universidade federal da bahia faculdade...

Download UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/monografias/centros_integrados... ·

Post on 25-Sep-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE ARQUITETURA

    ESPECIALIZAO DE ARQUITETURA EM SISTEMAS DE SADE

    Fernanda Moura Medrado Santos

    CENTROS INTEGRADOS DE CUIDADO AO IDOSO: ARQUITETURA E HUMANIZAO.

    SALVADOR-BAHIA 2008

    http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://programas.rtp.pt/EPG/imagens/20455_idoso.jpg&imgrefurl=http://programas.rtp.pt/EPG/programas/pag_programa.php%3Fp_id%3D20455&h=120&w=160&sz=7&hl=pt-BR&start=75&tbnid=X2H9y7dA8lzktM:&tbnh=74&tbnw=98&prev=/images%3Fq%3Dacolhimento%2Bao%2Bidoso%26start%3D60%26gbv%3D2%26ndsp%3D20%26svnum%3D10%26hl%3Dpt-BR%26sa%3DN

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE ARQUITETURA

    ESPECIALIZAO DE ARQUITETURA EM SISTEMAS DE SADE

    Fernanda Moura Medrado Santos

    CENTROS INTEGRADOS DE CUIDADO AO IDOSO: ARQUITETURA E HUMANIZAO.

    Monografia apresentada ao Curso de Especializao da Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia, como requisito parcial para a obteno do Ttulo de Especialista em Arquitetura em Sistemas de Sade. Orientador (a): Antonio Pedro Alves de Carvalho (Doutor,UNESP, 1997)

    SALVADOR-BAHIA 2008

    ii

  • 911:574 Silva, Jos, S683 Hospital Geral da Paralela Salvador/BA/ Jos da Silva - Salvador: Jos da Silva, 2007.

    137f.: il.

    Monografia (Especializao) Programa de Ps-Graduao em Arquitetura.

    Universidade Federal da Bahia. Faculdade de Arquitetura , 2007.

    1. Arquitetura Hospitalar 2. Arquitetura e Sade I. Ttulo II. Universidade Federal da Bahia. Faculdade de

    Arquitetura III. Monografia.

    iii

  • Fernanda Moura Medrado Santos

    CENTROS INTEGRADOS DE CUIDADO AO IDOSO: ARQUITETURA E HUMANIZAO.

    MONOGRAFIA DE ESPECIALIZAO submetida em satisfao parcial dos requisitos ao grau de

    ESPECIALISTA EM ARQUITETURA DE SISTEMAS DE SADE

    Cmara de Ensino de Ps-Graduao e Pesquisa da

    Universidade Federal da Bahia

    Aprovado: Comisso Examinadora

    ...........................................................

    ...........................................................

    ...........................................................

    Data da Aprovao: ......./......./......... Conceito:

    iv

  • Aos meus pais, Fernando e Simone, pela forca, apoio e incentivo em tudo que realizo. Ao meu marido, Cezar, pela compreenso e amor.

    Aos meus filhos, Rafael e Sofia, pelo amor e pelos momentos de alegria. Aos amigos do ARQSAUDE, pela forca e incentivo nos momentos de dificuldades.

    E ao orientador, Antonio Pedro, pela compreenso e contribuio. E para a amiga de todos nos ARQSAUDE, Neila.

    v

  • AGRADECIMENTOS

    A Secretaria de Sade do Estado do Tocantins, pela compreenso das ausncias para realizar este curso; A o amigo, Valuar Barros, que talvez sem ele no tivesse condies de concluir o curso.

    A amiga Neila, companheira que contribuiu com todos nos ARQSAUDE. A minha tia Auta Medrado, pelo acolhimento e cuidado prestado todos os meses em Salvador.

    E principalmente ao Jose Oliveira, integrante do Conselho do Idoso no Estado do Tocantins, pelas informaes prestadas.

    vi

  • RESUMO Este trabalho aborda a importncia da arquitetura na humanizao de Centros de Integrao ao Idoso. Tendo em vista os benefcios causados ao paciente, analisando de que maneira o projeto arquitetnico pode humanizar o edifcio e proporcionar a humanizao do paciente, funcionrios e visitantes. O trabalho apresenta elementos arquitetnicos estimulantes do ambiente para humanizao, a influencia do conhecimento do arquiteto em relao ao publico alvo e o estudo de caso que, a parti de leituras espaciais e entrevistas semi-estruturadas realizadas durante uma visita no Centro de Integrao no municpio de Palmas do Estado do Tocantins, trs exemplos que ilustram como a arquitetura no processo de humanizao importante. Palavras-chave: [Humanizao, Arquitetura, Idoso, Centro de Integrao ao idoso]

    vii

  • SUMRIO

    LISTA DE TABELAS ix LISTA DE FIGURAS ix LISTA DE FOTOS ix

    1. INTRODUO 11 1.1 JUSTIFICATIVA 12 1.2 OBJETIVOS 13

    1.2.1 Objetivo geral 13 1.2.2 Objetivo especfico 13 2. CENTRO DE INTEGRAO AO IDOSO 14 2.1 CARACTERSTICAS DO PUBLICO ALVO 14 2.2 LEGISLAES 15 2.3 PARTICULARIDADE DO CENTRO 16 3. ARQUITETURA COMO INFLUENCIA NA HUMANIZAO 18 3.1 PROMOO DA INTEGRAO ENTRE USURIOS, PROFISSIONAIS E VISITANTES 19 3.2 ACESSIBILIDADE 19

    3.2.1 Rampas 19 3.2.2 Corrimos 21 3.2.3 Pisos adequados 22 3.3 ESPAOS EXTERNOS VEGETAO 23 3.4 ASPECTOS PSICODINMICOS 24

    3.4.1 Cor 24 3.4.2 Luz 25 3.4.3 Som 26 3.5 ASPECTOS TECNOLGICOS 27 4. O PAPEL DO ARQUITETO NO FUTURO DA HUMANIZAO 28 5. ESTUDO DE CASO 30 6. CONCLUSO 37 . REFERNCIAS 38

    viii

  • LISTA DE TABELAS

    Tabela 01 - Dimensionamento de rampas 20

    LISTA DE FIGURAS

    Figura 01 Guias de balizamento 21 Figura 02 Detalhe corrimo 22

    LISTA DE FOTOS

    Foto 01 - Dormitrio improvisado. 31

    Foto 02 rea de conivncia servindo de consultrio. 31 Foto 03 Banheiro no adaptado s necessidades dos usurios 32 Foto 04 - Banheiro no adaptado s necessidades dos usurios 32 Foto 05 - rea para meditao e atividades ecumnicas. 33 Foto 06 - Sala administrativa e sala de aula para os idosos. 33 Foto 07 - Refeitrio. 34 Foto 08 - Refeitrio com ausncia de mobilirio. 34 Foto 09 - Sem acesso descoberto e sem corrimes. 35 Foto 10 - Circulaes sem utilizao de apoios para a locomoo. 35

    ix

  • 1 INTRODUO

    O avano da medicina permite que cada vez mais pessoas tenham a vida prolongada, acarretando a

    mudana no perfil demogrfico da sociedade brasileira. Pessoas idosas representam, hoje, uma significativa parcela da

    populao.

    Estimativa do IBGE revela que, em 2050, a populao brasileira com mais de 60 anos ultrapasse 29% da

    populao, que ser maior que a quantidade de habitantes com menos de 15 anos (28%), tornando a procura de centros

    ou abrigos para idosos cada vez mais intensos, minimizando o isolamento das pessoas mais velhas que continuam tendo

    necessidade de participar do convvio social.

    Com isso rgos competentes aprimoram solues e leis habitacionais para Instituies de Longa

    Permanncia para Idosos (RDC N. 283, de 26 de setembro de 2005-ANVISA), como os centros de integrao de

    cuidado ao idoso que so instituies governamentais ou no governamentais, de carter residencial, destinada a

    domicilio coletivo de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, com ou sem suporte familiar, em condies de

    liberdade, dignidade e cidadania.

    de fundamental importncia a produo de uma arquitetura capaz de proporcionar as condies fsicas e

    mentais necessrias para os usurios, funcionrios e acompanhantes, dos centros de cuidado ao idoso, resultando em

    espaos acolhedores, humanos e resolutivos.

    Assim, este estudo vem identificar solues arquitetnicas que influencie na humanizao dos centros

    integrados para idosos, tratando o espao fsico como espao social, profissional e de relaes interpessoais,

    considerando componentes que altere e qualifique o espao como a luz, o som, a cor, o cheiro, a natureza, a privacidade

    entre outros elementos da arquitetura.

    1.1 JUSTIFICATIVA

    O crescente envelhecimento da populao e a procura por centro de integrao ao cuidado do idoso so

    indiscutveis, como tambm o espao fsico no adequado s condies fsicas e mentais desta faixa etria, que faz com

    que estas pessoas se sintam incapazes, assumindo serem o problema, sendo que o espao em que habitam que se

    apresenta inadequado as suas atividades, tornando indispensvel que arquitetos e engenheiros no vedem os olhos no

    sentido de propor solues adequadas e humanizadas, considerando todas as necessidades dos centros integrados de

    cuidado ao idoso.

    x

  • A tendncia dos projetos arquitetnicos de estabelecimento assistencial a sade de incorporar conceitos

    de funcionalidade e de fluxos de acordo com as atividades, e tambm enfatizar o conceito a humanizao dos

    ambientes, tornado os espaos acolhedores capazes de aumentar o conforto e independncia dos usurios e profissionais

    dos centros.

    A utilizao do conceito da humanizao na arquitetura possibilita que os espaos visem o processo de

    trabalho com instrumento construtor e a confortabilidade que atravs dos elementos arquitetnicos criam ambincias

    acolhedoras e contribuem para o processo de produo de sade.

    Alm de apresentar solues arquitetnicas capazes de aumentar a autonomia e independncia dos

    usurios garantindo a qualidade de vida a todos, este estudo procurar contribuir para informar profissionais, da rea de

    arquitetura e engenharia, das necessidades de humanizao dos centros de integrao ao idoso, seguindo parmetros da

    Poltica Nocional de Humanizao do Ministrio da Sade, como a ambincia hospitalar que se refere ao tratamento

    dado ao espao fsico.

    1.2 OBJETIVOS

    1.2.1 Objetivo Geral O objetivo deste trabalho identificar solues arquitetnicas para promover a humanizao nos centros

    de integrao ao idoso.

    1.2.2 Objetivo Especfico

    Identificar espaos acolhedores, humanos e resolutivos para usurios e funcionrios dos centros;

    Identificar elementos arquitetnicos que interaja e contribua para a sade dos usurios;

    Indicar na arquitetur

Recommended

View more >