vencendo os nossos medos

of 27/27
Vencendo nossos medos... 1

Post on 15-Jun-2015

503 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. Vencendo nossos medos... 1

2. Objetivo Reconhecer que aquele que se encontra com Jesus nunca mais o mesmo. 2 3. Espelhos D'gua Os seus olhos so espelhos d'gua Brilhando voc pra qualquer um Hum, por onde esse amor andava Que no quis voc de jeito algum. Hum, que vontade de ter voc Que vontade de perguntar Se ainda cedo Hum, que vontade de merecer Um cantinho do seu olhar Mas tenho medo. Hum, que vontade de ter voc Que vontade de perguntar Se ainda cedo Hum, que vontade de merecer Um cantinho do seu olhar Mas tenho medo. 3 4. O resultado do medo em nossas vidas ser a perda do poder de pensar e agir com espontaneidade. Desvendar, gradativamente, nossa Geografia interna, nosso prprio padro de carncias e medos, proporciona-nos uma base slida de autoconfiana. 4 5. Qual o nosso maior desafio hoje? 5 6. No se deixar abater por ns mesmos.. 6 7. Trabalhando os nossos medos (Mc 4,35-41) Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse aos discpulos: Passemos para a outra margem!. Eles despediram as multides e levaram Jesus, do jeito como estava, consigo no barco; e outros barcos o acompanhavam. Veio, ento, uma ventania to forte que as ondas se jogavam dentro do barco; e este se enchia de gua. Jesus estava na parte de trs, dormindo sobre um travesseiro. Os discpulos o acordaram e disseram-lhe: Mestre, no te importa que estejamos perecendo?. 7 8. Ele se levantou e repreendeu o vento e o mar: Silncio! Cala-te! O vento parou, e fez-se uma grande calmaria. Jesus disse-lhes ento: Por que sois to medrosos? Ainda no tendes f?. Eles sentiram grande temor e comentavam uns com os outros: Quem este, a quem obedecem at o vento e o mar?. 8 9. F, confiana inabalvel em Deus, Jesus e seus mensageiros sublimes, lembrando-nos das vigorosas palavras do Mestre: No mundo, tereis aflies, mas tende bom nimo, eu venci o mundo. (Joo, 16:33) 9 10. META : O AMOR 11. Por que temos medo? O medo um sentimento de grande inquietao quando estamos diante de um perigo real, um perigo imaginrio ou uma ameaa. portanto um sintoma proveniente da insegurana em face de certas situaes da vida. Nesta sociedade alucinada pelo ter e no pelo ser, o medo instala-se nos "temperamentos frgeis, nas constituies emocionais de pouca resistncia, de comeo no indivduo, depois na sociedade"1. Por isso, segundo a mentora espiritual Joanna de ngelis, "esta uma sociedade amedrontada". "O excesso de tecnologia gerou ausncia de solidariedade humana, que provoca uma avalanche de receios." 11 12. no Esprito que esto as causas do medo. O medo procede de experincias passadas, de reencarnaes malsucedidas ou fracassadas. Pode advir da culpa no liberada, em face de o crime haver permanecido oculto ou no justiado, mas permanecendo na conscincia do ser para posterior reparao. O medo pode ser ainda decorrente de grande impacto negativo no mago do ser, como planos maquiavlicos, traies infames com disfarado sorriso, que geram a atual conscincia de culpa e os problemas de relacionamento. O medo de enfrentar os seus problemas e resolv-los impele as pessoas a conectarem-se com outras mentes desencarnadas que lhes inspiram e sugerem a fuga atravs das drogas, da bebida, do cigarro, do comportamento exagerado. O medo de no fazer parte da sociedade dos "ganhadores" impele a chamar a ateno, atravs do comportamento e roupas exticas e espalhafatosas. O medo e a frustrao de no ter levam ao crime. O medo de no ser amado leva a buscar amor. Como no conhece o amor verdadeiro, busca-o na troca constante de parceiros, e at na prostituio. O medo gera desorganizao emocional e psquica, gerando doenas por somatizao destes fatores. 12 13. Como combater o medo? Como evit-lo? O antdoto para o medo so as informaes trazidas pelo Espiritismo: A certeza da reencarnao, A certeza de que estamos realizando experincias, praticando para aprender melhor e de que a vida terrena no mais do que um longo dia perante a eternidade real da vida do Esprito. 13 14. O combate ao medo faz-se atravs... Da f aliada "a terapia oferecida pelo trabalho fraternal, Do culto domstico do Evangelho, Do pensamento de otimismo Do recolhimento na orao, juntamente com o uso da gua magnetizada e do passe." 14 15. o Evangelho de Jesus que nos traz lies de otimismo vivo O fator psicolgico capaz de renovar nossos padres de comportamento, impedindo que o medo, a depresso e angstia se instalem. a entronizao do otimismo, oriundo da confiana de que, se hoje uma porta se fecha, amanh outra se abrir. Assim, se hoje perdemos o emprego, ou o amigo no nos reconhece mais, amanh outras oportunidades surgiro, outros amigos estaro presentes. E o dnamo gerador deste otimismo a f. A f clara, raciocinada, porque baseada na certeza da vida espiritual e no amor que tudo dignifica. A frequncia ao Centro Esprita esclarece nossa mente e a mente daqueles Espritos que nos acompanham. Educamo-nos e educamos outros, que por afinidade conectam-se a ns. 15 16. Quando o medo tentar tomar conta de ti... Pensa que ests encarnado na Terra para triunfar. O triunfo, no entanto, no est nos aplausos ou nas luzes da ribalta, nem nos sucessos mundanos, que cegam o corao e a mente. O triunfo sobre ti mesmo, e para consegui-lo preciso lutar. 16 17. Do livro Psicologia e Espiritualidade , de Adenauer de Moraes, mais dicas... Quando nos encontramos sob o domnio do medo de que algo nos acontea, mesmo diante de ameaa real da ocorrncia de um fato desagradvel, preciso termos em mente o seguinte: Nada me ocorrer que no seja til para o meu progresso. Acredito nas possibilidades favorveis quando enfrento situaes adversas. Enfrento , de forma progressiva o objeto causador do medo O medo que sinto no vem do objeto , mas de meu mundo interior 17 18. Senhor! Que queres que eu faa? Toda pessoa que confia no Cristo procura assimilar suas lies e se colocar disposio do Bem 18 19. As marcas do Cristo Se algum te persegue, no julgues As marcas da caridade As formas de trabalho, tolerncia e fraternidade em teu corao. Lies de f, de amor, de superao e de humildade. Quanto a mim, ningum me moleste, porque eu trago no corpo as marcas de Cristo Gl 6.17 Se j estas preparado para o chamado do Cristo, deixa aparecerem em tua personalidade os sinais do amor, 19 20. Quem se encontra com o Cristo nunca mais o mesmo. Aprisionar o forte, purificar os utenslios, tornar-se apto para louvar e servir ao Senhor em toda boa obra Vamos pois, Senhor, mos obra! Desperta-nos, chama-nos, inflama-nos, arrebata-nos; derrama tuas douras, encanta-nos: amemos, corramos! 20 21. Se j estas preparado para o chamado do Cristo, deixa aparecerem em tua personalidade os sinais do amor, as marcas da caridade e as formas de trabalho, tolerncia e fraternidade em teu corao, porquanto, isso ser um incentivo para encarnados e desencarnados que te observam. 21 22. Basta querer... Aptides Morais Psicolgicas Espirituais 22 23. O Maior Mandamento Amars ao Senhor teu Deus de todo o teu corao, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, este o maior primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, Amars ao teu prximo como a ti mesmo. Estes dois mandamentos contm toda a lei e os profetas. (Mateus, XXII: 34-40). E assim, tudo o que quereis que os homens vos faam, fazei-o tambm vs a eles. Porque esta a lei e os profetas. 23 24. Basta Querer Meu pensamento vive em voc, a luz do meu viver, Senhor. Basta entrar, e eu me abrir pra Te amar, nem precisa perguntar, Te amo! H um clima todo diferente, que aquece e mexe com o corao da gente. como um sonho, como um sonho. Eu me dou por inteiro, Teu meu corao. E ao Teu lado, eu sempre sigo, j no h mais talvez, basta querer pra te ver outra vez. 24 25. "O Cristo no pediu muita coisa, no exigiu que as pessoas escalassem o Everest ou fizessem grandes sacrifcios. Ele s pediu que nos 25 26. 26 27. 1 Divaldo Pereira Franco e Joanna de ngelis (Esprito): O Homem Integral. 2 Divaldo Franco e Joanna de ngelis: Floraes Evanglicas. 3 Francisco do Esprito Santo Neto e Hammed As dores da Alma 27