targum yonatan exodo

of 100 /100

Author: kfhg

Post on 18-Jul-2015

469 views

Category:

Documents


25 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • TARGUM PSEUDO-YONATAN

    OU TARGUM PALESTINO

    SHEMOT

    XODO

    Fernando Lucius

  • TARGUM PSEUDO-YONATAN XODO

    Autor: Fernando Lucius

    2014

    Targum Pseudo-Yonatan: xodo

    Religio Judasmo Textos sagrados

    100 p.

  • Aos familiares

  • INTRODUO

    O Targum Pseudo-Jnatas um targum ocidental da Tor (Pentateuco, Lei de

    Moiss) produzido na terra de Israel (o targum oriental da Babilnia chamado

    Targum Onkelos). O ttulo correto Targum de Jerusalm, que como ele era

    conhecido nos tempos medievais. Mas por causa de um erro foi rotulado Targum

    Jnatas, em referncia a Yonatan ben Uziel. Algumas edies do Pentateuco

    continuam a cham-lo de Targum Jnatas at hoje.

    O Talmud relata que Yonatan Ben Uziel, supostamente um estudante de Hillel,

    realizou uma traduo aramaica dos Profetas. O Talmud no faz nenhuma meno

    de qualquer traduo por ele da Torah. Assim, todos os estudiosos concordam que

    este Targum no de Yonatan Ben Uziel. Pois estes razes, os estudiosos

    chamam de "Targum Pseudo-Jonathan". Por outro lado, conforme John Etheridge,

    a evidncia interna das duas obras (profetas e Torah) sugere que as duas obras

    possuem um mesmo autor.

    Existiam dois manuscritos desse targum, apenas um permaneceu e se encontra

    atualmente no Museu Britnico e foi publicado pela Ginsburger em 1903. Este

    targum mais do que uma mera traduo, ele inclui muito material coletado de

    diversas fontes antigas, bem como material anterior ao Talmud. Por isso, uma

    combinao de um comentrio e traduo. Nas partes onde a traduo pura,

    muitas vezes concorda com o Onkelos.

    O entendimento do targum a respeito do texto hebraico pode parecer confuso

    para alguns, entretanto uma leitura antiga e a viso pessoal de um grupo

    religioso a respeito de diversos temas. Alguns versos so apenas tradues literais

    do texto hebraico, outros so explicaes ou interpretaes do texto segundo o

    entendimento de antigos grupos judaicos.

    O termo aramaico Memra um nome composto da raiz amar, em aramaico falar, e significa o ato de falar, estar falando, dizendo, e usado em diversas passagens juntamente com o nome divino. O termo Memra um sinnimo para o prprio nome divino. De acordo com o pensamento judaico, a

    Palavra era uma representao da mente e da vontade divina, denota a ao de Deus, os propsitos divinos. , etc. O nome divino comumente usado em relao

    Memra. No targum Yonatan encontra-se a forma triltera: (em

    hebraico moderno: ), uma repetio do nome divino trs vezes (deve ser lido

  • como ) e uma fora de expresso. O termo Deus no targum Eloqim, uma verso do hebraico Elohim.

    Nesta obra os nomes bblicos so transliterados conforme o texto original, sendo

    transliterado conforme o hebraico bblico, ou o texto aramaico. Adotou-se a

    massor (vocalizao das palavras) hebraica para diversos termos que possuem a

    mesma grafia das palavras hebraicas, no caso de termos aramaicos adotou-se a

    massor oriental ou o que assemelha-se ao termo em questo. O leitor precisa se

    familiarizar com as regras de transliterao do idioma para uma leitura mais

    correta dos nomes. No aapenas nomes prprios foram transliterados, mas nomes

    que estejam relacionados a um entendimento mais correto do texto, como por

    exemplo, os nomes Shmay (Cus), malachi (anjos), entre outros. O leitor pode usar o glossrio que se encontra no final da obra para compreender determinados

    termos.

    A correta pronncia de termos hebraicos requer um entendimento de regras de

    transliterao. Entretanto, de uma forma geral o leitor pode usar as seguintes

    regras: todas as vezes que o texto possuir as letras tz (como em tzadiq) equivalente ao tz em blitz; palavras que possuem as letras sh devem ser lidos como o som de ch (como chiar); palavras que possuem as letras ch devem ser lidas como o som gutural do ch alemo, como em Bach. O h, quando aparece no texto, sempre indica um som aspirado. Algumas palavras possuem um

    apstrofo () e podem indicar trs coisas: 1) A ausncia de vogal em uma slaba, indicando que a letra possui som mudo 2) A presena do alef 3) A presena do ayin; nos dois ltimos casos imprescindvel que o leitor conhea as regras de pronncia desses termos, um leitor desabituado pode ignorar o apstrofo e apenas

    pronunciar a palavra ignorando o sinal, entretanto para uma leitura mais correta

    deve aprender as regras para a transliterao de nomes hebraicos. Devido

    dificuldade que alguns possuem em relao pronncia desses termos, manteve-

    se o seguinte modelo: quando um termo aparece pela primeira vez no texto, ele

    seguido pelo termo coloquial, por exemplo, o termo Mosheh seguido no incio

    do pargrafo pelo termo Moiss entre parntesis, assim os demais termos mantm

    a pronncia hebraica transliterada, que o leitor pode optar. Alguns termos no

    possuem essa regra, devido ao pouco uso que se faz dele no texto, nesse caso o

    leitor desabituado pode fazer uso do glossrio.

  • SHEMOT

    XODO

    1

    E estes so os nomes dos Bne Ysrael (filhos de Israel), os que vieram para Mitzraim (Egito) com Yaacov (Jac); cada um o homem de sua casa entraram: 2 Ruven (Rubm), Shimon (Simeo), Lewi (Levi), Yhudah (Jud), 3 Ysaschar (Isacar), Zevulun (Zebulon), Benyamin (Benjamim), 4 Dan, Naftali, Gad e Asher (Aser). 5 E o nmero de todas as pessoas, as que saram do testculo de Yaacov, setenta pessoas, como Yosef (Jos) e seus filhos, que estavam em Mitzraim. 6 E

    morreu Yosef, e aps ele morreram os seus irmos, e toda aquela gerao. 7 E os

    Bne Ysrael frutificaram, reproduziram, cresceram e prevaleceram grandemente; e se encheu a terra deles .

    8 E levantou-se um novo rei, era ele que estava acampado sobre Mitzraim

    (Egito), que no conhecera a Yosef (Jos) e no andava em suas leis; [J: e um

    novo rei se levantou, diferente daquele que estava acampado sobre Mitzraim, que

    no conhecera a Yosef e no andava em suas leis] 9 e disse ao seu povo: Eis que o povo dos Bne Ysrael (filhos de Israel) grande, e prevaleceu mais do que ns. 10 Vamos, tomemos conselho contra eles nesses assuntos, diminuindo-os para que

    no cresa, e acontea que a guerra seja declarada contra ns, e eles no se

    ajuntem como um s com os nossos inimigos, e nos destrua at que no reste

    nenhum de ns, e eles aps isso subam da terra. [J: E eles nos mataro, e subam em shlama da terra] 11 E puseram sobre eles rab rabonin (chefe de chefes), servindo em carregar, para o afligir com seus servios. E edificaram cidades

    muradas para serem locais de armazm de Faroh (Fara), Tanis e Pilusin [J: Tanis

    e Pilusin]. 12 E quanto mais os subjugava, mais multiplicavam, e assim

    prevaleciam; e os mitzri (egpcios) se turbavam em si mesmos diante dos Bne Ysrael. 13 E os mitzri faziam os Bne Ysrael ter trabalho forado; 14 e amarguraram muito a vida deles com dura servido, com barro e tijolos, e com

    todo a servido das faces do campo; com todo o seu servio, que serviam forados

    neles.

    15 E disse Paroh (Fara): "Eis que eu vi" em seu sonho, "toda a terra de

    Mitzraim (Egito) estava posta em um prato de uma balana, e um cordeiro, o

    filhote, estava no outro prato, e o prato sobre o qual estava o cordeiro pesava

    mais". Por isso, ele enviou e chamou todos os ilusionistas de Mitzraim e

    compartilhou com eles seu sonho. Imediatamente abriram suas bocas Yanis e

  • Yambres, os chefes dos ilusionistas, e responderam a Paroh: Uma certa criana est preparada para nascer na Assembleia de Ysrael, por cujas mos haver destruio em toda a terra de Mitzraim. Por isso deu conselho e disse Paroh, rei de

    Mitzraim s parteiras judias, cujo nome de uma era Shifrah, e o nome da segunda

    Puah, que Miriam sua filha, [J: E o rei de Mitzraim, tomou s parteiras hebreias, cujo nome de uma era Shifrah, que Yokeved (Joquebede), e o nome da

    segunda Puah, que Miriam sua filha] 16 e disse: Quando fizerdes o parto das judias, e os examinareis o sexo, se for filho, fareis morrer; mas se for filha, fareis

    elas viverem. 17 E as parteiras recearam diante de e no fizeram como falou a elas o rei de Mitzraim, e elas conservavam os meninos com vida. 18 E

    chamou o rei de Mitzraim as parteiras e disse a elas: Por que vs fizestes esta coisa, deixando os meninos com vida? 19 E disseram as parteiras a Paroh: que as mulheres egpcias no so como as judias; porque elas so resistente e elas

    sabem em seu ntimo antes chegarem a elas a parteira, elas levantam seus olhos

    em orao suplicando o favor diante do Pai delas que est nos Shmay que ouve a voz de sua orao e ento elas so ouvidas e so salvas em shlama [J: porque elas so vvidas e antes de chegarem a elas a parteira, elas oram diante do Pai que

    est nos Shmay e ele responde a elas e elas do luz]. 20 E fez bem s parteiras. E o povo aumentou, e prevaleceu muito. 21 E aconteceu que quando as

    parteiras tiveram receio diante de , elas obtiveram para si um bom nome

    por geraes, e a Memra de construiu para elas uma casa da realeza, tambm uma casa do grande sacerdcio. [J: E aconteceu que as parteiras tiveram

    receio diante de , e elas obtiveram um bom nome ao longo dos tempos, e

    construiram para si casas, a casa dos levitas, e a casa do grande sacerdcio.] 22 E

    quando Paroh viu isso, ordenou a todo o seu povo, dizendo: Todo o filho nascido dos yhodi (judeus) para o rio Nilo fareis mat-los, e toda a filha vs fareis viver.

    2

    E foi Amram, um homem da tribo de Lewi (Levi), e tornou na medida e entrou na cmara nupcial com Yokebed (Joquebede) sua mulher, porque eles tinham se

    separado devido ao decreto de Paroh (Fara). [J: E foi um homem da casa de Lewi

    e tornou a Yokebed, que era amada dele, por mulher] e ela era uma filha de trinta

    anos quando ele veio a ela. Porm, um milagre foi operado nela, e ela retornou a

    ser donzela como era antes quando era chamada filha de Lewi. 2 E a mulher

    concebeu e gerou um filho ao fim de seis meses; e, vendo que ele era completo, e

    o escondeu trs meses, que faz o nmero nove. 3 E no pde mais torn-lo

    escondido, que um mitzri (egpcio) tomou conhecimento dele, e tomou para ele uma caixa de papiro, e a revestiu com barro e betume; e, pondo nela o menino, a

  • ps nos juncos margem do rio Nilo. 4 E sua irm postou-se de longe, para saber

    o que havia de acontecer com ele. 5 E a Memra' de enviou uma chaga

    ardente e inflamao da carne sobre a terra de Mitzraim; e a filha de Paroh desceu

    a lavar-se junto ao rio Nilo, e as suas donzelas andavam ao lado do rio Nilo; e ela

    viu a caixa no meio dos juncos, e enviou a sua mo e tocou nela, e imediatamente

    foi curada da queimao e inflamao. 6 E abrindo-a, viu ao menino e eis que o

    garoto pranteava; e teve remorso dele, e disse: Dos filhos dos yhodi (judeus) este. 7 E disse sua irm filha de Paroh: Vou e chamo pra ti uma mulher que ama das judias, e amamenta para ti o rebia 8 E disse a ela a filha de Paroh: Vai. E foi a menina, e chamou a me do menino. 9 E disse a filha de Paroh a ela: Leva este menino, e o amamenta pra mim; e eu te darei teu salrio. E a mulher tomou o rebia', e o amamentou. 10 E cresceu o rebia', e o trouxe filha de Paroh, e foi

    amada por ela como um filho; e chamou o seu nome Mosheh (Moiss), e disse:

    Eu o flutuei das guas do rio Nilo. [J: Eu o ergui].

    11 E aconteceu naqueles dias, cresceu Mosheh (Moiss), e saiu a seus irmos, e

    viu a angstia de suas vidas e seu grande trabalho; e viu um homem, um mitzri (egpcio) que feria a um homem yhodi (judeu) de seus irmos. 12 E Mosheh voltou e considerou na sabedoria de sua mente, e entendeu que em toda gerao

    no haveria um proslito daquele homem mitzri, e nenhum dos filhos de seus filhos seriam convertidos at alm, e fez ferir o mitzri, e escondeu-o na areia. [J: E Mosheh pela Ruach Qodesh considerou o jovem, e viu que nenhum proslito se

    levantaria daquele mitzri, e o matou e o escondeu na areia]. 13 E saiu no dia seguinte, e viu e eis que Datan e Abiram, homens dos yhodin (judeus) brigavam; e quando viu Datan estendendo sua mo contra Abiram para atingi-lo, disse a ele:

    Por que feres a teu prximo? 14 E Datan disse a ele: Quem te ps por homem rab (chefe) e juiz sobre ns? Acaso tu me matars - ele disse - como mataste o

    mitzri? E temeu Mosheh, e disse: Certamente foi conhecida a coisa. 15 E ouviu Paroh (Fara) esta palavra, e procurou matar Mosheh; e Mosheh fugiu de

    diante de Faroh, e habitou na regio de Midian, e assentou-se junto ao poo. 16 E

    para o sacerdote de Midian haviam sete filhas, e vieram tirar gua do poo, e

    encheram os bebedouros, para dar de beber ao rebanho de seu pai. 17 E vieram os

    pastores, e expulsaram-nas; e se levantou Mosheh na fora da sua valentia e as

    socorreu, e deu de beber ao seu rebanho. 18 E foram a Reuel o pai do pai delas, e ele disse a elas: Por que viestes to cedo hoje? 19 E elas disseram: Um homem mitzrai nos tornou libertas da mo dos pastores; e tambm nos tirou gua do poo,

    e deu de beber s ovelhas. 20 E disse s suas filhas: E onde est ele? Por que deixastes o homem? Chamem-no e ele comer po. 21 Mas quando Reuel soube que Mosheh tinha fugido de diante de Paroh, o escondeu dentro de um buraco;

    mas Tzporah (Zpora), a filha de seu filho, sustentou-o com comida secretamente

    por dez anos, e ao fim de dez anos o tirou do buraco. E Mosheh entrou na cmara

  • secreta de Reuel e agradeceu e orou diante de que por ele tinha realizado obras e milagres, e ento foi mostrada a ele a Vara que foi criada entre os

    crepsculos, e nele estava entalhado e gravado o Nome Grande e Majestoso, com

    o qual ele fez as maravilhas em Mitzraim (Egito) e dividiu o Mar dos Juncos e fez

    brotar gua da rocha. E ela estava fixada na cmara secreta e ele estendeu sua mo

    e a tomou. E Mosheh consentiu em morar com o homem; e ele deu Tzporah, a

    filha de seu filho, a Mosheh, 22 e gerou um filho, e chamou o seu nome Gershon,

    que disse: uma jornada tenho feito em terra estranha que no minha.

    23 E aconteceu, depois de muitos dias: que o rei de Mitzraim (Egito) foi ferido e

    ele ordenou matar o primognito dos Bne Ysrael (filhos de Israel) para poder banhar-se em seu sangue, e gemeram os Bne Ysrael da dura servido; e subiu o seu clamor aos Altos Shmay de e ele falou em sua Memra para entreg-los ao trabalho. 24 E seu clamor foi ouvido diante de e diante de

    foi lembrado a aliana com Avraham (Abrao), com Ytzchaq (Isaque), e com Yaacov (Jac); 25 E foi revelado diante de o desprezo da escravido dos Bne Ysrael, e foi revelado diante dele o retorno, que eles faziam em segredo, que no percebeu o homem no seu vizinho

    3 E Mosheh (Moiss) era quem apascentava o gado mido de Ytro (Jetro), seu sogro, rab de Midian; e conduzia as ovelhas a um lugar agradvel de pastor atrs

    do deserto, e foi ao monte que foi revelado a ele a glria de , a Chorev

    (Horebe). 2 E apareceu Zagnuga'el, o malach de a ele em uma lava de fogo do meio de uma sara; e olhou, e eis que a sara estava ardendo no fogo, e a

    sara no era consumida no fogo. [J: E olhou, e eis que a sara ardia no fogo, mas

    manteve-se mida, nem foi consumida.] 3 E Mosheh disse: Agora farei curvar minha cabea, e verei esta grande viso, porque no arde a sara?. [J: e verei esta grande viso, porque continua mida e no arde a sara?] 4 E quando foi revelado

    diante de que curvou a cabea para ver, e chamou a ele do

    meio da sara, e disse: Mosheh, Mosheh! E ele disse: Eis-me aqui! 5 E Ele disse: No te aproximars daqui; tira as tuas sandlias de teus ps; que o lugar em que ests sobre ele em p um lugar separado (qadisha) e sobre ele tu foste

    preparado para receber a Lei para ensin-la aos Bne Ysrael (filhos de Israel). 6 Disse mais: Eu sou o Eloqim de teu pai, o Eloqim de Avraham (Abrao), o Eloqim de Ytzchaq (Isaque), e o Eloqim de Yaacov (Jac). E Mosheh ficou cabisbaixo para as suas faces, que receou prestar ateno na majestade da

    Shekhinah de . 7 E disse: O revelar foi revelado diante de mim a aflio do meu povo, que est em Mitzraim, e o seu clamor ouvi diante de mim e diante

    dos seus opressores, que foi revelado diante de mim as suas afies. 8 E foi

  • revelado a mim este dia a teu respeito, que por meio da minha Memra haver libertao da mo dos mitzri (egpcios), e para faz-lo subir da terra que impura, a uma regio boa e larga em suas fronteiras, a uma regio que produz o

    leite e o mel; ao lugar que habitam os cananeus, e os hititas, e os amorreus, e os

    perizeus, e os heveus, e os jebuseus. 9 E agora, eis que o clamor dos Bne Ysrael subiu para diante de mim, e somente foi revelado diante de mim a rejeio dos

    mitzri que os rejeitam. 10 E vai agora, e eu te enviarei a Paroh, e faa sair o meu povo, os Bne Ysrael, de Mitzraim. 11 E Mosheh disse diante de : Quem sou eu, que v a Paroh e que faa sair os Bne Ysrael de Mitzraim? 12 E Ele disse: Estar a minha Memra em tua ajuda; e isto para ti um sinal de que eu te enviei: Quando tu fizeres sair este povo de Mitzraim, servireis diante de

    que recebero a Lei sobre este monte.

    13 E disse Mosheh (Moiss) diante de : Eis que eu vou aos Bne Ysrael (filhos de Israel), e digo a eles: Eloqim dos vossos pais me enviou a vs; e digam a mim: Qual o seu Nome? Que direi a eles? 14 E disse a Mosheh: AQUELE QUE FALOU E O MUNDO EXISTIU, ELE FALOU E TUDO VEIO A EXISTIR. E Ele disse: Assim dirs aos Bne Ysrael: EU SOU O QUE O QUE SER me enviou a vs. [J: E a Memra de disse a Mosheh: Aquele que falou para o mundo, AQUELE QUE FALOU E O MUNDO EXISTIU, ELE FALOU E TUDO VEIO A EXISTIR. E ele disse: Assim dirs aos Bne Ysrael: EU SEREI me enviou a vs.] 15 E disse mais

    a Mosheh: Assim dirs aos Bne Ysrael: O Eloqim dos vossos pais, o Eloqim de Avraham (Abrao), o Eloqim de Ytzchaq (Isaque), e o Eloqim de Yaacov (Jac), me enviou a vs; este meu Nome para alm, e este meu memorial por toda gerao e gerao. 16 Vai, e ajunta os ancios de Ysrael e dirs a eles: Eloqim dos vossos pais, apareceu a mim, o Eloqim de Avraham, o Eloqim de Ytzchaq, e o Eloqim de Yaacov, dizendo: O lembrar vos lembrarei a defraudao de vos escravizardes em Mitzraim (Egito). 17 E eu disse em minha Memra: Vos farei subir da aflio de Mitzraim regio do cananeu, do hitita, do amorreu, do perizeu, do heveu e do jebuseu, regio que

    produz o leite e o mel. 18 E eles recebero de ti; e irs, tu e os ancios de Ysrael, ao rei de Mitzraim, e direis a ele: Eloqim dos yhodi' (judeus) nos chamou. E agora iremos, por favor, um caminho de trs dias no deserto, e

    sacrificaremos diante de nosso . 19 E diante de mim foi revelado que no vos deixar ir o rei de Mitzraim, e nem por seu exrcito

    prevalece at que minha Memra o puna em pragas malignas. 20 E ficareis detidos ali at que eu estenda o descer da minha Valentia, e farei ferir os mitzri (egpcios) com todas as minhas maravilhas que farei no meio deles; e aps isso ele vos far

    partir. 21 E eu darei a este povo as graas aos olhos dos mitzri; e ser que saireis

  • dali, no ireis vazios, 22 e uma mulher pedir sua hspede [J: a sua companheira

    prxima] e da vizinha prxima de sua casa, objetos de prata, e objetos de ouro, e

    capas, e poreis sobre os vossos filhos e sobre as vossa filhas; e esvaziareis os

    mitzri.

    4

    E respondeu Mosheh (Moiss), e disse: Mas eis que eles no tero confiana em mim, e nem recebero de mim, que diro: no foi revelado . 2 E disse a ele : Que isto na tua mo? E ele disse: Uma vara. 3 E ele disse: Fazei-a lanar terra. Ele a lanou na terra, [J: Fazei-a lanar terra. Ele a lanou na terra] e eis que tornou-se em cobra; e Mosheh fugiu de diante dela. 4 E

    disse a Mosheh: Faa-a estender a tua mo e segura pela sua cauda. E fez estender sua mo, e firmou nela, e eis que se tornou em vara na sua mo; 5

    para que se tornem confiantes que foi revelado a ti o Eloqim dos vossos pais, o Eloqim de Avraham (Abrao), o Eloqim de Ytzchaq (Isaque), e o Eloqim de Yaacov (Jac). 6 E disse mais para ele: Coloca por favor a tua mo no teu peito. E colocou a sua mo no seu peito, e tirando-a, eis que a sua mo estava com sagirta, branca como a neve. 7 E disse: Torna a por a tua mo no teu peito. E tornou a colocar sua mo no seu peito; e tirou-a do seu peito, e eis que se tornara como a sua carne. [J: Torna a por a tua mo no teu peito. E tornou a colocar sua mo no seu peito] 8 E acontecer que, se eles no se tornarem confiantes em ti, e nem ouvirem a voz do primeiro sinal, tero confiana voz do

    outro sinal; 9 e se acontecer que ainda no tenham confiana tambm nesses dois

    sinais, nem receberem de ti, tomars das guas que esto rio Nilo, e despejas na

    terra seca; e as guas, que tu tomars do rio Nilo, se tornaro em sangue na terra

    seca. 10 E disse Mosheh diante de buscando : Eu no sou homem de palavras, nem de ontem nem de anteontem, nem ainda desde que

    falaste com teu servo; que manco de boca e difcil no meu falar. 11 E disse a ele: Quem ps o falar da boca na boca do homem primeiro? ou

    quem colocou o mudo, ou o surdo, ou o que v, ou o cego? No sou Eu, ?

    12 Vai agora, e eu em minha Memra estarei com a fala da tua boca e te ensinarei o que falars. 13 E ele disse: "Eu peo pelos favores diante de ! Envias agora o que tu enviars pela mo de Pinchas que ser enviado nos ltimos dias. [J: Envie agora pela mo daquele por quem oportuno enviar] 14 E se acendeu a

    ira de contra Mosheh, e disse: Acaso no Aharon (Aro), teu irmo, o levita? revelado diante de mim que a palavra falar ele; e tambm eis que ele

    saiu para te encontrar; e, te vendo, se alegrar em seu corao. 15 E tu conversars

    com ele, e voc por as palavras na sua boca; e a minha Memra estar com a

  • Memra de tua boca, e com a mimra' da boca dele, e vos ensinarei o que fareis. 16 E ele falar por ti com o povo; e acontecer que ele te ser por intrprete, e tu

    sers a ele por mestre que busca o ensino de diante de . [J: e acontecer

    que ele te ser por intrprete, e tu sers a ele por algum que pergunta pelo ensino

    de diante de ] 17 E esta vara seca na tua mo, fars por ela os sinais.

    18 E foi Mosheh (Moiss), e voltou para Ytro (Jetro), seu sogro, e disse a ele: Eu irei agora, e retornarei a meus irmos, que esto em Mitzraim (Egito), e verei se eles ainda vivem. E disse Ytro a Mosheh: Vai em shlama. 19 E disse

    a Mosheh em Midian: Vai, volta para Mitzraim (Egito); que se tornaram nulos e rebaixados os seus sacrifcios e foram encontrados mortos todos os

    homens que buscavam a tua pessoa, nulos esto. 20 E tomou Mosheh sua mulher e seus filhos, e os fez montar sobre o jumento, e tornou terra de Mitzraim; e

    Mosheh tomou a vara que tirou da cmara nupcial de seu sogro, e era de safira o

    Trono majestoso, seu peso quarenta sein, e sobre ela estava gravado e apontado o

    Grande Nome e Majestoso, e por ele devem ser feitos os sinais diante de

    pela sua mo. 21 E disse a Mosheh: Indo retornar a Mitzraim, veja todas as maravilhas que coloquei na tua mo e as fars diante de Faroh (Fara); e eu

    prevalecerei a inclinao do seu corao, e ele no far partir o povo. 22 E dirs a

    Paroh: Assim diz : Meu filho, meu primognito Ysrael. 23 E eu digo a ti: Deixe partir o meu filho, e ele servir diante de mim; e tu teimaste para deix-

    lo partir; eis que eu mato teu filho, o teu primognito.

    24 E aconteceu no caminho, na casa da hospedaria, e o encontrou nela o Mal'ach

    de , e o procurou mat-lo, devido a seu filho Gershom, que no foi

    circuncidado, devido dureza de Ytro (Jetro) seu sogro que no permitiu a sua circunciso: mas Eliezer era circuncidado, no acordo que foi acordado entre os dois. 25 E tomou Tzporah (Zpora) uma pedra aguda, e circuncidou o prepcio de

    Gershon seu filho, e trouxe a parte cortada para os ps do Mal'ach Atormentador,

    e disse: O noivo procurou circuncidar, e o seu sogro proibiu, e agora um homem circuncidado, isto inocenta o noivo que para mim. [J: E ela circuncidou o prepcio de seu filho, e ps perante os ps do Atormentador, e disse: O noivo

    poderia ter circuncidado, mas o seu sogro no o permitia, mas agora, deixe que o

    sangue desta circunciso expie a culpa deste noivo.] 26 E cessou dele o Mal'ach

    Atormentador. E por isso Tzporah adorou e disse: Quo amvel o homem circuncidado que salva o noivo da mo do Mal'ach Atormentador"! [J: E quando o

    Destruidor o deixou, Tzporah adorou e disse: Quo amvel o homem circuncidado que salvou o meu noivo da mo do Mal'ach da morte!]

  • 27 E disse a Aharon (Aro): Vai ao encontro de Mosheh (Moiss), ao deserto,. E ele foi, e o encontrou no monte que foi revelada a ele a Majestade de

    , e o beijou. 28 E Mosheh entregou a Aharon todas as palavras que o enviou, e todos os sinais que o ordenou fazer. 29 E foi Mosheh junto com

    Aharon, e reuniram todos os ancios dos Bne Ysrael (filhos de Israel). 30 E falou Aharon todas as palavras que falara com Mosheh e fez os sinais aos olhos do povo. 31 E o povo confiou; e ouviram que visitava aos Bne

    Ysrael, e que foi manifesta diante dele a sua escravido, inclinaram-se, e se prostraram. [J: E eles se ajoelharam]

    5

    E Depois disso foram Mosheh (Moiss) junto com Aharon (Aro) e disse a Paroh (Fara): Assim diz Eloqim de Ysrael: Deixa partir o meu povo, e faro para mim uma celebrao no deserto. 2 E disse Paroh: O Nome de

    no foi revelado a mim para que eu faa receber por sua Memra, cuja voz eu ouvirei, para fazer partir Ysrael! Eu no encontrei escrito no Sefer haMelachi' (Livro dos Anjos) o Nome de , no o receio e tambm a Ysrael no farei partir. 3 E eles disseram: Eloqim dos yhodi (judeus) foi invocado seu Nome junto a ns; partiremos agora um caminho de trs dias no deserto, e ofereamos

    sacrifcios imolados, uma festa diante de nosso Eloqim, para que ele no nos fira com a morte ou com a matana. 4 E disse a eles o rei de Mitzraim (Egito): Por que Mosheh e Aharon cessou entre o povo, as suas obras? Ide s vossas ocupaes!. 5 E disse Paroh: Eis que agora so muitos, o povo da terra, que vs estais cessando as suas ocupaes. 6 E decretou Paroh, naquele dia, aos governantes do povo, e aos seus lderes, dizendo: 7 No tornareis a dar palha ao povo, para moldar tijolos, como ontem e anteontem: eles iro e reuniro palha

    para si. 8 E a conta para os tijolos que eles faziam ontem e anteontem imporeis

    sobre eles; no diminuireis dela, que cessaram porque abusam, dizendo: Iremos e sacrificaremos o sacrifcio da celebrao diante de nosso Eloqim. 9 Tu agravars o servio sobre os homens, e se cansaro nele e no prestaro ateno nas palavras

    de falsidade.

    10 E saram os governantes do povo, e seus lderes, e disseram ao povo, e disse

    ao povo: Assim diz Paroh (Fara): Eu no darei a vs palha; 11 ide vs, procurai pra vs palha no local onde achardes; que no reduzido da vossa

    ocupao alguma coisa. 12 E se espalhou o povo por toda a regio de Mitzraim (Egito), a colher restolho para a palha. 13 E os governadores repudiavam,

    dizendo: Acabem a vossa obra, o que de hoje pra hoje! como quando vs trabalhastes com a palha sendo dada a vs. 14 E os lderes feriram os Bne

  • Ysrael (filhos de Israel), que colocaram sobre eles os governadores de Faroh, dizendo estes: Por que no foi terminada a vossa meta, para moldar tijolos como ontem e anteontem, assim tambm ontem e hoje? 15 E foram os lderes dos Bne Ysrael e protestaram diante de Faroh, dizendo: Por que voc fazes assim a teus servos? 16 Palha no se d a teus servos, e respeito dos tijolos nos dizem:

    Fazei!; e eis que teus servos esto feridos; e a culpa do teu povo grande e alta. 17 E ele disse: Vs cessastes , cessastes! Por isso vs dizeis: Iremos, sacrificaremos o sacrifcio da celebrao diante de nosso Eloqim. 18 E agora ide, trabalhai! E palha no ser dar a vs; e a conta dos tijolos dareis.19 E viram os lderes dos Bne Ysrael sua aflio, dizendo: Nada reduzireis dos vossos tijolos da meta, o que de hoje para hoje!. 20 E encontraram a Mosheh (Moiss) e a Aharon (Aro), que estavam defronte deles, quando saram de diante de Paroh. 21 E disseram a eles: " manifesta dante de nossa perda, e a

    retribuio somente de vs que prejudicastes nosso cheiro diante de Faroh, e

    diante de seus servos, o que ocasionou de dar a eles a espada nas suas mos, para

    nos matar.

    22 E retornou Mosheh (Moiss) para diante de , e disse: por que fizeste ruindade a este povo? E por que assim me enviaste? 23 E desde a hora que

    me apresentei a Faroh (Fara) para discorrer em teu Nome, ele fez ruindade a este

    povo; e o livrar tu no livraste o teu povo. 6 E disse a Mosheh: Agora vers o que farei a Faroh; que por uma mo forte vos enviar, sim, por uma mo

    forte os expulsar de sua terra.

    2 E falou com Mosheh (Moiss), e disse a ele: Eu sou que foi revelado a ti no meio da sara e disse a ti: Eu sou . 3 E fui revelado a

    'Avraham (Abrao), a Ytzchaq (Isaque), e a Yaacov (Jac), no Eloqim que amamenta; e meu Nome, , que est na minha face da minha Shekhinah no

    fui conhecido por eles, [J: E foi revelado em sua Memra a 'Avraham, a Ytzchaq, e a Yaacov, como o Eloqim dos Shmay; mas o Nome da Memra de

    no foi revelado a eles] 4 e somente tornei estabelecida a minha aliana com

    eles, para dar a eles a regio de Kenaan (Cana), a regio de suas peregrinaes, na qual peregrinaram. 5 E somente veio diante de mim o gemido dos Bne Ysrael (filhos de Israel), que os mitzri (egpcios) servem a eles, e o memorial da minha aliana. 6 Por isso digas aos Bne Ysrael: Eu sou , e vos fao sair de dentro da rejeio das cargas dos mitzri, e vos livro da servido deles, e vos resgato com brao estendido e com juzos grandes. 7 E vos aproximarei diante de

    mim por povo, e serei para vs por Eloqim; e sabereis que Eu vosso Eloqim, o que vos faz sair de dentro da rejeio das cargas dos mitzri; 8 E vos

  • introduzo terra, acerca que jurei em minha Memra para d-la, a 'Avraham, a Ytzchaq, e a Yaacov, e a darei para vs uma herana, Eu, . 9 E falou Mosheh assim com os Bne Ysrael, e no receberam a Mosheh, devido a ansiedade da ruach e do estrangeiro trabalho duro que estava em suas mos. [J:

    ansiedade]

    10 E falou com Mosheh (Moiss), dizendo: 11 Entra, fala com Paroh (Fara) rei de Mitzraim (Egito), e ele far partir os Bne Ysrael (filhos de Israel) da sua terra. 12 E Mosheh falou diante de , dizendo: Eis que os Bne Ysrael no me receberam; e como me receber Faroh ? E eu sou difcil de falar." 13 E falou com Mosheh e com 'Aharon (Aro), e os advertiu respeito

    dos Bne Ysrael, e os enviou para Paroh rei de Mitzraim, para fazer sair os Bne Ysrael da regio de Mitzraim.

    14 Estas so as cabeas das casas de seus pais: Os filhos de Ruven (Rubm), o primognito de Ysra'el: Chanoch, Falu, Chetzron e Charmi; estas so as famlias de Ruven.

    15 E os filhos de Shimon (Simeo): Yemuel, Yamin, Ohad, Yachin, Tzochar e Shaul, ele Zimri que rendeu o seu ser zona de meretrcio como entre os cananeus; estas so as famlias de Shim'on.

    16 E estes so os nomes dos filhos de Lewi (Levi), segundo as suas geraes:

    Gershon, Qehat e Merari; e os anos da vida de Lewi foram cento e trinta e sete

    anos; ele viveu at ver Mosheh (Moiss) e 'Aharon (Aro), os salvadores de

    Ysra'el. 17 Os filhos de Gershon: Liv'ni e Shimei, segundo as suas famlias; 18 e

    os filhos de Qohat: Amram, Ytzhar, Chevrom e Uzi'el; e os ciclos da vida de

    Qohat o chasid foram cento e trinta e trs ciclos. E ele viveu at que viu Pinchas,

    que Elyahu (Elias), o rab que foi preparado para ser enviado galut (dispora)

    de Ysra'el no fim dos dias. 19 E os filhos de Merari: Machli e Mushi; estas so as

    famlias de Lewi, segundo as suas geraes. 20 E tomou Amram a Yocheved (Joquebede), sua prima, para ele por mulher, e ela gerou para ele 'Aharon e

    Mosheh; e os anos da vida de Amram o chasid foram cento e trinta e sete anos; ele viveu at ver os filhos de Rechabyahu filho de Gershon, filho de Mosheh. 21 E

    os filhos de Ytzhar: Qorach, Nefeg e Zicri. 22 E os filhos de Uzi'el: Misha'el,

    Eltzafan e Sitri. 23 E tomou 'Aharon a Elisheva, filha de Aminadav, irm de

    Nachshon para ele por mulher; e ela gerou para ele Nadhav (Nadabe), 'Avihu

    (Abi), Ele'azar e 'Ytamar. 24 E os filhos de Qorach: 'Asir, 'Elqanah e 'Aviasaf;

    estas so as famlias de Qorach. 25 E Ele'azar, filho de 'Aharon, tomou para ele

    das filhas de Ytro (Jetro), que Puti'el para ele por mulher, e ela gerou para ele a Pinchas; estes so os cabeas dos pais dos levitas, segundo as suas famlias. 26

  • Ele 'Aharon junto com Mosheh, que disse a eles: Fazei sair os Bne Ysrael (filhos de Israel) salvos da regio de Mitzraim (Egito), segundo os seus exrcitos. 27 Estes so os que falaram com Paroh (Fara), rei de Mitzraim, para serem retirados os Bne Ysrael de Mitzraim; Ele Mosheh, o navi' (profeta) e 'Aharon, o kohen (sacerdote).

    28 E aconteceu no dia que falou com Mosheh (Moiss) na regio de

    Mitzraim (Egito), que 'Aharon (Aro) o ouviu e prestou ateno ao que falou com

    ele: 29 E falou com Mosheh, dizendo: Eu sou ; fala com Paroh (Fara), rei de Mitzraim (Egito), tudo que eu falei contigo. 30 E disse Mosheh diante de : Eis que eu sou difcil de falar; como me receber Paroh?

    7

    E disse a Mosheh (Moiss): Por que ests com medo? Veja que te coloquei diante do Poderio para Faroh (Fara) como se fosse o Alaho dele, e 'Aharon (Aro), teu irmo, ser um navi' (profeta) teu. 2 Tu falars tudo para

    'Aharon o que eu for ordenado a ti; e 'Aharon, teu irmo, falar com Paroh, e ele

    far partir os Bne Ysrael (filhos de Israel) da sua terra. 3 E eu endurecerei a inclinao do corao de Paroh, e multplicarei os meus sinais e as minhas

    maravilhas na regio de Mitzraim (Egito). 4 Receber-vos- Paroh; e coloco a

    minha mo em Mitzraim, e fao sair o meu povo, os Bne Ysrael, salvos da regio de Mitzraim, com juzos grandes. 5 E conhecero os mitzri (egpcios) que Eu sou

    , quando deso a minha valentia sobre Mitzraim, e fazer sair os Bne

    Ysrael salvos do meio deles. 6 E fez Mosheh junto com 'Aharon; como ordenara a eles, assim fizeram. 7 E Mosheh era um filho de oitenta anos, e

    'Aharon um filho de oitenta e trs anos ao falarem com Paroh.

    8 E disse a Mosheh (Moiss) e a Aharon (Aro), dizendo: 9 Que dir a vs Paroh (Fara), dizendo: Fazei por vs um milagre, e dirs a Aharon: Toma a tua vara, e a faa lanar diante de Faroh, se tornar um chureman

    1; que esto

    preparados todos os que habitam na terra para ouvir a voz de revolta de Mizraim

    (Egito), quando eu os ferir, assim como ouviram todas as criaturas a voz do

    clamor as serpente quando foi desnudada desde o princpio. 10 E entrou Mosheh junto com Aharon a Paroh, e fizeram assim como ordenara; e desapareceu Aharon com a sua vara diante da viso de Faroh, e diante da viso dos seus servos, e tornou-se uma churamana. [J: diante de Faroh] 11 E Paroh

    1 Cobra venenosa || John Etheridge basilisco || tbm nos vs. seguintes

  • chamou tambm os sbios e os encantadores; e fizeram tambm eles, Yanis e

    Yambres, os encantadores de Mitzraim com os murmrios das suas coberturas

    chifrudas2

    as mesmas coisas. 12 E sumiram os homens com suas varas, e

    tornaram-se churemanim; mas imediatamente elas voltaram a ser como eram

    princpio. E a vara de Aharon tragou as varas deles. 13 E se fortaleceu a inclinao do corao de Paroh, e no os recebeu, como disse.

    14 E disse a Mosheh (Moiss): Se fortaleceu a inclinao do corao de Paroh (Fara) ao recusar a partida do povo. 15 Vai a Paroh pela manh; eis que ele sai para sair as coberturas chifrudas sobre as guas; e te preparas, e estars

    posicionado para encontr-lo beira do rio Nilo, e a vara de Aharon (Aro) que se tornou em cobra tomars em tua mo. 16 E dirs a ele: Eloqim dos yhodi (judeus) me enviou a ti, dizendo: Envia o meu povo, e serviro diante de mim no deserto; e eis que no atendeste at agora. 17 Assim diz : Por este sinal sabers que Eu sou : Eis que eu sou quem fere com a vara que

    est na minha Mo sobre as guas que esto no rio Nilo, e se tornaro em sangue.

    18 E os peixes que esto no rio Nilo morrero, e o rio Nilo feder; e desistiro os

    mitzri (egpcios) de beber as guas do rio Nilo.

    19 E disse a Mosheh (Moiss): Diga a Aharon (Aro): Toma tua vara, e estende a tua mo sobre as guas de Mitzraim (Egito), sobre o rio Nilo deles,

    sobre os seus regos, sobre as suas cisternas, e sobre todas as Beit Kneset de suas

    guas, e se tornaro em sangue; e haja sangue em toda a regio de Mitzraim, e nas

    espcies de madeiras e nos tipos de pedras [J: untenslios]. 20 E fizeram assim, Mosheh e Aharon, como ordenara ; e ele fez lanar com a vara, e feriu as guas que estavam no rio Nilo, vista de Faroh, e vista de seus servos; e todas

    as guas do rio Nilo se tornaram em sangue, 21 e os peixes que estavam no rio

    Nilo morreram, e o rio Nilo fedeu, e no puderam os mitzri beber as guas do rio Nilo; e houve sangue descendo por toda a regio de Mitzraim. 22 E fizeram assim

    os astrlogos de Mitzraim com seus encantamentos, e tornaram-se as guas de

    Goshem em sangue; e se fortaleceu a inclinao do corao de Paroh, e no os

    atendeu, como falou . 23 E Paroh atendeu as suas necessidades pessoais, e

    foi para sua casa; e no ps tambm seu corao neste castigo. 24 E cavaram os

    mitzri sulcos de gua ao redor do rio Nilo para beber, e no a encontraram pura; que no puderam beber das guas que estavam no rio Nilo. 25 E se cumpriram

    sete dias, depois de ferir o rio Nilo. E aps isso, a Memra de curou o rio Nilo.

    2 Termo duvidoso, John Ehreidge traduz como adivinhaes, porm o termo refere-se a espcies de coberturas usadas pelos

    sacerdotes na cabea com chifres. || tbm v. 15

  • 26 E disse a Mosheh (Moiss): Vai a Paroh (Fara) e dirs a ele: Assim diz : Envia o meu povo, e serviro diante de mim. 27 E se tu recusas

    enviar, eis que eu sou quem firo toda a tua fronteira com rs. 28 E o rio Nilo

    multiplicar as rs, sairo e viro tua casa, e no quarto dentro da tua cama, e

    viro sobre o teu div, e na casa dos teus servos, e no teu povo, e nos teus fornos,

    e nas tuas assadeiras, 29 e no teu corpo, e no corpo do teu povo, e sobre todos os

    teus servos as rs se apoderaro. 8 E disse a Mosheh: Estende a tua mo com tua vara sobre o rio Nilo, sobre os regos, e sobre as cisternas [J:

    tanques], e faa subir as rs sobre a regio de Mitzraim (Egito). 2 E Aharon (Aro) estendeu a sua mo sobre as guas de Mitzraim, e subiu uma praga de rs,

    e cobriu a regio de Mitzraim. Que Mosheh no feriu as guas, nem com o sangue

    nem com as rs, porque atravs delas, ele obteu segurana no tempo que sua me

    o ocultou no rio Nilo. 3 E fizeram assim os astrlogos com os seus

    encantamentos, e fizeram subir rs sobre a regio de Mitzraim. 4 E Faroh chamou

    por Mosheh e por Aharon, e disse: Orai diante de e ele retirar as rs de mim e do meu povo; e farei enviar o povo, e sacrificaro vtimas imoladas da

    solenidade diante de . 5 E disse Mosheh a Faroh: Eleva teu ser acima de mim, em que momento orarei por ti, e pelos teus servos, e por teu povo, para

    retirar as rs de ti, e da tua casa, e somente as que esto no rio Nilo permaneam? 6 E ele disse: Amanh. E ele disse: Como a tua palavra, para que tu saibas que no h como nosso Eloqim. [J: D um sinal e guarde distncia at que eu ore por ti] 7 E as rs se apartaro de ti, das tuas casas, dos teus servos, e do teu

    povo; somente as que esto no rio Nilo permanecero. 8 E saiu Mosheh junto com Aharon da presena de Paroh; e Mosheh clamou diante de a respeito da dificuldade das rs que ps sobre Faroh. 9 E fez conforme a palavra de

    Mosheh; e ficaram mortas as rs das casas, dos ptios, e dos campos. 10 E as

    amontoaram montes e montes [J: montes montes], e fedeu a terra. 11 E viu

    Paroh que havia alvio de sua molestao, e o peso para o seu corao, e no os

    atendeu, como falou .

    12 E disse a Mosheh (Moiss): Diga a Aharon (Aro): Estende a tua

    vara, e fere o p da terra, e haver parasitas em toda a regio de Mitzraim (Egito).

    Que sobre tua mo no ser atingida a terra, que nela houve para ti segurana

    quando mataste o mitzri (egpcio) e o recebeste.. 13 E fizeram assim; e Aharon

    estendeu a sua mo com a sua vara, e feriu o p da terra, e estava a praga de

    parasitas na carne do homem e do animal; todo o p da terra veio a ser parasitas

    em toda a regio de Mitzraim. 14 E fizeram assim os astrlogos encantadores com

    os seus encantamentos para sair parasitas, e no puderam; e havia uma praga de

    parasitas se apoderando do homem e do animal. 15 E disseram os astrlogos:

  • Paroh (Fara), isto no a valentia de Mosheh e 'Aharon, mas sim uma praga

    enviada de diante de . E eis que se fortaleceu a inclinao do corao de

    Paroh, e no os atendeu, como o que falou .

    16 E disse a Mosheh (Moiss): Levanta-te pela manh cedo e te coloca diante de Faroh (Fara); eis que ele sai para observar as coberturas chifrudas sobre

    as guas3 como fazem os encantadores; e dirs a ele: Assim diz : Solta o

    meu povo, e eles serviro diante de mim. 17 Que se tu no soltares o meu povo,

    eis que eu sou quem prolonga o sofrimento em ti, nos teus servos, e no teu povo, e

    na tua casa, os animais pinicadores4 de fora; [J: uma mescla] e enchero as casas

    dos mitzri (egpcios) os animais pinicadores de fora, e tambm a terra sobre a qual estiverem. 18 E serei minuncioso naquele dia com a terra de Goshen, que o meu povo acampa sobre a mesma, para que no haja ali animais pinicadores de

    fora, para que saibas que Eu sou governante no meio da Terra. 19 E

    colocarei um resgate ao meu povo, e sobre o teu povo eu trarei um golpe em certo

    tempo, amanh acontecer este sinal. 20 E fez assim; e veio os animais pinicadores de fora com fora casa de Faroh e casa dos seus servos, e sobre

    toda a regio de Mitzraim (Egito); e foram devastados os habitantes da terra de

    diante dos animais pinicadores de fora. 21 E chamou Faroh a Mosheh e a

    Aharon, e disse: Retirai-vos, oferecei sacrifcios imolados da solenidade de diante de vosso Eloqim nesta terra. 22 E disse Mosheh: No convm fazer assim, que cordeiros daqueles que so evitados pelos mitzri, deles se toma e apresentaremos diante de nosso Eloqim? se o que evitado pelos mitzri diante deles quem julga com o apedrejamento. 23 Indo trs dias de jornada no

    deserto, e sacrificaremos vtimas imoladas da solenidade diante de nosso

    Eloqim, como ele dir a ns. 24 E disse Paroh: Eu vos soltarei, e sacrificareis diante vosso Eloqim no deserto; somente o se afastar no vos afastareis; orai por mim. 25 E Mosheh disse: Eis que saio de tua presena, e farei uma orao diante de , e remover os animais pinicadores de fora, desde Paroh,

    dos seus servos, e do seu povo, amanh; somente no continuar Paroh a enganar

    da mesma forma, que no solte o povo para sacrificar vtimas imoladas da

    solenidade diante de . 26 E saiu Mosheh da presena de Paroh, e orou diante de . 27 E fez conforme a palavra da orao de Mosheh, e

    removeu os animais pinicadores de fora, de Paroh, dos seus servos, e do seu povo;

    no se fez remanescente um s. 28 E pesou Paroh a inclinao do seu corao

    tambm esta vez, e no soltou o povo.

    3 Termo duvidoso, John Ehreidge traduz como adivinhaes, porm o termo refere-se a espcies de coberturas usadas pelos

    sacerdotes na cabea com chifres. 4 John Etheridge uma mistura de animais selvagens

  • 9

    E disse a Mosheh (Moiss): Vai a Paroh (Fara), e falars com ele: Assim diz o Eloqim dos yhodi (judeus): Solta o meu povo, e eles serviro diante de mim. 2 Que se tu fores imprudente para soltar, e at agora tu os

    segura, 3 eis que fere a Mo de ser como uma resposta enquanto no

    havia, para estar somente contra o teu rebanho, que est no campo, nos cavalos,

    nos jumentos, nos camelos, nos bois, e nas ovelhas, uma morte horrenda para cada

    um. [J: Grande pertubao] 4 E far minncias entre os rebanhos de

    Ysrael e entre o rebanho dos mitzri, e no morrer de tudo que pertence aos Bne Ysrael. 5 E fixou um tempo, dizendo: Amanh far esta palavra na terra. 6 E fez essa palavra no dia seguinte, e morreu todo o rebanho dos mitzri; e do rebanho dos Bne Ysrael (filhos de Israel) no morreu um. 7 E Paroh enviou algum para olhar, e eis que no morreu do rebanho dos Bne Ysrael sequer um; e se tornou pesada a inclinao do corao de Paroh, e no soltou o

    povo.

    8 E disse a Mosheh (Moiss) e a Aharon (Aro): Tomai para vs as palmas das vossas mos cheias de p fino do forno, e Mosheh a arremesse para os

    Shmay vista de Faroh (Fara); 9 e se tornar em p mido sobre toda a regio de Mitzraim (Egito), e estar sobre os homens e sobre os rebanhos muitos sarnas,

    que se espalha em inchaos, em toda a regio de Mitzraim. [J: tumores] 10 E eles

    tomaram a fuligem do forno, e posicionaram-se s faces de Faroh, e Mosheh a

    arremessou para os Shmay; e tornou-se em sarnas, que se espalha em inchaos nos homens e nos rebanhos; 11 e no podiam os advinhos parar diante das faces

    de Mosheh, desde as faces da sarna; que havia sarna nos advinhos, e em todos os

    mitzri (egpcios). 12 E endureceu a inclinao do corao de Paroh, e no os antendeu, como falou com Mosheh.

    13 E disse a Mosheh: Levanta-te pela manh cedo e te coloca diante de Faroh; e diga a ele: Assim diz o Eloqim dos yhodi (judeus): Solta o meu povo, e eles serviro diante de mim; 14 que esta vez eu envio pragas a ti

    desde os Shmay, e tu retornars por todas as minhas pragas que castigo o teu corao, e nos teus servos, e no teu povo de diante de mim sucedero e no do

    encantamento dos filhos dos homens, para que saibas que no h semelhante a

    mim em toda a Terra; 15 que agora envio um Golpe Poderoso de Juzo, que eu te

    golpeio e ao teu povo pela morte, e sers exterminado da Terra; 16 e que em

    verdade no foi por tua causa isto te preparei para permanecer em p, mas que se

    manifeste a ti a Minha Capacidade, e para que se manifeste o meu Nome Separado

    em toda a Terra. 17 At agora tu s soberbo [J: incansvel] contra o meu povo,

  • que ainda no os tornaste libertos. 18 Eis que eu fao descer por este tempo

    amanh dos tesouros dos Shmay um granizo pesado demais, que no houve semelhante em Mitzraim, desde o dia em que coroaram

    5 at agora. 19 E agora,

    envia algum, torna recolhido o teu gado, e tudo o que para ti no campo; todo o

    homem e os rebanhos, que for achado no campo, e no for recolhido s casas,

    desce sobre ele o granizo, e morrero. 20 Iov (J) que possua receio da Palavra de dentre os servos de Paroh, ajuntou os seus servos e o seu rebanho para

    dentro da sua casa; 21 e Bilaam (Balao) que no colocava o seu corao na Palavra de deixou os seus servos e o seu rebanho no campo.

    22 E disse a Mosheh (Moiss): Estende a tua mo contra os Shmay, e haver granizo em toda a terra de Mitzraim (Egito), sobre o homem e sobre o

    rebanho, e sobre toda a erva do campo, na terra de Mitzraim. 23 E Mosheh

    estendeu a sua vara contra os Shmay, e deu vozes e granizo, e fogo corria pela terra; e fez secer granizo sobre a terra de Mitzraim. 24 E havia

    granizo, e fogo que foi jogado no meio do granizo, muito pesado, que no houve

    como ele em toda a terra de Mitzraim desde que veio a ser um povo e um reino.

    25 E feriu o granizo em toda a terra de Mitzraim, e tudo quanto havia no campo,

    desde o homem at ao rebanho; e toda a erva do campo feriu o granizo e toda

    rvore do campo quebrou e foi desarraigada. 26 Somente na regio de Goshen,

    que ali estavam os Bne Ysrael (filhos de Israel), no havia granizo. 27 E Paroh (Fara) enviou algum e chamou Mosheh e a Aharon (Aro), e disse a eles: Esta vez sou culpado; eu sei que Eloqim Justo, mas eu e o meu povo so culpados de todas as feridas e a praga. 28 Orai diante de que desapaream

    as muitas vozes malficas de e os granizos; e eu vos soltarei, e no mais

    vos pertubarei. 29 E disse a ele Mosheh: No meu sair do lugar que ests acampado, para a cidade, gesticularei com as minhas mos em orao diante de

    ; as vozes cessaro, e o granizo no haver mais; para que saibas que de

    a Terra. 30 E tu e os teus servos so astutos e ainda no soltastes o povo,

    vs receareis de diante de Eloqim. 31 E a linhaa e a cevada feridas, que a cevada estava saindo, e a linhaa estava na casca. [J: e a linhaa estava na

    casca, pois j havia a flor] 32 E o trigo e o centeio no foram feridos, que tardios

    eram. 33 E saiu Mosheh do lugar que Paroh estava acamado, cidade, e

    gesticulou as suas mos em orao diante de ; e foram cessadas as vozes

    de maldio e o granizo, e a chuva que havia, no choveu sobre a terra. 34 E viu

    Paroh que as chuvas, o granizo, e as vozes de maldio terminaram, e continuou a

    pecar; e se tornou pesado a inclinao do seu corao, ele e dos seus servos. 35 E

    prevaleceu a inclinao, e o corao de Paroh, e no soltou os Bne Ysrael, como falou pela mo de Mosheh.

    5 John Etheridge que os homens se estabeleceram

  • 10

    E disse a Mosheh (Moiss): Vai a Paroh (Fara), que eu fortaleci a inclinao do seu corao, e a inclinao dos coraes de seus servos, para pr

    estes meus sinais no meio deles, 2 e para que tu repitas ao ouvir teu filho, e o filho

    de teu filho, as maravilhas que fiz em Mitzraim (Egito), e os meus sinais que

    coloquei entre eles; e conheceis que Eu sou . 3 E foi Mosheh junto com Aharon (Aro) a Paroh, e disse a ele: Assim diz o Eloqim de Ysrael: At quando ser a tua recusa de humilhar-se diante de mim? Solta o meu povo e

    eles serviro diante de mim; 4 que se a tua recusa soltar o meu povo, eis que Eu

    trago a minha morte amanh dentro dos teus limites. 5 E encobrir a viso da

    terra, e no ser possvel ver a terra; e destruir o restante que escapou, o que foi

    remanescente para vs do granizo; e destruir toda a rvore que brotar para vs

    do campo; 6 e enchem a tua casa, e as casas de todos os teus servos e as casas de

    todos os mitzri (egpcios), que no viram teus antepassados, nem os antepassados de teus antepassados, desde o dia em que estiveram sobre o solo at este dia. E virou-se, e saiu da presena de Paroh. 7 E disseram os servos de Faroh a ele: At quando ser este homem para ns por tropeo? Solta os homens, e serviro diante

    de seu Eloqim; at agora no tiveste entendimento que sobre as Mos dele haver a destruio de Mitzraim? 8 E deu ordem para reconduzir Mosheh e Aharon a Paroh, e ele disse a eles: Ide, servi diante de o vosso Eloqim. Quem? Quem so os que ho de ir? 9 E ele disse: Com os nossos jovens, e com os nossos velhos iremos; com os nossos filhos, e com as nossas filhas iremos; com

    as nossas ovelhas, e com as nossas vacas iremos; que h uma solenidade (chago) diante de para ns. 10 E ele disse a eles: Seja assim a Memra de

    como vossa ajudante! Como eu vos solto e aos vossos meninos? Estais

    vendo que por um tropeo ruim h para vs diante de vossas faces? No vosso

    caminho que ireis, at o tempo que vos aproximardes da casa do local da vossa

    habitao. 11 No como vs pensais, ide! Somente os homens! E servi diante de

    , aquele que vs buscais. E ele os expulsou, da presena das faces de Faroh.

    12 E disse a Mosheh (Moiss): Estende a tua mo sobre a terra de Mitzraim (Egito) dentro do gafanhoto

    6, e subir sobre a terra de Mitzraim, e

    6 Ou fosso || tbm nos vs. seguintes

  • destruir toda a erva da terra, tudo o que permaneceu do granizo. 13 E estendeu Mosheh sua vara sobre a terra de Mitzraim, e conduziu uma ruach oriental

    na terra todo aquele dia e toda a noite; amanheceu, e a ruach do oriente subiu o

    gafanhoto. 14 E fez subir o gafanhoto sobre toda a terra de Mitzraim, e pousou em

    todo o limite de Mitzraim, muito grave diante dele; no houve gafanhoto penoso

    assim como esse, e aps esse no est preparado para ser assim. 15 E encobriu a

    viso de toda a terra, a escurido da terra; e destruiu toda a erva da terra, e todos

    os frutos das rvores, que deixara o granizo; e no fez remanescer toda vegetao

    nas rvores, e na erva do campo, em toda a terra de Mitzraim. 16 E se apressou

    Paroh e enviou algum a chamar por Mosheh e por Aharon (Aro), e disse: Pequei diante de o vosso Eloqim, e contra vs. 17 E agora, peo, perdoa o meu pecado somente desta vez, e orai diante de o vosso Eloqim e tire de sobre mim somente esta morte. 18 E saiu da presena de Paroh, e orou diante de . 19 E fez virar, uma ruach do Mar ocidental muito forte, e tirou

    o gafanhoto e o fez desaparecer para o Mar do Junco; no permaneceu um

    gafanhoto em todo o termo de Mitzraim, nem mesmos os que deles saltaram para

    as panelas das mulheres, at estes a ruach ocidental os levou. 20 E

    endureceu a inclinao do corao de Paroh, e ele no soltou os Bne Ysrael (filhos de Israel).

    21 E disse a Mosheh (Moiss): Estende a tua mo contra os altos Shmay, e viro trevas sobre a terra de Mitzraim (Egito), pela madrugada e aps as primeiras trevas da noite [J: que faro o servio na escurido]. 22 E estendeu Mosheh a sua mo contra os altos Shmay, e houve densas trevas em toda a terra de Mitzraim, trs dias. 23 No viu o homem o seu irmo, e no se levantou o

    homem do seu lugar trs dias; e a todos os Bne Ysrael (filhos de Israel) havia luz, para enterrar os homens ruins dentre eles que morreram, e os justos se ocupavam

    com as mitzvot (mandamentos) em suas habitaes. 24 E ao final de trs dias

    chamou Faroh (Fara) a Mosheh, e disse: Ide, servi diante de ; somente as vossas ovelhas e as vossas vacas estaro reunidos a mim; tambm vosso menino

    ir convosco. 25 E ele disse: Dars tu tambm em nossas mos sacrifcios qadoshin (separados) e ofertas queimadas, e ofereamos diante de nosso

    Eloqim. 26 E tambm o nosso gado ir conosco, no ser remanescente deles um casco; que daquele havemos de tomar, para servir diante de nosso

    Eloqim, ns no os deixaremos; e ns no saberemos com que havemos de servir diante de , at que cheguemos l. 27 E endureceu a inclinao do corao de Paroh, e no desejou envi-los. 28 E disse a ele Faroh: V embora da minha presena, guarda a ti mesmo que no continues vendo as expresses das

    minhas faces, falando diante de mim qualquer uma dessas tuas duras palavras; que

    no dia em que veres as expresses das minhas faces, crescer a minha ir contra ti,

    e eu te entregarei tua vida nas mos daqueles homens que buscam tua vida para

  • tom-la. 29 E disse Mosheh: Tu tens ainda falado impiamente; enquanto eu fui um peregrino em Midian foi dito a mim pela Memra de diante de que os homens que buscam matar-me esto debaixo do que os enterram, e foram

    encontrados como mortos. E ao fim no h sobre ti as compaixes; e eu orarei e a

    praga deve ser retirada de ti. E agora no continarei mais a ver as expresses das

    tuas faces.

    11

    E disse a Mosheh (Moiss): Ainda uma praga ponho a morte contra Paroh (Fara), e contra os mitzri (egpcios), grave contra eles como um todo; e aps isso vos soltar daqui; que como o seu soltar, completamente ser para ele

    o desterrar ele vos desterrar daqui. 2 Diga agora, aos ouvidos do povo, e faro

    um pedido cada homem de quem o seu companheiro mitzri, e cada mulher de

    quem a sua companheira mitzrita (egpcia), peas de prata e peas de ouro. 3 E deu ao povo os favores diante dos mitzri tambm; o homem Mosheh era muito grande na terra de Mitzraim (Egito), diante dos servos de Faroh e diante do

    povo.

    4 E disse Mosheh (Moiss) a Faroh (Fara): Assim diz : noite seguinte, como esta hora eu sou revelado entre os mitzri (egpcios); 5 e morre todo o primognito na terra de Mitzraim (Egito), desde o filho primognito de

    Paroh, que est diante do assento sobre os tronos do seu Reino, at ao primognito

    da serva mitzrita (egpcia) que foi gerado para ela quando estava moendo detrs do moedor, e todo o primognito do animal. 6 E haver um clamor grande em

    toda a terra de Mitzraim, que a sua ferida noturna no houve nela essa praga, e a

    sua ferida noturna no continuar a ser como essa praga; 7 e para todos os Bne

    Ysrael (filhos de Israel) no ser danificado o co em sua lngua, ao homem at o animal, para que saibais que far distino entre o mitzri (egpcios) e entre Ysrael. 8 E descem todos estes teus servos a mim, e viro, chegam diante de mim, dizendo: Sai tu, e todo o povo que est contigo; e aps isso eu sairei. E saiu da presena de Paroh com forte ira. 9 E disse a Mosheh: No vos atender Paroh, para que sejam muitas as minhas maravilhas na terra de

    Mitzraim. 10 E Mosheh e Aharon fizeram todas estas maravilhas diante de Faroh; e fortalecer a inclinao do corao de Paroh, e no soltou os Bne

    Ysrael (filhos de Israel) da sua terra.

    12

  • E disse a Mosheh (Moiss) e a Aharon (Aro) na terra de Mitzraim (Egito), dizendo: 2 Este ms para vs um incio fixo dos meses; e dele iniciareis a contagem das solenidades, tempos e estaes; o primeiro para vs para a

    contagem dos meses do ano. 3 Falai com toda a Assembleia de Ysrael, dizendo: Aos dez para este chodesh (ms), cujo tempo foi fixado neste tempo, e no pelas

    geraes: tomaro para si, um cabrito pelas casas dos progenitores, e se so

    muitos em nmero, tomaro um cordeiro para a casa. 4 E se forem os homens da

    casa menos que o nmero de dez, que suficiente para comer um cabrito, e o

    tomar e a sua residncia que est prximo sua casa, pelo nmero das pessoas;

    cada homem pela sua boca o suficiente do seu comer calculareis o cabrito. 5 O

    cabrito completo, macho, filho de um ciclo (ano), ser para vs dos carneiros e

    dos filhotes das cabras tomareis. 6 E ser para vs reunido e conservado at ao

    dcimo quarto dia para este chodesh, que compreendereis que no ser para vs os

    temores que os mitzri (egpcios) contemplam; e o escondero conforme o procedimento, toda a Assembleia da Congregao de Ysrael entre os sis. 7 E tomar do sangue, e colocaro sobre os dois umbrais, e sobre a verga, sobre o que

    h fora sobre as casas que o comerdes e nas quais dormem. 8 E comem a carne

    nessa noite que o dcimo quinto pelo Nisan, at a diviso da noite, assada [J:

    assada] no fogo, e zimos sobre coisas amargosas e endvia o comem. 9 No

    comereis dele quando vivo, e nem enquanto cozido no vinho, em leo e em

    lquidos, e no cozido nas guas que sim assado no fogo, a sua cabea sobre as

    suas patas e sobre as suas entranhas.

    10 E no deixareis dele at o amanhecer; e o que for resto dele at amanhecer, o

    colocareis e enterrar, que ser incinerado no fogo, para que o resduo no seja

    queimado, o resto que permaneceu do sacrifcio separado no Yom Tov. 11 E

    assim a refeio o comereis neste tempo, e no pelas geraes: Os vossos quadris

    presos, [J: amarrados pelos preceitos da Lei] vossas sandlias nos vossos ps, e a

    vossa vara na vossa mo; e o comeis com o receio da Shekinah do Mari do

    Mundo, por causa dos favores de diante de por vs . 12 E serei revelado

    na terra de Mitzraim na Shekinah Majestosa nesta noite, e comigo 90.000 dos

    principais Malachin torno ferido todo o primognito na regio de Mitzraim (Egito), desde o homem at o animal; e em todos destruidores, e matarei todos os

    primognitos na terra de Mitzraim dos homens e at dos animais e em todo os

    dolos dos mitzri farei meus quatro juzos: Os dolos lquidos sero derramados, os dolos de pedra despedaados, os dolos de barro destrudos em cacos, os dolos

    de madeira destrudos em farpas. Que sabero os mitzri (egpcios) que Eu sou . 13 E ser sangue do sacrifcio de Pisacho (Pscoa), e a circunciso do

    procedimento dado a vs, para fazer dele sobre as casas que vs estiverdes ali; e

    eu tendo visto a justia do sangue, terei pacincia convosco, e no ter autoridade

    entre vs o Malach da Morte, que darei a ele o poder para destruir com a matana

  • na terra de Mitzraim. 14 E ser este dia para vs por memorial, e o celebrareis,

    uma solenidade (chag) diante de ; pelas vossas geraes levanta-se para

    alm o celebrareis. 15 Sete dias zimos comereis; mas na metade do dia anterior

    solenidade (chago) cessareis o lvedo das vossas casas; que todo o que comer o levedado, cortado aquele homem de Ysrael, desde o dia primeiro da solenidade (chag) at ao stimo dia. 16 E ao dia primeiro um chamado que separa; e ao dia

    stimo um encontro que separa ser para vs; toda obra no se trabalhar neles,

    seno o que for preparado para comer todo ser; somente isso ser feito por vs.

    17 E guardareis a solenidade dos zimos, que no neste mesmo dia fiz sair os

    vossos exrcitos salvos da terra de Mitzraim (Egito); e guardareis este dia pelas

    vossas geraes, uma aliana para alm. 18 Em nisan, ao dcimo quarto dia para o

    ms, imolareis o Pisacho (Pscoa), e ao crepsculo do dcimo quinto comereis zimos at o dia vigsimo primeiro para o ms; ao crepsculo do vigsimo

    segundo comereis o azedado. 19 Sete dias o azedar no se achar nas vossas

    casas; que todo o que comer o que foi azedado, torna-se cortado aquele filho do

    homem da Congregao de Ysrael, seja ele um estrangeiro ou um natural da terra. 20 Toda mistura de azedume no comereis em todo o lugar das vossas

    habitaes, comereis zimos.

    21 E chamou Mosheh (Moiss) a todos os ancios de Ysrael, e disse a eles: Retirai suas mos dos dolos mitzri (egpcios) e tomai para vs dos filhotes das ovelhas para as vossas famlias, e imolai o Cordeiro de Pisacho (Pascoa). 22 E carregareis um feixe de hissopo, e mergulhareis no sangue que estiver no vaso de

    olearia, e salpicai em direo verga de dentro para fora, e em direo aos dois

    umbrais, do sangue do vaso de olearia; e vs no saireis cada homem da porta da

    sua casa at o amanhecer. 23 E ser revelada a Majestade de para golpear

    os mitzri, e ver o sangue que est sobre a verga, e sobre os dois umbrais, e proteger a Memra de sobre a porta, e no permitir o Malach Destruidor entrar nas vossas casas, para golpear. 24 E guardai esta palavra por

    uma aliana para ti, e para os teus filhos um memorial at alm. 25 E acontecer que ireis terra que est preparada para ser dada a vs por , como falou, e

    guardareis desde o tempo que chegardes ali este sevio. 26 E acontecer que diro

    a vs os vossos filhos naquele tempo: Que servio este para vs? 27 E direis: Este o sacrifcio das compaixes que h diante de , que compadeceu em sua Memra das casas dos Bne Ysrael (filhos de Israel) em Mitzraim (Egito), em suas destruies dos mitzri, e as nossas casas fez poupar. E quando ouviram a Casa de Ysrael estas palavras da boca de Mosheh, inclinaram-se, e prostraram-se. 28 E foram, e fizeram os Bne Ysrael como ordenara a Mosheh e a Aharon (Aro), assim partiram e fizeram.

  • 29 E aconteceu meia noite do dcimo quinto, e a Memra de matou todo primognito na terra de Mitzraim (Egito), do filho primognito de Paroh

    (Fara), que estava preparado para sentar sobre o trono do seu reino, at ao

    primognito dos filhos dos reis que estavam presos na casa do crcere

    aprisionados pela mo de Paroh e por isso estavam alegres pela servido de

    Ysrael, e todos os primognitos dos animais morreram, que os mitzri (egpcios) serviam a eles. 30 E levantou-se Paroh noite, ele e todos os que eram seus

    servos, e todo que era mitzri; e houve um clamor grande, que no havia casa dos mitzri que no houvesse ali um primognito morto. 31 E a fronteira da terra de Mitzraim possua uma distncia de quatrocentos parsi, e a terra de Gashan, que ali

    estavam Mosheh e os Bne Ysrael (filhos de Israel), estava no meio da terra de Mizraim, e os palcios reais de Paroh estavam no incio do terra de Mizraim. E

    quando ele clamou a Mosheh e Aharon noite de Pesach, foi ouvida sua voz na terra de Gashan; estava suplicando Paroh com uma voz de consolo, e assim disse:

    Levantai-vos, sa do meio do meu povo, tanto vs como os Bne Ysrael; e ide, servi diante de , como falastes; 32 tambm vossas ovelhas, bem como

    vossas vacas, tomai e do que me pertence como falastes; e ide, e nada peo a vs

    seno que orai por mim para que eu no morra. 33 E quando ouviram Mosheh e Aharon, e os Bne Ysrael, a voz na janela de Paroh, no estavam atentos, at que veio ele, e todos os seus servos, e todo os mitzri, e apertavam o povo da Casa de Ysrael, apressando-se para expuls-los da terra; que diziam: Se eles permanecerem aqui uma hora eis que todos seremos mortos. [J: Pois disseram os mitzri, se Ysrael atrasar uma hora, eis que todo o Mitzraim morre.] 34 E tomou o povo a sua massa sobre suas cabeas, at que no azedasse, e do que restou para

    eles dos zimos e das coisas amargas ataram retorcendo suas roupas sobre seus

    ombros. 35 E os Bne Ysrael fizeram como a palavra de Mosheh, e pediram dos mitzri peas de prata, e peas de ouro. 36 E deu ao povo favor diante dos mitzri, e antendiam os pedidos; e esvaziaram os mitzri de suas posses.

    13

    E falou com Mosheh (Moiss), dizendo: 2 Eu separarei diante de mim todo o primognito do macho que abre o ventre, entre os Bne Ysrael (filhos de Israel), de homens e de animais; que para mim . 3 E disse Mosheh ao povo: Ser um memorial este dia, que sastes libertos de Mitzraim (Egito), da casa da escravido dos escravos; que com uma forte mo valente vos fez sair

    daqui; e no ser comido o azedado. 4 Este dia vs sastes libertos, no dcimo

    quinto em Nisan, que o ms o Aviv (primavera). 5 E acontecer que, te far subir teu Eloqim terra dos cananeus, e dos heteus, e dos amorreus, e dos heveus, e dos jebuseus, que foi os juramentos pela sua Memra a teus pais dar

  • a ti, uma regio que produz o leite e o mel, e fars este servio neste ms. 6 Sete

    dias comers zimos, e ao stimo dia: uma solenidade (chago) para . 7 zimos comer sete dias, e no ser visto por ti o chametz (azedado), e no ser

    visto por ti o azedado em todo o teu termo. 8 E intruirs a teu filho naquele dia,

    dizendo: Esta mitzvot (mandamento) por causa do fez a Memra de por mim, sinais e milagres quando eu sa de Mitzraim. 9 E ser por ti este sinal inscrito e um apontamento

    7 sobre o tefilim da mo, na tua fora (brao) esquerda e

    por memorial inscrito e apontado sobre o tefilim da tua cabea fixado entre teus

    olhos na fora (fronte) da tua cabea, para que esteja a Lei de em tua

    boca; que por forte mo poderosa te fez sair de Mitzraim. 10 E deves

    guardar esta aliana do tefilim a seu tempo, nos dias da avodah, e no no stimo e

    moadai (as solenidades fixas) de dia, e no de noite. [J: desses dias para aqueles meses].

    11 E acontecer que, quando te fizer subir terra dos cananeus, como fez um juramento a ti e a teus pais, e te fizer dar, 12 e separas todo que abre [o

    tero] e o nascido diante de e todo o que abre [o tero] o nascido dos

    animais que para ser queimado; que sero para ti os machos, separas diante de

    . 13 E todo o que abre [o tero] e o nascido do jumento tu fars resgatar

    pelo cordeiro; e se tu no resgatares, tu o degolas [J: o matas]; e todo o

    primognito do homem, entre teus filhos, e no seja pelo teu servo, tu resgatars

    pela prata. 14 E ser que te perguntar o teu filho no futuro, dizendo: Que esta mitzvot (mandamento) do primognito? E dirs a ele: Com poderosa mo forte nos fez sair livres de Mitzraim (Egito), da casa da servido dos

    escravos. 15 E sucedeu que, fez endurecer a Memra de o corao de Faroh (Fara), para a soltura; e matou todo primognito na terra de

    Mitzraim, do primognito do homem at o primognito do animal; por isso eu

    sacrifico diante de todo o que abre [o tero] e o nascido dos machos; e

    todo o primognito de meus filhos eu resgatarei pela prata. 16 E ser por sinal inscrito e um apontamento sobre tua mo esquerda, e por tefilim entre as tuas

    sobrancelhas; que por poderosa mo forte nos fez sair de Mitzraim.

    17 E aconteceu que, quando Paroh (Fara) soltou o povo, no foram conduzidos

    por pelo caminho da terra dos pelishti (filisteus), que prximo era; que disse : Para que no estejam o povo nas batalhas, seus irmos sendo mortos na guerra, duzentos mil homens Bne Chaiel (filhos dos exrcitos) da tribo

    de Efraim, conduzindo escudos e lanas, e armas de guerra, e desam a Gat para espoliar os rebanhos dos pelishti; e por causa do que fizeram contra a circunciso (aliana) da Memra de e saram de Mitzraim (Egito) trs anos antes do

    7 Ou: uma separao || tbm. adiante

  • final da oposio, pela mo dos pelishti, e morreram; eles so aqueles ossos secos que foram revividos pela Memra de sobre a mo de Ychezqel (Ezequiel) hanavi (o profeta) no vale de Dura. E se eles os vissem, receariam e retornariam a Mitzraim (Egito). 18 E fez o povo rodear o caminho do deserto do Mar dos Juncos; e cada um do povo possua cinco crianas, subiram os Bne Ysrael (filhos de Israel) da terra de Mitzraim. [J: E a Memra de conduziu o povo pelo caminho do deserto do Mar dos Juncos; armados com boas obras, subiram os

    Bne Ysrael, livres da terra de Mitzraim] 19 Mosheh (Moiss) fez subir a caixa dos ossos de Yosef (Jos) de dentro do Nilo para levar consigo, que um juramento

    ele jurou aos Bne Ysrael, dizendo: O lembrar lembrar de vs; e subireis os meus ossos daqui convosco. [J: que um juramento ele jurou aos Bne Ysrael, dizendo: O lembrar lembrar de vs em sua Memra e em suas boas compaixes] 20 E saram de Sukot, o local que foram cobertos pelas nuvens

    majestosas, e acamparam-se em Eitam, que est ao lado do deserto. [J: que est ao fim do deserto.] 21 E a majestade da Shekinah de conduzia adiante

    deles, de dia em uma Coluna de Nuvem indo aps eles pelo caminho, e de noite

    em uma Coluna de Nuvem que ia aps eles pelas trevas abrindo o caminho aps

    eles, e uma Coluna de Fogo para iluminar adiante deles, para que caminhassem de

    dia e de noite. 22 No tirou de diante a Coluna de Nuvem de dia, e a Coluna de

    Fogo de noite, para conduzir diante do povo.

    14

    E falou com Mosheh (Moiss), dizendo: 2 Fala com os Bne Ysrael (filhos de Israel), e retornaro, e que se acamparo diante das Bocas de Chirota, a abertura que dentro dela foram criados os filhos dos homens, macho e fmea, e

    seus olhos foram abertos para si. o lugar de Tanis que est entre Migdol (a torre)

    e o mar, diante do dolo de Tzefon, que est esquerda de todos os dolos de

    Mitzraim (Egito), porque disseram os mitzri (egpcios): sua vista Baal Tzefon dentre todos os dolos, por isso devem vir para se prostrarem diante dele; e vs encontrareis o vosso acampamento em oposio beira-mar. 3 E disse

    Paroh (Fara) Datan e Aviram, os Bne Ysrael que se acamparam atrasados em Mitzraim: A terra expeliu o povo da Casa de Ysrael, contra ele o dolo Tzefon fechou contra eles o deserto. [J: e retornaro, e que se acamparo diante das Caravanas de Chirota, que est entre Migdol (a torre) e o mar, diante do dolo de Tzefon, deveis acampar diante dele. E disse Paroh respeito do povo dos Bne

    Ysrael: Esto confusos na terra, o dolo de Peor fechou contra eles o deserto.] 4 E eu fortalecerei a inclinao do corao de Paroh, e perseguir atrs dele, e me

    tornarei digno por Faroh e por todo o seu acampamento, e sabero os mitzri que Eu sou o . E eles fizeram assim. 5 E anunciaram [J: e declararam ao rei]

  • os que se uniram com partida de Ysrael que fugia o povo; ento, virou ao contrrio o corao de Paroh e os seus servos fizeram ruindade ao povo, e

    disseram: Por que isso fizemos, que despachamos a Ysrael do nosso servio? 6 (...) 7 e tomou seiscentas carruagens escolhidas, e todas as carruagens dos mitzri, os servos tementes da Palavra de que no morreram pela pestilncia, nem

    pela saraiva; e uma terceira mula para ajudar a puxar, sobre todas elas, cada

    carruagem. 8 E fortaleceu a inclinao do corao de Faroh, rei de

    Mitzraim; e seguiu atrs dos Bne Ysrael; e os Bne Ysrael saram com mo elevada [J: Mas os Bne Ysrael haviam sado livres], fortes contra os mitzri. 9 E perseguiram os mitzri atrs deles; ento, alcanaram-nos os acampados junto ao mar, (ajuntando as prolas e pedras preciosas que carregava o Pishon desde os

    jardins fechados do den ao interior do Gihon, e o Gihon os carregava ao Mar dos

    Juncos, e o Mar dos Juncos os depositava sobre suas margens) todos os cavalos, a

    carruagem de Paroh, e os seus cavaleiros e o seu acampamento, junto s Bocas de

    Chirota, que est diante do dolo de Tzefon. [J: junto as Caravanas de Chirota, diante do dolo de Tzefon]. 10 E Faroh viu o dolo Tzefon prevervado e fez

    aproximar diante dele as ofertas, e levantaram os Bne Ysrael os seus olhos, e eis que os mitzri vinha atrs deles, e tiveram muito receio; e oraram os Bne Ysrael diante de . 11 E disseram os homens ruins da gerao a Mosheh: Acaso no havia para ns casas de covas em Mitzraim, para nos tomar para a morte no

    deserto? O qu isto que fizeste a ns, ao nos fazer sair de Mitzraim? 12 Acaso

    no esta a palavra que falamos contigo em Mitzraim, dizendo: Se revelar a vs e vos julgar dizendo: Desiste de ns, e faremos servio aos

    mitzri? Que melhor para ns servirmos os mitzri, do que morrermos no deserto. 13 Quatro coisas foram realizadas pelos Bne Ysrael sobre as margens do Mar de Juncos: Um disse: Entraremos no mar!; outro disse: Retornaremos a Mitzraim!; outro disse: Marcharemos para combat-los a marcha da guerra!; outro disse: Levantaremos um clamor contra eles e os confundiremos! Para a multido que disse: Entraremos no mar disse a eles Mosheh: No receareis; posicionai-vos para a batalha, e vereis a salvao de , que faz por vs

    hoje; para a multido que disse: Retornaremos a Mitzraim disse a eles Mosheh: No retornareis, que assim como vistes aos mitzri hoje, no continuareis a v-los mais, at alm. 14 Para a multido que disse: Marcharemos para combat-los a marcha da guerra disse a eles Mosheh: No contendeis diante de , que ser feito por vs algo mais excelente que a

    vossa batalha. Para a multido que disse: Levantaremos um clamor contra eles e os confundiremos! disse a eles Mosheh: Calai-vos! E dai a majestade, o louvor e a exaltao ao vosso Eloqim. [J: Quatro coisas foram realizadas pelos Bne Ysrael junto as margens do Mar de Juncos: Um disse: Entraremos no mar!; outro disse: Retornaremos a Mitzraim!; outro disse: Marcharemos para combat-los a marcha da guerra!; outro disse: Levantaremos um clamor contra

  • eles e os confundiremos! Para a multido que disse: Entraremos no mar disse a eles Mosheh: No receareis; posicionai-vos para a batalha, e vereis a salvao de , que faz por vs hoje; para a multido que disse: Retornaremos a Mitzraim disse a eles Mosheh: No retornareis, que assim como vistes aos mitzri hoje, no continuareis a v-los mais, at alm. Para a multido que disse: Marcharemos para combat-los a marcha da guerra disse a eles Mosheh: No temais, na majestade da sua Shekinah trabalhar para seus exrcitos a

    vitria. Para a multido que disse: Levantaremos um clamor contra eles e os confundiremos! disse a eles Mosheh: No temais, levantai e calai-vos! E dai a majestade, o louvor e a exaltao a Eloha. Ento, disse a Mosheh: At quando orars diante de mim? Ouvi diante de mim suas oraes, mas as oraes

    de meu povo te precederam. Fala com os Bne Ysrael, e eles seguiram adiante. E tu, levanta a tua vara, e arqueia a tua mo. ]

    15 Ento, disse a Mosheh (Moiss): Por que tu ests de p e ora diante de mim? Eis que suas oraes, do meu povo, te precederam. Fala com os Bne

    Ysrael (filhos de Israel), e eles seguiram adiante. 16 E tu, levanta a tua vara, e arqueia a tua mo sobre o mar, e quebra-o; e entraro os Bne Ysrael pelo meio do mar na terra seca. 17 E eis que Eu sou quem endurecerei a inclinao dos coraes

    dos mitzri (egpcios), e entraro atrs deles; e eu serei engrandecido por Faroh (Fara) e por todo o seu exrcito, por sua carruagem, e por seus cavaleiros, 18 e

    sabero os mitzri que Eu sou , em meu engrandecimento por Faroh, por sua carruagem e por seus cavaleiros. 19 E foi adiante o Malach de , o que conduzia diante do acampamento de Ysrael; e ele foi atrs deles; e foi adiante deles a Coluna de Nuvem, e permaneceu atrs deles; porque os mitzri lanavam dardos e pedras contra Ysrael e a Nuvem se ops a eles. 20 E ficou entre o acampamento de Ysrael e o acampamento dos mitzri; e aconteceu que metade dela era Luz e a outra metade era Escurido, um dos lados que era

    Escurido ficou sobre os mitzri e o lado que era Luz ficou sobre Ysrael toda a noite assim, e no se aproximou um acampamento do outro acampamento para

    enfrentar a luta toda a noite. 21 E arqueou Mosheh a sua mo sobre o mar com a

    grande vara e majestosa que foi criado no incio, e nela estava gravado e apontado

    o Grande Nome e majestoso, e os dez sinais que feriram os mitzri, e os trs pais do mundo, e as seis mes, e as doze tribos de Yaaqov (Jac); e logo tomou

    as guas por uma forte ruach (vento) oriental toda a noite; e colocou o mar

    em um monto, e fez quebrar o mar em doze divises, segundo as doze tribos de

    Yaaqov. [J: E a Nuvem era metade Luz e metade Escurido, a Luz iluminava sobre Ysrael; e a Escurido escureceu sobre Mitzraim. E aqueles no vieram contra estes, para enfrentar a luta um contra o outro, toda a noite. E ele

    estendeu...] 22 E entraram os Bne Ysrael pelo meio do mar pela terra seca; e as guas congelaram como muros, postos trezentos milhas sua direita e sua

  • esquerda. 23 E perseguiram os mitzri, e entraram atrs deles todos os cavalos de Paroh, a sua carruagem e os seus cavaleiros, at ao meio do mar. 24 E aconteceu

    na viglia da manh, o tempo que os Exrcitos do Alto vm para louvar: e

    observou com ira contra o acampamento dos mitzri pela Coluna de Fogo, para lanar contra eles carves de fogo; e pela Coluna de Nuvem para colocar

    sobre eles granizos; e tumultuou o acampamento dos mitzri. 25 E ele quebrou as rodas da carruagem de Faroh, e eles a conduziam com peso. E disseram os mitzri uns aos outros: Fugirei do povo dos Bne Ysrael, que a Memra de faz uma peleja por eles entre os mitzri.

    26 E disse a Mosheh (Moiss): Arqueia a tua mo sobre o mar, e retornaro as guas sobre os mitzri (egpcios), sobre sua carruagem e sobre os seus cavaleiros. 27 E arqeuou Mosheh a sua mo sobre o mar, e retornou o mar ao

    amanhecer sua fora, e os mitzri escapavam diante das ondas; e jogou a Mitzraim (Egito) do meio do mar, (que no morrero no meio dele, porque

    receberiam a punio que enviada a eles). [J: E foi no tempo da manh que a

    Memra de olhou para o acampamento dos mitzri, e atirou sobre eles betume, e fogo, e pedras de granizo, e tumultuou o acampamento dos mitzri. E ele soltou as rodas de seus carros, de modo que, indo eles, se arrastavam atrs

    deles; as mulas, indo para trs de seu caminho antes das rodas, foram

    transformadas, de modo que as rodas iam adiante dos mulas, e eles foram

    lanados no mar. Os mitzri responderam, e disseram um para o outro: Fugirei de diante do povo dos Bne Ysrael; porque esta a Memra de que opera a vitria para eles em suas batalhas; de modo que se voltou contra Mitzraim. E disse

    a Mosheh: Estende a tua mo sobre o mar, e retornaro as guas sobre os mitzri, sobre sua carruagem e sobre os seus cavaleiros. E Mosheh estendeu a sua mo sobre o mar, e o mar retomou ao amanhecer para o seu lugar.] 28 E

    retornaram as ondas do mar, e cobriram a carruagem e os cavaleiros de todo o

    exrcito de Paroh (Fara), que entraram atrs deles no mar; no permaneceu entre

    eles nenhum. 29 E os Bne Ysrael andaram em terra seca; e as guas foram para eles como muros sua mo direita e sua esquerda. 30 E salvou e redimiu

    naquele dia a Ysrael das mos dos mitzri; e os de Ysrael viram os mitzri mortos e postos na beira-mar. 31 E viram os de Ysrael a Poderosa Mo que fez por ela sinais em Mitzraim; e recearam o povo diante de ,

    e creram no Nome da Memra de e nas palavras inspiradas de Mosheh, seu servo.

    15

  • Ento, por isso louvou Mosheh (Moiss) e os Bne Ysrael (filhos de Israel) o louvor deste cntico diante de . E disseram, dizendo: [J:. E cantaram

    Mosheh e os Bne Ysrael o louvor desta cano, diante de , disseram dizendo:]

    Faremos um ode e louvaremos diante de Mais Alto, que explndido sobre o seu esplendor, e exaltado sobre a exaltao de tudo que esplndido

    diante dele. Ele recompensou pela sua Memra aquele sobre o qual est. Que descobriu-se Faroh (Fara), o homem ruim, diante de , e ao se exaltar

    em seu corao, e perseguiu aps o povo dos Bne Ysrael, cavalos, e o seu cavaleiro colocou e profanou no Mar dos Juncos. [J: agradecimento e louvor

    trazemos diante de , que elevado acima do mais alto, e exaltado acima

    da exaltao, e que recompensa por sua Memra quem exalta a si mesmo diante dEle, os cavalos e os seus cavaleiros. Porque descobriu-se

    orgulhosamente e seguiu aps o povo da Casa de Ysrael, Ele os colocou e profanou no Mar dos Juncos.]2 Nossa Fora e o nosso grande louvor que o

    poder sobre todos os mundos. disse em sua Memra e se tornou para um Eloqim de Salvao; Os que mamam em suas mes do sinais com os seus dedos a seus pais, e dizem: Este o nosso Eloqim, que nos nutre com o mel da rocha e o leo do produto duro, no momento em que nossas mes foram

    sobre a face do campo, para nos dar luz, e deixar-nos l; e o Malach Enviado nos lavou e nos envolveu; e agora louvaremos o Eloqim de nossos pais, e o exaltaremos.

    [J: Poderoso, e mui digno de ser louvado e temido por todo o mundo. Ele falou em Sua Memra, e para ns tornou-se a salvao. Os que mamam em suas mes do sinais com os seus dedos a seus pais, e dizem: Este o nosso Pai, que nos nutre com o mel da rocha, e e o leo do produto duro.

    Os Bne Ysrael responderam e disseram um ao outro:

    Ele o nosso Eloqim, e ns o louvaremos; o Eloqim de nossos pais, e o exaltaremos]

    3 Disseram os Bne Ysrael:

    A valentia fez em nossas batalhas, em toda gerao e gerao; fez conhecida a sua valentia para o seu povo, a Casa de Ysrael. o seu Nome, como o seu Nome assim a sua valentia. O meu Nome bendito para sempre e sempre! 4 A carruagem de Paroh e o seu exrcito arremessou

    no mar; o melhor dos seus valentes arremessou, e as suas profanaes no Mar

  • do Juncos. 5 Os abismos os cobriram; desceram e foram silenciados s

    profundezas como pedra. 6 A tua Destra, , se tornou magnfica pelo

    Poder, a tua Destra, , cortar os inimigos do teu povo, que se

    levantam para torn-los feridos; 7 e com a abundncia da tua grandeza os

    muros dos inimigos do teu povo destruir a tua forte ira; sero consumidos

    como o fogo que atinge a palha. 8 E pela Memra diante de ti as guas tornaram-se amontoadas, pararam para elas as correntes como uma bolha, as

    guas se foram, estagnaram sobre elas os abismos no meio das distribuies

    do mar profundo. 9 Que assim disse Faroh, o homem ruim, que odeia, o

    inimigo: Perseguirei atrs do povo dos Bne Ysrael, e farei o mal aos seus acampamentos beira-mar; e o combate os alcanar para combat-los, e

    sero mortos entre eles o pequeno e o grande; e muitos despojos deles

    despojarei bastante, muitos cativos, e farei dividir os despojos entre o meu

    povo, que so praticantes das guerras, e quando se fartar o meu ser do sangue

    de seus mortos; e depois desembanharei a minha espada, tendo-os destrudo

    pela minha mo direita.

    [J: na majestade da Sua Shekinah Ele que opera a vitria pelos seus

    Braos. De uma gerao para outra Ele faz conhecer o seu poder para o povo

    da Casa de Ysrael. Seu Nome como o seu nome, assim a sua valentia; deixe que o seu Nome seja exaltado para todo o sempre. Sobre os

    carros de Faroh e o seu exrcito Ele atirou flechas no mar; seus jovens

    formosos e os seus homens valentes Ele afogou no Mar dos Juncos. A tua

    Destra, , se tornou magnfica pelo Poder, que tem quebrado e

    despedaado os muros dos inimigos do teu povo! Faroh, o homem ruim, o

    inimigo e adversrio, disse: Seguirei atrs do povo dos Bne Ysrael e os alcanarei acampados beira-mar. Vou lev-los cativos para o grande

    cativeiro, e despojarei o grande despojo; farei dividir seus bens entre os meus

    homens de guerra; e quando se fartar o meu ser deles, desembanharei a

    espada, tendo-os destrudo pela minha mo direita.]

    10 Sopraste pela tua Ruach (Sopro) diante de ti, cobriu sobre eles as ondas do

    mar; eles desceram e afundaram como chumbo em guas poderosas. 11 Quem

    como Tu entre os poderes mais altos ? Quem como Tu, o que habita

    na separao, admirvel em louvores, que faz sinais e milagres ao seu povo, a

    Casa de Ysrael? 12 O mar e a terra estavam julgando o juzo, e assim como um s a gua falou para a terra: Receba os que te pertencem. E a terra falou para o mar: Receba teus assassinos. O mar no procurou oprimi-los, e a terra no procurou engoli-los; que a terra evitava receb-los, pois que no

    eles no seriam requeridos dela no dia do grande julgamento no mundo

    vindouro, assim como ser requerido dela o sangue de Havel: logo arqueaste

  • a mo, a tua Mo Direita, , no seu juramento sobre a terra, que no

    ser requerido dela no mundo vindouro. E a terra abriu a boca e os consumiu.

    [J: O mar e a terra estavam julgando um com o outro. O mar, disse terra:

    Recebe teus filhos; e a terra disse ao mar: Recebe teus assassinos. Mas a terra no procurou engoli-los, e o mar no procurou oprimi-los. E pela

    Memra de diante de ti estendeste a tua mo direita em juramento, e juraste que no seria requerido da terra no mundo vindouro. Em seguida, fez a terra

    abrir a boca e os tragar.]13 Guiaste pela tua bondade (Chesed) o teu povo,

    aqueles que tu resgataste; tu deste herana a eles na montanha da tua

    separao, a habitao da Casa das Shekinot da tua separao. 14 Ouvi

    povos! Estremecei!, medo e dor agarrou todos os habitantes da terra da

    Pelashet (Filstia). 15 Por isso silenciaram os poderosos edumeus, os fortes

    moabitas, os agarrou um tremor; esmoreceram os coraes dentro deles,

    todos os pilares8 que esto nas terras dos cananeus. 16 Caiu sobre eles o

    terror da morte e o temor pelo teu Poderoso Brao da tua valentia; eles

    emudeceram como pedra; at que passaro o teu povo, que tua

    herana, at que passaro este povo que adquiriste, o tesouro que avaliaste 17

    Tu o trars, e o plantars no monte que a tua separao, o lugar que foi

    estabelecido para receber o Trono de tua majestade, ordenado a receber as

    Casas das Shekinot da tua separao, fizeste estabelecer , o teu

    BeitMiqdash (casa da separao), , que estabeleceram as tuas duas

    mos.

    [J: Tu fizeste o terror da morte cair sobre eles e o temor pelo Teu Poderoso

    Brao da tua valentia que eles sero to silenciosos como uma pedra, at que

    passar este povo que redimiste, ele devem ir at o fluxo de diviso de Yobeka e do Yardena; at que este povo tenha passado sobre quem Tu resgataste pelo Teu Nome. Tu os introduzirs, e os far plantados no monte da tua heran , a

    habitao da majestade de Tua separao, que Tu , que tens preparado

    para ti mesmo, o BeitMiqdash de , que com as duas mos ele estabeleceu.]

    18 Quando viram o povo dos