lÍngua portuguesalÍngua portuguesa .verbo em destaque obedece à norma dita culta da língua. 4

Download LÍNGUA PORTUGUESALÍNGUA PORTUGUESA .verbo em destaque obedece à norma dita culta da língua. 4

Post on 20-Jan-2019

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Concurso Pblico EDITAL N 68 IEC Analista de Gesto em Pesquisa e Investigao Biomdica Comunicao Social Editorao Cientfica e Programao Visual

2

LNGUA PORTUGUESALNGUA PORTUGUESALNGUA PORTUGUESALNGUA PORTUGUESA

LEIA O TEXTO A SEGUIR PARA RESPONDER S QUESTES NUMERADAS DE 01 A 03, ASSINALANDO A NICA CORRETA.

H um debate acirrado entre paleontlogos sobre a origem do homem moderno. Por um lado, a chamada teoria multiregional, ou da continuidade regional, afirma que primatas do gnero Homo saram da frica de 1,8 a 2 milhes de anos atrs. De l, espalharam-se pela sia e Europa, diferenciados em diferentes espcies Homo ergaster, Homo erectus, Homo heidelbergensis, Homo neanderthalensis que, encontrando-se e misturando-se, gradualmente, e em diferentes lugares do mundo, deram origem ao Homo sapiens. No outro lado da barricada, a teoria chamada Out of Africa diz que o homem surgiu, sim, na frica. Porm, duas vezes. Quer dizer, da primeira vez, dando origem a espcies que se extinguiram todas; da segunda vez, apenas 150 ou 200 mil anos atrs, aparecendo j em sua forma moderna, de Homo sapiens. Volta e meia, h uma grande discusso envolvendo essas teorias. A polmica com os paleoantroplogos foi, e ainda , acirrada, diz a doutora Olga Rickards. Mas no podemos nos esquecer de que agora, graas anlise do DNA, as dvidas esto hoje praticamente resolvidas.. o que ela acha ... Esperemos, ento, que assim seja.

(Yurij Castelfranchi texto adaptado)

01. A respeito dos elementos lingusticos do texto, avalie os itens a seguir:

1. O termo negritado em: De l, espalharam-se pela sia e Europa, diferenciados em diferentes espcies constitui referncia de lugar e corresponde, no texto, a sia e Europa.

2. A expresso destacada em: Volta e meia, h uma grande discusso envolvendo essas teorias, constitui referncia temporal.

3. O trecho Quer dizer, da primeira vez, dando origem a espcies que se extinguiram todas ... esclarece o segmento anterior e a expresso destacada introduz esse esclarecimento.

4. Em: No outro lado da barricada, a teoria chamada Out of Africa diz que o homem surgiu, sim, na frica., a expresso sublinhada metaforiza o conceito de adversidade.

O correto est em: A) 1, 2, 3 e 4. B) 2, 3 e 4, apenas. C) 2 e 4, apenas. D) 1 e 3, apenas.

Concurso Pblico EDITAL N 68 IEC Analista de Gesto em Pesquisa e Investigao Biomdica Comunicao Social Editorao Cientfica e Programao Visual

3

02. Acerca das estruturas morfossintticas do texto, avalie os itens a seguir:

1. Na seguinte construo frasal: ... da primeira vez, dando origem a espcies que se extinguiram todas; da segunda vez, apenas 150 ou 200 mil anos atrs, aparecendo j em sua forma moderna, de Homo sapiens., o emprego das formas grifadas indicam um processo verbal ainda no finalizado.

2. No trecho: ... diferenciados em diferentes espcies Homo ergaster, Homo erectus, Homo heidelbergensis, Homo neanderthalensis ., todas as vrgulas foram usadas com a finalidade de separar os elementos de uma enumerao.

3. No trecho: Mas no podemos nos esquecer de que agora, graas anlise do DNA ..., a regncia do verbo em destaque obedece norma dita culta da lngua.

4. Na orao adversativa: Porm, duas vezes., a vrgula toma lugar do verbo subentendido.

O correto est em: A) 1, 2, 3 e 4. B) 1, 2 e 4, apenas. C) 3 e 4, apenas. D) 2 e 3, apenas. 03. Esperemos, ento, que assim seja. (ltimo pargrafo)

No trecho acima, o emprego da primeira pessoa do plural em esperemos se justifica porque o autor:

A) se refere a ele e doutora citada no texto. B) engloba o autor e os paleontlogos. C) abrange o autor e os possveis leitores. D) distraiu-se sobre o tratamento at ento dado ao tema.

LEIA O TEXTO A SEGUIR PARA RESPONDER S QUESTES NUMERADAS DE 04 A 09, ASSINALANDO A NICA CORRETA.

SOBRE O GENOMA HUMANO E OS DIREITOS DO HOMEM

A Declarao Universal sobre o Genoma Humano e os direitos do Homem um texto denso na conceituao e claro nas recomendaes, quase sempre ditadas pela tica. Em seus 25 artigos reitera basicamente princpios que vm se consolidando como pilares no domnio da biotica.

A liberdade de investigar defendida incessantemente e h muito dinheiro, indstria e propaganda envolvidos nesse processo. Mas as responsabilidades inerentes s atividades dos pesquisadores no so apenas de ordem material. Elas so tambm de ordem moral e tica. O rigor, a prudncia, a honestidade intelectual e a integridade so essenciais. Na conduo das pesquisas, como na apresentao e utilizao de seus resultados, elas devem ser objeto de ateno particular, especialmente no mbito das investigaes sobre o genoma humano, em vista de suas implicaes ticas e sociais, uma vez que a falta desses zelos poderiam at tornar as investigaes ilcitas. Ficariam sem credibilidade se no fossem tomados esses cuidados. Os recentes relatrios da OMS corroboram tais ponderaes.

Enfim, os direitos humanos s existem se forem respeitados.

(Aquiles Zuben 2007. Revista Centro Universitrio So Camilo fragmento)

04. Mas as responsabilidades inerentes s atividades dos pesquisadores no so apenas de ordem material. (2 pargrafo), a presena do segmento em destaque indica que, na continuidade do texto, haver um termo de valor: A) aditivo e pertencente a uma outra ordem. B) adversativo e pertencente a uma ordem diferente da citada. C) explicativo e pertencente mesma ordem j referida. D) conclusivo e pertencente ordem citada anteriormente.

Concurso Pblico EDITAL N 68 IEC Analista de Gesto em Pesquisa e Investigao Biomdica Comunicao Social Editorao Cientfica e Programao Visual

4

05. No seguinte trecho: Mas as responsabilidades inerentes s atividades dos pesquisadores no so apenas de ordem material. Elas so tambm de ordem moral e tica. (2 pargrafo), a correlao entre as palavras do texto que do o sentido de continuidade, expresso na questo anterior, ocorre entre

A) denso / claro B) liberdade / responsabilidades C) apenas / tambm D) apresentao / utilizao

06. Ficariam sem credibilidade se no fossem tomados esses cuidados. (2 pargrafo). No trecho acima, a relao entre as duas oraes mostra que a

A) primeira se realiza contanto que a segunda no se realize. B) segunda consequncia da primeira. C) primeira uma hiptese para a realizao da segunda. D) primeira motivada pela segunda.

07. ... os direitos humanos s existem se forem respeitados. (ltimo pargrafo). No trecho acima, o nexo coesivo sinttico se nos permite reconhecer, entre as oraes, uma relao semntica de

A) concluso. B) conformidade. C) condio. D) causa. 08. O item em que a palavra destacada tem um sinnimo corretamente indicado ao contexto :

A) ... quase sempre ditadas pela tica. impostas B) Em seus 25 artigos reitera basicamente... regulamenta C) ... tornar as investigaes ilcitas ... perigosas D) ... corroboram tais ponderaes. contrariam 09. Na conduo das pesquisas, como na apresentao e utilizao de seus resultados [...] em vista de suas implicaes ticas e sociais, uma vez que a falta desses zelos poderiam at tornar as investigaes ilcitas. (2 pargrafo).

O termo que substitui o trecho grifado acima, sem alterao de sentido, :

A) j que B) ainda que C) posto que D) apesar de que

Concurso Pblico EDITAL N 68 IEC Analista de Gesto em Pesquisa e Investigao Biomdica Comunicao Social Editorao Cientfica e Programao Visual

5

LEIA O TEXTO A SEGUIR PARA RESPONDER S QUESTES NUMERADAS DE 10 A 15, ASSINALANDO A NICA CORRETA.

A indagao bsica que continua presente para a sociedade atual diz respeito ao significado e alcance das investigaes biomdicas e experimentao humana. O tema complexo e ambguo e chega a amedrontar na medida em que extrapola o plano tecnocientfico e atinge a prpria situao existencial do ser humano em todas as suas dimenses. Mesmo como investigao cientfica, modelo eminente de saber rigoroso e especializado, no se limita a um certo nmero de indivduos na sociedade.

Enquanto isso, alguns elementos que se dizem da comunidade cientfica, e que, provavelmente, fazem

experimentos humanos, talvez sem o rigor tico, ensaiam o anncio de descobertas, prometem respostas que ainda esto por vir.

Digamos que essas no venham. Qual a alternativa oferecida a todos ns? Pedir que esperemos mais

ainda pelos resultados dos experimentos, por melhores que sejam, entre eles os que desenvolveriam a vacina contra o cncer? No poderiam esses adorveis senhores de jalecos brancos parar um pouco e olhar para ns, simples mortais curiosos?

O que se pode justificar o silncio fundamentado na razo de que a medicina, como investigao visando

novos conhecimentos e prtica teraputica, desde tempos imemoriais, est profundamente vinculada condio humana na sua finitude e fragilidade, na dialtica da sade-doena. Mas seria o bastante?

Para o encaminhamento dessas questes, diante de reveses e desvios condenveis no passado recente

da humanidade, esperamos, sim, tratamento digno e humano; e que se amplie um cenrio de dilogo, como uma nova manifestao de atitude tica.

(Marceline La Roque REMAL Revista de medicina alternativa So Paulo, 2007, fragmento, adaptado)

10. Em relao ao texto lido, assinale a opo correta. A) Como se trata de um texto crtico sobre a situao existencial do ser humano, o nvel de formalidade, as

escolhas vocabulares e a impessoalidade da linguagem esto adequados a textos de c