uso de alterações morfológicas nucleares em astyanax spp...

Download Uso de alterações morfológicas nucleares em Astyanax spp ...bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/mundo_saude/uso_alteracoes_morfo... ·…

Post on 22-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 31

    O M

    undo

    da

    Sad

    e, S

    o P

    aulo

    - 20

    14;3

    8(1)

    :31-

    39

    Art

    igo

    Ori

    gina

    l O

    rigi

    nal P

    aper

    Uso de alteraes morfolgicas nucleares em Astyanax spp. para avaliao da contaminao

    aquticaThe use of nuclear morphologic alterations in Astyanax spp. for

    evaluating water contaminationCtia Cappelli Wachtel Dalla Cort*

    Ndia de Castilhos Ghisi**

    ResumoNo decorrer dos anos, os ecossistemas aquticos tm sofrido grandes prejuzos, pois tm sido expostos a poluentes que causam impactos ambientais irreversveis, tanto em reas urbanas como rurais. Nesse sentido, o presente trabalho foi re-alizado em duas reas urbanas da cidade de Guarapuava-PR e duas reas rurais da cidade de Candi-PR, em 2013, com objetivo de avaliar os impactos de diferentes fontes de poluio, quantificados por meio do teste de microncleo, usando como bioindicadores peixes do gnero Astyanax. Consistentes alteraes na morfologia nuclear dos eritrcitos dos peixes foram visualizadas, com maior frequncia na rea mais urbanizada, a Lagoa das Lgrimas, e na rea rural, o Alagado do Rio Jordo. Esse ltimo local um rio de grande porte, que recebe grandes despejos industriais de efluentes advindos de toda a cidade de Guarapuava e de uma fbrica de reciclagem de papel, localizada muito prxima ao local de coleta. O rio Candoizinho, um local rural protegido por uma ampla mata ciliar, apresentou a menor taxa de dano, mostrando-se como um local mais preservado. Um ltimo ponto, localizado em um campus universitrio semiurbanizado mostrou-se como uma taxa de alterao nuclear intermediria. Concluiu-se, ento, que a poluio industrial e urbana pode causar danos sade dos indivduos que habitam corpos hdricos.

    Palavras-chave: Citotoxicidade Imunolgica. Indstrias. Urbanizao.

    AbstractOver the years, aquatics ecosystem have been suffering great losses because of being exposed to pollutants that cause ir-reversible environmental impacts, both in rural and urban areas. In this context, the present study was conducted in two urban areas of the city of Guarapuava (PR) and two rural areas of the city of Candi (PR) during 2013, aiming to assess the impacts of different pollution sources. These impacts were quantified by micronucleus test, using fish individuals of the genus Astyanax as bioindicators. Consistent variations in nuclear morphology were identified in erythrocytes of fishes, more frequently in the most urbanized site, the Lagoa das Lgrimas, and in the rural area, the waterlogged in Jordo River. The latter site is a major river that receives effluents from the entire Guarapuava city and from a factory of recycling paper, located close to the sampled site. The Candoizinho River, a rural local protected by wide riparian vegetation, presented the lowest damage rate, being a preserved area. A last sampled site was located in a semi-urbanized area within a university campus. Organisms from this place showed intermediary damage rates. So, we concluded that industrial and urban pollu-tion can cause irreversible damages to health of individuals inhabiting this water flow.

    Keywords: Citotoxicity, Immunologic. Industry. Urbanization.

    DOI: 10.15343/0104-7809.20143801031039

    * Graduanda do Curso de Cincias Biolgicas pela Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paran, Guarapuava-PR, Brasil. E-mail: catia_cappelli@hotmail.com

    ** Professora da Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paran, Departamento de Biologia, Guarapuava-PR, Brasil. E-mail: nediaghi-si@gmail.com

    As autoras declaram no haver conflitos de interesse.

  • 32

    O M

    undo

    da

    Sad

    e, S

    o P

    aulo

    - 20

    14;3

    8(1)

    :31-

    39

    Uso

    de a

    ltera

    es

    mor

    fol

    gica

    s nu

    clea

    res

    em A

    stya

    nax

    spp.

    par

    a av

    alia

    o

    da c

    onta

    min

    ao

    aqu

    tic

    a

    INTRODUO

    O avano da tecnologia, juntamente com o crescimento populacional, vem permitindo a ge-rao de novos produtos industriais; os quais tem elevado o descarte de poluentes nos ecossistemas aquticos1. Segundo Arias, et al2, nos ltimos anos a biota aqutica est constantemente exposta a um grande nmero de substncias txicas, que so lan-adas diariamente em ambientes abertos e sem o devido tratamento, a partir de diversas fontes de emisso.

    A contaminao pode acontecer de forma dire-ta ou indireta. Diretamente, por escoamento de esgo-to e por contaminantes industriais, ou indiretamente pelo acmulo de substncias no solo, que podem chegar at os recursos hdricos3. Por diversas vezes, os poluentes lanados nos ecossistemas aquticos no so removidos por mtodos naturais de purifi-cao, deixando esses mananciais impotveis, acar-retando assim grandes problemas aos corpos dgua e afetando significativamente a sade da populao humana que faz uso desse corpo hdrico4.

    Uma tcnica muito eficaz e bastante utilizada para estudar os prejuzos causados pelos poluentes nos ambientes aquticos a avaliao por meio de organismos bioindicadores, que possibilita estudar os impactos da poluio sobre espcies ou conjun-tos de espcies5. Essa tcnica realizada a partir da anlise de caractersticas exteriores ou micros-cpicas, dos organismos em questo. Atualmente, o uso de bioindicadores vem sendo dividido em duas abordagens principais: a) aquela associada aos nveis superiores de organizao, tais como populaes, comunidades e ecossistemas b) em nvel individual, que trata de alteraes comporta-mentais, reprodutivas ou malformaes, ou ainda em nveis biolgicos inferiores como alteraes em rgos, tecidos, clulas ou molculas6. Esses lti-mos incluem alteraes bioqumicas e fisiolgicas abordando inclusive alteraes na integridade da membrana celular e material gentico.

    O emprego dos bioindicadores admite a avaliao total dos efeitos ecolgicos ocasiona-dos por vrios fatores; alm dessa concepo, os bioindicadores so mais eficazes do que as me-didas rpidas de parmetros fsicos e qumicos que, periodicamente, so utilizados para avaliar a qualidade da gua7.

    Entre os diferentes bioindicadores, podem ser usados vrios biomarcadores. Os biomarca-dores so sinais precoces de alerta que refletem as respostas biolgicas adversas a xenobiticos. Estes so medidos nos fluidos corporais, clulas ou tecidos, indicando alteraes bioqumicas ou celulares devido exposio a substncias t-xicas6. Diante dos problemas ocasionados pela ao antrpica direta nos corpos hdricos, um biomarcador bastante utilizado e eficiente para medir impactos ambientais o teste do micron-cleo psceo e contagem de alteraes na morfo-logia nuclear em eritrcitos de peixes.

    O teste do microncleo foi desenvolvido por Schmid8 com clulas da medula ssea de camundongos e adaptado por Hooftman e Raat9 para clulas sanguneas de peixes mantidos em laboratrios, sendo ento denominado de Teste do Microncleo Psceo Piscine Micronucleus Test. Esse teste capaz de avaliar e constatar a ao de agentes que quebram os cromossomos (genotxicos e clastognicos) ou a segregao dos mesmos de forma anormal10.

    O microncleo se constitui em uma peque-na poro de cido desoxirribonucleico (DNA) delimitada por uma membrana a qual se encon-tra separada do ncleo principal. Segundo Ri-vero3, algum fragmento cromossmico se perde durante a anfase na diviso celular, devido aos eventos clastognicos e aneugnios. Esses frag-mentos so envolvidos por membrana nuclear durante a telfase na mitose, formando os mi-croncleos.

    No monitoramento ambiental, os peixes so bons bioindicadores para comparao entre reas poludas e no poludas3. Recomenda-se a utilizao desses organismos, pois peixes podem ser encontrados virtualmente em qualquer local no ambiente aqutico e desempenham um papel ecolgico importante nas cadeias alimentares, levando energia dos nveis inferiores aos superiores. Alm disso, assim como mamferos podem sofrer bioacumulao, estando aptos a responder a agentes mutagnicos em baixas concentraes e so capazes de ativar o sistema enzimtico do citocromo P450, um sistema de enzimas que desempenham um papel fundamental no metabolismo de substncias exgenas e endgenas6,11. Peixes do gnero Astyanax, popularmente conhecidos como

  • 33

    O M

    undo

    da

    Sad

    e, S

    o P

    aulo

    - 20

    14;3

    8(1)

    :31-

    39

    Uso

    de a

    ltera

    es

    mor

    fol

    gica

    s nu

    clea

    res

    em A

    stya

    nax

    spp.

    par

    a av

    alia

    o

    da c

    onta

    min

    ao

    aqu

    tic

    a

    lambaris, tem potencial como bioindicador para a realizao do teste de anormalidade nucleares, pois so espcimes bastante comuns, de pequeno porte, onvoros e com um valor econmico considervel12 e sendo usados em vrios estudos de biomonitoramento e bioensaio3,11,13,14,15.

    O objetivo do presente trabalho foi avaliar o impacto da poluio urbana e rural sobre o bioindi-cador Astyanax, usando como biomarcador o teste do microncleo psceo associado ao teste de alte-raes morfolgicas nucleares. A hiptese a de que em reas de maior aglomerao humana so encontradas maiores taxas de alteraes nucleares, pois nesta regio os efluentes so liberados de for-ma mais concentrada.

    MTODO

    Peixes do gnero Astyanax (Figura 1) foram os bioindicadores escolhidos para realizao da

    presente pesquisa principalmente pelo fato de serem bastante comuns na regio, facilitando a obteno de um nmero amostral estatisticamen-te adequado. Alm disso, oferecem vantagens de fcil manuseio, devido ao seu pequeno por-te12. Esses peixes so frequentemente utilizados para a alimentao humana, sendo um dos gru-pos de maior frequncia encontrado nos rios de gua doce11 e se destacam por aprese