wim vandekeybus

Download Wim Vandekeybus

Post on 12-Jul-2015

308 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

    Centro de Artes

    Curso: Dana-Licenciatura

    Disciplina: Histria e Teoria da Dana III

    Prof.: Thiago Amorim

    WIM VANDEKEYBUS

    Pelotas, Maio de 2011.

  • Wim Vandekeybus

  • Wim Vandekeybus*Nasceu em 30 de Junho de 1963, na Blgica;

    *Bailarino, diretor, coregrafo, ator, fotgrafo e cineasta;

    * um dos nomes mais destacados na dana contempornea

    europia, firmou-se como um dos mais importantes criadores de

    sua gerao;

    *Quando estudava psicologia na Universidade de Louven, j era

    envolvido com o teatro, fotografia e filme, mas nunca havia se

    aprofundado nestas reas;

    *Em 1985, fez um teste na Companhia de Jan Fabre, comeou

    numa pea de cinco horas de durao, que tinha 14 atores no

    palco, sendo que Vandekeybus participou como ator e bailarino;

    *Como Fabre costumava trabalhar com bailarinos clssicos, o que

    no era o caso de Wim Vandekeybus, ele resolveu se desligar da

    Companhia e comeou a participar de workshops na Espanha e

    na Itlia;

    *Foi em Madri no ano de 1986, com 12 jovens colaboradores, queWim fundou a Companhia ltima Vez, sendo que na poca, aindano havia desenvolvido um bom vocabulrio de dana;

  • *Escolheu, partir do cho e us-lo para desenvolver a movimentaoque viria a distingui-lo, como uma movimentao: violenta, veloz,poderosa e sensual. Suas movimentaes eram pautadas emtorno do risco, como nas lutas orientais, a fora do outro serviapara construir a relao dos bailarinos com o cho;

    *O movimento de Vandekeybus tem muito a ver com a sua infncia,filho de um veterinrio criado no campo, observava as reaesinstintivas e a confiana dos animais na sua fora fsica;

    *Embora a sua formao seja em cinema, a sua obra se desenvolvesobretudo na rea da dana, pois sem formao convencional emdana, Vandekeybus lanou novos parmetros de linguagem aorecusar a dana pura como recurso principal. Alm disso, procuraestabelecer "confrontos e encontros" entre dana, teatro, cinema,literatura e pessoas;

    *Wim Vandekeybus se projetou em 1987, quando seu grupoapresentou sua primeira produo, What the Body Does notRemember (O que o Corpo no Lembra). Valendo-se de reaesprecisas e instintivas, o elenco do espetculo arremessava pedrasno ar e escapava de ser atingido por elas, desde que um bailarinotirasse o outro do lugar ou agarrasse, em tempo, o bloco de rochaem queda;

  • * Tanto no cinema como na dana, a obra de Wim Vandekeybus

    desenvolve-se no seio das paixes humanas, no caos, evocando

    poderosamente o corpo para criar movimentos que hoje marcam

    na quase totalidade a sua obra: violento, enrgico, poderoso e

    sensual.

    * Dos 14 filmes, todos relacionados com as suas danas, nove so

    sobre seus espetculos e cinco foram feitos para fazer parte

    deles.

  • Companhia ltima Vez*Foi criada em 1986, e desde o incio de sua Cia, com sede em

    Bruxelas, Wim Vandekeybus criou mais de vinte espetculos,tm vrios filmes e curtas-metragens. Sua ligao com o cinemapermeia a sua produo em dana;

    *Desde a sua fundao, tem desenvolvido uma intensaprogramao internacional de dana contempornea. Emboraque por muitos anos incidiu essencialmente sobre a produo,promoo e difuso do trabalho de Wim Vandekeybus (dana,teatro, cinema), cada vez mais o grupo vem integrando muitasoutras atividades. Possui estrutura autnoma e independente,porm, conta com uma rede de co-produtores e parceiros paraconcretizar os seus projetos;

    *Os artistas da companhia so selecionados atravs de inmerasaudies em todo o mundo. Na audio, experincia ouformao em dana no so os critrios mais importantes.Vandekeybus est mais interessado na personalidade dosbailarinos e intrpretes, que trazem ao longo de suas carreiras,uma linguagem muito pessoal do mundo e do movimento;

    *Para comemorar vinte anos da Cia em 2006, Wim Vandekeybuscomps Spiegel, um espetculo com cenas de seus primeirostrabalhos e das mais recentes produes.

  • Principais Obras Coreogrficas2011 : Radical Wrong

    2010 : Monkey Sandwich

    2009 : NieuZwart

    2008 : Menske

    2006 : Spiegel

    2005 : Puur

    2003 : Sonic Boom

    2002 : Blush

    2002 : It avec Sidi Larbi Cherkaoui

    2001 : Scratching the Inner Fields

    2000 : Inasmuch As Life Is Borrowed

    1999 : In the Spite of Wishing and Wanting

    1997 : Seven for a Secret Never To Be Told

    1996 : Bereft of Blissful Union

    1995 : Alle Grossen decken sich zu

  • 1994 : Mountains Made of Barking

    1993 : Her Body Doesn't Fit Her Soul

    1991 : Immer das selbe gelogen

    1990 : The Weight of a Hand

    1989 : Les Porteuses de mauvaises nouvelles

    1987 : What the Body Does Not Remember

  • Principais Filmes1990: Roseland

    1992: La Mentira

    1993: Elba et Fdrico (curta-metragem)

    1994: Mountains Made of Barking (curta-metragem)

    1996: Bereft of a Blissful Union Dust (curta-metragem)

    1997: Body, Body on the Wall (curta-metragem)

    1999: The Last Words (curta-metragem)

    2000: Inasmush... (curta-metragem)

    2001: Silver d'aprs Seven for a Secret Never To Be Told (curta-metragem)

    2002: In the Spite of Wishing and Wanting

    2005: Blush

    2006: Don't Rewind Completely

    2007: Here After et Sonic Boom

    2010: Monkey Sandwich

  • Vandekeybus Diz:* "Sou um destruidor de formas".

    * Acho necessrio destruir o que parece seguro, para ter a chance

    de recomear sempre.

    * "A violncia presente nas minhas obras vem desse meu desejo de

    ir at ao desconhecido. Desconstruir as formas habituais de

    contar histrias e de danar. Quero ser puxado para a frente, mas

    tambm para trs, para o passado.

    * "O cinema quer dizer algo com o movimento, e a dana, tambm.

    O cinema um pouco mais livre no seu modo de dizer, e isso me

    intriga. Continuo apaixonado pela diferena entre as duas

    linguagens e acho que o cinema me ajuda a ver que a minha

    dana no exatamente o que se chama de 'dana

    contempornea', pois talvez seja mais como o movimento em um

    vis cinematogrfico".

  • * Para mim, o que interessa manter ativa a possibilidade demudana. A energia e a fora precisam aparecer junto com a

    vulnerabilidade e a fragilidade. Intimidade e ternura exploradas

    como um outro tipo de risco.

    * Os ttulos dos meus espetculos costumam ser frases e so muitoimportantes. Algumas frases eu invento, outras vm de coisas que

    leio ou escuto. s vezes surgem como um estalo. Mas so frases

    abertas. Gosto de trabalhar com os ttulos, no gosto de nomes

    abstratos.

    "Para mim, a dana sobretudo um meio para comunicar certas

    experincias, mas de uma forma abstrata, sem juzos de moral,

    onde cada pessoa pode encontrar qualquer coisa sua e pode se

    surpreender.

  • NieuZwart

  • Monkey Sandwich

  • Spiegel

  • In the Spite of Wishing and Wanting

  • Referncias BibliogrficasKATZ, Helena. Wim Vandekeybus dana com sua companhia Ultima Vez em SP. Disponvel

    em:

  • Wim Vandekeybus: a dana em busca da origem e do renascimento. Disponvel em: