universidade federal de minas gerais escola de mأ؛sica o dialogismo na obra romancero gitano op....

Download UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Escola de Mأ؛sica O dialogismo na obra Romancero Gitano Op. 152

If you can't read please download the document

Post on 02-Oct-2020

0 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 0

    UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Escola de Música

    Luiz Braz Franceschini Júnior

    O DIALOGISMO NA OBRA ROMANCERO GITANO OP. 152 DE MARIO

    CASTELNUOVO-TEDESCO

    Belo Horizonte - MG 2014

  • 1

    Luiz Braz Franceschini Júnior

    O DIALOGISMO NA OBRA ROMANCERO GITANO OP. 152 DE MARIO

    CASTELNUOVO-TEDESCO

    Dissertação apresentada ao Curso de Mestrado da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais, como requisito parcial à obtenção do título de Mestre em Música. Linha de Pesquisa: Processos Analíticos e Criativos Orientador: Doutor Oiliam J. Lanna

    Belo Horizonte - MG 2014

  • 2

    F815d

    Franceschini Júnior, Luiz Braz

    O dialogismo na obra Romancero Gitano Op. 152 de Mario Castelnuovo-

    Tedesco. / Luiz Braz Franceschini Júnior. --2014.

    130 f., enc.; il.

    Orientador: Oiliam José Lanna.

    Área de concentração: Processos Analíticos e Criativos.

    Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de

    Música.

    Inclui bibliografia.

    1. Música Análise, apreciação. 2. Música Espanha. 3. Violão. 4. Dialogismo

    (Análise literária). I. Lanna, Oiliam José. II. Universidade Federal de Minas

    Gerais. Escola de Música. III. Título.

    CDD: 780.15

  • 3

  • 4

    AGRADECIMENTOS

    Aos meus pais, por me apoiar em todos os momentos.

    Aos meus irmãos, por estarem junto comigo apesar da distância.

    À Raíssa, pelo companheirismo, carinho e afeto além da delicada revisão desse

    trabalho.

    Aos meus familiares, por compreenderem as ausências no período de elaboração

    dessa pesquisa.

    A todos os meus amigos, por me confortarem nas horas certas.

    À CAPES, pela bolsa de estudos ofertada à mim.

    À Professora Luciana Monteiro de Castro, pelas riquíssimas observações realizadas

    no momento de qualificação.

    À Professora Cecília Nazaré, por ser minha guia nesse período de pós-graduação e

    por aceitar, gentilmente, compor a banca de avaliação desse trabalho.

    Ao Professor Lincoln de Andrade, por oferecer uma outra visão sobre o corpus

    escolhido.

    Ao Professor Celso Faria, por me apresentar à música e a partitura do corpus dessa

    pesquisa e pelo direcionamento profissional e acadêmico.

    À Professora Mônica Pedrosa, pela oportunidade frente aos cursos de graduação da

    UFMG.

    E, por fim, ao meu orientador, Professor Oiliam Lanna, pelo acompanhamento e

    empolgação frente à pesquisa além dos ensinamentos e conselhos que trago

    comigo.

  • 5

    RESUMO

    O objetivo central desse trabalho é aproximar o viés dialógico enunciado pelo

    pensador russo Mikhail Bakhtin das obras do compositor ítalo-americano Mario

    Castelnuovo-Tedesco. Nesse sentido, conceituei genericamente o dialogismo

    apontando, em seguida, diversos exemplos na música erudita e na música popular

    brasileira. Escolhi como corpus da pesquisa o ciclo para coro e violão Romancero

    gitano op. 152 baseado em poemas do livro Poema del cante jondo do artista

    espanhol Federico Garcia Lorca. O livro de Lorca resultou de uma pesquisa sobre

    cantos folclóricos andaluzes realizadas juntamente com o compositor Manuel de

    Falla. Depois de analisar diversas obras de Castelnuovo-Tedesco, além da leitura de

    biografias, excertos de uma autobiografia e artigos de próprio punho do compositor,

    conclui que o opus de Tedesco é genuinamente imbuído do dialogismo. Procedi, em

    seguida, a uma verificação de afinidade entre os escritos de Lorca, do compositor

    Manuel de Falla e do seu mentor Felipe Pedrell, além dos escritos do compositor

    florentino e, em conjunto com uma análise musical, demonstro que o ciclo

    tedesciano promove uma contundente homenagem à música e cultura espanholas.

    Palavras-chave: Coro, violão, dialogismo, música espanhola, análise musical.

  • 6

    ABSTRACT

    The main objective of this work is to approximate the dialogical bias statement by

    Russian thinker Mikhail Bakhtin of the works of the Italian-American composer Mario

    Castelnuovo-Tedesco. In this sense, I generally conceptualized dialogism pointing,

    then, several examples in classical music and Brazilian popular music. Chosen as

    the corpus of the research the cycle for choir and guitar Romancero gitano op. 152

    based on poems Poema del cante jondo book by Spanish artist Federico Garcia

    Lorca. The book of Lorca resulted of a research on Andalusian folk songs performed

    with the composer Manuel de Falla. After reviewing several works by Castelnuovo-

    Tedesco, besides reading biographies, excerpts from an autobiography and articles

    handle the composer himself, concluded that the Tedesco opus is genuinely imbued

    with the dialogism. I proceeded then to verification of affinity between the writings of

    Lorca, the composer Manuel de Falla and his mentor Felipe Pedrell, besides the

    writings of the Florentine composer and together with a musical analysis, I show that

    the tedesciano cycle promotes a resounding tribute to the music and Spanish culture.

    Keywords: Choir, guitar, dialogism, Spanish music, musical analysis.

  • 7

    LISTA DE FIGURAS

    Figura 1: Compassos 17 a 20 da Baladilla: bocca chiusa de contralto, tenor e

    baixo .......................................................................................................................... 28

    Figura 2: Naipes de sopranos e contralto imitam o som de castanholas

    (Kastagnetten imitierend).. ...................................................................................... ..28

    Figura 3: Tutti do coro (textura coral) no segundo movimento do ciclo

    Romancero gitano, La guitarra (compassos 11 a 13) ................................................ 29

    Figura 4: Solo de soprano no primeiro movimento do ciclo (Baladilla de los tres

    rios) .......................................................................................................................... 29

    Figura 5: Solo de contralto no primeiro movimento (Baladilla de los tres rios) ......... 29

    Figura 6: Solo de baixo no primeiro movimento (Baladilla de los tres rios) .............. 29

    Figura 7: Solo de barítono no sexto movimento (Baile) ............................................ 29

    Figura 8: Cânone imitativo com exposição de soprano e contralto e “eco” de

    tenor e baixo. ............................................................................................................ 30

    Figura 9: Cânone imitativo entre Soprano e Tenor ................................................... 30

    Figura 10: Cânone imitativo entre Contralto e Baixo ................................................. 30

    Figura 11: Efeito de rasgueado no Violão no primeiro movimento (Baladilla de

    los tres rios) ............................................................................................................... 31

    Figura 12: Trêmolo do violão no segundo movimento (La guitarra) .......................... 31

    Figura 13: Efeito percussivo no violão no sétimo movimento (Crótalo) ..................... 31

    Figura 14: Uso de harmônicos naturais no quinto movimento (Memento) ................ 31

    Figura 15: Prelúdio do primeiro movimento (Baladilla de los tres rios) ...................... 32

    Figura 16: Poslúdio do primeiro movimento (Baladilla de los tres rios) ..................... 32

    Figura 17: Prelúdio do segundo movimento (La guitarra) ......................................... 33

  • 8

    Figura 18: Poslúdio do segundo movimento (La guitarra) ........................................ 33

    Figura 19: Prelúdio do terceiro movimento (Puñal) ................................................... 34

    Figura 20: Codetta que serve como Poslúdio do terceiro movimento (Puñal) ........... 34

    Figura 21: Legenda bilíngue no início do quarto movimento (Procesion). ................. 34

    Figura 22: Prelúdio do quarto movimento (Procesion). ............................................. 35

    Figura 23: Poslúdio do quarto movimento (Procesion) retomando o tema do

    terceiro poema nas notas mais agudas da textura coral. .......................................... 35

    Figura 24: Interlúdio entre o primeiro poema (Procesion) e o segundo poema

    (Paso). ....................................................................................................................... 36

    Figura 25: Interlúdio entre o segundo poema (Paso) e o terceiro poema (Saeta). .... 36

    Figura 26: Prelúdio quinto movimento (Memento) ..................................................... 36

    Figura 27: Poslúdio quinto movimento (Memento) .................................................... 36

    Figura 28: Prelúdio do sexto movimento (Baile) ..............................................

Recommended

View more >