Vilanova Artigas 3

Download Vilanova Artigas 3

Post on 24-Jul-2015

145 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>Joo Batista Vilanova Artigas nasceu em Curitiba, Paran em 23 de junho de 1915. Em 1932 ingressa na Escola de Engenharia da Universidade do Paran, onde cursou o primeiro ano de engenharia. Em 1933 transfere-se para Escola Politcnica de So Paulo (que no ano seguinte, 1934 tornaria-se a Universidade de So Paulo), onde graduou-se engenheiro-arquiteto no ano de 1937. O grande interesse de Artigas pelo desenho o levou a frequentar, ainda como estudante, um curso de desenho de modelo vivo da Escola de Belas Artes. O curso, noturno, era frequentado por pessoas, em sua maioria, de origem humilde, com trabalhadores proletrio e artesos. O grupo passou a reunir-se nos atelis de Francisco Rebolo e Mario Zanini, que ficava no centro de So Paulo, em um casaro (j demolido), denominado "Palacete Santa Helena". Este grupo ficou conhecido como Grupo Santa Helena e era formado por Alfredo Volpi, Francisco Rebolo, Mario Zanini, Aldo Bonadei, Humberto Rosa, Alfredo Rizzotti, Flvio Penacchi, Manuel Martins, Clvis Graciano, alm de Vilanova Artigas. Pela formao de seus membros, dada suas origens humildes, afastou o grupo de movimentos e grupos artsticos de elite existentes na poca, como a Sociedade Pr-Arte Moderna (Spam) e o "Clube dos Artistas Modernos" (CAM). O valor do trabalho do Grupo Santa Helena foi dado pouco tempo depois por ocasio da exposio chamada "Famlia Artstica Paulista", em 1937, e que tornou o Grupo Santa Helena parte do movimento dominante e expoente das artes plsticas no Brasil, e que tinha um dos fundadores Vilanova Artigas. Aps concluir o curso universitrio em 1937, Artigas criou, junto com o engenheiro civil Duilio Marone, formado recentemente, tambm pela Escola Politcnica de So Paulo, a firma de projeto e construo Marone &amp; Artigas, que funcionou at 1944. Durante este perodo dividiu seu tempo tambm estagiando na Diretoria de Obras Pblicas da Secretaria de Viao em 1938 e em 1939 trabalhou no escritrio de Gregori Warchavchik, um dos principais nomes da primeira gerao de arquitetos modernistas do Brasil e autor do projeto de sua prpria casa na Rua Santa Cruz, Vila Mariana-So Paulo, considerada a primeira residncia modernista do Brasil, em 1927. Com Warchavchik Artigas participou do anteprojeto do Parque de Recreio no Brs (So Paulo), do concurso pblico para a remodelao da Praa da Repblica e do concurso para o Pao Municipal da cidade de So Paulo.</p> <p>1</p> <p>Artigas era muito crtico obra de Warchavchik, chegando ao ponto de declarar que seu relacionamento com a arquitetura de Warchavchik era quase nulo. Em algumas declaraes mais recentes chegou a considerar a casa modernista uma farsa. Na poca (1927) a falta de tecnologia e os custos dos materiais impediram a construo da laje plana em concreto armado, um dos princpios da aplicao do conceito modernista, invs disso foi feito um telhado tradicional que foi escondido em fachada por platibanda. As alvenarias so estruturais e foram feitas com tijolo, no em concreto sendo a estrutura independente. Com tudo isso, o princpio moderno era mais de aparncia que de essncia. Artigas tinha paixo pelo desenho, assim passou a desvalorizar a capacidade de Warchavchik, uma vez que este repassava este trabalho a seus estagirios e assistentes e quase nunca participava do processo completo de desenvolvimento do projeto. Foi exatamente este olhar crtico, s vezes at depreciativo, obra de Warchavchik que praticamente moldou o pensamento de Artigas como arquiteto, fazendo com que ele procurasse seguir o processo oposto de criao de Warchavchik. Tambm durante este trabalho no escritrio Artigas teve acesso a publicaes extrangeiras, o que possibilitou o aprofundamento na obra de Frank Loyd Wright, a principal influncia na primeira fase de sua arquitetura. Ainda com Gregori Warchavchik, Artigas conseguiu o segundo lugar no concurso para o Pao Municipal, dando-lhe visibilidade e levando a Politcnica de So Paulo a cogit-lo como professor. Em 1940 Artigas inicia a carreira no ensino como professor assistente do professor Anhaia Melo na cadeira de Composio Geral e Urbanismo na Escola Politcnica de So Paulo, no curso para engenheiros-arquitetos, e em 1941 torna-se professor adjunto. Em 1948, lidera o grupo de professores que d origem a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de So Paulo (FAU-USP). Em 1962 desenvolveu o projeto de reforma do currculo da FAU-USP, onde propunha tratar a disciplina de ateli de projeto como espinha dorsal do curso de Arquitetura e Urbanismo, sendo este modelo adotado em maioria das Faculdades de Arquitetura atuais. Em 1964 implantado o regime militar aps um golpe. O pensamento divergente de Artigas ao novo modelo gera sua aposentadoria compulsria e afastamento da FAU. Ele mantem-se exilado por um breve perodo no Uruguai e ao retornar impedido de atuar. Aps o processo de anistia, Artigas retorna FAU-USP em 1979, onde lecionou at sua morte, em 1985.2</p> <p>O primeiro projeto de Artigas foi em 1938, junto com seu scio Duilio Marone, uma pequena casa em estilo colonial mexicano a Casa Henrique Arouche de Toledo.</p> <p>O desenho desta casa no refletia o pensamento do arquiteto, Artigas considerou apenas mais um trabalho A partir de 1939, Artigas comea a implementar, ainda que no totalmente, o conceito modernista. A influncia de Frank Loyd Wright era ntida, ainda que no plena. Lajes em balano, formas modulares, uso de materiais como pedra e tijolo aparente, telhados convencionais mas livres de rebuscamento, espaos amplos. Mesmo assim, s vezes Artigas tinha que ceder ao estilo ecltico/colonial vigente, nem todos os clientes estavam dispostos a aceitar o vanguardismo por ele proposto. As palavras do prprio Artigas: Eles s tinham medo do escndalo, que algum jogasse batatas nas casas deles.</p> <p>3</p> <p>O perodo de 1939 at 1942 Artigas j tinha projetado mais de 40 casas junto com seu scio Duilio Marone. O prprio Artigas apelidou seus projetos deste perodo como casinhas quadradas.</p> <p>4</p> <p>5</p> <p>Casa Luiz Gonzaga Leme Monteiro. Ibirapuera, So Paulo/SP. 1941</p> <p>6</p> <p>Em 1942 Artigas pode libertar-se do preconceito por parte de seus cliente com relao ao novo estilo, foi neste ano que ele construiu sua primeira casa e assim pode implementar todos os conceitos e tecnologias que ele desejava e romper com o ecletismo vigente. Na Casinha como foi apelidada, Artigas propos novos conceitos em implantao, tratamento de fachadas e distribuio dos compartimentos. Segundo ele: A casinha de 1942. Foi um rompimento formal meio grande. A partir dela, foi primeira vez que fiz e tive coragem de fazer porque era para mim, me libertei inteiramente das formas que vinham vindo. Libertei-me da planta porque a cozinha passou a se integrar na sala. Marcou uma nova fase em todo tratamento volumtrico daquilo que podia se chamar fachada, porque a fachada desapareceu.</p> <p>7</p> <p>Fachada e interior da Casinha. Campo Grande. So Paulo/SP. 1942.</p> <p>Em 1943, Artigas projetou a casa Rio Branco Paranhos no Pacaembu, So Paulo. Nesta casa ele aplicou o estilo wrightiano plenamente, chegando a uma grande semelhana com a casa Robie de 1906, de Frank Loyd Wright. Volumes prismticos retangulares saltam do corpo principal, o telhado se prolonga, formando marquises, prgolas apoiadas sobre lajes de concreto, grandes aberturas de janelas e o espaos interiores abertos e continuados. Com esta casa Artigas completou e encerrou seu perodo wrightiano. Deste ponto em diante ele abraa o purismo racional modernista, tendo por inspirao Le Corbusier. Essa nova fase o levar ao desenvolvimento de um estilo prprio e consequentemente influenciar profundamente a arquitetura brasileira.</p> <p>8</p> <p>Casa Rio Branco Paranhos. Pacaembu, So Paulo/SP. 1943.</p> <p>Robie House, Frank Loyd Wright. Chicago, EUA. 1906.</p> <p>A nova fase da arquitetura de Artigas veio aps o rompimento com seu scio Duilio Marone, em 1944. Segundo ele uma postura somente profissional j no mais o satisfazia.</p> <p>9</p> <p>Em 1945, a escola carioca era a referncia da nova arquitetura brasileira e foi seguindo este modelo que Artigas projetou o Hospital So Lucas (Curitiba-PR). Ele empregou pilotis, janelas janelas contnuas, volumetria simplificada, rampas.</p> <p>Hospital So Lucas. Curitiba, PR. 1945</p> <p>10</p> <p>Em 1946, junto com o arquiteto Carlos Cascaldi, projeta o edifcio Louveiras (Higienpolis, So Paulo). Novamente artigas aplica os princpios modernos da escola carioca.So dois blocos paralelos, um de 7 pavimentos outro com 6 pavimentos, separados por um ptio ajardinado e apoiados em pilotis.</p> <p>11</p> <p>Ainda em 1946, aps conseguir uma bolsa de estudos da Fundao Guggenheim, Artigas vai estudar a arquitetura contempornea nos Estados Unidos. Ao retornar, em 1948 aproxima-se mais ainda da arquitetura moderna brasileira, mas j comea a separar-se da escola carioca ao projetar a Estao Rodoviria de Londrina. Neste projeto , ao utilizar-se do rigor construtivo, enfatizando a estrutura e o concreto sem revestimentos inicia-se o perodo de formao do que seria a Escola Paulista e consequentemente o surgimento da arquitetura brutalista.</p> <p>12</p> <p>Em 1949, na residncia Heitor de Almeida, Artigas cria dois blocos de edificao com pisos em desnvel ligados por uma cobertura de concreto aparente e uma rampa que leva ao jardim. Essa tipologia ser reafirmada na casa Taques Bittencourt, tambm em 1949, e se formalizar no projeto do prdio da FAUUSP.</p> <p>13</p> <p>Em 1952 projetou Estdio Ccero Pompeu de Toledo, o Estdio do Morumbi. Sua maior obra at ento, o concreto aparente ressaltando a linguagem da estrutura iria fimar de vez a esttica brutalista da escola paulista.</p> <p>14</p> <p>Em 1961 foi convidado a projetar o novo edifcio da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de So Paulo. Por sua ligao prxima com o curso conseguiu as melhores solues de espao. O edifcio um grande e comprido vcuo aberto, diferenciando os departamentos pelos diferentes volumes suspendidos, cobertos por uma super laje estrutural de concreto.</p> <p>15</p> <p>BIBLIOGRAFIA: JUC, Christina Bezerra de Mello. Dissertao apresentada ao Programa de Ps-graduao em Histria da Universidade de Braslia (UnB). SUZUKI, Juliana Harumi. Artigas e Cascaldi: arquitetura em Londrina. IRIGOYEN, Adriana. Wright e Artigas: duas viagens.</p> <p>REFERNCIAS DE INTERNET: http://www.g-arquitetura.com.br/ http://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Batista_Vilanova_Artigas http://www.arq.ufsc.br/arq5625/modulo3/arquitetos/vilanovaartigas_arquivos/fra me.htm http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/06.061/449</p> <p>16</p>