tcc resolução 2003 nova versao -...

of 22 /22
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO CBCC 01 / 2003 - DE 24 de junho de 2003 EMENTA: Define as diretrizes para a realização do Trabalho de Conclusão de Curso para os discentes do Curso de Bacharelado em Ciência da Computação. TITULO I - DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Art. 1º. - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), de que trata o parágrafo único do artigo 63 do Regimento Geral da Universidade Federal do Pará, e cujas diretrizes foram definidas pela resolução no. 867 de 21 de setembro de 1982 do CONSEP, reger-se-á pela presente norma no âmbito do Curso de Bacharelado em Ciência da Computação. Art. 2º - A finalidade do TCC será a de avaliar o desempenho do discente tendo em vista os objetivos gerais do curso. Art 3º - De acordo com a Resolução no. 2.874, de 8 de janeiro de 2002 do CONSEP, o desenvolvimento do TCC se dará em duas etapas, no nono semestre (disciplina Trabalho de Conclusão de Curso I, código EN05127 com carga horária de 30 horas) e no décimo semestre (disciplina Trabalho de Conclusão de Curso II, código EN05128 com carga horária de 60 horas). Art. 4º - Somente será integralizado o currículo do discente que for aprovado no TCC. PARÁGRAFO ÚNICO - Será aprovado no TCC I e TCC II o discente que obtiver no mínimo o conceito R (Regular). TÍTULO II - DA MATRÍCULA NO TCC Art. 5º - O TCC I deverá ser desenvolvido conjuntamente com a disciplina METODOLOGIA DO ENSINO E PESQUISA EM INFORMÁTICA (EN05122) sendo um dos trabalhos da disciplina a elaboração do Projeto do TCC. Art. 6º - A matrícula no TCC I deverá ser feita quando da efetivação da matrícula no semestre letivo. A matrícula no TCC II será feita após a aprovação no TCC I com encaminhamento do projeto ao colegiado com o nome e assinatura do docente orientador. TÍTULO III - DA REALIZAÇÃO DO TCC Art. 7º - O TCC poderá ser realizado: a) como trabalho especial, referente a uma disciplina específica, integrante do currículo pleno;

Author: truongthuy

Post on 01-Dec-2018

235 views

Category:

Documents


0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAR CENTRO DE CINCIAS EXATAS E NATURAIS

    CURSO DE BACHARELADO EM CINCIA DA COMPUTAO

    RESOLUO CBCC 01 / 2003 - DE 24 de junho de 2003

    EMENTA: Define as diretrizes para a realizao do Trabalho de Concluso de Curso para os discentes do Curso de Bacharelado em Cincia da Computao.

    TITULO I - DO TRABALHO DE CONCLUSO DE CURSO Art. 1. - O Trabalho de Concluso de Curso (TCC), de que trata o pargrafo nico do artigo 63 do Regimento Geral da Universidade Federal do Par, e cujas diretrizes foram definidas pela resoluo no. 867 de 21 de setembro de 1982 do CONSEP, reger-se- pela presente norma no mbito do Curso de Bacharelado em Cincia da Computao.

    Art. 2 - A finalidade do TCC ser a de avaliar o desempenho do discente tendo em vista os objetivos gerais do curso.

    Art 3 - De acordo com a Resoluo no. 2.874, de 8 de janeiro de 2002 do CONSEP, o desenvolvimento do TCC se dar em duas etapas, no nono semestre (disciplina Trabalho de Concluso de Curso I, cdigo EN05127 com carga horria de 30 horas) e no dcimo semestre (disciplina Trabalho de Concluso de Curso II, cdigo EN05128 com carga horria de 60 horas).

    Art. 4 - Somente ser integralizado o currculo do discente que for aprovado no TCC.

    PARGRAFO NICO - Ser aprovado no TCC I e TCC II o discente que obtiver no mnimo o conceito R (Regular).

    TTULO II - DA MATRCULA NO TCC Art. 5 - O TCC I dever ser desenvolvido conjuntamente com a disciplina METODOLOGIA DO ENSINO E PESQUISA EM INFORMTICA (EN05122) sendo um dos trabalhos da disciplina a elaborao do Projeto do TCC.

    Art. 6 - A matrcula no TCC I dever ser feita quando da efetivao da matrcula no semestre letivo. A matrcula no TCC II ser feita aps a aprovao no TCC I com encaminhamento do projeto ao colegiado com o nome e assinatura do docente orientador.

    TTULO III - DA REALIZAO DO TCC Art. 7 - O TCC poder ser realizado:

    a) como trabalho especial, referente a uma disciplina especfica, integrante do currculo pleno;

  • b) como trabalho especial interdisciplinar, de disciplinas especficas do currculo pleno;

    c) como trabalho especial, referente rea ou a uma das reas em que o discente realiza seu estgio, ao final do curso;

    d) como trabalho interdepartamental com obrigatoriedade de envolver disciplinas especficas do currculo pleno;

    e) como trabalho especial desenvolvido junto empresa em que o discente estagia, desde que considerado o mrito e o seu desenvolvimento como satisfatrios aos propsitos do TCC;

    f) como trabalho de cunho terico relevante para os propsitos do TCC. 1 - Tanto quanto possvel os trabalhos desenvolvidos devem envolver significativo uso do computador.

    2 - O TCC ser um trabalho individual podendo, em casos especiais aprovados pelo colegiado, ser desenvolvido em dupla.

    TTULO IV - DA ORIENTAO E AVALIAO DO TCC

    Art 8 - O orientador do TCC I e TCC II dever ser um professor do Departamento de Informtica (DI) desta Universidade.

    1 - Podero ser aceitos como orientadores de TCC professores pertencentes a outras unidades da UFPA desde que sejam autorizados pelo Colegiado do Curso. Tcnicos-administrativos podero ser co-orientadores, tambm autorizados pelo colegiado.

    2 - Poder haver um co-orientador de instituio externa a UFPA, desde que autorizado pelo Colegiado do Curso. Nessa situao, obrigatoriamente, dever haver um orientador, professor do DI.

    3 - Os nomes dos orientadores e reas de interesse faro parte de uma lista, disponvel na pgina eletrnica e em outros meios de divulgao utilizados pelo Curso, que pode ser livremente consultada pelos discentes interessados.

    4 - O colegiado do Curso reserva-se o direito de incluir ou retirar nomes da lista de orientadores sempre que for do interesse do Curso.

    Art 9 - Compete ao orientador de TCC

    1 - Acompanhar o orientando na elaborao do projeto de TCC na disciplina METODOLOGIA DO ENSINO E PESQUISA EM INFORMTICA.

    2 - Orientar a execuo das atividades referentes ao desenvolvimento do TCC pelo discente.

    3 - Comunicar ao colegiado do curso, quando solicitado, sobre o andamento do processo de orientao.

  • 4 - Informar qualquer anormalidade referente ao desenvolvimento das atividades referentes orientao.

    5 - Participar dos processos de avaliao do TCC sob sua orientao.

    6 - Conhecer as normas vigentes para apresentao e redao de trabalhos acadmicos.

    PARGRAFO NICO - O docente orientador dever assinar o projeto de TCC, resultante do TCC I, o que implicar na concordncia em orientar o referido trabalho no TCC II.

    Art. 10 - Quanto substituio de orientador: ficar sob a responsabilidade do colegiado do curso autorizar a substituio do orientador a partir de manifestao por escrito do orientador atual do TCC e do orientando.

    Art. 11 - O projeto do TCC, resultante da disciplina TCC I, ser avaliado conjuntamente pelo orientador do TCC e pelo professor da disciplina METODOLOGIA DO ENSINO E PESQUISA EM INFORMTICA. Ao colegiado do curso dever ser encaminhado o projeto de TCC para anlise e como requisito para a matrcula em TCC II.

    Art. 12 - O TCC, resultante da disciplina TCC II, dever ser entregue e defendido pelo discente e ser avaliado por uma banca de professores, a qual apresentar por escrito, apreciao sobre a realizao, importncia e valor do trabalho emitindo o devido conceito, na forma do Art. 69 do Regimento Geral.

    1 - A banca de avaliao ser composta por dois professores do DI e o orientador do TCC. Os professores sero indicados pelo orientador ao colegiado do curso, o qual se reserva o direito de acatar ou no a indicao.

    2 - Com cinco dias teis de antecedncia para a data de defesa, o discente dever:

    a) Entregar trs cpias impressas e uma eletrnica do texto do TCC e uma cpia eletrnica do resumo (para divulgao prvia para a comunidade) secretaria do curso;

    b) Entregar secretaria do curso a indicao da banca de avaliao assinada pelo orientador.

    3 - Na defesa do TCC o discente dever realizar uma apresentao com durao de 30 minutos.

    4 - Aps a apresentao do TCC, a banca poder:

    a) aceitar definitivamente o trabalho, atribuindo-lhe conceito final; b) condicionar a aceitao a modificaes no texto. Esta hiptese significa

    que o discente deve proceder necessariamente s alteraes indicadas pela banca. Neste caso, o discente ter um prazo mximo de 3 dias teis aps a defesa para realizar as modificaes solicitadas e entregar um novo exemplar impresso do texto para cada um dos membros da banca para

  • verificao. De posse do exemplar revisado, a banca pode aceitar ou recusar o trabalho;

    c) recusar o trabalho. 5 - Cabe aos discentes o direito de recorrer do conceito atribudo, de acordo com as normas regimentais da UFPA.

    6 - No caso de aprovao do TCC, o discente deve entregar uma cpia impressa e eletrnica do texto definitivo secretaria do curso.

    Art 13 - A elaborao e apresentao do TCC dever seguir as normas de apresentao e redao de trabalhos cientficos adotadas pelo Centro de Cincias Exatas e Naturais.

    Art. 14 - Compete ainda ao Colegiado do Curso:

    1 - Adequar a matrcula do discente nas disciplinas METODOLOGIA DO ENSINO E PESQUISA EM INFORMTICA e TCC I, e destas com TCC II;

    2 - Promover a divulgao das datas de defesas de TCCs;

    3 - Resolver os casos omissos.

    Art. 15 - Constituem parte integrante da presente resoluo os documentos cujos modelos esto anexos:

    a) Estrutura sugerida de tpicos do projeto do TCC (Anexo 1);

    b) Formulrio de Avaliao do TCC II (Anexo 2);

    c) Normas Gerais para Apresentao de TCCs (Anexo 3 - Normas do CCEN);

    Art. 16 - A presente Resoluo entrar em vigor na data de sua aprovao, revogando-se as disposies em contrrio.

    Colegiado do Curso de Bacharelado em Cincia da Computao, em 24 de junho de 2003.

    Profa. Carla Alessandra Lima Reis

    Coordenadora do Colegiado do Curso de Bacharelado em Cincia da Computao

  • Anexo 1 - ESTRUTURA SUGERIDA DE TPICOS DO PROJETO DE TCC

    1. TTULO 2. MOTIVAO 3. TEMA 4. DELIMITAO DO TEMA 5. OBJETIVOS 5.1 GERAL 5.2 ESPECFICOS 6. JUSTIFICATIVA 7. PROCEDIMENTOS METODOLGICOS E TCNICAS 8. ETAPAS/CRONOGRAMA 9. RECURSOS 9.1 HUMANOS 9.2 MATERIAIS 10. BIBLIOGRAFIA 11. ANEXOS

  • Anexo 2 - Formulrio de Avaliao do TCC II

    Universidade Federal do Par

    Centro de Cincias Exatas e Naturais Curso de Bacharelado em Cincia da Computao

    AVALIAO DE TCC

    TTULO: _____________________________________________________________ NOME DO ALUNO(A):__________________________________________________ ORIENTADOR(A): _____________________________________________________ CO-ORIENTADOR(A): __________________________________________________ DATA DA DEFESA: ____/____/____ PARECER DA BANCA EXAMINADORA: RESUMO DA AVALIAO: Aceitao incondicional Aceitao condicionada a modificaes (especificar no verso) Recusado EXAMINADOR 1 - CONCEITO: Excelente Bom Regular Insuficiente Nome do examinador: _________________________________ Assinatura: ______________________ EXAMINADOR 2 - CONCEITO: Excelente Bom Regular Insuficiente Nome do examinador: _________________________________ Assinatura: ______________________ EXAMINADOR 3 - CONCEITO: Excelente Bom Regular Insuficiente Nome do examinador: _________________________________ Assinatura: ______________________ CONCEITO FINAL: ______________ DATA: ____/____/____ ___________________________ Assinatura do Orientador

  • Anexo 3 - Normas para Apresentao de TCC do CCEN

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAR - UFPA CENTRO DE CINCIAS EXATAS E NATURAIS - CCEN

    Biblioteca do CCEN NORMAS GERAIS DO CCEN PARA APRESENTAO DE TCCs

    1. ELEMENTOS QUE COMPEM A ESTRUTURA DE UM TRABALHO

    1.1. ELEMENTOS PR-TEXTUAIS

    1.1.1. Capa

    1.1.2. Errata

    Elemento utilizado apenas quando necessrio. Recomenda-se que sua localizao

    seja antes da folha de rosto.

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAR CENTRO DE CINCIAS EXATAS E NATURAIS

    PROGRAMA DE MESTRADO EM MATEMTICA

    Jos Carlos Pojo Lima

    ESTUDO COMPUTACIONAL DE SINGULARIDADES DA APLICAO

    EXPONENCIAL DE VARIEDADES SUBRIEMANNIANAS HOMOGNEAS

    DE DIMENSO 3

    Belm 2000

    Nome da instituio

    Nome do autor

    Ttulo e subttulo se houver

    Local (cidade) Ano

  • 1.1.3. Folha de rosto

    1.1.3.1. Tcc

    1.1.3.2. Monografia de cursos de especializao

    Maria Andra Rodrigues

    DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE USANDO UML E PROCESSO

    UNIFICADO

    Belm 2000

    Nome da instituio

    Nome do autor

    Ttulo e subttulo se houver

    Local (cidade) Ano

    Trabalho de Concluso de Curso apresentado para obteno do grau de Bacharel em Cincia da Computao. Orientador: Prof. Almeida Braga Furtado

    Indicao da natureza do trabalho, objetivo, titulao pretendida e rea de concentrao

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAR CENTRO DE CINCIAS EXATAS E NATURAIS

    DEPARTAMENTO DE INFORMTICA CURSO DE ESPECIALIZAO EM REDES DE

    COMPUTADORES

    lvaro Henrique de Oliveira Filho

    O PROBLEMA DA SEGURANA DAS REDES CORPORATIVAS

    INTERLIGADAS E OS SISTEMAS FIREWALES DE PROTEO

    Belm 2000

    Nome da instituio

    Nome do autor

    Ttulo e subttulo se houver

    Local (cidade) Ano

    Trabalho de Concluso de Curso apresentado para obteno do grau de Bacharel em Cincia da Computao. Orientador: Prof. Almeida Braga Furtado

    Indicao da natureza do trabalho, objetivo, titulao pretendida e rea de concentrao

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAR CENTRO DE CINCIAS EXATAS E NATURAIS

    COLEGIADO DO CURSO DE CINCIA DA COMPUTAO

  • 1.1.3.3. Dissertao

    1.1.3.4. Tese

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAR CENTRO DE CINCIAS EXATAS E NATURAIS

    DEPARTAMENTO DE MATMTICA

    Raimundo Neves de Souza

    A EQUAO DE VAN DER POL

    Belm 1999

    Nome da instituio

    Nome do autor

    Ttulo e subttulo se houver

    Local (cidade) Ano

    Dissertao apresentada para obteno do grau de Meste em Matemtica. Orientador: Prof Dr. Jos Carlos Fernandes de Oliveira.

    Indicao da natureza do trabalho, objetivo, titulao pretendida e rea de concentrao

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAR CENTRO DE GEOCINCIAS

    CURSO DE PS-GRADUAO EM GEOLOGIA E GEOQUMICA

    Cludio Nery Lamaro

    GEOLOGIA, GEOQUMICA E GEOCROMOLOGIA DO MAGMATISMO PALEOPROTEROZICO DA REGIO DA

    VILA RIOZINHO, RPOVINCIA AURFICA DO TAPAJS, CRTO AMAZNICO

    Belm 2001

    Nome da instituio

    Nome do autor

    Ttulo e subttulo se houver

    Local (cidade) Ano

    Tese apresentada para obteno do Grau de Doutor em Cincias na rea de Geoqumica e Petrologia. Orientador: Roberto DallAgnol

    Indicao da natureza do trabalho, objetivo, titulao pretendida e rea de concentrao

  • 1.1.4. Folha de aprovao

    1.1.5. Dedicatria (Opcional)

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAR CENTRO DE CINCIAS EXATAS E NATURAIS

    DEPARTAMENTO DE MATMTICA

    Manoel Silvino Batalha de Arajo

    SOLUO DA EQUAO EIKONAL EM MEIOS AMISOTRPICOS

    Prof. Dr. Jess Carvalho Costa Depto. de Fsica/UFPA - Orientador

    Nome da instituio

    Nome do autor

    Ttulo e subttulo se houver

    Comisso julgadora ou banca examinadora, filiao e espao para assinatura

    Dissertao apresentada para obteno do grau de Mestre em Matemtica

    Data da defesa: 07 de julho de 2000 Conceito: Excelente

    Banca Examinadora

    Prof. Dr. Ivan de Arajo Simes Universidade Estadual de Campinas - Membro

    Prof. Renato Borges Guerra Depto. de Matemtica/UFPA - Membro

    Nota

    Data de aprovao e conceito

    Neste item, o autor presta homenagem ou dedica seu trabalho a algum. Deve ser localizada na metade inferior da pgina, direita.

    Aos meus pais, Manoel Raimundo e Ana Bety e minha esposa Elisa.

  • 1.1.6.Agradecimentos (Opcional)

    1.1.7. Epgrafe (Opcional)

    A palavra agradecimentos dever vir centralizada no alto da folha em caixa alta e negrito. So mencionados pessoas e instituies que colaboram de forma relevante na elaborao e apresentao do trabalho.

    AGRADECIMENTOS

    Universidade Federal do Par. Ao........................., coordenador do

    Programa de .........., pela longa empreitada no decorrer do trabalho.

    Ao Prof....................pela orientao competente, dedicando-se de forma marcante na elaborao deste trabalho.

    Ao Prof...............pela transferncia de informaes e interpretao de dados.

    Ao Prof...............pelo meu treinamento em tcnicas laboraroriais.

    .....................pela reviso do texto e sugestes valiosas.

    Coordenadoria para Aperfeioamento de Pessoal de Ensino Superior (CAPES) pelo apoio financeiro na concesso da bolsa de estudo.

    A vida combate que os fracos abate, aos bravos e fortes s faz exaltar.

    Gonalves dias

    Sempre est relacionada com o tema desenvolvido no corpo do trabalho. Deve ser localizada na metade inferior da pgina, entre aspas, indicando sua autoria.

  • 1.1.8. Sumrio

    1.1.9. Lista de ilustraes, tabelas e quadros

    Obrigatrio em qualquer trabalho acadmico. a enumerao das principais sees e outras partes do trabalho na mesma ordem em que aparecem no texto. Usa-se a numerao progressiva (sistema numrico utilizado para ordenar temas afins de um documento). Deve-se usar at a seo quinria. Elementos pr-textuais e ps-textuais no tem numerao progressiva.

    S U M R I O p.

    LISTA DE TABELAS.................................6LISTA DE FIGURAS..................................7RESUMO......................................................8ABSTRACT..................................................91 INTRODUO.......................................102 FUNDAMENTOS TERICOS.............113 SOLUES NUMRICAS PARA SOLUO DA EQUAO EIKONAL..144 ALGORITMO PARA A SOLUO DA EQUAO EIKONAL EM MEIOS ANISOTRPICOS....................................205 RESULTADOS.........................................325.1 RESULTADOS EM MEIOS HOMOGNEOS..........................................355.1.1 Meio isotrpico..................................365.1.2 Meio com fraca aniritropia..............385.2 RESULTADOS EM MEIOS HETEROGNEOS......................................416.CONCLUSO.........................................45REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS.....47ANEXOS.....................................................50

    LISTA DE TABALAS

    p.TABELA 1 Ttulo 6TABELA 2 Ttulo 9TABELA 3 Ttulo 12TABELA 4 Ttulo 18TABELA 5 Ttulo 20TABELA 6 Ttulo 23TABELA 7 Ttulo 27TABELA 8 Ttulo 31TABELA 9 Ttulo 39TABELA 10 Ttulo 46

    Deve-se sempre elaborar lista prpria para cada tipo. Recomenda-se fazer lista de tabelas somente a partir de 10. No caso de uma ilustrao deve-se citar no texto, ex.: Lima, 1978, p.42, e mencion-la entre as referncias bibliogrficas.

  • 1.1.10. Lista de redues

    a relao alfabtica de abreviaturas, siglas e smbolos, com respectivos significados.

    LISTA DE SIGLAS

    CCOM Component object model

    OTM Object modeling technique

    RUP Rational unified modeling language

    UML Unified modeling

    LISTA DE SMBOLOS

    K Constante de equilbrio reao.

    KE Constante de equilbrio da absoro do etileno

    T Temperatura m metro m2 metro quadrado s segundo

    Para a lista de smbolos utilizar o mesmo mtodo.

  • 1.1.11. Resumo e Abstract

    1.2. ELEMENTOS TEXTUAIS

    Nesta parte inclui-se a introduo, desenvolvimento e concluso ou o texto em

    geral.

    ___________________ 1 Rene os elementos essenciais de um documento: introduo, metodologia, resultados e concluses

    RESUMO

    Parte do trabalho em que se apresenta de maneira sucinta e objetiva pontos relevantes do texto. Para teses e dissertaes utiliza-se o resumo informativo1, limitando-se em um nico pargrafo, usando-se sempre a 3 pessoa do singular e o verbo na voz ativa.

    Abaixo do resumo deve-se mencionar as palavras chave que devem ser separadas por vrgula e no mximo em dez.

    Apresenta uma anlise do mtodo de mnimos quadrticos atravs da fatorao QR, no caso da matriz ter posto completo e da decomposio em valores singulares, no caso da matriz no possuir posto completo e sua aplicao hidrogenao de leos vegetais. O mtodo de mnimos quadrticos foi usado para obter a funo de concentrao de ismeros trans na reao de hidrogenao utiliza-se um planejamento fatorial completo 25, com distribuio estrela (=2) e 6 repeties no ponto central.

    PALAVRAS-CHAVE: Fatorao QR, transformaes ortogonais, decomposio em valores singulares, planejamento fatorial.

    ABSTRACT

    Presented an analusis of least squares methods through the QR factorization, in the case of a matrix has full rank and of the singular value decomposition in the case of a matrix hasnt full rank and its application to the hydrogenation of vegetable oils. The least squares methods was used to get the function of concentration of trans acid isomers in the reaction of hydrogenation having a full-factorial design intwo levels 25, with star distribution (=2) and 6 repetitions of central point. KEY-WORD: The QR factorization, orthogonal transformations, singular value decomposition, factorial design.

    Traduzir para o Ingls e da mesma forma incluir Keywords.

  • 1.3. ELEMENTOS PS-TEXTUAIS

    1.3.1. Referncias Bibliogrficas

    1.3.1.1. Exemplos Gerais

    a) Um autor:

    ALVES, William Pereira. Delphi 5.0: aplicao para banco de dados. 2.ed. So

    Paulo: rica, 1999. 390p.

    b) Dois autores:

    FRAIZER, Colin; BOND, Gill. API java: manual de referncia. So Paulo: Makron

    Books, 1997. 371p.

    c) Trs autores:

    So obras consultadas e obrigatoriamente citadas no texto. Conjunto de elementos que permitem identificar o documento no todo ou em parte.

    REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

    COAD, P. Anlise baseada em objetos. 2.ed. Rio de Janeiro: Campus, 1996. 225p. FARRER, H . e t a l . A l g o r t mo s estruturados:ProgramaoEstruturada de Computadores. Rio de Janeiro: LTC, 1989. 259p. MARTIN, J. Princpios de anlise e projeto baseados em objetos. Rio de Janeiro: Campus, 1994. 486p. MARTIN, J.; ODELL, J.J. Anlise e projetos orientados a objeto. So Paulo: Makron Books, 1996. 639p.

  • GARCIA-MOLINA, Hector; ULLMAN, Jeffrey; WIDOM, Jennifer.

    Implementao de sistemas de banco de dados. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

    685p.

    d) Mais de trs autores:

    DIERKES, Ulrich et al. Minimal surfaces I: boundary value problems. Berlin:

    Springer-Verlag, 1992. 507p.

    e) Sem autoria:

    SEGURANA MXIMA: o guia de um haker para proteger seu site na internet e

    sua rede. Rio de Janeiro: Campus, 2000. 826p.

    f) Autor entidade:

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAR. Reitoria. Secretaria dos rgos

    Deliberativos da Administrao Superior. Estatuto, regimento geral e regimento

    integrado. Belm, 1990. 201p.

    g) Captulo, seo ou parte do livro:

    LANG, Serge. Vector bundles. In: _______. Differential and riemannian

    manifolds. New York: Springer-verlag, 1995. Cap.3, p.40 63.

    h) Publicao peridica no todo:

    REVISTA DE INFORMTICA TERICA E APLICADA. Porto Alegre: Instituto

    de Informtica/UFRGS, 1994 Semestral.

    i) Artigo de peridico:

    FONTOURA, Marcus F.; LUCENA, Carlos J. P. de. Um ambiente para modelagem

    e execuo de processos. Revista de Informtica Terica e Aplicada, Porto Alegre,

    v. 6, n. 1, p.105 128, jul. 1999.

  • j) Artigo de Jornal:

    FRANCO, Dani. O outro lado do reduto. Dirio do Par, Belm, 27 jun. 2001.

    Caderno 4, D, p. 1.

    k) Anais de Congressos, Seminrios, Simpsios e outros eventos:

    SIMPSIO BRASILEIRO DE BANCO DE DADOS, 12, 1997, Fortaleza.

    Anais...Fortaleza: UFC, 1997. 387p.

    l) Trabalhos Publicados em Anais de Congressos e outros eventos:

    SANTOS, Marilde T. P.; VIEIRA, Marina T. P. Extenso de um banco de dados de

    objetos MHEG-5 para suportar busca por contedo. In: SIMPSIO BRASILEIRO

    DE BANCO DE DADOS, 12, 1997, Fortaleza. Anais...Fortaleza: UFC, 1997. p.

    107-121.

    m) Resumos de trabalhos em congressos:

    CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 32, 1982, Salvador. Resumos e

    breves comunicaes. Salvador: Sociedade Brasileira de Geologia, 1982. 103p.

    n) Relatrios e Planos:

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAR. Centro de Cincias Exatas e Naturais.

    Biblioteca Prof. Mrio Serra. Relatrio de atividades 2000. Belm, 2000.

    o) Teses e Dissertaes:

    ARAJO, Manoel Silvino Batalha. Soluo da equao eikonal em meios

    anisotrpicos. 2000, 88f. Dissertao (Mestrado em Matemtica) Centro de

    Cincias Exatas e Naturais, Universidade Federal do Par, Belm.

    p) Tccs:

    COELHO JNIOR, Francisco Costa. Segurana de redes com firewall: tecnologia

    e estudo de caso. 2000, 81f. Trabalho de Concluso de Curso (Graduao em Cincia

  • da Computao) - Centro de Cincias Exatas e Naturais, Universidade Federal do

    Par, Belm.

    q) Folhetos:

    VAZ, Cristina; VELOSO, Jos Miguel. Matemtica e clculo. Belm, 1994. 31p.

    r) Dicionrios:

    PEREIRA, Helena B. C.; SIGNER, Rena. Michaelis: pequeno dicionrio

    francs/portugus, portugus/ francs. So Paulo: Melhoramentos, 1992. 678p.

    s) Documentos eletrnicos:

    SILVA, Ernani Clarete da; SILVA FILHO, Ademar Virgolino da; ALVARENGA,

    Marco Antnio Rezende. Efeito residual da adubao da batata sobre a produo de

    milho em cultivo sucessivo. Net. Braslia, nov. 2000. Disponvel em:

    . Acesso em 9 de novembro de 2001.

    NIGRI, Valeria Esther. Uma interface de tipos abstratos de dados para banco de

    dados para CAD. 1984. 131f. (Mestrado em Informtica) Pontifcia Universidade

    Catlica do Rio de Janeiro. Disponvel em: . Acesso em 12 de novembro de 2001.

    NEIVA, Edna S e Souza. Publicao eletrnica [Mensagem pessoal]. Mensagem

    recebida por em 07 de outubro de 2000.

    SILVA JNIOR, Rubens Pereira. Excel 7.0: for Windows 95 Vdeo aula. So Paulo: MPO

    vdeo, 1995. 1 fita de vdeo (100 min), son, color.

    1.3.2. Anexos (Material indispensvel)

  • Parte apresentada ao final do trabalho, com a finalidade de esclarecer, comprovar

    ou ilustrar. Exemplos: planilhas, formulrios, roteiros de entrevistas, leis, resolues, etc.

    Deve ser mencionado no texto e inserido ao final do trabalho.

    Ex.: A base de dados referencial (ver anexo 4) surge da necessidade...

    1.3.3. Glossrio

    Tem como objetivo dar significado a termos tcnicos e de uso restrito. Deve vir

    sempre localizado aps aos anexos e indicado mais para livros.

    2. ELEMENTOS DE APOIO AO TEXTO

    2.1. CITAES

    Definio a meno no texto de uma informao colida em outra fonte.

    As citaes tm como finalidade apoiar, esclarecer, confirmar e ilustrar uma idia.

    Estas normas esto de acordo com a NBR 10520/92 Apresentao de citaes em

    documentos.

    2.1.1. Tipos de citaes

    a) Transcrio literal reproduo na ntegra das palavras do texto

    b) Parafrase interpretao da idia do autor, usando suas prprias palavras

    c) Direta reproduo direta do texto original

    d) Indireta citao de citao (fonte intermediria) Ex.: Sousa apud Lima.

    Obs.: Recomenda-se que as citaes sejam reproduzidas at trs linhas em um

    pargrafo.

    2.1.2. Sistema autor-data

    a) Coloca-se tudo entre parnteses:

  • O marketing pode ser comparado ao futebol, voc tem que pegar as

    oportunidades... ( Nolan, 1995, p.49 ).

    b) Apenas a data e pgina entre parnteses. O autor deve ser includo na sentena:

    Segundo Rich ( 1988, p.83 ) Quanto mais precisas forem as estimativas da

    funo heurstica relativamente aos mritos reais de cada n na rvore (grafo) de

    busca, tanto mais direto ser o processo de soluo

    c) Acrescentar as iniciais de seus prenomes. No caso dos autores apresentarem o

    mesmo sobrenome e data de edio:

    ( Lima, E.,1998 )

    ( Lima, M., 1998 );

    d) Adicionar letras minsculas quando se tratarem de trabalhos diferentes de um

    mesmo autor publicados no mesmo ano.

    Nos trabalhos de Sousa (1990a, 1990b) sobre banco de dados...;

    e) Acrescentar o & quando tratar-se de obras com dois autores:

    Fraizer & Bond (1997);

    f) Usar a expresso et al. Quando o trabalho apresentar mais de trs autores citando

    sempre o sobrenome do primeiro.

    Garcia-Molina et al. (2001);

    g) Citar pelo ttulo, quando tratar-se de obras sem autoria:

    Segurana Mxima (2000);

    h) Nome de instituies:

    Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999);

  • 2.2. NOTAS EXPLICATIVAS OU NO BIBLIOGRFICAS

    Definio So elementos que servem para fazer observaes, conceituar, definir

    termos, comentrios adicionais, traduo de citao mantida na grafia original e

    referncia cruzadas. Devem ser evitadas ao mximo, se necessrias preferir as

    notas de rodap, que devem ser separadas do texto por um filete de dois a trs

    centmetros.

    Exemplo:

    No texto:

    Para o planejamento do sistema de automao, foi elaborado um

    fluxograma1, que visava a descrio da seqncia de operaes necessrias

    realizao de atividades.

    No p da pgina: __________________________

    1 Executado pelos bibliotecrios Leila Lima e Mrcia Leite, com a superviso do

    Professor do Departamento de Informtica Adagenor Ribeiro

    3. FORMATAO GRFICA:

    Margem superior 3cm

    Margem direita 2cm Margem esquerda 3cm

    2

    Pgina canto superior direito, contada a partir da folha de

    rosto mais apenas numerada na folha imediatamente aps.

    O espaamento pode ser de 1,5 ou duplo para texto

    corrido. Para citaes longas (mais de trs linhas) e notas

    de rodap usar fonte 10 e espao simples. Para resumos

    espao simples e referncias bibliogrficas espao simples e

    entre elas duplo.

  • Obs.: Este formato recomendado pela Diviso de Produo da Informao da Biblioteca

    Central da UFPA.

    4. BIBLIOGRAFIA

    AROUCK, Osmar. Normas brasileiras de documentao: uma introduo. Belm: Ed. Universitria/UFPA, 1995.

    ASSOCIAO BRASILEIRA DE NORMAS TCNICAS. NBR 6023: informao e documentao

    referncias elaborao. Rio de Janeiro, 2000.

    . NBR 6024: numerao progressiva das sees de um documento. Rio de janeiro, 1989.

    . NBR 6027: sumrios. Rio de janeiro, 1989.

    . NBR 6028: resumos. Rio de janeiro, 1989.

    . NBR 6029: numerao progressiva das sees de um documento. Rio de janeiro, 1989.

    . NBR 10520: apresentao de livros. Rio de Janeiro, 1992.

    ______ . NBR 10719: apresentao de relatrios tcnico-cientficos. Rio de Janeiro, 1989.

    ______ .Projeto 14: 02.02.002: apresentao de dissertao e teses. Rio de Janeiro, 1984.

    MOREIRA, Silvia Maria Bitar de Lima. Curso de normalizao de trabalhos acadmicos. Belm, 2000. 7f. Apostila do Curso de Normalizao de Trabalhos Acadmicos realizado pela UFPA.

    S, Elizabeth Schneider de. Normalizao de trabalhos nas universidades brasileiras. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAO, 16, 1991, Salvador. Anais... Salvador: APBEB, 1991. v.1, p.604-625.

    TARGINO, Maria das Graas. Citaes bibliogrficas e notas de rodap: um guia para elaborao. Teresina: UFPI, 1993.

    Margem inferior 2cm