2 – representação gráfica na aquitetura ?· • escala 1:100 - opção para plantas, cortes e...

Download 2 – Representação Gráfica na Aquitetura ?· • Escala 1:100 - Opção para plantas, cortes e fachadas…

Post on 10-Feb-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Desenho Arquitetnico data:set/2018 fl. 24

2 Representao Grfica na Aquitetura

2.1 Traos

Os traos de um desenho normatizado devem ser regulares, legveis (visveis) e devem

possuir constraste umas com as outras.

Linha auxiliar Pena 0,1mm

Linha fina Pena 0,2mm

Linha mdia Pena 0,4mm

Linha grossa Pena 0,6mm

Linha de eixo Trao-ponto

Linha de corte Trao-ponto

Linha de projeo Tracejado

Normalmente ocorre uma hierarquizao das linhas, obtida atravs do dimetro da pena

(ou do grafite) utilizados para execut-la. Tradicionalmente usam-se quatro espessuras de

pena:

Linhas complementares - Pena 0,1mm. Usada basicamente para registrar elementos

complementares do desenho, como linhas de cota, setas, linhas indicativas, linhas de

projeo, etc.

Linha fina - Pena 0,2mm (ou 0,3mm). Usada para representar os elementos em vista.

Linha mdia - Pena 0,4mm (ou 0,5mm). Usada para representar os elementos que se

encontram imediatamente a frente da linha de corte.

Linha grossa - Pena 0,6mm (ou 0,7mm). Usada para representar elementos especiais,

como as linhas indicativas de corte (eventualmente usada para representar tambm

elementos em corte, como a pena anterior).

Quanto ao tipo de traos, possvel classific-los em:

Trao contnuo: so as linhas comuns.

Trao interrompido: representa um elemento de desenho "invisvel" (ou seja, que esteja

alm do plano de corte).

Desenho Arquitetnico data:set/2018 fl. 25

Trao-ponto: usado para indicar eixos de simetria ou linhas indicativas de planos de

corte.

Os elementos que em um desenho projetivo esto sendo cortados aparecem delimitados

com um trao de espessura maior no desenho. Alm do trao mais grosso, esses elementos

podem estar preenchidos por um tracejado ou trama. Cada material representado com

uma trama diferente.

2.2 Escalas

A NBR 6492 (1994) apresenta uma srie de escalas padronizadas para desenho

arquitetnico cujos valores mais usuais so descritos abaixo:

Escala 1:1, 1:2, 1:5 e 1:10 - Detalhamentos em geral;

Escala 1:20 e 1:25 - Ampliaes de banheiros, cozinhas ou outros compartimentos;

Escala 1:50 - a escala mais indicada e usada para desenhos de plantas, cortes e

fachadas de projetos arquitetnicos;

Escala 1:75 - Juntamente com a de 1:25, utilizada apenas em desenhos de

apresentao que no necessitem ir para a obra.

Escala 1:100 - Opo para plantas, cortes e fachadas quando invivel o uso de 1:50.

Plantas de situao e paisagismo. Tambm para desenhos de estudos que no necessitem

de muitos detalhes;

Escala 1:175 - Para estudos ou desenhos que no vo para a obra;

Escala 1:200 e 1:250 - Para plantas, cortes e fachadas de grandes projetos, plantas de

situao, localizao, topografia, paisagismo e desenho urbano;

Escala 1:500 e 1:1000 - Planta de localizao, paisagismo, urbanismo e topografia;

Escala 1:2000 e 1:5000 - Levantamentos aerofotogramtricos, projetos de urbanismo e

zoneamento.

Desenho Arquitetnico data:set/2018 fl. 26

Cada folha de desenho ou prancha deve ter indicada em seu ttulo as escalas utilizadas

nos desenhos ficando em destaque a escala principal. Cada desenho ter sua respectiva

escala indicada junto dele.

2.3 Cotagem

Cotas so os nmeros que correspondem s medidas reais no desenho e, portanto,

independem da escala usada no projeto.

a forma pela qual passam-se nos desenhos, as informaes referentes as dimenses de

projeto.

Assim, para quem executa a obra, a visualizao e aplicao das dimenses se torna mais

clara e direta. Isso no impede que seja utilizada outra unidade. Normalmente, para

desenhos de alguns detalhes, quando a execuo requer rigorosa preciso, as dimenses

podem ser dadas em milmetros. Na hora de cotar, deve-se ter o cuidado de no apresentar

num mesmo desenho, duas unidades diferentes, centmetros e metros por exemplo.

As reas podem e devem ser dadas em metros. Assim, procurar sempre informar atravs

de uma "nota de desenho" as unidades utilizadas, como por exemplo: "cotas dadas em

centmetros" e "reas em metros". As cotas indicadas nos desenhos determinam a distncia

entre dois pontos, que pode ser a distncia entre duas paredes, a largura de um vo de

porta ou janela, a altura de um degrau de escada, o p direito de um pavimento, etc. A

ausncia das dimenses provocar dvida para quem executa, e na dificuldade de san-

las, normalmente o responsvel pela obra, extrai do desenho, a informao, medindo com

o metro, a distncia desejada.

Portanto, no so indicadas, para os desenhos de projetos executivos, as escalas de 1:25,

1:75, 1:125, difceis de se transformar com a utilizao da trena de obra.

Os desenhos de arquitetura, bem como todo desenho tcnico, devem ter as suas medidas

indicadas corretamente.

Indicar a medida da cota errada ou uma m indicao costuma trazer prejuzos e

aborrecimentos.

A Figura 2.1 ilustra as principais propriedades das cotas.

Desenho Arquitetnico data:set/2018 fl. 27

Figura 2.1 Utilizao de cotas em desenho arquitetnico

MONTENEGRO (2001) aponta alguns erros comuns em cotas ilustrados na Figura 2.2.

Figura 22 Erros comuns em cotagem (Montenegro, 2001)

Desenho Arquitetnico data:set/2018 fl. 28

As cotas, sempre que possvel devem estar margeando os desenhos, ou seja, fora do limite

das linhas principais de uma planta, corte, ou qualquer outro desenho. Isso no impede que

algumas cotas sejam dadas no interior, mas deve-se evitar, a fim de no dificultar a leitura

das informaes.

Assim os princpios gerais podem ser assim resumidos:

As cotas de um desenho ou projeto devem ser expressas em uma nica unidade de

medida;

As cotas devem ser escritas sem o smbolo da unidade de medida (m, mm ou cm);

As cotas devem ser escritas acompanhando a direo das linhas de cota;

Qualquer que seja a escala do desenho, as cotas representam a verdadeira grandeza

das dimenses;

As linhas de cota devem ser contnuas e os algarismos das cotas devem ser colocados

ACIMA da linha de cota;

Quando a pea for muito grande deve-se interromper a pea e no a linha de cota:

Uma cota no deve ser cruzada por uma linha do desenho;

No traar linha de cota como continuao de linha da figura;

Os ngulos sero medidos em graus, exceto nas coberturas e rampas que se indicam

em porcentagem.

2.4 Caligrafia Tcnica

A norma NBR 8402 (1994) fixa caractersticas de escrita usadas em projetos. Aplica-se a

escrita mo livre ou por instrumentos. As prescries encontram-se na Figura 2.3.

Desenho Arquitetnico data:set/2018 fl. 29

Figura 2.3 Prescries normativas para caligrafia tcnica

2.5 Representao de Materiais

A norma NBR 6492 (1994) fixa caractersticas de representao de alguns materiais usados

na contruo civil segundo indica a Figura 2.4.

Desenho Arquitetnico data:set/2018 fl. 30

Concreto em vista

Concreto em corte

Mrmore/granito em vista

Madeira em vista

Madeira em corte

Ao em corte

Isolamento trmico

Argamassa

Enchimento de piso

Borracha, neoprene ou mastique

Mrmore/granito em corte

Figura 2.4 Representao de materiais em desenho arquitetnico (NBR 6492:1994)

2.6 Elementos Construtivos: Paredes

So representadas de acordo com suas espessuras e com simbologia relacionada ao

material que as constitui. Normalmente desenham-se as paredes internas com 15cm (meio

tijolo) e as externas com 25cm (1 tijolo). A Figura 2.5 apresenta particularidades.

a) parede de tijolos:

Desenho Arquitetnico data:set/2018 fl. 31

b) parede de concreto:

Figura 2.5 Particularidades das paredes

2.7 Elementos Construtivos: Portas

So desenhados representando-se sempre a(s) folha(s) da esquadria, com linhas

auxiliares, se necessrio, procurando especificar o movimento da(s) folha(s) e o espao

ocupado conforme a Figura 2.6.

de abrir/pivotante pivotante de correr eixo lateral eixo central externa/interna

pantogrfica/ camaro sanfonada

Figura 2.6 Representao das portas

Desenho Arquitetnico data:set/2018 fl. 32

Todas as portas e portes devem ser cotados, identificando-se sua largura e altura, de

acordo com o seguinte:

a) Sempre na ordem l x h (largura por altura);

b) Algarismos padronizados;

c) Posicionamento ao longo das folhas;

A Figura 2.7 ilustra a composio das dimenses.

80 x

21

0

Figura 2.7 Representao das dimenses fsicas das portas

2.8 Elementos Construtivos: Janelas

So desenhados representando-se sempre a(s) folha(s) da esquadria, com linhas.

So representadas atravs de uma conveno genrica, sem dar margem a uma maior

interpretao quanto ao nmero de caixilhos ou funcionamento da esquadria.

a) para escalas inferiores a 1:50: