testemunhos selectos vol 2

Download Testemunhos selectos   vol 2

Post on 20-May-2015

405 views

Category:

Documents

7 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. TESTEMUNHOS SELETOS VOL 2ndice 1 O Dia do Senhor Est Perto / 11 2 Inveja e Crtica / 19 3 Condenadas a Inveja e a Crtica / 22 4 Cooperadores de Deus / 27 5 Agentes de Satans / 33 6 Roubar o Homem a Deus? / 40 7 Diligncia no Trabalho / 45 8 Consultaremos Mdicos Espritas? / 50 9 Olhando a Jesus / 5910 Selo de Deus / 6211 Um Apelo / 7212 Unidade Crist / 7713 Cristo, Nossa Justia / 9114 Crescimento Cristo / 9615 Tempos que Provam as Pessoas / 10116 Cuidado com os Ensinos Errneos / 10317 "Louvai ao Senhor" / 10818 O Amor Entre os Irmos / 11319 Casamento com Infiis / 11920 O Verdadeiro Esprito Missionrio / 12621 Negcio e Religio / 13222 A Disposio Mundana, um Lao / 14023 Responsabilidades do Mdico / 14224 A Crise Vindoura / 14925 A Igreja, a Luz do Mundo / 15526 Josu e o Anjo / 17027 A Importncia do Sbado / 18028 Guardar os Interesses dos Irmos / 18629 O Comportamento na Casa de Deus / 19330 Piedade Prtica / 20431 "Vosso Culto Racional" / 21432 Sonho Impressionante / 24633 Elementos de xito na Causa de Deus / 21834 Educao de Obreiros / 22535 A Aparncia do Mal / 23236 Amor Para com os que Erram / 24637 A Prosperidade da Igreja / 25738 O Pecado Contra o Esprito Santo / 26539 A Presena de Deus, uma Realidade / 26740 Natureza e Influncia dos Testemunhos / 27041 Distino Imprpria / 29442 Os Mistrios da Bblia - Prova de sua Inspirao / 30343 O Conflito Futuro / 31844 O Inestimvel Deus / 32645 O Carter de Deus Revelado em Cristo / 33446 O Verbo Se Fez Carne / 34447 Solicitude de Deus por Sua Obra / 34848 A Igreja Remanescente no Babilnia / 35549 O Propsito de Deus na Igreja / 36450 A Obra Para o Presente Tempo / 36951 A Reunio Campal / 37852 O Trabalho Pelas Classes Mais Altas / 38653 O Batismo / 38954 A Obra de Temperana / 39855 Mulheres Como Obreiras Evanglicas / 40156 O Ensino da Religio Domstica / 40657 A Parbola da Ovelha Perdida / 40758 A Necessidade de Reforma Educativa / 40959 Obstculos Reforma / 41960 O Carter e a Obra do Professor / 42561 Palavras de um Instrutor Celeste / 429 www.terceiroanjo.orgSua fonte de pesquisa na internet

2. 62 Escolas com Internatos / 43463 A Reforma Industrial / 44264 A Fazenda da Escola de Avondale / 44765 Escolas Junto s Igrejas / 45266 A Administrao e as Finanas da Escola / 46567 Plano de Deus Para as Instituies Mdicas / 47768 O Trabalho Espiritual do Mdico / 48669 A Necessidade do Mundo / 49270 A Necessidade da Igreja / 49971 Nosso Dever Para com os da F / 50772 Nosso Dever Para com o Mundo / 51173 O Cuidado dos rfos / 51974 A Obra Mdico-Missionria e a Terceira Mensagem Anglica / 52675 A Importncia da Obra da Colportagem / 53276 Qualificaes do Colportor / 53677 O Colportor, um Obreiro / 54078 Reavivamento da Obra da Colportagem / 54579 A Escola Sabatina / 55780 Ser Hospitaleiro / 568Livro1O Dia do Senhor Est PertoPg. 11"O grande dia do Senhor est perto, est perto, e se apressa muito a voz do dia do Senhor: amargamente clamar ali o homempoderoso. Aquele dia um dia de indignao, dia de angstia e de nsia, dia de alvoroo e de desolao, dia de trevas e deescurido, dia de nuvens e de densas trevas, dia de trombeta e de alarido contra as cidades fortes e contra as torres altas. Eangustiarei os homens, e eles andaro como cegos, porque pecaram contra o Senhor." Sof. 1:14-17."E h de ser que, naquele tempo, esquadrinharei a Jerusalm com lanternas, e castigarei os homens que esto assentados sobreas suas fezes, que dizem no seu corao: O Senhor no faz bem nem faz mal." Sof. 1:12."Congrega-te, sim, congrega-te, nao que no tens desejo, antes que saia o decreto, e o dia passe como a pragana; antes quevenha sobre vs a ira do Senhor, sim, antes que venha sobre vs o dia da ira do Senhor. Buscai ao Senhor, vs todos os mansosda Terra, que pondes por obra o Seu juzo; buscai a justia, buscai a mansido; porventura sereis escondidos no dia da ira doSenhor." Sof. 2:1-3.Estamos perto da consumao dos tempos. Foi-me mostrado que os juzos retributivos de Deus j esto caindo sobre a Terra. OSenhor nos advertiu quanto aos acontecimentos que esto prestes a ocorrer. Luz irradia de Sua Palavra, contudo as trevascobrem a Terra e densa escurido os povos. "Quando disserem: H paz e segurana; ento lhes sobrevir repentina destruio...e de modo nenhum escaparo." o nosso dever buscar a causa de to terrveis trevas, aPg. 12fim de podermos evitar os caminhos pelos quais os homens acalentaram to grande iluso. Deus deu ao mundo umaoportunidade de conhecer e de obedecer a Sua vontade. Deu-lhe em Sua Palavra a luz da verdade e lhe enviou advertncias,conselhos e exortaes; mas poucos obedecero a Sua voz. Como a nao judaica, a maioria dos cristos professos se gloria desuas superiores vantagens, porm no se mostra grata a Deus por essas grandes bnos. Por causa de Sua graa infinita umaltima mensagem de advertncia enviada ao mundo, anunciando que Cristo est s portas e chamando a ateno para adesprezada lei divina. Mas como os antediluvianos rejeitaram com zombaria a advertncia de No, assim os amantes dosprazeres hoje em dia ho de rejeitar a mensagem dos fiis servos de Deus. O mundo segue o seu curso inaltervel, absorvidocomo sempre em seus negcios e prazeres, enquanto a ira divina est prestes a ser derramada sobre os transgressores de Sualei."Olhai por vs"Nosso compassivo Redentor, prevendo os perigos que haviam de cercar Seus seguidores neste tempo, lhes dirige estaadmoestao especial: "Olhai por vs, no acontea que os vossos coraes se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e doscuidados da vida, e venha sobre vs de improviso aquele dia. Porque vir como um lao sobre todos os que habitam na face detoda a Terra. Vigiai pois em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que ho deacontecer, e de estar em p diante do Filho do homem." Luc. 21:34-36. Se a igreja escolher um caminho idntico ao do mundo,vir a partilhar a mesma sorte; ainda mais: como recebeu maior luz, seu castigo ser maior do que o dos impenitentes.Ns, como povo, professamos possuir mais verdades do que qualquer outro na Terra. Neste caso, nossa conduta e carterdevem tambm corresponder nossa profisso. Est prximo o dia em que os justos, qual semente preciosa, ho dePg. 13ser ajuntados para os celeiros celestiais, enquanto os mpios, semelhana do joio, o sero para o fogo do grande dia. Mas otrigo e o joio devero "crescer ambos juntos at ceifa".No desempenho de seus deveres cotidianos, os justos ho de estar, at o fim, em contato com os mpios. Os filhos da luz estoespalhados entre os das trevas para que o contraste salte aos olhos de todos. assim que os filhos de Deus devem anunciar "asvirtudes dAquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz". O amor divino, ardendo em seu corao, a harmonia www.terceiroanjo.orgSua fonte de pesquisa na internet 3. semelhana de Cristo manifestada em sua vida, ser como um vislumbre do Cu concedido aos homens do mundo, para quepossam apreciar sua excelncia.Coisas semelhantes mutuamente se atraem. Os que beberem da mesma fonte de bnos ho de unir-se entre si. A verdade,habitando no corao dos crentes, h de conduzir a uma abenoada e feliz unificao. Deste modo a orao de Cristo, pedindoque Seus discpulos fossem um como Ele o com o Pai, ser atendida. Por essa unidade espiritual, toda alma verdadeiramenteconvertida h de suspirar.Entre os mpios, porm, h de prevalecer uma harmonia ilusria que s em parte encobrir a perptua discrdia. Achar-se-ounidos na sua oposio vontade e verdade divina, mas quanto ao mais estaro divididos pelo dio, dissimulao, inveja econtenda mortal.O metal precioso e o comum esto agora de tal modo misturados, que somente o olhar cuidadoso do infinito Deus pode comcerteza discernir entre um e outro. Mas o m moral da santidade e verdade h de atrair e reunir o metal puro, ao mesmo tempoque repelir a escria e o falso.Falsa Segurana"O ... dia do Senhor est perto, ... e se apressa muito" (Sof. 1:14); onde est, porm, o verdadeiro esprito do advento? Quem seest preparando para subsistir nesse tempo dePg. 14tentao que se acha iminente? O povo a quem Deus confiou as sagradas, solenes e difceis verdades para este tempo estdormindo em seu posto. Por seu procedimento, diz: "Tenho a verdade", "rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta",ao passo que a testemunha verdadeira o adverte: "No sabes que s um desgraado, e miservel, e pobre, e cego, e nu." Apoc.3:17.Com que fidelidade retratam essas palavras a presente condio da igreja! "No sabes que s desgraado, e miservel, e pobre,e cego, e nu." Pelos servos do Senhor so transmitidas mensagens de advertncia ditadas pelo Esprito Santo, e descobertosdefeitos de carter aos que se tm desviado; eles, entretanto, dizem: "Isto no se aplica ao meu caso. Recuso a mensagem queme transmitis. Estou fazendo o melhor que posso. Creio na verdade."Aquele mau servo que em seu corao diz: "Meu Senhor tarde vir" (Mat. 24:48), professa estar esperando a Cristo. um"servo" que s aparentemente se dedica ao servio de Deus, enquanto no corao se entregou a Satans. Diferente dosescarnecedores, no nega abertamente a verdade, mas pela conduta revela o desejo que sente de que a vinda do Senhor sedilate. O orgulho torna-o descuidoso dos interesses eternos. Adota as mximas do mundo e se conforma s suas prticas ecostumes. O egosmo, o orgulho e as ambies mundanas nele predominam. Temendo que seus irmos lhe levem algumavantagem, deprecia-lhes os esforos e discorda de suas razes. Desse modo espanca seus conservos. proporo que se vaialienando do povo de Deus, une-se mais aos mpios. achado comendo e bebendo "com os brios" (Mat. 24:49) - associando-se com o mundo cujo esprito compartilha. Deste modo embalado numa segurana carnal, e vencido pela negligncia,indiferena e ociosidade.A causa propriamente dita do mal foi a negligncia da vigilncia e da orao secreta, a que sucedeu naturalmente a neglignciade outros deveres religiosos, sendo assim aparelhado o caminho para todos os pecados subseqentes. Cada cristo Pg. 15assediado pelas sedues do mundo, pelas