apresentação dos nubentes - file · web view- forma extraordinária...

Click here to load reader

Post on 10-Feb-2019

219 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

APRESENTAO DOS NUBENTES

SACRAMENTO DO MATRIMNIO

- Forma Extraordinria do Rito Romano -

xxxx[Nome do Noivo] E xxxx[Nome da Noiva]

XX de XXXXXXX de 2011

RITO DO MATRIMNIO

I. APRESENTAO DOS NUBENTES

Chegados os noivos ao altar, e colocados diante dos genuflexrios, o noivo direita, ambos de p e sem luvas, volvendo-se o proco aos circunstantes diz:

Aqui se acham presentes, a fim de se unirem pelo sacramento do Matrimnio, o Sr. N. e a Sra. N.

Se entre eles existir algum impedimento cannico que torne o casamento nulo ou ilcito, quem o souber obrigado a denunci-lo sob pecado mortal.

Pausa.

II. CONSENTIMENTO

O sacerdote interrogar o noivo da seguinte forma:

N., queres receber N., aqui presente, por tua legtima esposa, conforme o rito da nossa santa Me, a Igreja?

Responder o noivo:

- Quero

Interrogar depois a noiva:

N., queres receber N., aqui presente, por teu legtimo marido, conforme o rito da nossa santa Me, a Igreja?

Responder a noiva:

- Quero

O sacerdote poder, tambm, antes de dizer Eu vos declaro unidos, etc., fazer que os cnjuges repitam o consentimento recproco.

Far o noivo dizer:

Eu, N., te recebo, N., por minha legtima esposa, pelo sacramento do Matrimnio indissolvel.

Far a noiva dizer:

Eu, N., te recebo, N., por meu legtimo esposo, pelo sacramento do Matrimnio indissolvel.

III. CONFIRMAO DA IGREJA

Tomado o consentimento mtuo dos nubentes, o sacerdote convida-os a juntarem as mos direitas, e diz:

Ego conjngo vos in matrimnium, in nmine Patris, + et Flii, et Spritus Sancti. Amen.

Eu vos declaro unidos em Matrimnio, em nome do Pai e do Filho + e do Esprito Santo. Amm.

Asperge as mos dos esposos com gua benta, dizendo:

Pela asperso da gua benta Deus todo-poderoso vos conceda a sua graa e sua bno.

III. BNO DAS ALIANAS

V. Adjutrium nostrum in nmine Dmini.

R. Qui fecit caelum et terram.

V. Dmine, exudi oratinem meam.

R. Et clamor meus ad te vniat.

V. Dminus vobscum.

R. Et cum spritu tuo.

Oratio.

Bnedic, Dmine, nnulum hunc, quem nos in tuo nmine benedcimus, ut quae eum gestverit, fidelittem ntegram suo sponso tenens, in pace et voluntte tua permneat atque in mtua caritte semper vivat. Per Christum Dminum nostrum.

R. Amen.

V. A nossa proteo est no nome do Senhor

R. Que fez o cu e a terra.

V. Ouvi, Senhor, minha orao.

R. E chegue a vs meu clamor.

V. O Senhor esteja convosco.

R. E contigo tambm.

Oremos.

Abenoai, + Senhor, estas alianas que benzemos + em vosso nome, para que aqueles que vo us-las, guardando recproca fidelidade, permaneam em paz na vossa vontade e vivam sempre em mtuo amor. Por Cristo, nosso Senhor.

R. Amm.

Em seguida o sacerdote asperge as alianas com gua benta, em forma de cruz.

IV. ENTREGA DAS ALIANAS

O esposo, recebendo a aliana da mo do sacerdote, coloca-a no dedo anular da mo esquerda da esposa, enquanto o sacerdote diz:

In nmine Patris, + et Flii, et Spritus Sancti. Amen.

Em nome do Pai e do Filho + e do Esprito Santo. Amm.

O mesmo far ao receber o esposo a aliana que lhe entregue pela esposa.

E logo acrescenta, estando os esposos ajoelhados:

V. Confrma hoc, Deus, quod opertus es in nobis.

R. A templo sancto tuo, quod est in Jersalem.

Krie, elison.

Christe, elison.

Krie, elison.

Pater noste (secreto)

V. Et ne nos indcas in tentatinem.

R. Sed lbera nos a malo.

V. Salvos fac servos tuos.

R. Deus meus, sperntes in te.

V. Mitte eis, Dmine, auxlium de sancto.

R. Et de Sion ture eos.

V. Esto eis, Dmine, turris fortitdinis.

R. A fcie inimci.

V. Dmine, exudi oratinem meam.

R. Et clamor meus ad te vniat.

V. Dminus vobscum.

R. Et cum spritu tuo.

Oratio. Rspice, quesumus, Dmine, super hos fmulos tuos et instittis tuis, quibus propagatinem humni gneris ordinsti, bengnus assste, ut qui te auctre jungntur, te auxilinte servntur. Per Chrsitum Dminum nostrum.

R. Amen.

V. Confirmai, Deus, o que fizestes por ns.

R. Do vosso templo santo que est em Jerusalm.

V. Senhor, tende piedade de ns.

R. Cristo, tende piedade de ns.

V. Senhor, tende piedade de ns.

Pai nosso.

V. No nos deixeis cair em tentao.

R. Mas livrai-nos do mal.

V. Protegei, Senhor, os vossos servos.

R. Que esperam em vs, meu Deus.

V. Senhor, enviai-lhes socorro.

R. E de Sio protegei-os.

V. Senhor, sede para eles uma fortaleza invencvel.

R. Um refgio contra o inimigo.

V. Ouvi, Senhor, minha orao.

R. E chegue a vs meu clamor.

V. O Senhor esteja convosco.

R. E contigo tambm.

Olhai, Senhor, para os vossos servos, e concedei a vossa assistncia instituio pela qual regulastes o crescimento do gnero humano, e j que fostes vs que os unistes, sede tambm vs o seu auxlio e a sua guarda. Por Cristo, nosso Senhor. Amm.

MISSA

ORAES AO P DO ALTAR

Estando o sacerdote ao p do altar, feita a devida reverncia, benze-se em nome da Santssima Trindade, dizendo:

In nmine + Patris, et Flii, et Spritus Sancti. Amen.

Em nome do + Pai, e do Filho, e do Esprito Santo. Amm.

Pe-se diante de Deus de infinita majestade e, porque na sua presena santssima todo homem pecador deve humilhar-se, reza alternativamente com os fiis, o salmo 42, exprimindo esses sentimentos: (de joelhos)

Introbo ad altre Dei.

R. Ad Deum qui ltficat juventtem meam.

Jdica me, Deus, et discrne causam meam de gente non sancta: ab hmine inquo, et dolso rue me.

R. Quia tu es, Deus, fortitdo mea: quare me repulsti, et quare tristis incdo, dum afflgit me inimcus?

Emtte lucem tuam et verittem tuam: ipsa me deduxrunt, et adduxrunt in montem sanctum tuum, et in taberncula tua.

R. Et introbo ad altre Dei: ad Deum qui ltficat juventtem meam.

Confitbor tibi in cthara, Deus, Deus meus: quare tristis es, nima mea, et quare contrbas me?

R. Spera in Deo, quniam adhuc confitbor illi: salutre vultus mei, et Deus meus.

Glria Patri, et Flio, et Spritui Sancto.

R. Sicut erat in princpo, et nunc, et semper: et in scula sculrum. Amen.

Introbo ad altre Dei.

R. Ad Deum qui ltficat juventutem meam.

Vou-me aproximar do altar de Deus,

R. Do Deus que a alegria da minha juventude.

Fazei-me justia, Deus, e tomai a defesa da minha causa contra gente desapiedada, do homem inquo e fraudulento livrai-me, Senhor.

R. Pois Vs, Deus, sois a minha fortaleza, por que ento me haveis repelido? Por que ando eu assim triste, oprimido pelo inimigo?

Enviai-me a vossa luz e a vossa verdade, que me guiem e me conduzam at vossa montanha santa, at vossa morada.

R. E eu vou-me aproximar do altar de Deus, do Deus que a alegria da minha juventude.

Eu Vos louvarei ao som da ctara, Senhor, meu Deus. E tu, minha alma, por que hs-de estar triste e por que alvoroar-te dentro de mim?

R. Espera em Deus, que uma vez mais o quero enaltecer, a Ele, salvao minha e meu Deus.

Glria ao Pai e ao Filho e ao Esprito Santo.

R. Assim como era no princpio e agora e sempre, por todos os sculos dos sculos. Amm.

Vou-me aproximar do altar de Deus.

R. Do Deus que a alegria da minha juventude.

Benze-se o sacerdote dizendo:

Adjutrium + nostrum in nmine Dmini.

R. Qui fecit caelum et terram.

O nosso + auxlio est no nome do Senhor.

R. Que fez o Cu e a Terra.

Faz o sacerdote a confisso a Deus todo poderoso, juntando as mos e inclinando-se profundamente:

Confteor Deo omnipotnti, bet Mar semper Vrgini, beto Michali Archngelo, beti Jonni Baptst, sanctis Apstolis Petro et Paulo, mnibus Sanctis, et vobis, fratres: quia peccvi nimis cogitatine, verbo, et pere: mea culpa, mea culpa, mea mxima culpa. Ideo precor betam Maram semper Vrginem, betum Michalem Archngelum, betum Jonnem Baptstam, sanctos Apstolos Petrum et Paulum, omnes Sanctos, et vos, Fratres, orre pro me ad Dminum Deum nostrum.

R. Miseretur tui omnpotens Deus, et, dimssis pecctis tuis, perdcat te ad vitam trnam.

Amen.

Eu, pecador, me confesso a Deus todo-poderoso, bem-aventurada sempre Virgem Maria, ao bem-aventurado So Miguel Arcanjo, ao bem-aventurado So Joo Batista, aos santos Apstolos So Pedro e So Paulo, a todos os Santos e a vs, irmos, que pequei muitas vezes por pensamentos, palavras e obras, por minha culpa, minha culpa, minha to grande culpa. Portanto, rogo bem-aventurada sempre Virgem Maria, ao bem-aventurado So Miguel Arcanjo, ao bem-aventurado So Joo Batista, aos Santos Apstolos So Pedro e So Paulo, a todos os Santos e a vs, irmos, que rogueis por mim a Deus Nosso Senhor.

R. Que o Deus onipotente se compadea de ti, perdoe os teus pecados e te conduza vida eterna.

Amm.

Tambm ns, pecadores, confessamos a Deus nossas faltas, implorando o auxlio da Virgem Maria e dos Santos, para sermos purificados dos pecados e assim podermos chegar com confiana diante de Deus.

Confteor Deo omnipotnti, bet Mar semper Vrgini, beto Michali Archngelo, beti Jonni Baptst, sanctis Apstolis Petro et Paulo, mnibus Sanctis, et tibi, Pater: quia peccvi nimis cogitatine, verbo, et pere: mea culpa, mea culpa, mea mxima culpa. Ideo precor betam Maram semper Vrginem, betum Michalem Archngelum, betum Jonnem Baptstam, sanctos Apstolos Petrum et Paulum, omnes Sanctos, et te, Pater, orre pro me ad Dminum Deum nostrum.

Eu, pecador, me confesso a