série significance #1 significance

Download Série significance #1 significance

Post on 27-Jul-2016

238 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • ~ 1 ~

    1

  • ~ 2 ~

    2

    Maggie uma menina de 17 anos de idade que teve um ano ruim. Ela inteligente e estava indo pelo bom caminho, mas ento sua me foi embora, seu pai est deprimido e ela est mal se formando e seu namorado de quase trs anos a trocou por uma bolsa de futebol da faculdade. Ultimamente ela pensa que a vida est toda pendurada por um fio e ela est se agarrando firmemente com tudo o que tem. Ento ela salva a vida de Caleb e instantaneamente sabe que h algo sobre ele que intrigante. Mas as coisas mudam quando se tocam, fascas acendem. Literalmente.

    Eles se imprinting um ao outro, e ela v sua futura vida juntos em um piscar diante de seus olhos. Ela descobre que no s sua alma gmea, que pode sentir a pulsao de seu corao em seu peito, mas, h todo outro mundo de pessoas com dons e habilidades que ela nunca soube que existia. Ela mesma est experimentando mudanas sobrenaturais diferentes de tudo que j sentiu antes e ela precisa de um simples toque da pele dele para sobreviver.

    Agora, no s o pai dela tinha acabado de sair da depresso para ser um pai novamente, e um p no saco, como os inimigos de Caleb sabem que ele teve um imprinted e esto atrs de Maggie para impedir a ambos de ganhar suas habilidades e tir-las deles.

    Caleb pode salv-la ou sero forados a viver um sem o outro, logo aps encontrarem um ao outro?

  • ~ 3 ~

    3

    Captulo 01

    Eu tenho esperado por esse dia, por essa coisa para me completar. Para

    encerrar dezessete anos e trs trimestres da minha vida e para fazer um belo coque

    embaixo de um chapu de graduao. Eu esperei por essa nica folha de papel,

    para me dizer que eu tinha feito coisa certa.

    Sentei-me no meu lugar atribudo, juntamente com os meus colegas de

    classe, em ordem alfabtica em frente ao ginsio. Aqueles que estavam na frente,

    estavam em ordem por conquistas, seus rostos iluminados com o alvio das bolsas

    de estudo e das festas de formatura com presentes, famlia e amigos. E sair dessa

    cidade.

    Eu estava entorpecida. Eu tinha esperado por esse momento, mas, agora,

    no me sentia bem por dentro. Eu no me sentia completa, no me sentia realizada.

    Eu sentia como se tivesse deslizado atravs e mal conseguido isso. Que

    exatamente o que eu tinha feito. Eu desprezava a escola. Eu estava no programa

    de libertao antecipada para os alunos que trabalham depois da escola, por isso

    samos s 1:00 em vez de 3:00 como todo mundo. Eu mal estava aqui e quando

    estava, eu no queria estar.

    Eu sei que eu soei amarga. Acredite em mim. Eu sei. Mas tenho dezessete,

    graduando-me um ano mais cedo, e estava no caminho rpido para ser a oradora

    oficial ou qualquer outra coisa, mas algumas coisas aconteceram para mim, que

    eu simplesmente no podia lidar. E assim, l estava eu, mal-humorada, um pouco

    infeliz e deslizando atravs disso.

    As "coisas" que me refiro, bem, nmero um, era que minha me foi embora.

    Ela era ntegra, uma me que ficava em casa, PTA1 amorosa, guru da economia de

    compras com recortes de cupons de supermercado da comunidade. E ela nos

    1 A Parent Teacher Association (PTA) ou Parent Teacher Student Association (PTSA) uma organizao formal pessoal

    composta por pais, professores e visa facilitar a participao dos pais na escola.

  • ~ 4 ~

    4

    deixou. Simples assim. Ela decidiu, do nada, que meu pai estava segurando-a para

    trs todos esses anos. Ela no o amava e precisava de tempo para comear uma

    nova vida, sem eu l para incomod-la. Ento ela fez.

    Ela se mudou para a Califrnia junto com cada centavo da conta corrente do

    meu pai e com o que era suposto ser para o meu fundo da faculdade. Eu queria rir

    do clich de Cali, mas acho que no se adequou a ela por muito tempo. Ela se

    mudou para outro lugar, mas eu me recusava a falar com ela quando ligava. Tudo

    o que ela falou foi o quo arrependida estava, que ela simplesmente no conseguia

    mais fazer isso, que estava feliz agora, que eu no sabia o que era viver com o meu

    pai. Sim, certo. Eu respondi que era a nica que ainda vivia com ele e ela desligou.

    Tenho certeza de que seu mais novo namorado, que 10 anos mais jovem

    que ela, poderia consol-la.

    Ento aqui estamos ns, hoje, no dia da formatura. Estou esperando

    pacientemente que os colegas passem para que eu possa agarrar meu diploma e

    ouvir a nica pessoa que est de p batendo palmas para mim, meu pai.

    Eu olhei para cima, para minha frente para ver Kyle olhar para trs. Ele

    sorriu.

    Voc parece como se estivesse em seu prprio mundinho a atrs. Voc

    est bem?

    Sim, estou apenas pronta para terminar com isso.

    Ele virou completamente em sua cadeira, colocando os braos nas costas

    dela.

    Vamos l. o dia da formatura. Voc no deveria estar feliz? Ele

    argumentou. Eu apenas dei de ombros. Voc quer fazer alguma coisa hoje

    noite? Meus pais esto dando essa festa para mim, mas eu estou procurando uma

    desculpa para sair mais cedo.

    Eu no quero ser a sua desculpa, Kyle. Ele empalideceu, a testa

    franzindo.

    Ah, Mags, eu no quis dizer isso. Ele suspirou. Minha festa de cinco

    s sete. Eu vou ter muito tempo para fazer alguma coisa com voc, eu s no quero

    que isso se parea muito como um encontro, voc sabe... Ele explicou e me olhou

    timidamente. No caso de voc disser que no, novamente.

    Oh. Eu me senti com um centmetro e meio de altura. Kyle, eu...

    Eu estava to perto de dizer a ele que no, mais uma vez. Mas pensei sobre isso.

  • ~ 5 ~

    5

    Eu sempre lhe disse que no. Eu no estive em um encontro por um ano. Desde

    que a minha vida caiu sob os saltos pontudos da minha me. Ele sempre foi doce

    comigo e ele provavelmente est saindo logo, de qualquer maneira, para a

    faculdade. O que isso poderia machucar? Ok. Sim. Ns podemos fazer alguma

    coisa.

    Srio? Ele disse chocado.

    Sim. A que horas voc quer ir?

    O seu pai est dando-lhe uma festa ou algo assim?

    No.

    Ha. Sim, certo.

    Oh. Uh, que tal eu te enviar uma mensagem? Eu tenho certeza que est

    tudo bem, mas tenho que pedir ao meu pai, o seu carro. O meu est na oficina.

    Ok, deixe-me dar o meu nmero. Eu disse e comecei a puxar para cima

    a minha beca para alcanar o meu bolso.

    Eu o tenho. Eu olhei para ele com curiosidade e ele sorriu. Eu o pedi

    para Rebecca algumas semanas atrs. Eu ia ligar para voc, mas eu nunca, uh,

    tive coragem.

    Ele parecia um pouco envergonhado e eu no pude deixar de rir um pouco

    de sua expresso bvia de mo-no-pote-de-biscoitos. Ele tinha uma boa aparncia.

    No era nenhum astro de cinema, s um cara normal de cabelos castanhos claros

    e olhos castanhos. Ns tnhamos sado muito, ao longo dos anos, com nosso grupo

    de amigos, mas nunca sozinhos.

    Bem, talvez voc devesse ter ligado.

    Ser que voc teria conversado comigo?

    Eu no queria mentir e no queria dar-lhe falsas esperanas, ento eu

    apenas sorri e dei de ombros, na esperana de me tirar um pouco do flerte. Deve

    ter funcionado, ele sorriu amplamente.

    Ok, eu vou mandar uma mensagem para voc hoje noite.

    timo. Minha boca disse, mas minha cabea j estava temendo isso.

    Ento vi as pessoas frente dele comeando a levantar uma de cada vez

    quando os seus nomes eram chamados.

    Kyle Jacobson.

    Ele olhou para trs e sorriu para mim mais uma vez enquanto fazia o seu

    caminho para o palco. Havia ainda cerca de oito pessoas na minha frente. Eu o vi

  • ~ 6 ~

    6

    fazer o seu caminho para o palco e vi seus pais e um grupo de outras pessoas de

    p o aplaudindo ruidosamente, um casal gritando e assoviando. Ele pegou o seu

    diploma e, em seguida, fez um show de msculos. Todo mundo riu enquanto ele

    descia as escadas. Ele era muito engraado. Todos gostavam dele e elegeram o

    maior palhao da classe. Ele era popular, mas nunca realmente namorava

    ningum. Ele sempre foi legal comigo, no entanto. Eu costumava sair com essa

    multido, antes de tudo acontecer.

    Depois de a minha me ir embora e meu pai estar perdido. Ele ficou um

    pouco "maluco". Ele parou de ir ao trabalho e foi demitido de um emprego que tinha

    h mais de quinze anos no conselho escolar e agora trabalha na fbrica de madeira

    por um quarto do que ganhava antes. Ento, tive que entrar no programa de

    liberao de trabalho e conseguir um emprego porque no tnhamos dinheiro extra

    para qualquer outra coisa alm de alimento que precisava ou queria.

    Quando disse minha me tudo isso, quando expliquei como tive que

    conseguir um emprego para ajudar e como o pai estava to destrudo pelo que ela

    tinha feito, ela disse que era bom para ns experimentarmos um pouco de

    sofrimento e trabalho duro para variar. Era isso. Essa foi a ltima gota.

    Esse foi o dia que decidi nunca mais falar com ela novamente.

    Maggie Masters.

    Eu ouvi o meu nome e olhei para cima. Todo mundo estava olhando e me dei

    conta de que meu nome tinha sido chamado vrias vezes. Corei e ri nervosamente

    enquanto fiz meu caminho at o palco. Eu ri baixinho enquanto meio que esperava

    que o locutor me chamasse de Mags ou Magster ou Maggsy. Ningum me chama

    pelo meu nome real, raramente.

    Pego o meu o diploma e me viro para olhar para o meu pai. Ele estava sentado

    l. Apenas sentado l, no tirava fotos, no batia palmas, sem sorrir, apenas

    obs