sistema esquelético

Download Sistema esquelético

Post on 03-Aug-2015

46 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

SISTEMA ESQUELÉTICOSISTEMA ESQUELÉTICO# Fundamental para estudos zooarqueológicos. # Procura verificar as semelhanças e as diferenças entre dois ou mais grupos orgânicos. → Permite a correta interpretação das relações de parentesco biológico entre organismos conhecidos pelos seus restos esqueletais. ♦ O estudo anatômico nasceu dos trabalhos de Andries Van Wesel (Andréas Vesalius).→ cientista belga (1514 – 1564).→ Sobre a Estrutura do Corpo Humano.SISTEMA ESQUELÉTICO# A moderna anatomi

TRANSCRIPT

SISTEMA ESQUELTICO

SISTEMA ESQUELTICO# Fundamental para estudos zooarqueolgicos. # Procura verificar as semelhanas e as diferenas entre dois ou mais grupos orgnicos. Permite a correta interpretao das relaes de parentesco biolgico entre organismos conhecidos pelos seus restos esqueletais. O estudo anatmico nasceu dos trabalhos de Andries Van Wesel (Andras Vesalius).

cientista belga (1514 1564). Sobre a Estrutura do Corpo Humano.

SISTEMA ESQUELTICO# A moderna anatomia comparada surgiu com os notveis trabalhos de Georges Cuvier (1769 1832). Lies Sobre a Anatomia Comparada. Reino Animal. Cuvier desenvolveu o valioso conceito de Tipo.

Padro estrutural que ocorre em um grande grupo orgnico e por meio do qual podem ser reconhecidos seus componentes, os quais so, por sua vez, variaes em torno do padro bsico.

TIPOS DE TECIDOS ENVOLVIDOS

CARTILAGEM Caractersticas a) b) c) d) Alto teor de gua. Ausncia de inervao. Ausncia de vasos sanguneos. Circundado por pericndrio.

# Embriologicamente, o esqueleto formado por cartilagens e fibras. # Durante o processo de ontogenia existe a substituio por tecido sseo.

CARTILAGEM HIALINASuporte, flexibilidade e resilincia = mais abundante no corpo.

Localizao a) b) c) d) Articulaes. Costal. Respiratria. Nasal.

CARTILAGEM ELSTICA

# Semelhante hialina. # Maior concentrao de fibras elsticas e mais flexvel.

Localizaoa) Pinna. b) Epiglote.

FIBROCARTILAGEM

#Altamente comprimida e com grande fora tnsil.# Grossa camada de fibras colgenas.

Localizaoa) Discos intervertebrais. b) Snfise pbica. c) Articulao do joelho (bpedes).

TECIDO SSEOFUNESa) Suporte do corpo. b) Proteo sistema nervoso central e rgos.

c) Movimento ancoramento muscular.d) Armazenamento mineral Clcio e Fsforo. e) Hematopoiese.

f) Projees.g) Depresses. h) Orifcios locais de ancoramento de msculos, tendes, ligamentos, superfcies articulares. i) Condutos para nervos e vasos sanguneos.

COMPONENTES

# Osso Compacto camada densa externa.# Osso Esponjoso trabculas sseas e medula ssea.

ESTRUTURAS TPICAS DE UM OSSO LONGO# Difise eixo do osso (osso compacto circundando uma cavidade medular central com medula ssea).

# Epfise superfcies articulares cobertas com cartilagem hialina. As linhas epifiseais separam difise de epfise.

Metfise ligao fsica entre difise e epfise.

COMPONENTES BSICOS# PERISTEO membrana dupla externa contendo nervos e vasos sangneos.

# ENDSTEO camada interna delgada que recobre a parte esponjosa.

OSSOS IRREGULARES

# Ausncia de difise e epfise.

COMPOSIO DOS OSSOS

1. Orgnica Osteoblastos clulas formadoras dos ossos. Ostecitos clulas de ossos formados. Osteoclastos clulas de absoro da matriz ssea.

2. InorgnicaHidroxiapatita Fosfato de Clcio envolto em fibras colgenas.

# Osteognese processo de formao dos ossos.

ESQUELETOEsqueleto Axial* * * * * Crnio. Ossculos Auditivos. Osso Hiide. Coluna Vertebral. Caixa Torcica.

Esqueleto Apendicular * Cintura Escapular. * Cintura Plvica. * Membros Superiores. (anteriores) * Membros Inferiores. (posteriores)

DERMATOCRNIOSrie Marginal* Pr-maxilar * Maxilar Srie Circum-orbital * * * * * * Lacrimal Pr-frontal Ps-frontal Ps-orbital Jugal Septomaxilar

Srie Mediana* * * * Nasal Frontal Parietal Ps-parietal

Srie Temporal * Intertemporal * Supratemporal * Tabular

Srie Malar* Esquamosal *Quadradojugal

Srie Mandibular * * * * * * Dentrio Esplenial Coronide Angular Supra-angular Pr-articular

Srie Palatina* * * * * Vmer Palatino Ectopterigide Pterigide Paraesfenide

CRNIO# Formado por trs regies. crnio parte superior. rosto parte anterior. mandbula parte mvel. Sofreu a tendncia evolutiva de arredondar-se em diversos graus. Evoluiu de espesso para delgado e mais leve. Espessura, tamanho e configurao mudaram, mas o padro se manteve perfeitamente reconhecvel.

CRNIO

CRNIO O arredondamento do crnio atingiu a forma da caixa craniana (endocrnio) provocando o arredondamento do encfalo. crescimento equilibrado das reas formadoras do crebro. o arredondamento do crnio determinou o deslocamento do encfalo de trs para cima da regio rostral.

O arredondamento do crnio facilitou o equilbrio da cabea sobre o extremo da coluna vertebral e a locomoo ereta perfeita e constante.

CRNIO

CRNIO Mandbula formada por um nico osso (mandibular esquerdo e direito, unidos na frente pela snfise mandibular). tendncia evolutiva reduo de volume e de espessura (com a reduo do focinho). os humanos modernos apresentam forte reduo da mandbula com um arranjo sseo produzindo uma ponta (eminncia mentoniana).

a reduo do focinho determinou o recuo dos ossos maxilar e mandibular.conseqncia modificao na morfologia horizontais da mandbula e da maxila. dos ramos

CRNIO

CRNIO Dentadura os dentes diagnsticos. regies: raiz implantada no alvolo dentrio. coroa poro exposta (fora da gengiva). # Antropomorfos animais heterodontes (incisivos, caninos, pr-molares e molares). # Dentio adulta 32 dentes. # Frmula dentria (2.1.2.3) X 4 # Dentio em srie contnua (sem a presena de diastema). Tendncia evolutiva aproximados entre si. os dentes tornaram-se mais so portadores de inmeros caracteres

CRNIO

FUNES ANATMICASMEMBRO SUPERIOR# rgo da atividade manual. # Livremente mvel e adaptvel. # Em bpedes, o membro superior no est geralmente envolvido na sustentao de peso sua estabilidade foi sacrificada para ganhar mobilidade.

MEMBRO INFERIOR# Especializado para: a) locomoo; b) sustentao de peso; c) equilbrio.

PELVE# Confluncia de tronco e membros posteriores/inferiores. # Centro de gravidade (g) nos bpedes = ossos mais fortes.

BRAO Formado por um s osso mero ante-brao ulna e rdio # o mero se articula com a cintura escapular (ombro) e com a ulna e o rdio (cotovelo).

# a ulna e o rdio se articulam com a mo (pulso).Tendncia evolutiva adoo da vida terrcola determinou a diminuio do tamanho relativo dos braos e pernas. Braos mais longos do que as pernas vida arborcola Braos mais curtos do que as pernas vida terrcola

BRAOS

MOS Esboou-se entre os componentes Plesiadapidae h 60 milhes de anos. da Famlia

Tendncia evolutiva melhoria da capacidade de agarrar (galhos, alimentos, objetos variados da vida cotidiana).

Evoluo da pata dos insectvoros para a vida arborcola (grandes reflexos na anatomia).# Apenas os humanos liberaram totalmente as mos da locomoo (aps a 1 infncia). Mo humana extrema dualidade de uso (fora e delicadeza)

MOS

MOS Regies: Metacarpal Tomou configurao cncava quando em repouso(nos antropides fica reta). Regio Falangeal Tornou-se mais longa do que a regio metacarpal. Falanges Tornaram-se retas (enquanto nos pongdeos so um pouco curvas). # O dedo 1 (polegar) tornou-se mais longo quando comparado com os outros dedos (e com o polegar dos demais antropides).

# O aumento do comprimento e da rotao do polegar tornou possvel a ele tocar a ponta do dedo 2 (indicador).# Exclusividade humana e o motor de toda a tecnologia desenvolvida (firmeza e preciso de uso da mo).

OSSOS DO CARPO

Trapzio Trapezide Capitato Hamato Escafide Semilunar Piramidal

OSSOS DO METACARPO I, II, III, IV, V.

FALANGES Proximais 5 Mediais 4 Distais 5

MOS

PERNAS Formada pela coxa com um osso (Fmur) e pela perna com dois ossos (Tbia e Fbula).

# O Fmur se articula no acetbulo do lio pelo seu cndilo femural (cintura plvica) e com a tbia e a fbula (joelho).# Tbia e Fbula se articulam com o p (tornozelo). As pernas evoluram no sentido da progresso do posicionamento bpede (e ereto) no caminhar sobre o solo. as pernas tornaram-se mais longas e mais fortes que os braos. o fmur tornou-se o osso mais longo do esqueleto.

O cndilo femural evoluiu com modificaes bem visveis: nos macacos arborcolas era pequeno com a forma de uma bola nos humanos terrcolas tornou-se grande com a forma de meia bola

PERNAS

OSSOS DO TARSO Calcneo Tlus Navicular Cubide

1 Cuneiforme 2 Cuneiforme 3 Cuneiforme

OSSOS DO METATARSO I, II, III, IV,V.

FALANGES

Proximais 5 Mediais 4 Distais 5

PS Aparato anatmico que mais se modificou na evoluo humana. Conjunto anatmico mais exigido para a marcha ereta e bpede.

PS Regies

TarsoFbula). Forma a articulao do tornozelo (com a Tbia e a Seu osso mais importante o calcneo.

# Na evoluo, o calcneo (que tem posio acima do solo), vai aproximando-se do solo at toc-lo firmemente como acontece nos humanos. # Este posicionamento aumentou a rea de contato do p com o solo (bem como a firmeza do posicionamento bpede ereto).

PS Regies Metatarso

Forma o peito do p (quando visto de cima), ou a sola do p (quando visto de baixo). O p aumentou sua rea de contato com o solo (passando de uma posio digitgrada para uma posio plantgrada). Deslocamento na disposio muscular (arco plantar).

COLUNA VERTEBRAL Formada por 33 vrtebras 7 cervicais (pescoo). 12 dorsais (dorso). 5 lombares (lombo). 5 sacrais (osso sacro). 4 coccigeanas (cccix).

# A coluna vertebral evoluiu dos antropides, com configurao levemente curvada, para uma configurao com 2 tores: Toro cervical Deslocou a cabea para cima da coluna vertebral. Toro lombar Deslocou o peso do tronco para cima do centro de equilbrio corporal.

COLUNA VERTEBRAL

FUNES a) Proteo da medula espinhal. b) Suporte axial.

VRTEBRAS

Cervicais Torcicas Lombares Sacrais Caudal

7 12 5 5 1 (Coccgea)

VRTEBRAS CERVICAIS

VRTEBRAS TORCICAS

VRTEBRAS LOMBARES

VRTEBRAS SACRAIS E COCCGEA

E