que a parte mais difcil dessa grandiosa obra foi levar as primeiras mquinas para o local. No tinha estradas, aeroportos, luz, telefone. Era um isolamento total. Tudo partia da estaca zero. Para ter-se uma idia, at mesmo a maior parte dos materiais de construo foi transportada de avio de carga para l, at que se construssem rodovias asfaltadas ligando a Capital Federal a Goinia, a Belo Horizonte e a So Paulo.

    As Primeiras Construes O incio de qualquer grande empreendimento sempre traumtico. A Construo de Braslia no foi diferente. Para chegar-se ao local da obra, abriram-se estradas de terra, fizeram pontes improvisadas e at um aeroporto improvisado. No tinha energia, gua potvel, acomodaes, nem banheiros. No incio, tudo foi improvisado.

    Uma Cidade Criada Fora do Estilo Convencional Uma cidade criada fora do estilo convencional. No tinha esquinas nem sinaleiros. Os cruzamentos eram feitos atravs de trevos e passagens subterrneas. Iluminao frrea. Fios eltricos subterrneos. Extensas reas verdes. Um imenso lago para melhorar o clima da cidade. Jardins criados pelo paisagista Roberto Burle Marx embelezavam os palcios e as principais reparties pblicas. Tudo parecia perfeito. Todavia, com o passar dos anos, a cidade cresceu e os problemas de trnsito comearam a surgir. Hoje, Braslia e suas cidades satlites esto cheias de semforos e radares. Um nmero impressionante de veculos trafega por todos os lugares, provocando enormes congestionamentos.

    42

  • As Obras De Artes Obras de artes criadas por Alfredo Ceschiatti, Athos Bulco, Marianne Peretti, Bruno Giorgi e outros, podiam ser vistas nos mais importantes edifcios pblicos da cidade, numa viso futurista que encantavam aqueles que as contemplavam pela primeira vez. Assim foi construda Braslia, a Nova Capital do Brasil. A Capital do Futuro.

    Braslia, a Meca dos Intelectuais. Como se podem notar, energias positivas dos mais distantes rinces foram trazidas para Braslia, para que a sua criao fosse perfeita. A prova disto est nas centenas de obras de artes que se espalham por todos os lugares pblicos. Cada uma mais linda do que a outra. Um grupo de intelectuais, dentre esses, arquitetos, urbanistas e artistas plsticos de renome nacional contribuiu para o xito do empreendimento. A experincia de Juscelino, primeiro como Prefeito de Belo Horizonte, depois, como Governador do Estado de Minas Gerais, foi transplantada para Braslia, transformando a Capital Federal numa vitrine das obras de artes. O mundo todo se curvou ante o espetculo que deslumbrava sua frente.

    A Inaugurao de Braslia No dia em que Braslia foi inaugurada, manchetes dos principais jornais de todo o planeta fizeram questo de mencionar o fato. Lembro-me bem de uma: Braslia, uma capital surge no serto. Todos os jornais brasileiros reservaram espaos para noticiar o evento, conforme se v a seguir.

    43

  • 44

  • A Mensagem do Papa No momento da inaugurao de Braslia, uma pausa foi feita para ouvir a mensagem do Papa Joo XXIII, em Portugus, transmitida diretamente de Roma, saudando a inaugurao da Nova Capital Federal do Brasil.

    A Presena de Convidados Importantes Autoridades de vrias partes do mundo estiveram presentes inaugurao, dando maior brilho ao acontecimento festivo.

    O Espetculo PirotcnicoUma chuva de fogos de artifcio iluminou os cus de Braslia,

    formando um espetculo pirotcnico jamais visto anteriormente.

    45

  • A Esquadrilha Da FumaaRiscos nos cus de Braslia surgiram com a passagem da

    esquadrilha da fumaa, saudando o grande acontecimento.

    O Acompanhamento das Festividades O interior do Brasil, inclusive a maioria das Capitais de Estados, acompanhou a inaugurao de Braslia pelo rdio, jornais e revistas, porque no tinham televiso naquela poca.

    A Repercuo em Jata A populao da cidade de Jata, no sudoeste do Estado de Gois, uma das principais protagonistas daquele acontecimento, eufrica de alegria, acompanhou tudo em tempo real pelo rdio, e, nos dias que se seguiram, pelos jornais e revistas. Foi um momento mgico, eternizado pelas publicaes feitas nas principais revistas da poca, principalmente Manchete, de Adolfo Bloch e O Cruzeiro, de Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Melo. do conhecimento de todos que, do nada Deus criou o mundo. A construo de Braslia tambm partiu do nada. A idia de sua criao surgiu de baixo para cima. No primeiro comcio de JK, realizado em Jata, Estado de Gois, um jovem no meio da multido pediu a palavra, falou sobre a mudana da Capital e desafiou o candidato a constru-la. a mais pura verdade. Juscelino mencionou o ocorrido em uma de suas obras. A idia ganhou fora e imps-se contra tudo e contra todos. Ningum conseguiu barr-la.

    46

  • Ao ver Braslia alguns anos mais tarde, o prprio JK exclamou: Gostei de ver como Braslia est bonita. Tive a certeza de que ela se constituir na sede da Civilizao Latina, no terceiro milnio. Senti-me como o Semeador que, do alto do penhasco, observa o seu feito que ser indestrutvel. (SIC).

    Cronologia dos Acontecimentos Primeiro um sonho. Depois um desafio de um jovem desconhecido dos grandes centros. E, finalmente, um candidato a Presidente da Repblica que aceitou executar a empreitada, colocando em risco o prprio cargo, caso fosse mal sucedido. So homens arrojados que constroem obras arrojadas.

    A Meta Sntese A Construo da Nova Capital Federal foi includa como a 31 Meta do Plano de Governo de Juscelino, mas no desenrolar da campanha presidencial tornou-se a meta-sntese, a mais importante de todas. A Nova Capital foi construda em 41 meses e inaugurada no dia 21 de abril de 1960. O ritmo de sua construo foi impressionante. Mesmo quando os recursos acabaram as obras no paralisaram. JK conseguiu a verba necessria por outros meios e concluiu o servio dentro do prazo previsto. Se a construo de Braslia paralisasse por falta de recursos, no teria ocorrido a mudana da Capital. Era tudo ou nada. E Juscelino sabia disso. A ala golpista estava aguardando uma oportunidade para entrar em ao. Mas a oportunidade esperada no veio e Braslia est a, linda e moderna. Juscelino foi um visionrio. Braslia ainda considerada a maior obra do sculo j feita no Brasil. Empreendimentos como este

    47

  • constituem motivo de orgulho para todos os brasileiros. A histria da construo de Braslia do conhecimento de todos.

    Mas nas entrelinhas muita coisa no ficou completamente esclarecida. Por isto, quem tiver a pacincia de ler tudo o que aqui est escrito, ter a oportunidade de perceber que algum pequeno detalhe no foi mencionado nos milhares de livros j escritos a respeito do assunto. Acompanhei a Histria de Braslia desde criana, presenciando fatos que antecederam sua criao, lendo livros, jornais e revistas, ouvindo os rdios e a voz do povo. Embora ainda fosse um adolescente, lembro-me nitidamente do primeiro comcio realizado por JK em Jata, no Estado de Gois.

    Reaes Contrrias Mudana da Capital Acostumados com a Sede do Distrito Federal na cidade do Rio de Janeiro, uma nostalgia foi surgindo naqueles que em breve iriam despedir-se das mordomias de ter ao seu lado o Poder Central do Governo Brasileiro. Muita alegria de um lado e muita tristeza do outro. A vida assim mesmo. O Brasil aguardava esse momento h mais de dois sculos. Era o interesse de toda a nao sobrepondo aos interesses de uma regio. O Rio de Janeiro que antes j fora at Sede da Coroa Portuguesa nos idos de 1808, quela hora estava perdendo tambm a condio de Capital Federal do Brasil. Seria como qualquer outra Capital de Estado, exceto por suas belezas naturais que foram desenhadas por Deus.

    A Data da inaugurao Braslia foi inaugurada no dia 21 de abril de 1960. Exatamente h 52 anos. Coincidncia ou no, no mesmo dia de Tiradentes o heri

    48

  • nacional que morreu lutando pela Independncia do Brasil. Portanto, dois acontecimentos importantes buscando o mesmo objetivo. O de tornar o Brasil independente e mais forte. A idia no podia ser mais sugestiva. A mudana da Capital ia fazer o Brasil crescer. Como de fato cresceu. Hoje temos prova disto.

    A Criao do Estado da Guanabara Para amenizar o vazio deixado pela transferncia da Sede do Governo Federal para Braslia, transformou-se a cidade do Rio de Janeiro em Cidade-Estado. Criou-se o Estado da Guanabara, cuja Capital era a prpria cidade do Rio de Janeiro. Pelo mesmo ato governamental, a cidade de Niteri foi transformada em Capital do Estado do Rio de Janeiro. Com o passar dos anos, extinguiu-se o Estado da Guanabara. A cidade Niteri perdeu a condio de Capital e a cidade do Rio de Janeiro voltou a ser a Capital de todo do Estado do Rio. So acomodaes que, s vezes se fazem necessrias, para agradar as alas descontentes.

    A Conquista do Oeste Brasileiro A marcha para o oeste americano deu-se para integrar o restante do pas ao leste que j estava desenvolvido. A marcha para o oeste brasileiro buscou o mesmo objetivo, ou seja, incorporar as reas abandonadas ao processo produtivo, como vem ocorrendo at hoje. S que, no nosso caso foi diferente. Comeamos no Centro do Pas e partimos para todas as direes, como se fosse um leque. Braslia foi o pontap inicial dessa mudana.

    49

  • Integrar para no Entregar Integrar para no entregar, eis o lema. J alcanamos grandes resultados, mas ainda resta muito por fazer. Haja vista, as regies da fronteira oeste e norte do Pas. Os riscos de perder parte de nosso territrio ainda persistem principalmente nas fronteiras com a Colmbia, Venezuela, Guiana e Suriname. As demarcaes de terras indgenas tm-se constitudo no nosso principal problema. Muitas coisas estranhas esto acontecendo por l, sem que as autoridades brasileiras adotem medidas mais enrgicas para regularizar a situao. Vez por outra, ouvimos histrias preocupantes sobre a presena de estrangeiros na regio. O que h por traz de tudo isto? Ningum sabe. Conflitos de interesses sempre existiram em todos os lugares do mundo. Mas os do Brasil so os maiores de todos. Aqui esto sendo discutidas as questes indgenas, da gua, da biodiversidade, da destruio da Floresta Amaznica e da explorao de riquezas naturais. Espero que encontremos solues para tudo isto, no mais curto espao de tempo. A maior de todas j foi encontrada, que foi a Construo de Braslia.

    Dois Hinos. Duas Mensagens. Com o surgimento de Braslia e a criao do Estado da Guanabara, dois hinos passaram a ser cantados nos rdios da poca. Cidade Maravilhosa homenageando a cidade do Rio de Janeiro e Braslia Capital da Esperana homenageando a cidade de Braslia. Ambos ainda existem, mas o tempo incumbiu de jog-los no tnel do esquecimento. uma pena, porque os dois expressam o sentimento do povo brasileiro, na busca de sua autoafirmao.

    50

  • A Hora da Transferncia O Rio de Janeiro acompanhava a partir daquele momento a transferncia da mquina governamental para o Planalto Central, em quase toda a sua totalidade. Digo isto, porque alguns rgos do governo ainda permaneceriam l, aguardando acomodaes em Braslia. Muitos desses rgos ficaram por l mais tempo do que o esperado. Os servidores neles lotados no tinham o mnimo interesse em mudar-se para a Nova Capital. Ningum queria sair do Rio.

    O BB Muda a Sua Sede para Braslia Pelo lugar que sempre ocupou na esfera governamental, o Banco do Brasil S/A tambm foi instado a transferir a sua Sede para Braslia, antes mesmo que essa fosse inaugurada. E isto foi cumprido com o mximo empenho.

    As Primeiras Edificaes do BB em Braslia O Banco do Brasil, S/A ergueu alguns edifcios no Setor Bancrio Sul altura das edificaes que estavam sendo feitas em Braslia. Logo em seguida, transferiu a Presidncia e suas principais Diretorias para l. Cumpriu com preciso todos os prazos que lhe foram concedidos pelo Governo Federal.

    Os Apartamentos Funcionais Para acomodar todo o pessoal removido do Rio de Janeiro e de outras regies, o Banco do Brasil, S/A, a exemplo do Governo Federal, adquiriu tambm cerca de 1.400 apartamentos funcionais na nova Capital. A maior parte desses apartamentos foi entregue aos funcionrios transferidos que os ocuparam imediatamente. Assim,

    51

  • tal como ocorreu com o Governo Federal, os administradores e os funcionrios do Banco, tambm mudaram para Braslia e marcaram presenas no momento mais importante do Brasil. No momento da inaugurao da nova Capital. E no podia ser de outra maneira, porque o Banco do Brasil S/A estava diretamente ligado rea econmica do Governo Federal.

    Os funcionrios pblicos no queriam mudar para Braslia No incio ningum queria morar em Braslia porque a cidade no tinha estrutura. Tudo l era precrio.

    Os Atrativos Criados Como os funcionrios pblicos lotados no Rio de Janeiro resistiam em mudar-se para Braslia, o Governo Federal no teve outro recurso seno o de criar vantagens para quem optasse pela mudana. Primeiramente dobrou o salrio desses servidores. O Banco do Brasil, S/A tambm passou a pagar a chamada dobradinha.

    As Vantagens Concedidas Alm da dobradinha, quem ocupava um apartamento funcional no pagava aluguel. Os nicos gastos com a ocupao eram decorrentes do pagamento das despesas administrativas de cada Edifcio. Uma espcie de taxa de condomnio. Essas despesas eram rateadas proporcionalmente quantidade de apartamentos existentes em cada prdio, ocupados ou no. As contas de gua, luz e telefone corriam por conta dos ocupantes. Tal como acontece at hoje na locao de imveis,

    52

  • o ocupante ficava obrigado a restitu-lo nas mesmas condies em que o recebeu, ou seja, em perfeito estado de funcionamento, sem estragos e devidamente pintado. Por fora da Lei do Inquilinato, o funcionrio ocupante de uma unidade funcional, no momento da venda desta, exercia o direito de preferncia comprando-o.

    O Fim dos Apartamentos Funcionais Hoje, tudo isto desapareceu. Muitos dos servidores que foram para l na poca da transferncia j morreram ou j se aposentaram. A dobradinha acabou h mais de trs dcadas. Quase todos os apartamentos funcionais foram vendidos aos ocupantes da poca em que foram colocados venda, por exigncia do Governo Fernando Collor de Mello, no incio da dcada de 1990. Braslia hoje se encontra no mesmo patamar das quatro maiores Capitais brasileiras, tanto no aspecto populacional como na comodidade. Tudo nela foi idealizado para minorar a falta de praias, clubes, lojas, shoppings, universidades e lazer. O brasiliense no tem mais o que reclamar, exceto dos engarrafamentos de veculos descritos anteriormente.

    JK! Senador por Gois. Terminado o Mandato Presidencial de JK, o povo de Gois homenageou-o, elegendo-o Senador da Repblica. Era o chamado voto da gratido. Posteriormente, foi cruelmente injustiado pela cassao de seus direitos polticos. Exilado voluntariamente, viveu muitos anos, tristemente, fora do Pas, inicialmente em Nova York, depois em Paris, deixando o mundo material, entrando eternamente para a histria brasileira.

    53

  • Como o Brasil Foi Governado Aps A Inaugurao de Braslia? Quando os militares assumiram o poder em 31 de maro de 1964, Braslia ainda no tinha completado quatro anos de idade. Uma parte da mquina governamental estava em Braslia e a outra parte ainda permanecia no Rio de Janeiro. Os Presidentes Jnio Quadros e Joo Goulart, os dois primeiros sucessores de Juscelino, pouco fizeram para consolidar Braslia. Como j foi dito anteriormente, preferiram despachar ora no Rio de Janeiro, ora em Braslia, ou nas duas cidades, no mesmo dia. Era mais fcil. O percurso era feito de avio, um Douglas DC 3. O mais moderno da poca. Juscelino foi o Presidente da Repblica que mais viajou de avio. impossvel calcular quantas horas de vo ele fez, durante o seu governo. Foram cinco anos de loucura. O avio servia de hotel, residncia, local de estudo, gabinete presidencial, local de despacho e de outras coisas. Se levarmos em conta que a construo de Braslia partiu do zero e que durou quarenta e um meses, s Deus poder avaliar o esforo despendido por JK para administrar o Pas e as obras da Nova Capital, ao mesmo tempo. Em razo disto, fao questo de afirmar: Ainda est para nascer outro brasileiro capaz de fazer o que JK fez. Basta olhar para as administraes dos Governos de Jnio Quadros e Joo Goulart, referidas anteriormente.

    54

  • A Administrao do Pas Aps a Instalao Do Regime Militar Todos sabem que Braslia j tinha sido inaugurada quando os militares assumiram o poder. Para eles, era impossvel administrar o Pas daquele jeito. Um grupo de militares chegou a sugerir a volta da Mquina Administrativa Federal para a cidade do Rio de Janeiro, centralizando l todas as decises nacionais, novamente. A precariedade das estradas, das comunicaes, da estrutura da cidade e a distncia em relao ao Rio de Janeiro foram as principais causas dessa pretenso estpida.

    O Que Fazer com Braslia? Estudos preliminares sugeriram at que Braslia fosse doada a organismos internacionais como a Organizao das Naes Unidas (ONU) e outros.

    O Bom Senso Prevaleceu Todavia, uma deciso desse quilate, seria um retrocesso para o Pas e uma mancha indelvel na imagem de quem a tomasse, principalmente na rea internacional. Felizmente, a razo e o juzo prevaleceram. O mundo todo jamais iria entender tamanha falta de sensibilidade.

    A Consolidao de Braslia Apesar de tudo isto, Braslia foi consolidando-se aos poucos. A idia de retornar a Capital para a cidade do Rio de Janeiro foi perdendo fora at que desapareceu por completo. Estradas pavimentadas foram construdas ligando a Capital Federal ao restante do Pas. Um complexo

    55

  • sistema hidreltrico e telefnico foi implantado. A abertura de rodovias ligando Braslia ao restante do Pas, o crescimento da agricultura brasileira e o avano da fronteira agrcola, incorporando reas antes abandonadas ao processo produtivo, tambm contribuiu para o fortalecimento da interiorizao do Brasil, trazendo ao povo brasileiro vantagens jamais vistas. Juscelino estava certo.

    Os Grandes Feitos So Perptuos Ele ergueu um monumento mais duradouro do que o bronze e a histria provou que ele cumpriu o seu dever (SIC).

    A frase acima foi encontrada num monumento construdo na cidade de Lajes, Estado de Santa Catarina, para homenagear o Ex-Presidente Getlio Vargas. Penso que a mesma servir tambm para homenagear Juscelino Kubitschek. O nosso JK. sempre assim. Os grandes empreendimentos e as grandes idias transformam os seus executores em imortais. Seus nomes e seus feitos ficam registrados na histria do Pas para sempre.

    O Brasil de Hoje O Brasil de hoje sem a nova Capital, retrocederia a mais de 100 anos no tempo. Todo o progresso por ele alcanado uma conseqncia da bem sucedida mudana da Capital Federal para o Planalto Central. O plano de Juscelino era fazer o Brasil avanar cinqenta anos em cinco. E eu digo mais: O Brasil avanou 100 anos no tempo. E promete muito mais. Depende de termos a sorte de encontrar outros Estadistas que tenham a mesma viso e o esprito desbravador de Juscelino. preciso entender que: Estadistas do nvel de JK surgem apenas um a cada cem anos. No foi aleatrio, que Juscelino foi considerado O Brasileiro do Sculo.

    56

  • Hoje, o Brasil superou a condio de atraso e subservincia em que vivia. Estruturou-se. Democratizou-se. Industrializou-se. Expandiu suas fronteiras agrcolas e pecurias. De mero importador passou a grande exportador. De detentor da maior dvida externa do mundo, passou condio de credor de vrios pases, inclusive dos Estados Unidos. Chega at ser hilrio, mas a mais pura verdade. No aleatrio que sua economia cresceu.

    Tudo foi fruto de uma concentrao de esforos jamais vista. Brasileiros notveis uniram-se em prol da concretizao da obra e venceram. Um grupo de empresas de grande porte, dentre elas o Banco do Brasil, S/A, tambm contribuiu para isto. Empresas fortes, pases fortes. Um depende do outro para crescer.

    Nossa poca Foi a Que Mais Evoluiu a mais absoluta verdade. E ns tivemos a felicidade de viver na poca em que o mundo mais evoluiu. Muitos estudiosos chegaram a comentar que a evoluo dos ltimos cinqenta anos foi maior do que toda aquela que a humanidade viveu desde o incio da civilizao at meados do sculo XX. humanamente impossvel imaginar como sero os prximos cinqenta anos. A que velocidade as coisas iro acontecer e de que maneira acontecero. A que ponto chegar o homem na explorao do universo ou do conhecimento de si mesmo. Isto so coisas para nossos filhos e netos presenciarem. At l o nosso tempo j passou.

    O Brasil tambm passou por mudanas incrveis. Haja vista a construo de Braslia entre os anos de 1956 e 1960.

    57

  • A Morte de Juscelino Juscelino faleceu no dia 22 de agosto de 1976. Momentos de comoo tomaram conta do Brasil e de todos os habitantes de Braslia. Eu tambm fiquei muito consternado, principalmente pelo fato de ter acompanhado a sua trajetria desde os tempos da realizao de seu primeiro comcio na cidade de Jata, no Estado de Gois. Juscelino foi um Presidente amigo daquela cidade. Trabalhou com o Dr. Serafim de Carvalho, quando ambos concluram o curso de medicina em Belo Horizonte e serviram no mesmo hospital, onde ele era o Chefe da Enfermagem. Quantas vezes eu lhe acenei com a minha mo ou com bandeirinhas, saudando a sua passagem pelas ruas locais. A Dispensa de Honras Militares Os governos militares fizeram tanto mal a Juscelino, que Da. Sara recusou honras militares aps a sua morte. Apenas aceitou que o seu caixo fosse transportado num caminho do Corpo de Bombeiros de Braslia. Multides arrastavam-se de um lado para o outro buscando prestar a sua ltima homenagem ao construtor de Braslia. Todos os motoristas de taxis de Braslia transportaram de graa os brasilienses mais pobres que queriam despedir-se do FUNDADOR da Capital Federal. Na Explanada dos Ministrios, a multido ainda era maior. Uma voz unssona era ouvida durante todo o cortejo, com os seguintes dizeres: Ele o nosso Presidente. Foi eleito pelo povo. (SIC). Vez por outra, cantavam a msica peixe vivo de que ele tanta gostava. Era uma homenagem merecida, vinda do corao de cada acompanhante. Essa situao durou vrias horas e somente terminou com o sepultamento temporrio do corpo de Juscelino no Cemitrio Campo da Esperana. Isto no est escrito em nenhuma parte. Aconteceu espontaneamente. Tomou fora e ningum conseguiu impedir. A massa disforme de acompanhantes imps o seu ritmo.

    58

  • O Memorial JK Alguns anos depois, Da. Sara Kubitschek, com o apoio de toda a sociedade brasileira, angariou fundos e construiu o Memorial JK, no Eixo Monumental de Braslia, onde o transeunte pode observar a silhueta do Fundador em cima de um pedestal, ao passar pelo local. o criador contemplando a sua criatura.

    O Que Pode Ser Visto no Memorial JK. No Memorial JK podem ser vistos:

    a) Um museu;

    b) A biblioteca de JK, uma das mais completas de um cidado brasileiro;

    c) Fotos de Juscelino discursando na carroceria de um caminho em Jata, no Estado de Gois, no momento em que foi desafiado a construir Braslia;

    d) Um painel feito pela artista plstica Marianne Peretti no teto do salo principal, dando a impresso de que estamos entrando em outra dimenso. Aquela onde vivem os anjos e os querubins;

    e) Um atade com os restos mortais do Presidente, colocado em cima de um pedestal, com os seguintes dizeres: O Fundador, eternizando a nobre figura do criador de Braslia;

    59

  • f ) Uma obra de arte de Athos Bulco circundando o atade, mostrando a forte ligao que o ex-presidente tinha com o mundo das artes;

    g) Medalhas e condecoraes recebidas, e

    h) Mais uma srie de lembranas relacionadas com o homenageado.

    Quem for a Braslia tem a obrigao de visitar o local. preciso lembrar que ali se encontra um pouco de cada um de ns. A nossa vida est interligada ao surgimento de Braslia. Ao Juscelino Kubitschek de Oliveira, as minhas homenagens. Que Deus o tenha no lugar em que merece. Por tudo isto, ningum pode negar que Juscelino foi um grande brasileiro, um homem iluminado, um vencedor de barreiras. Dividiu o Brasil em duas eras. Uma antes e a outra depois de seu governo. As glrias por ele conquistadas ningum lhe tira, porque so eternas.

    Como JK Era Visto Pelas Personalidades da poca Homem excepcional, incapaz de uma perseguio, de uma violncia, de uma vingana. Perdoava as pessoas, anistiava os culpados e seus delatores. Mas depois foi por eles perseguido de forma cruel, por inveja e despeito. Lanassem as urnas eleitorais e ele teria voltado presidncia com a consagrao de todo o povo brasileiro.

    (Sobral Pinto)

    60

  • Confiava na liberdade, mesmo quando atingido por seus eventuais excessos; que fazia da tolerncia em face do adversrio sua permanente norma de conduta; que era o primeiro, na vitria, a desfraldar a bandeira da paz, como seria o primeiro, na derrota, a esquecer as mgoas em benefcio da normalizao poltica e social; que realizava o quase milagre de no ser arrogante no poder, embora firme, perseverante e combativo nos seus propsitos; que negociava com grevistas, fossem estudantes ou operrios, para avaliar pessoalmente as razes verdadeiras do desafio e mais rapidamente faz-los voltar atividade construtiva; que se orientava por sua intuio de liderana e por sua viso de Chefe de Estado, mas no se supunha monopolizador da verdade, continuando sempre disposto a retificar a rota; que para reconhecer e corrigir seus erros ouvia argumentos de qualquer procedncia, inclusive dos adversrios entre os quais mantinha muitos amigos, com quem nunca deixou de dialogar.

    (Vitor Nunes Leal)

    Um homem maior do que os seus erros. A encarnao da cordialidade brasileira. Ele foi exemplo de ambio e, ao mesmo tempo, de solidariedade humana. Quando nos encontramos pela primeira vez, ele era prefeito e eu conspirava. Quando nos vimos pela ltima vez. ramos amigos e descobrimos que a nossa amizade latente sobrevivera a todas as lutas. A marca mais forte de sua grandeza foi a imaginao. Era corajoso e humilde. Esse homem cioso de seu destino, compenetrado daquilo que considerava uma espcie de misso, era humilde de corao. O Homem cordial. O vencedor de dios. O homem da anistia, do esquecimento dos agravos. O apaixonado da vida. No horror vingana, mesquinharia, mediocridade. Essa a marca que fica. A que imprimiu vida brasileira. E, nesse sentido, lhe faz imensa falta. Pois o exemplo que deixa este: cordialidade e imaginao.

    61

  • (Carlos Lacerda) Para o povo brasileiro, ele sempre foi, at o fim, o Juscelino, o JK. A simples pronncia desses nomes resumia todo o afeto de um dos povos mais sentimentais do mundo. Juscelino Kubitscheck permanece como o obstinado construtor de Braslia. o smbolo de um Brasil que desfrutou renome internacional nunca mais atingido.

    (Le Monde)

    Outras Curiosidades Sobre JK Quando o Autor deste texto esteve a servio do Banco do Brasil, S/A na cidade de Montes Claros, Estado de Minas Gerais, dois fatos chamaram a sua ateno naquela regio:a) Sobre a cidade de Braslia de Minas Quando escolheram o nome Braslia para a nova Capital do Brasil, verificou-se que existia uma cidade em Minas Gerais com o mesmo nome. O Governo Federal no queria duas cidades com o mesmo nome. Portanto, a soluo encontrada foi mudar para Braslia de Minas o nome da cidade mineira. Todavia, para que o Projeto de Lei fosse aprovado precisou passar pela aprovao da Cmara de Vereadores e pela homologao do Prefeito. Mantidos os entendimentos necessrios, o projeto logrou aprovao e a cidade mineira passou a chamar-se Braslia de Minas. Este fato corre de boca em boca na regio, mas, certamente, deve estar registrado nos anais daquela cidade. Contam tambm, que foi preciso interferncia dos Governos de Minas e Federal para agilizar o trmite do referido Projeto de Lei. Para convencer os Vereadores e o

    62

  • Prefeito da cidade, foi alegado que o municpio entraria para a Histria do Brasil porque estava emprestando o seu nome para o da Capital do Pas;b) Sobre as mensagens que Juscelino deixou escritas em paredes de Fazendas do Norte de Minas

    bom lembrar que Juscelino nasceu em Diamantina, cidade prxima daquela regio e passava com freqncia por ali. Certa vez o autor e sua famlia foram almoar numa fazenda prxima a Montes Claros e, surpreso, percebeu que era um dos locais utilizados para descanso do Presidente, quando ainda era Governador do Estado de Minas Gerais. Tinham vrias mensagens escritas por ele nas paredes da Sede principal. Eram guardadas com carinho pelos proprietrios do imvel. Uma verdadeira relquia. So estrias no escritas perdidas no tempo.

    O Memorial JK de Jata A Prefeitura Municipal de Jata tambm mandou construir um Memorial JK nessa cidade, com a finalidade de eternizar o notvel acontecimento que foi a Construo de Braslia. Nele foram instalados painis histricos doados pela Fundao Banco do Brasil sobre a vida de Juscelino Kubitschek de Oliveira.

    Salvo melhores consideraes, penso eu que a Oficina Mecnica utilizada para a realizao do primeiro comcio de JK, tambm precisava ser tombada como Patrimnio Histrico da Cidade de Jata e, tambm, para a preservao da memria nacional. Quer queiram, quer no queiram, estamos ligados a um fato histrico da maior importncia.

    63

  • Penso tambm, que o tombamento do local em nada prejudicar o seu atual proprietrio. Apenas no poder demolir o prdio ou modific-lo em sua parte externa. Isto j acontece em todas as cidades histricas do Pas.

    Entre as caractersticas apontadas esto: a) o traado de Braslia em forma do pssaro BIS, e,

    b) os muitos prdios em forma de pirmide, entre estes, o Teatro Nacional de Braslia e o Templo da Legio da Boa Vontade.

    O fato que Juscelino visitou o Egito quando ainda era jovem e estudante. L ele fez questo de conhecer as runas da cidade de Akhetaton (atual Tell El-Amarna), idealizada e construda pelo Fara Akhenaton h 3000 anos. Situada s margens do Rio Nilo, as runas por ele visitadas encontravam-se cobertas pelas areias do deserto em sua maior parte. A cidade media oito quilmetros de cumprimento por dois de largura. A grandeza das construes, a beleza do Palcio do Fara Akhenaton e de um magnfico Templo ao lado, deixaram Juscelino muito impressionado.

    Por tudo isto, resta-nos concluir que o Fara Akhenaton e o Presidente Juscelino tiveram uma forte ligao. Ambos construram uma cidade, com idnticos propsitos. S que, a Cidade de Akhetaton foi construda para os mortos. E a Cidade de Braslia foi construda para os vivos. Juscelino a fez pensando no futuro do Brasil.

    64

  • Outro fato que tambm despertou a ateno dos religiosos de todo o mundo, o desenho do Plano Piloto de Braslia que parece com uma imensa nave desenhada no solo.

    Muitos acreditam que esse desenho representa a sis Alada ou o prprio Deus Hrus. sis era a esposa do Deus Osris. Das asas da sis pode ter nascido a inspirao para as duas asas de Braslia, cujo eixo est alinhado com o nascer e o por do sol, no sentido leste/oeste. Outros entendem que as duas asas de Braslia formam a imagem de um avio e que o Eixo Monumental seria o corpo desse mesmo avio. H tambm quem v no traado de Braslia o desenho de uma cruz, simbolizando a religiosidade do povo brasileiro. Coincidncia ou no, preciso ter presente que a verdadeira imagem das duas asas de Braslia, popularmente chamadas de Eixo, somente podem ser vistas do alto, tal com ocorrem com as enormes Linhas de Nazca, no Peru, encontradas no meio do deserto, com muitos quilmetros de extenso. Afirmam os estudiosos do assunto que essas linhas foram construdas para serem vistas do espao, numa poca que ainda no existiam avies, bales, helicpteros ou qualquer outra aeronave.

    Outros Mistrios de Braslia E os mistrios do Planalto Central no param por a. A mistura de crenas da regio do entorno e da prpria cidade de Braslia, impressiona qualquer visitante. A Cidade de Alto Paraso, localizada na Chapada dos Veadeiros, no Estado de Gois, a mais mstica do pas, reune 8.000 habitantes e

    65

  • 40 religies e seitas de sete grandes Templos. uma verdadeira Torre de Babel no sentido da religiosidade, onde, diferentemente do Oriente Mdio, todos convivem na mais absoluta harmonia. o prottipo de um sonho que persegue toda a humanidade h milnios.

    A Cidade Ecltica, em Santo Antonio do Descoberto, em Gois, o Vale do Amanhecer, perto de Planaltina e a Cidade da Paz, na sada da BR-40, tambm so centros irradiadores de religiosidade que, juntamente com Braslia, so considerados por muitos como a Capital do Terceiro Milenio, melhor dizendo, a Capital da Civilizao Aquariana. Coincidncia ou no, Braslia foi construda no limiar da Era de Aqurius.

    Curiosidades Sobre a Localizao de Braslia Alm do misticismo de Braslia, outro fato que tambm chama a ateno de todos a sua localizao, conforme se v a seguir.

    O fenmeno guas Emendadas Braslia foi edificada a cerca de 50 quilmetros de um local chamado de guas Emendadas. uma regio de paisagem montanhosa que serve de nascentes de vrios rios que correm para o norte, nordeste e sul do pas.

    De Uma Mesma Lagoa, Dois Crregos Correm Em Sentido Contrrio. Um Para O Norte e o Outro Para o Sul do Pas

    A fonte a mesma. S que de uma mesma lagoa nascem dois 66

  • crregos que correm em direes contrrias. O Crrego Brejinho e o Crrego Vereda Grande. O Crrego Brejinho segue em direo ao sul do pas. Suas guas juntam-se ao Crrego Fumal, depois desaguam no Rio Pipiripau, que por sua vez conflui com o Rio Mestre dArmas, formando o Rio Bartolomeu. Mais adiante desaguam no Rio Corumb, que por sua vez desagua no Rio Paranaba, principal afluente do Rio Paran, um dos formadores da Bacia do Prata. O Crrego Vereda Grande segue rumo ao norte, desagua no Rio Maranho, que por sua vez desgua na Lagoa da Barragem Serra da Mesa, cujas guas fluem para o Rio Tocantins, que se junta ao Rio Araguaia e desgua no Oceano Atlntico, j na foz do Rio Amazonas.

    guas emendadas. Nascedouro das duas maiores bacias hidrogrficas da Amrica Latina Conclui-se, portanto, que os Crregos Brejinho e Vereda Grande, originrios das guas emendadas, so, na verdade, as nascentes das duas maiores bacias hidrogrficas da Amrica Latina, a Bacia Amaznica e a Bacia Platina. E, no muito distante dal, na direo da cidade de Una, j no Estado de Minas Gerais, comea a Conexo So Francisco, cujas guas vertem para o Rio So Francisco, que por sua vez desgua no Oceano Atlntico, na Regio Nordeste do pas.

    A Estao Ecolgica guas Emendadas A Estao Ecolgica guas Emendadas uma rea de 10.547 hec